Apostila planejamento

Apostila planejamento

(Parte 17 de 18)

Primavera: Constitui um excelente sistema de planejamento de paradas, principalmente para Paradas tipo REVAMP ou que apresentam com muitas interfaces entre as frentes. Sua principal característica é facilitar a integração e consolidação de vários subprojetos de dentro de um projeto. A maior dificuldade está na necessidade de algum treinamento especifico para que possa iniciar a utilização do sistema e também tem um custo auto não permitindo maior divulgação do Sistema.

Ms-Project: E um dos softwares mais populares do mundo. Apresenta uma facilidade muito grande, pois não exige muito tempo de treinamento para iniciantes. Apresentam grandes vantagens para Replanejamento e Emissão de relatórios tais como Listas, Cronogramas, Diagrama PERT e curvas de acompanhamento, aliado ao custo relativamente baixo das Licenças. Atualmente as Paradas de manutenção das Refinarias são detalhadas em MS Project.

Microplanner X-Pert: Programa pouco usado na PETROBRAS. Sua interação com o usuário é bem diferente dos demais softwares. Tem como diferença básica no conceito de atribuição de custos aos recursos, considera os recursos alocados na obra como um todo e não somente os Hh atribuídos às tarefas como nos demais softwares.

Project Scheduler: Sistema muito usado nos EUA. Constitui um excelente sistema de planejamento, porém no Brasil não e muito conhecido.

      1. ERP - Enterprise Resource Planning

A sigla ERP, traduzida literalmente, significa algo como “Enterprise Resource Planning" ou “Planejamento de Recursos da Empresa”, o que pode não refletir o que realmente um sistema ERP se propõe a fazer. Esses sistemas, também chamados no Brasil de Sistemas Integrados de Gestão Empresarial, não atuam apenas no planejamento.

Eles controlam e fornecem suporte a todos os processos operacionais, produtivos, administrativos e comerciais da empresa. Todas as transações realizadas pela empresa devem ser registradas, para que as consultas extraídas do sistema possam refletir ao máximo possível sua realidade operacional.

É um sistema que atua num banco de dado único que interage com um conjunto integrado de aplicações múltiplas, consolidando todas as operações do negócio da organização.

ERP é uma ferramenta de trabalho onde são inseridos dados sobre fatos novos que ocorrem na empresa e o sistema fornece informações decorrentes. Podem ser considerados fatos novos: movimentos de estoque, pagamentos, produção, recebimentos, decisões de crédito, vendas, compras, contratos entre outros. Podem ser consideradas informações decorrentes: notas fiscais de saída, notas fiscais de entrada, contas a receber, contas a pagar, fluxo de caixa, recomendações de compras, estatísticas de venda, pedidos faturáveis, comissões devidas, contabilidade e informações gerenciais.

O sistema permite a integração operacional e gerencial, da maioria das funções desempenhadas na empresa sob um único sistema de computação, permitindo que a informação flua através de todos os seus departamentos. O processo de seleção de um sistema ERP deve ter como principal objetivo encontrar uma solução que melhor se adapte aos requisitos de negócio, necessidades funcionais e capacidade de investimento das empresas, observando sempre que o mercado oferece uma variedade de soluções com as mais diversas características, serviços e preços.

Os programas de ERP possibilitam também a melhoria do planejamento e o controle de recursos e viabilizam condições para a implementação de respostas efetivas às mudanças no comportamento do consumidor.

Sistemas integrados de gestão empresarial provocam a modernização dos processos produtivos nas empresas, determinando a necessidade de controles mais precisos no funcionamento.

O sistema por ser completamente integrado, proporciona consistência e visibilidade para todas as atividades inerentes aos processos da organização, possuindo uma flexibilidade, devido a sua adaptabilidade às mudanças organizacionais, incluindo novos módulos.

Assim, as atividades básicas do administrador – planejar, organizar, dirigir e controlar são subsidiadas por informações de alta confiabilidade, consistentes (sem divergência entre dados fornecidos por departamentos diferentes sobre um mesmo assunto) e em tempo real (as informações são registradas no sistema no momento em que ocorrem, sendo automaticamente refletidas pelas consultas e relatórios).

Os sistemas são formados por módulos contábeis e financeiros, módulos de manufatura, módulos de distribuição e principalmente, módulos integrados, que se propõem a cobrir todas as funções de uma empresa através de um único sistema. Este é um mercado de bilhões de dólares que tem crescido anualmente, propiciando o surgimento de oportunidades de negócio, em todo o mundo, para consultores, fornecedores de tecnologia e para as próprias empresas.

A variação na amplitude (número de atividades contempladas) e na profundidade (grau de especificidade e flexibilidade) da abrangência de um sistema está associada ao fornecedor selecionado. Em geral os sistemas ERP tendem a suportar as atividades administrativas, comerciais e produtivas de uma empresa.

