Apostila planejamento

Apostila planejamento

(Parte 18 de 18)

Uma parada, no R/3, no seu nível mais alto, será constituída de um ou mais elementos PEP. A cada elemento PEP podemos associar uma ou mais Redes de Atividade (ainda na abrangência do módulo PS do R/3). E, a cada atividade da Rede de Atividades podemos associar uma ou mais Ordens de Manutenção. E cada Ordem de manutenção pode ter operações com interdependência (as atividades da rede tem interdependência de forma análoga às operações de uma Ordem), e com materiais, contratos e mão de obra (Centros de Trabalho) associados.

Assim uma parada será planejada e acompanhada utilizando elementos do Módulo PS (Elemento PEP e Rede de Atividades), elementos do Módulo PM (Ordens de Manutenção e Operações) e elementos do Módulo MM (materiais e contratos). Os Centros de Trabalho podem ser utilizados tanto em Redes como em Ordens de Manutenção.

Vantagens da utilização do Módulo PS (Projetos):

  • Integração com Contabilidade Financeira (FI), Administração de Materiais (MM), Controladoria (CO), manutenção (PM) e outros.

  • Interfaces gráficas que facilitam o uso da ferramenta de gestão da Parada

  • Abrange todo o ciclo de vida da Parada

  • Disponibilidade das informações em tempo real

Processo Evolutivo de uma Parada Programada:

Temos que criar o Elemento PEP principal para acumular todos os custos da parada.

Na primeira etapa, criar um PEP, com estimativa dos custos da parada, baseada no escopo e históricos de paradas anteriores. A estimativa dos custos serve de insumo na elaboração do PAN (Plano Anual de Negócio). Numa segunda etapa o detalhamento poderá contemplar uma visão mais operacional, para acompanhamento dos serviços a serem executados.

Abaixo dos Elementos PEP serão criadas as redes de atividades, contendo durações, recursos e interdependência. A REDE é composta de atividades e as atividades contêm, dentre outros, os seguintes atributos: Datas de Início e Término, Custos, Recursos (os recursos são definidos através de Centros de Trabalho), Relações de Interdependência (dependências Start-Finish, Finish-Start, Start-Start e Finish-Finish).

O objetivo da rede é representar e descrever todas as tarefas necessárias à execução do projeto Parada Programada. As atividades do Diagrama de rede são utilizadas no planejamento mais detalhado do projeto. Formam a base operacional para as datas planejadas e controle de custos e recursos (pessoal, máquinas, materiais e outros).

Cada atividade de uma rede é semelhante a uma Operação (tarefa) de uma Ordem de Manutenção. Como a atividade não tem o campo Objeto (Local de Instalação ou Equipamento), caso se deseje acompanhar o histórico de intervenções em parada nos objetos, é necessário criar Ordens de Manutenção como filhas das Atividades.

A figura abaixo ilustra o inter-relacionamento entre Elementos PEP, Redes e Ordens:

Uma Ordem PM é ligada a uma Rede de Atividades de PS na lapela Dados Adicionais, conforme pode ser visto na figura abaixo:

Conforme visto acima, a Ordem PM em Paradas será sempre associada a atividades da rede. Mas a Liquidação de Custos de uma Ordem de manutenção em Parada será sempre feita para um PEP.

Todos os custos realizados em redes também serão liquidados para os respectivos PEPs (Planos Estruturados de projeto).

      1. Definições

a) Elemento PEP:

O plano da estrutura do projeto (PEP) é um elemento de controle de projeto que apresenta, em um formulário hierárquico, as atividades do projeto ou parada a serem executadas. Ele forma a base operacional para planejamento de custos, receitas e pagamentos, bem como programação de datas e elaboração do orçamento.

As tarefas individuais são ligadas umas às outras, e agrupadas juntas para formar o que se conhece como "atividades". As atividades formam a base operacional para planejamento e controle de datas, custos e recursos (recursos humanos, máquinas e materiais).

As atividades são usadas para mostrar o processo de um projeto, ou das atividades nele envolvidas.

Quando as atividades são atribuídas aos elementos PEP, as datas e custos definidos nas atividades individuais são somados (agregados) no nível do PEP, e podem ser avaliadas. Os recursos financeiros da atividade já atribuídos são comparados aos orçamentos dos elementos PEP.

