artigo ética

artigo ética

PROJETO APRENDIZ LEGAL / CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA-ESCOLA-CIEE

ÉTICA NAS RELAÇÕES

DE TRABALHO

Nome: Andressa Schuster de Miranda

Turma: Marau 1

Pedagoga: Milene F. Rizzardo Volpato

Marau, 30 de Agosto de 2010.

INTRODUÇÃO

“Nenhum homem é uma ilha”. Esta famosa frase do filósofo inglês Thomas Morus ajuda-nos a compreender que a vida humana é convívio. Para o ser humano viver é conviver. É justamente na convivência, na vida social e comunitária, que o ser humano se descobre e se realiza enquanto um ser moral e ético. É na relação com o outro que surgem os problemas e as indagações morais: o que devo fazer? Como agir em determinada situação? Como me comportar perante o outro? Diante da corrupção e das injustiças, o que fazer?

Portanto, constantemente no nosso cotidiano encontramos situações que nos colocam problemas morais. São problemas práticos e concretos da nossa vida em sociedade, ou seja, problemas que dizem respeito às nossas decisões, escolhas, ações e comportamentos - os quais exigem uma avaliação, um julgamento, um juízo de valor entre o que socialmente é considerado bom ou mal, justo ou injusto, certo ou errado, pela moral vigente.

  1. O que é Ética?

Ética vem da palavra grega ethos e significa a morada humana. “A ética é daquelas coisas que todo mundo sabe o que são, mas que não são fáceis de explicar, quando alguém pergunta”. (Valls, 1993: 07).

O ser humano precisa de ética, pois vive em sociedade. A sociedade

não pode funcionar, e nem pode ser administrada também sem ética. Portanto, ética significa tudo aquilo que ajuda a tornar melhor o ambiente para que ele venha a ser uma moradia saudável.

A ética, como expressão única do pensamento correto, conduz à idéia da universalidade moral, ou ainda, à forma ideal universal do comportamento humano, expressa em princípios válidos para todo pensamento normal e sadio. (Plácido, 2000: 24).

Na verdade, a ética é uma reflexão crítica sobre a moralidade. Mas ela não é puramente teórica, pois a ética é, antes de tudo, um conjunto de princípios e disposições voltados para a ação, e tem por objetivo essencial demarcar as ações humanas. Ela somente existe como uma referência para os indivíduos que convivem em sociedade, ou seja, entre todos nós.

  1. A Relação entre ética e moral

A moral se traduz em normas aceitas íntima e livremente pelos indivíduos, por convicção pessoal, sendo reconhecidas como obrigatórias por refletirem os princípios, valores e interesses dominantes na sociedade na qual estão inseridos. As normas morais ditam como devem agir os membros de uma determinada sociedade. Não se recorre à força ou à imposição coercitiva.

[...] O que vem a ser a moral? Um conjunto de valores e de regras de comportamento, um código de conduta que coletividades adotam, quer sejam uma nação, uma categoria social, uma comunidade religiosa ou uma organização. Enquanto a ética diz respeito à disciplina teórica, ao estudo sistemático, a moral corresponde às representações imaginárias que dizem aos agentes sociais o que se espera deles, quais comportamentos são bem-vindos e quais não. (SROUR, 2000, p. 29).

A ética se caracteriza como a ciência que investiga a moral. Não encontramos na ética uma norma de ação para cada situação concreta. O problema de como agir de maneira a que a sua conduta seja boa, ou seja, moralmente valiosa pertence à moral. A ética, diferentemente, preocupa-se com problemas gerais de caráter teórico, como definir a essência da moral, sua origem, as condições objetivas e subjetivas do ato moral e as fontes de avaliação moral.

Ao se definir a essência da moral e as condições do ato moral, está-se traçando um caminho geral, a partir do qual os homens possam orientar seu comportamento.

Ética e moral, portanto, são diferentes, embora guardem estreita relação. Adolfo Sánchez Vázquez, nesse sentido, afirma que a missão da ética é explicar a moral e, assim, termina por influir na própria moral.

