Farmacologia 2

Farmacologia 2

(Parte 1 de 2)

•HISTÓRICO E EVOLUÇÃO •DROGAS, MEDICAMENTOS e REMÉDIO

A Farmacologia é definida como o estudo da interação dos compostos químicos com os organismos vivos. Estuda o resultado da interação g ç da droga com o sistema biológico.

terapêuticos, preventivos vacinas, e, fluoração da água diagnósticos contrastes usados em exames

Farmacologia

Farmacologia ciência século XIX (1920)

Até a década de 1920

As ervas serviam para a manipulação de remédios e, as drogas de origem vegetal predominaram no tratamento das doenças

A palavra Farmacologia é derivada de pharmakon, de origem grega, com vários significados desde uma substância de uso terapêutico ou como veneno, de uso místico ou sobrenatural, sendo utilizados na

Antigüidade como remédios (ou com estes objetivos) até mesmo insetos, vermes e húmus. Provavelmente, as plantas tiveram influência importante na alimentação, para alívio, e, também para casos de envenenamento do homem primitivo.

Cleópatra testou algumas plantas em suas escravas quando decidiu suicidar.

Cerca de 4.0 anos a.C., os sumerianos conheciam os efeitos psíquicos provocados pelo ópio, inclusive também para a melhora da diarréia.

DROGAS, MEDICAMENTOS e REMÉDIO

Drogaé definida como sendo qualquer substância que é capaz de modificar a qp função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento.

DROGAS, MEDICAMENTOS e REMÉDIO

Substância Química ()Efeito benéfico

Sistema Biológico

Efeito Maléfico Farmacoterapia +

Medicamentocorresponde à droga de estrutura química bem definida, e, também tem sido conceituado como a substância

DROGAS, MEDICAMENTOS e REMÉDIO tem sido conceituado como a substância química que é o princípio ativo do medicamento, portanto, consistindo no produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado. substância responsável pela ação terapêutica, com composição química e ação farmacológica conhecidas.

DROGAS, MEDICAMENTOS e REMÉDIO

Remédioé qualquer dispositivo que sirva para o tratamento do paciente, incluindo a sugestão, a massagem, o fármaco ou qualquer outro procedimento terapêutico, sendo esta palavra it tili d l l i i ô i muito utilizada pelo leigo como sinônimo apenas de fármaco ou especialidade farmacêutica.

medicamento industrializado, cuja fabricação é regulamentada por normas governamentais, com fórmula conhecida e de ação terapêutica comprovada. Produto oriundo da indústria farmacêutica

No Brasil, o Ministério da Saúde, através do órgão do Governo Federal denominado Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), observando os critérios da Denominações Comuns Internacionais

(DCI) d i ã d fá (DCI), aprova a denominação do fármaco ou princípio ativo com efeito farmacológico conhecida como Denominação Comum Brasileira (DCB).

A Farmacopéia corresponde ao conjunto de drogas-medicamentos oficializadas e de uso corrente consagradas pela experiência fi út i d bli õ como eficazes e úteis, sendo publicações oficiais de cada país

Quando uma nova substancia química é sintetizada por uma empresa farmacêutica, esta substancia recebe um nome químico di ã í i lá id ou designação química, por exemplo, ácido acetilsalicílico.

Durante o processo de investigação oficial da utilidade desta estrutura química para ser usada como fármaco, o órgão oficial do país (no caso do Brasil, a ANVISA e segundo os critérios da OMS) escolhe o nome genérico independentemente do fabricante, com o objetivo de ser um nome simples, conciso, significativo, e, comum (escrito em letra minúscula) pelo qual o fármaco deve ser conhecido

Assim, para o nome químico ácido acetilsalicílico foi escolhido o nome genérico aspirina e sendo aprovado genérico aspirina, e, sendo aprovado pela Farmacopéia, como medicamento oficial

O Medicamento de Referência é um produto inovador registrado no órgão federal responsável pela Vigilância Sanitária e comercializado no País, cuja eficácia, comercializado no País, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente

O Medicamento Genéricoconsiste no medicamento semelhante a um produto de referência ou inovador, que pretende ser com este intercambiável, geralmente produzido após a expiração ou renúncia da proteção patentária

Biodisponibilidade e bioequivalência

O medicamento oficinal corresponde ao fármaco preparado na própria farmácia de acordo com as normas e doses estabelecidas pela Farmacopéia

As farmácias autorizadas a manipular medicamento, inclusive o que contém psicotrópicos ou entorpecentes, denominadas de Farmácias Magistrais.

Regulamentadas pelo Ministério da Saúde

Farmacologia geral-estuda os conceitos básicos e comuns a todas a drogas.

Farmacologia especial ou aplicada –estuda os fármacos reunidos em grupos de ação farmacológica semelhante. em grupos de ação farmacológica semelhante.

Farmacognosia –estuda a origem, as características, a estrutura anatômica e composição química das drogas no seu estado natural, de matéria-prima, sob a forma de órgãos ou organismos vegetais ou animais, assim como dos seus extratos, sem qualquer processo de elaboração. A fitoterapia tem sido estudada.

Farmacotécnica –estuda a preparação das formas farmacêuticas sob as quais os medicamentos são administrados, como em cápsulas, suspensões, comprimidos e outras formas. Antigamente, era função exclusiva dos farmacêuticos bioquímicos, sendo, atualmente, exercida em maioria pela industria farmacêutica.

atualmente, exercida em maioria pela industria farmacêutica.

Farmacocinética –estuda o movimento da droga através do organismo, envolvendo a absorção, a distribuição, a biotransformação e a eliminação.

Farmacodinâmica –embora dependa da farmacocinética, estuda o local de ação, mecanismo de ação, e, efeitos das drogas no organismo.

Farmacoepidemiologia-Aplicação do método e raciocínio epidemiológico no estudo dos efeitos -benéficos e adversos -e do uso de medicamentos em populações humanas.

Farmacovigilância - Identificação e avaliação dos efeitos, agudos

FarmacovigilânciaIdentificação e avaliação dos efeitos, agudos ou crônicos, do risco do uso dos tratamentos farmacológicos no conjunto da população ou em grupos de pacientes expostos a tratamentos específicos.

Farmacogenética –estuda os efeitos das drogas em relação a genética molecular, inclusive a natureza genética das reações adversas a drogas.

Farmacogeriatria –estuda as variações da sensibilidade às drogas, absorção, metabolismo, toxicidade, e, excreção das drogas na pessoa idosa, incluindo todos os fatores fisiológicos e patológicos.

Farmacoeconomia – estuda os efeitos das drogas em termos

Farmacoeconomia estuda os efeitos das drogas em termos sociais e econômicos, e, surge como nova disciplina importante na orientação de decisões governamentais sobre a política de prescrição de fármacos e de assistência sanitária.

Farmacoterapia –corresponde à terapêutica medicamentosa.

Farmacologia experimental –realiza experimentos com medicações e novas drogas.

(Parte 1 de 2)

Comentários