Um Elemento PEP pode ser utilizado para Estruturar as fases de um Projeto, Definir Responsabilidades, planejar e Acompanhar Custos, Planejar e Acompanhar Datas, Controlar a Execução orçamentária, Consolidar Custos.

Os elementos PEP são os objetos usados para o planejamento e atualização de dados reais. Como o plano da estrutura do projeto é estruturado hierarquicamente, os dados podem ser compactados e exibidos para os elementos PEP de nível superior correspondentes.

Para criar e modificar o plano da estrutura do projeto pode-se usar o Project Builder ou o painel de planejamento do projeto (facilidades inerentes ao R/3 no âmbito PS). Os projetos podem ser processados em modo tabular ou gráfico.

b) Rede de Atividades

A REDE é composta de atividades e estas atividades contêm os seguintes atributos:

  • Datas de Início e Término

  • Custos

  • Recursos (os recursos são definidos através de Centros de Trabalho)

  • Relações de Interdependência (dependências Start-Finish, Finish-Start, Start-Start e Finish-Finish)

Cada atividade de uma rede é semelhante a uma Operação (tarefa) de uma Ordem de Manutenção, e tem alguns campos adicionais. Pode-se fazer nivelamento de capacidade (nivelamento de recursos), determinar datas mais cedo, datas mais tarde, caminho crítico e rede PERT a exemplo do que se faz no MS-Project. As facilidades oferecidas por Elementos PEP e Redes podem ser representadas pelo seguinte quadro:

c) Custos

Os custos também podem ser planejados de diversas formas no Módulo PS, sempre objetivando atender o nível de detalhamento requerido. Os planejamentos possíveis são:

  • Planejamento Estrutural (Por Elemento PEP)

  • Custo Unitário (Por Quantitativo)

  • Consumo Atividades (Por H.H)

  • Planejamento Detalhado (por Conta)

d) Project Builder

O Project Builder é uma interface do R/3 específica para o Planejamento de Projetos e Paradas, na qual se pode criar / alterar / exibir Elementos PEP devidamente integrados com a rede de atividades e com as Ordens de Manutenção.

É acessado pela transação CJ20N.

Para visualizar Elementos PEP, Redes, Ordens associadas a atividades de rede, suas operações e mais os materiais planejados, utiliza-se a transação do R/3 com o código CN41.

SIGLAS

Brainstorming – são reuniões realizadas por um grupo de pessoas que tem um objetivo pré-determinado, definindo assim planos de ação indo de encontro ao objetivo.

CCQ – Circulo de Controle de Qualidade.

CEP - Controle Estatístico do Processo.

Dumb Sourcing – é a terceirização de atividades básicas da empresa, ou seja, atividades de fácil terceirização não implicando em problemas graves para a empresa.

EAP –Estrutura Analítica de Projeto, também conhecida em Inglês como Work Breakdowm Structure (WBS)

ERP – Enterprise Resource Planning – Software Integrado de Gestão para o Planejamento dos Recursos da Empresa.

FSP – Folha de Solução de Problemas.

GQT – Gestão pela Qualidade Total.

MCC – Manutenção Centrada na Confiabilidade.

NBR 5462/1994 – Norma brasileira que aborda sobre “Confiabilidade e Mantenabilidade”.

PDCA – Método de Controle de Processos.

PEP – Plano da Estrutura do Projeto

PM – Plant Maintenance – Manutenção Planejada – módulo do software SAP

PS – Project System - Módulo do software SAP. É a ferramenta que suporta todas as fases de um Projeto

SAP – System Anwendungen Product in de Datenverarbeitung – Sistemas, Aplicativos e Produtos para Processamento de Dados, empresa de origem alemã, trata-se de um software integrado de gestão empresarial, ERP.

Seis M – ferramenta da qualidade utilizada para analisar a falha. Seis M significa máquina, mão de obra, meio ambiente, material, método e medida.

Smart Sourcing – é a terceirização de atividades complexas da empresa, ou seja, atividades de grande porte como, por exemplo, Logísticas, Manutenções industriais, entre outros.

TPM – Manutenção Produtiva Total.

WBS – Work Breakdowm Structure Estrutura, também conhecida como Estrutura Analítica de Projeto (EAP)

(Parte 18 de 18)

Comentários