Curtume de Couro Bovino[1]

Curtume de Couro Bovino[1]

Curtume de Couro Bovino

Couro: o início

  • Foram encontrados pedaços de couro curtido no Egito Antigo de aproximadamente três mil anos a. C .

  • No século XX foi descoberto o método de curtimento realizado em até dois dias.

Você sabe do que foi feito os famosos “pergaminhos”?

  • Você sabe do que foi feito os famosos “pergaminhos”?

Setor de Curtumes

  • O maior rebanho bovino comercial do mundo está no Brasil, que também ocupa lugar de destaque na produção mundial de couro. Atualmente no ranking mundial o Brasil está em terceiro lugar, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da União Européia.

Tabela de curtumes:

A PELE BOVINA

    • Relacionado a anatomia, a pele que chega aos curtumes (1º fase de curtimento) tem três divisões principais: a epiderme (camada superior); a derme (camada intermediária, que resulta na pele comercializável) e a hipoderme (camada inferior, encostada na carne do animal).

Classificação brasileira:

  • Há uma classificação brasileira referente a partes do couro, desta divisão ocorre à classificação do mais nobre ao mais grotesco, que, por exemplo, é usada em solas de sapato. Existem diferentes aspectos num mesmo produto – a pele – que constituem um desafio aos curtumes para a obtenção de um couro com maior uniformidade possível.

Processo de curtimento:

  • O curtimento é o processo de transformação da pele em couro e é realizado em curtumes. Esse processo tem variação de acordo com os seguintes itens: o seu estado de conservação ao chegar ao curtume, a raça, a idade e o sexo do animal, além da finalidade para a qual será utilizado o couro.

Curtume integrado e wet-blue.

  • Essas peles podem ser verdes, salmouradas, salgadas, seco-salgadas ou secas. Existem outros processos de conservação de peles, porém não são comuns no Brasil.

Fases do processamento:

  • O processamento da pela bovina completo, ou seja, desde a pela crua até o couro com acabamento final, divide-se em cinco fases: ribeira, curtimento, acabamento molhado (ou recurtimento), pré-acabamento e acabamento.

Fase 1: Ribeira

  • Esta fase é composta de seis operações, procedendo à limpeza da pele e o seu preparo para o curtimento. As operações são:

  • Conservação (ou estocagem)

  • Remolho (ou reverdecimento)

  • Depilação e caleiro

Bateria de fulões e operários manuseando lote de couros recém-saído de etapa de processamento, para a seqüência das operações.

  • Bateria de fulões e operários manuseando lote de couros recém-saído de etapa de processamento, para a seqüência das operações.

Descarne e divisão (ou rachação)

  • Operação de recorte e ajuste das extremidades das peles, após descarne e/ou divisão

Desencalagem (ou descalcinação) e purga

  • Desencalagem (ou descalcinação) e purga

  • Píquel

Fase 2: Curtimento

  • CurtimentoÉ realizado em uma nova solução ou no mesmo banho de píquel. As indústrias nacionais adotam, principalmente, dois tipos: o curtimento com taninos vegetais (vegetal) e com sais de cromo (mineral). É importante lembrar aqui outros processos com taninos sintéticos, com sais de alumínio e de zircônio, formol, etc., utilizados em poucos curtumes.

Curtume vegetal

  • Utiliza substâncias extraídas da casca das plantas, da folha ou do lenho e produz o couro atanado. Os vegetais mais utilizados são a acácia negra, quebracho e castanheiro. Resultante deste processo tem-se um couro de queima, de escovamento e plasticidade, porém sem grande resistência.

Curtume mineral

  • O de sal de cromo (óxidos) é o mais utilizado no Brasil, e tem significativo uso em todo mundo, por poupar tempo nesse processo e pelas qualidades de excelente estabilidade, maior resistência a água, tornando-o mais elástico e flexível, e ainda é de fácil tingimento. Este curtimento pode ser realizado no mesmo banho do píquel ou formulado em banho novo, à parte.

Curtimento Sintético

  • No curtimento sintético são aplicados curtentes, geralmente orgânicos (resisnas, taninos sintéticos, por exemplo), que permitem um curtimento mais uniforme e aumentam a absorção de outros curtentes, como os taninos e de outros agentes químicos. Isto propicía, por exemplo, um tingimento melhor posteriormente.

No fim deste processo, tem-se um couro curtido e úmido (wet-blue), que poderá ser estocado, seguidos alguns cuidados: evitar a desidratação, cristalização de sais, impedir o surgimento de fungos. É recomendável o uso de fungicida no curtimento.

  • No fim deste processo, tem-se um couro curtido e úmido (wet-blue), que poderá ser estocado, seguidos alguns cuidados: evitar a desidratação, cristalização de sais, impedir o surgimento de fungos. É recomendável o uso de fungicida no curtimento.

Fase 3: Acabamento molhado

  • Rebaixamento

Neutralização

  • Neutralização

  • Recurtimento

  • Tingimento

  • Engraxe

Fase 4: Operações de secagem

  • Essa fase abrange três operações: a secagem, o recondicionamento e o amaciamento dos couros. Ressaltando que se faz necessário muito cuidado nesta fase, assim como nas outras, uma desatenção na realização do processo pode danificar por completo o couro.

Secagem

  • Secagem

  • Recondicionamento (reumedecimento ou reumidificação)

  • Amaciamento (ou palissionamento)

Fase 5: Acabamento

  • São definidas nesta fase as características finais da superfície do couro, como: cor, brilho, toque e resistências específicas. Isto ocorre com a passagem do couro por fenômenos físicos, pois nesta fase as propriedades químicas não são mais alteradas.

  • Alguns tipos de acabamento podem ser utilizados, sendo assim classificados: anilina, semi-anilina, pigmentado (são insolúveis), graxos e pull-up e natural.

  • Esta ultima fase do processo de industrialização do couro abrange algumas etapas: a impregnação, o fundo, a cobertura e a fixação. Ao término tem-se uma couro pronto para atender as indústrias do ramo no mercado.

INSUMOS UTILIZADOS

  • Água

  • Energia

  • Produtos Químicos

CURTUMES E GESTÃO AMBIENTAL

  • Nos tempos atuais ocorre uma crescente preocupação da sociedade em geral com o meio ambiente. Problemas ambientais exigem medidas e ações eficazes por parte das empresas e também por parte do governo. Tais medidas incluem planejamento, supervisão, desenvolvimento e implantação de projetos de recuperação de áreas degradadas, de reutilização de resíduos industriais, de reutilização de recursos hídricos, entre outras.

Principais impactos ambientais da indústria de curtume:

  • Geração de efluentes líquidos

  • Geração de resíduos sólidos

  • Geração de poluentes atmosféricos

Conclusão:

  • Novas tecnologias, apesar de apresentarem bom resultado, têm um custo elevado.

  • Não é impossível uma convivência sustentável entre o ser humano e o meio ambiente. O primeiro passo é admitir que muito tem que ser mudado. E o segundo é a busca de alternativas, se houver verdadeiro interesse, empecilhos serão ultrapassados sem maiores dificuldades.

Muito Obrigada Pela Atenção!!!

  • Muito Obrigada Pela Atenção!!!

  • Franciane Muniz de Araujo

Comentários