Os componentes fundamentais de PM (ERP modulo de manutenção) são:

  • Processamento de tarefas não planejadas

  • Gestão de serviços

  • Avisos de manutenção conforme datas ou contadores

  • Planejamento da manutenção

  • Lista de materiais para a manutenção

  1. Planejamento da Manutenção no SAP-R3

O PROJETO SINERGIA foi criado pela Diretoria Executiva para implantar um Sistema Integrado de Gestão Empresarial, no Sistema Petrobras. Representou um expressivo processo de transformação organizacional visando a modernização da gestão empresarial.

O R/3 é um software do tipo ERP (Enterprise Resource Planning - Sistema Integrado de Gestão Empresarial) que integra informações, automatiza processos, interliga as áreas de negócio e otimiza o processo decisório. É um software baseado na arquitetura cliente/servidor e desenvolvido na linguagem de programação ABAP/4. Sua principal característica é a base única de dados onde todas as informações são armazenadas e disponibilizadas para os usuários em tempo real.

Tem vários módulos, a saber:

  • PM – Módulo de Manutenção

  • MM – Módulo de materiais

  • PS – Módulo de Projetos

  • CO – Módulo de Controladoria e Custos

  • FI – Módulo Financeiro e Orçamentário

  • PP – Módulo de Produção

  • JVA – Módulo de Joint-Venture

Abaixo, uma figura que expressa a integração entre os Módulos do SAP:

A navegação entre os módulos é totalmente amigável. É possível estar em uma tela do módulo PM e precisar fazer uma operação de material, e simplesmente clicando no elemento pertinente ao material, o sistema conduz o usuário para a tela específica do módulo de material, memorizando o caminho. Existe um botão de retorno às telas anteriores.

O R/3 integra, através dos seus diversos módulos, o planejamento, programação e acompanhamento do projeto, processos de requisição, aquisição, entrega, estocagem/armazenamento, movimentação e aplicação dos recursos (pessoal, materiais, equipamentos e serviços), pagamento a terceiros, impostos, depreciações, e demais providências inerentes a um projeto.

Apesar de dificuldades na utilização do Sistema, tais como: implantação bastante demorada; lançamentos errados afetando todos os departamentos; funcionários sem conhecimento de todas as funcionalidades do SAP, nem de como um lançamento errado pode afetar o restante do sistema; perda de informações, pois no SAP tudo é padronizado, os benefícios trazidos pela implantação do SAP R-3 foram enormes. Por se tratar de um sistema integrado, as informações são confiáveis e praticamente em tempo real, permitindo acesso aos dados de todas as áreas da empresa, auxiliando as gerências na tomada de decisões, assim como na comunicação mais rápida e eficiente entre os departamentos.

O Planejamento da Manutenção no R3 é realizado nos módulos PM, para o Planejamento da Rotina e no módulo PS para o Planejamento de Paradas.

Pelo fato de uma Parada ser tratada como um Projeto e o Módulo PS - Project System é a ferramenta que suporta todas as fases de um Projeto, facilitando e tornando eficiente o seu controle e gerenciamento, utilizamos o módulo PS para o Planejamento de Paradas.

O módulo de PM auxilia no planejamento, no processo e realização de tarefas de manutenção de fábrica, auxilia no controle dos custos e recursos de manutenção e fornece informações para facilitar o processo de decisões em relação à manutenção.

Vantagens da utilização do Módulo PM (Manutenção):

  • Registro dos históricos de manutenção e custos associados aos objetos técnicos (locais de instalação e equipamentos)

  • Integração com os Módulos PS, MM (Material), CO (Controladoria e Custos) e HR (Recursos Humanos)

    1. Módulo PM - Planejamento da Manutenção da Rotina

O módulo de manutenção (PM) do R/3 é totalmente integrado com os módulos de materiais (MM), de custos e orçamento (FI e CO), de empreendimentos / projetos (PS), de ativos (AA), de produção (PP) e em menor nível, com outros módulos.

Oferece excelentes recursos para manutenção preventiva e preditiva, bem como para a manutenção rotineira, além de incorporar facilidades que permitem uma programação mecanizada dos serviços em bases diária, semanal ou em outro período definido pelo usuário.

Adicionalmente tem recursos para inspeção (suporte a exigências legais e de certificação), bem como para controle de qualidade.

Plano de Manutenção:

Plano de Manutenção é um conjunto de informações que permite planejar e programar intervenções com freqüências pré-definidas e tarefas padronizadas, para assegurar a continuidade e segurança operacional de instalações e preservação de equipamentos e materiais.

As Funções dos Planos de Manutenção são:

  • Pré-definir freqüências de intervenções periódicas de manutenção e inspeção

  • Padronizar as tarefas em tais intervenções

  • Indicar necessidades de recursos de mão-de-obra, materiais e equipamentos auxiliares para estas operações

  • Criar automaticamente Notas ou Ordens de Manutenção para as intervenções citadas, periodicamente, de acordo com parâmetros de programação previamente determinados

Podem ser criados Planos de Manutenção para Equipamentos, Locais de Instalação, materiais e Conjuntos. Um Plano de Manutenção prevê datas e descreve atividades periódicas de manutenção a serem executadas.