A ética e moral caminham juntos, independente da direção, espaço e grupo. Para o exercício da atividade profissional é importante instigar no trabalhador, juízo crítico de seus atos para que o mesmo possa resistir à prática profissional negativa comum na sociedade atual.

  1. Ética e mercado de trabalho

O mercado de trabalho exige cada vez mais de quem está na busca por um espaço e força a constante atualização de quem já está inserido nele. Villela; Pita; Breitenbauch; referem que as ofertas de emprego, as formas de trabalho e o perfil profissional são ditados pelas inovações tecnológicas. Por isso conforme o avanço da tecnologia, as pessoas devem adequar-se, para não se tornarem desatualizadas e serem excluídas do mercado de trabalho inovador.

 O trabalho é fundamental na vida das pessoas, pois através dele o indivíduo determina seu status, realizando-se profissional e socialmente. Dentro desta perspectiva, o trabalhador precisa receber incentivo moral e salarial por parte da administração e em contrapartida, necessita desempenhar sua atividade com esmero estabelecendo um relacionamento de confiança com toda a equipe. O profissional torna-se agente de si mesmo, quando investe em seu aperfeiçoamento, traçando metas e procurando atingir os objetivos dentro dos anseios da coletividade, pois sozinho ele não prospera.

As culturas que valorizam o trabalho e o trabalhador criam no sujeito uma dimensão social da atividade produtiva [...]. Nelas são criados vínculos sociais e comunitários, relações interpessoais e afetivas fundamentais a vida das pessoas. (SENAC, 1997, p.63).

Percebe-se atualmente que a boa conduta está à sombra de valores ditados pelo capitalismo, alterando o conceito ético que deve estar eminente nas relações de trabalho. As pessoas buscam acumular bens, independente dos meios utilizados, tornando-se individualistas na realização do seu trabalho e suprimindo o que é correto na postura de um profissional. A ética é um princípio que devemos fazer uso no cotidiano, não importando a situação.

“Não é uma carruagem que se pode parar ao seu bel-prazer para nela subir ou para dela descer segundo o caso”.(SROUR, 2000, p. 93 apud WEBER, 1999, p.169-170).

Assim, é imprescindível que seja retomado na vida do profissional, comportamentos condizentes com a postura ética em volta de responsabilidade, comprometimento e ações coletivas.

Segundo Matos, “Ser ético, hoje, não é mais uma opção. Para pessoas e organizações, é questão de sobrevivência”. Com a velocidade em que ocorrem as transformações, há necessidades de valores intangíveis para que haja um alinhamento na tomada de decisões com mais rapidez. Hoje não se pode avaliar uma empresa com os padrões tangíveis de ontem, pois referenciais intangíveis, como marca, imagem, prestígio e confiabilidade, decidem a preferência e garantem a continuidade.

    1. Dicas para trabalhar com Ética

  • 1 Seja honesto em qualquer situação.

  • 2 Nunca faça algo que você não possa assumir em público.

  • 3 Seja humilde, tolerante e flexível. Muitas idéias aparentemente absurdas podem ser a solução para um problema. Para descobrir isso, é preciso trabalhar em equipe, ouvindo as pessoas e avaliando a situação sem julgamentos precipitados ou baseados em suposições.

  • 4 Ser ético significa, muitas vezes, perder dinheiro, status e benefícios.

  • 5 Dê crédito a quem merece. Nem sonhe em aceitar elogios pelo trabalho de outra pessoa. Cedo ou tarde, será reconhecido o autor da idéia e você ficará com fama de mau-caráter.

  • 6 Pontualidade vale ouro. Se você sempre se atrasar, será considerado indigno de confiança e pode perder boas oportunidades de negócio.

  • 7 Evite criticar os colegas de trabalho ou culpar um subordinado pelas costas. Se tiver de corrigir ou repreender alguém, faça-o em particular, cara a cara.

  • 8 Respeite a privacidade do vizinho. É proibido mexer na mesa, nos pertences e documentos de trabalho dos colegas e do chefe. Também devolva tudo o que pedir emprestado rapidamente e agradeça a gentileza com um bilhete.

