Aula de farmacologia - ansiolíticos

Aula de farmacologia - ansiolíticos

(Parte 1 de 3)

Disciplina de Farmacologia Disciplina de FarmacologiaDisciplina de Farmacologia Disciplina de Farmacologia

Prof. Roberto S.D. de Oliveira ansiedade

Todasas pessoasestãosujeitasa estadosde tensãoe inquietude emocionalquegeralmentese manifestacomoum sentimento de apreensão e medo

1. nosindivíduos sadios representauma resposta normal a um determinadoestímulo.Temum caráter homeostático(prepara o organismo para a reação)

2.Nos estados ansiosos, estas reações ocorrem de maneira antecipada independentemente dos eventos externos.

Emgeralsãolevese de curta duração

Algu mas vezes são muitoinco modos, podendointerferir nacapacidade do indivíduo atuar eficiente mente

A distinçãoentreansiedadenormal e o estadoansioso(patológico) não tem um contornobemdefinido define a ansiedade comouma sensação de perigo sem que se possa identificar uma ameaça real

Malco m Lader sugere que a ansiedade teria um significado mais ou menos equivalente a inquietude social ou psicológica

Wolloughby

Em termos biol Em termos biolEm termos biol Em termos bioló ó ógicos gicosgicos gicos

A ansiedade pode ser considerada como uma forma particular de alteração comportamental que ocorre em resposta a eventos ambientais que são:

novos

Não recompensados punitivos

1. Específica 2.Social

1. Desordens fóbicas

Fobiaespecífica: se caracteriza pelo aparecimento desíntomasde ansiedade diante de algumasituaçãoconcreta, que pode dar lugar a condutas de evitaçãoou fuga exemplo: medode ficarno escuro+ lugaresfechado+ animais

Em geralco meça nainfânciae desaparece quandocresce

Medo exagerado a ser exposto ao escrutíneo público ou de envolversecom situaçõesembaraçosas, ouqueleve a hu milhação ou vergonha.

Exe mplo: - falar e m público

-Interações sociais

Fobia social:

ESTADO CONTÍNUO DE EXCESSIVA ANSIEDADE, SEM NENHUMA RAZÃO OU FOCO CLAROS ( se caracteriza por uma preocupação crônica e excessiva por problemas comuns).

Exe mplo:

-como não ter dinheiro suficente -ter dificultadesna carreira,

Porém, o nível de stress ésempre exagerado

Em grau extremo: Sensação de morte.

Transtorno de Pânico (com ou sem agarofobia)

No primeiro episódio o paciente sofre de um taque de pânico caracterizado por: -palpitações,

-opressão no peito,

- dispnéia,

- pare stesias,

- náuseas

- malestar gastro intestinal.

-Posteriormente o paciente pode sentir uma "ansiedade antecipatória“ao ataque e para evitarlo o paciente pode desenvolver agarofobia( fobia a espaços abertos)

3. STRESS PÓS-TRAUMÁTICO

Geralmente se apresenta depois de situações quetenha a meaçado a integridadefísica do indivíduocom umaresposta de intensomedoe horror.

Os pacientes apresenta m flashback que osrecorda m da experiênciatrau mática.

Os pacientesapresentamum quadrode ansiedade generalizada, ataquesde pânico, insônia, e estado depressivo

De 30 -40 % dos indivíduos adultos apresentam algum Problema de Ansiedade

25% da população num determinado momento vai requerer tratamento médico

ESTÍMULO de qualquer natureza est estest estí í ímulo mulomulo mulo tálamo córtex percepção sraa Ativa córtex vigília

Sistema límbico Afetividade emoção

Hipotálamo Resposta neuroendócrina visceral

AUMENTO SOBRESSALTO
EXPRESSÕESFACIAIS DE

Eferências da Amígdala ( suasexpressõesanatômicase psíquicas)

1869 -CLORAL HIDRATADO

1912 –FENOBARBITAL(sucessolevouasíntedede maisde 2500 derivados 1930 – FENOT IA ZÍN IC OS

1961 – BENZOD IA ZEPÍNIC O(grupofar macológico + importante) 1990 –BUSPIRONA -ZOLPIDEN

Efeitos comparativos: Efeitos comparativos:Efeitos comparativos: Efeitos comparativos:

Os barbitúricosrepresentaramum marco históricono tto. daansiedade

(Parte 1 de 3)

Comentários