As atividades de manutenção a serem executadas são definidas através da atribuição de uma Lista de Tarefas ao Item de Manutenção que consta no Plano de Manutenção.

Existem diferentes tipos de Planos de Manutenção. O tipo de Plano de Manutenção define as bases utilizadas no planejamento da manutenção.

O planejamento da manutenção pode ser baseado na performance (= baseado no contador) ou dependente do tempo (= de calendário).

Todos os ciclos são baseados no Tempo ou todos são baseados em Performance, porém todos com a mesma unidade de medida. Aplica-se para ciclos com freqüências diferentes que resultam em intervenções com operações diferentes.

  • Plano baseado no tempo: Executado a cada 6 meses.

  • Plano baseado na Performance (contador): Executado a cada 5000 km.

O cálculo de Custos é realizado para o Plano de Manutenção em um período de tempo definido. É realizado somando-se o custo de todas as operações e de todos os materiais utilizados nas ordens de manutenção. O sistema não calcula os custos de um Plano múltiplo. Só há Cálculo de Custos de um Plano de Manutenção se este tiver um roteiro associado ao Item de Manutenção e se o Plano estiver programado. O sistema Calcula os Custos dos Centros de trabalhos separadamente.

Os diferentes tipos de Planos de Manutenção são:

  • Plano de ciclos individuais

  • Planos de manutenção múltiplos

  • Planos de estratégia

  • Planos por item do documento contratual

Plano de ciclo individual:

Um plano de ciclo individual é a forma mais simples de planejamento da manutenção. Ele define um ciclo de manutenção, dependente de tempo ou baseado na performance, que especifica os intervalos nos quais devem ser executadas as intervenções previstas no Plano de Manutenção, por exemplo, um plano de ciclo anual ou um plano de ciclo a cada 100.000 km.

P

lanos de manutenção múltiplos:

Um plano de manutenção múltiplo pode planejar baseado na performance indicada por vários contadores de diferentes características, com um ciclo para cada contador. Também é possível atribuir um ciclo dependente de tempo neste tipo de plano de manutenção. O plano de manutenção múltiplo pode ser, por exemplo, um plano de intervenção a cada 6 meses ou 10.000 km, o que ocorrer primeiro.

P

lanos de estratégia:

Os planos de estratégia permitem planejar intervenções de manutenção periódicas baseadas na performance, com base nas medições atualizadas do contador atribuído ao equipamento ou local de instalação, ou dependentes do tempo, com base em tempo de calendário.

Com os planos de estratégia dependentes de tempo, a manutenção ocorre em alguns intervalos específicos, por exemplo, a cada dois meses, a cada seis meses e assim por diante. Com os Planos de Manutenção baseados na performance / medição do contador, as intervenções de manutenção são planejadas para ocorrer quando o contador totalizar determinadas medições, por exemplo, a cada 100, 600 e 4000 horas de operação. Neste caso, as intervenções são planejadas de acordo com a posição do contador na hora da programação e com a estimativa anual definida para o contador.

Cada intervalo planejado é definido como um Pacote. Define-se uma estratégia agrupando Pacotes de manutenção. Assim, uma estratégia pode ser, por exemplo, de um, seis e vinte meses. Uma Estratégia precisa que todos os Pacotes de manutenção compartilhem a mesma dimensão. Para cada plano é atribuído uma Estratégia e uma ou mais Lista de Tarefas. Para cada Operação da Lista de Tarefas é atribuído um Pacote da Estratégia do plano.

Planos por item de documento contratual:

O

s planos por item de documento contratual permitem planejar a prestação de serviços de manutenção para clientes com os quais existe contrato destes serviços.

    1. Módulo PS - Planejamento de Paradas Programadas

Como já dissemos pelo fato de uma Parada ser tratada como um Projeto e o Módulo PS é a ferramenta que suporta todas as fases de um Projeto, utilizamos o módulo PS para fazermos o Planejamento de Paradas Programadas (também Paradas não programadas e Sinistros).

      1. Utilização do Módulo PS do SAP R-3 para Paradas

A Parada Programada de Manutenção, no âmbito do R/3 foi considerada um Projeto de Custeio. Seu planejamento poderá ser feito com base em funcionalidades dos módulos PS (Sistema de Projeto) e PM (Manutenção e Inspeção) do R/3.

Uma parada, do ponto de vista de execução e de custo, tem um conjunto de atividades de pré-parada, um conjunto de atividades de execução da parada propriamente dita e um conjunto de atividades de pós-parada.

Adicionalmente, toda Parada Programada no R/3 terá uma política de tratamento de custos detalhada em documento específico elaborado pelo módulo de CO do Projeto Sinergia.

(Parte 17 de 18)

Comentários