  • 9 Ofereça apoio aos colegas. Se souber que alguém está passando por dificuldades, espere que ele mencione o assunto e ouça-o com atenção.

  • 10 Faça o que disse e prometeu. Quebrar promessas é imperdoável.

  • 11 Aja de acordo com seus princípios e assuma suas decisões, mesmo que isso implique ficar contra a maioria.

  • 12 O que fazer com os brindes e presentes? Muitas empresas têm normas próprias e estipulam um limite de valor para os brindes. Informe-se discretamente sobre isso e aja conforme a regra.

  1. Ética e sociedade

Toda conduta social é instituída por valores morais diferentes, mas a conduta correta é imposta a todos sem distinção. Desde o nascimento nos é ensinado o que é certo e errado e a partir daí reproduzimos valores impostos pela sociedade. Desta forma, somos “programados” para agir conforme regras impostas, sendo recompensados quando seguimos as regras e punidos quando as infringimos.

O ser humano é histórico e vive o coletivo em todas as suas ações, associado aos seus costumes e as suas manifestações culturais. A família, o trabalho, a escola, as artes, a religião etc. norteiam nossos atos morais e determinam o cumprimento do dever.

A Ética como conjunto de normas e valores que regem uma sociedade deve necessariamente refletir a consciência e as ações desse povo, assim como trazer consigo o tipo de organização que alimenta essa sociedade.

Ética e moral devem andar lado a lado com a liberdade, mas esta liberdade tem algumas limitações que a própria “Lei Natural” impõe ao ser humano. Esta liberdade parte do princípio do respeito aos direitos alheios.Entretanto, na vida prática não existe o respeito ao homem em si, o que existe na consciência humana é o respeito a si mesmo, a busca constante para si próprio.

Sendo assim, a ética deve ser incorporada pelos indivíduos, tendo como princípio uma atitude diante da vida social cotidiana, capaz de julgar criticamente os apelos da moral que vigoram em nossa sociedade. Porém, a ética, tanto quanto a moral, não é um conjunto de verdades fixas e imutáveis, mesmo porque, a ética sempre se movimentou dentro de um contexto histórico.

Os animais vivem em harmonia com sua própria natureza e agem de acordo com as características de sua espécie. Leis biológicas regem os instintos animais, tornando previsíveis muitas de suas reações. O homem, diferentemente de outros mamíferos, constrói sua vivencia no mundo ao longo dos tempos. Seu comportamento é pautado em princípios, que permite viver em equilíbrio e de forma organizada na sociedade.

CONCLUSÃO

Refletir sobre a ética é contribuir para aumentar a reflexão sobre a ação humana, tornando-nos mais sensíveis e mais sensatos, porque ela nos aproxima da realidade e nos torna mais conscientes das ações que praticamos em qualquer espaço da nossa vida.

Ultimamente a ética e a moral estão sendo relegadas por certas classes sociais e políticas, muitos valores estão sendo quebrados em prol do individualismo. O bem comum deu lugar ao “cada um por si” e com isso ética e moral vêm perdendo o sentido.

REFERÊNCIAS

MATOS, Francisco Gomes de. Ética Empresarial e Responsabilidade Social. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/producao_academica/etica_e_responsabilidade_social_1/578/ >. Acessado em: 07/06/2010.

PLÁCIDO, Lázaro. Ética Geral e Profissional em Contabilidade.

SROUR, Robert Henry. Ética Empresarial. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

SENAC. DN. Ética e Trabalho / Maria H. B. Gonçalves; Nely Wyse. Rio de Janeiro. Ed Senac Nacional, 1997.

SÁNCHEZ VÁZQUEZ, Adolfo. Ética. 16.ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996, p. 14.

VILLELA, PITA, BREITENBAUCH. A ética nas relações de trabalho:

Reflexões sobre fontes de poder em Foucault  e Heller.

Disponível em: <http://sites.ffclrp.usp.br/paideia/artigos/32/01.htm> Acessado em: 07/05/2010.

VALLS, Álvaro. O que é ética. São Paulo. 7ª edição, São Paulo: Brasiliense.

Revista Você S. A. Ética no trabalho. No 39 Editora Abril.

Comentários