Vias de administração de medicamentos

Vias de administração de medicamentos

(Parte 1 de 2)

INTRODUÇÃO

Vias de administração de medicamentos

Via de administração é o caminho pelo qual uma droga é colocada em contato com o organismo. A via de administração é um constituinte muito importante para a taxa de eficiência da absorção do medicamento.

O método de administração dos medicamentos depende da rapidez com que se deseja a ação da droga, da natureza e quantidade da droga a ser administrada e das condições do paciente. As condições do paciente determinam, muitas vezes, a via de administração de certas drogas.

Classificação

As principais são a via enteral e via parenteral, porém existem outras vias de administrar os medicamentos.

1-VIA ENTERAL

1. oral

1.2 sublingual

1.3 retal

1.4 Bucal

1.5 Gástrica

1.6 Duodenal

2-VIA PARENTERAL

    1. Endovenosa

    2. Intradérmica

    3. Intramuscular

    4. Subcutânea

    5. Intra-arterial

    6. Intratecal

    7. Intraperitoneal

    8. Intrapleural

    9. Intravesical

    10. Intraarticular

    11. Intraraquídea

    12. Intra óssea

    13. Intracardíaca

3-VIA TRANSMUCOSA

3.1 Nasal

3.2 Ocular

3.3 Vaginal

3.4 Uretral e peniana

3.5 Auricular

4-VIA TÓPICA

4.1 Transdérmica

4.2 Cutânea

4.3 Pulmonar

  1. Via enteral: constitui a via mais comum de administração.

Vantagens da via enteral:

  • A distribuição do fármaco circulação é lenta após a administração oral, evitando-se assim a ocorrência de rápidos níveis sanguíneos elevados, alem disso, existe uma menor probabilidade de efeitos adversos.

  • As formas posológicas disponíveis para administração enteral são convenientes e não exigem uma técnica estéril.

Desvantagens da via enteral:

  • A taxa de absorção varia, esta variação torna-se um problema se o efeito terapêutico desejado de um fármaco for separado de seus efeitos tóxicos por uma pequena faixa de nível sanguíneo.

  • Pode ocorrer irritação da mucosa.

  • Com a administração oral de alguns fármacos, pode ocorrer extenso metabolismo hepático antes de o fármaco alcançar o seu local de ação. Este processo é conhecido como efeito de primeira passagem.

As vias enterais são:

    1. Via oral

Esta via é caracterizada pela ingestão pela boca e é considerada a mais conveniente para administrar-se um medicamento, devido ao fato de que a deglutição é um ato natural, realizado todos os dias nas refeições. Além disto, não necessita de ajuda de profissionais de saúde para sua concretização.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Pílulas

Indolor

Irritação gástrica

Drágeas

Possibilidade de reversão da administração

Interação com alimentos

Comprimidos

É um meio barato

O paciente não poder deglutir

Cápsulas

Auto-ingestão

O medicamento interferir na digestão

Soluções

É o mais seguro

Grande perda da biodisponibilidade

Suspensões

Mais conveniente

Efeito demorado

Emulsões

Vômitos e diarréias

Tabletes

Necessidade da boa vontade do paciente

Granulados

Sabor desagradável

Pós

A não absorção das drogas - curare

    1. Via bucal

Via bucal é uma via de administração aplicada no interior das bochechas. Não é quase utilizada, salvo para administração de efeitos locais.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Soluções

Fácil remoção do fármaco em caso de efeitos excessivos ou adversos

Dificuldade de conservar soluções devido à ação diluidora da saliva.

Géis

Fácil acesso e aplicação

Irritação da mucosa

Colutórios

Latência curta

Dificuldade em pediatria

Cremes

Dispositivos orais

Pastinhas

Pomadas

Aerossóis

    1. Via sublingual

Consiste na absorção de fármacos por debaixo da língua. Esta via de administração evita o efeito de primeira passagem hepático pois a drenagem venosa é para a veia cava superior. As mucosas situadas na região sublingual são altamente vascularizadas por capilares sanguíneos, motivo pelo qual sua absorção é altamente eficaz. Em comparação com a via oral, sua absorção se dá de uma forma muito mais rápida, devido ao contato quase que direto com os capilares sanguíneos situados nessa região. Mas, devido a essa rápida absorção, torna-se também uma via com riscos consideráveis. Sua utilização também depende da ionização e lipossolubilidade do fármaco.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Comprimidos

Evita a ação destrutiva do suco gástrico

Absorção é incompleta e errática em alguns medicamentos

Ação mais rápida, pois a droga passa diretamente para a circulação geral

Irritação da mucosa

Sem passagem pelo fígado

Dificuldade em pediatria

Fácil acesso e aplicação

Latência curta

    1. Via retal

A via retal é utilizada quando a ingestão não é possível por causa de vômitos, quando o paciente se encontra inconsciente ou não sabem deglutir. Sua indicação é impopular e desconfortável, onde o fármaco é aplicado acima do esfíncter anal interno e do anel anorretal.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Supositório

Efeito rápido

Absorção pode ser errática ou incompleta

Enema

Não produz irritação gástrica

Depende da motilidade intestinal

Protege os fármacos suscetíveis da inativação gastrointestinal e hepática

Irritação da mucosa retal.

Boa opção para uso pediátrico

Reflexo de defecação

Desconforto do paciente

Poucos pacientes aderem a este tipo de via

    1. Via gástrica

Esta via é usa em caso de pacientes inconscientes ou impossibilitados de deglutir. Os medicamentos são em água e administrados por meio de uma sonda nasogástrica, tubo de gastrostomia ou jejunonostomia.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Drágeas

Administração de alimentos ou fármacos diretamente na mucosa gástrica ou intestinal

Equipamentos específicos

Comprimidos

Pessoal competente

Tabletes

1.6 Via duodenal

Consiste em colocar o medicamento diretamente no duodeno por meio de uma sonda duodenal. É via muito pouco usada, com indicação para os casos de administração de vermífugos.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Comprimidos

A droga escapa da ação do suco gástrico.

Irritação da parede do duodeno

Drágeas

Pessoal competente

Soluções

2. Via parenteral: é a administração do medicamento através dos injetáveis, não utilizam o trato intestinal.

Vantagens da via parenteral:

  • O fármaco atinge mais rapidamente o local de ação, produzindo uma resposta rápida, que pode ser necessária em situações de emergência.

  • A dose pode ser administrada com maior precisão.

  • Podem-se ser administrados grandes volumes de medicamentos por via intravenosa.

  • A administração parenteral pode ser utilizada quando a via enteral é impossível.

  • A disponibilidade é mais rápida e mais previsível.

  • A dose eficaz pode ser escolhida de forma mais precisa.

  • No tratamento de emergências, esse tipo de administração é extensamente valioso.

Desvantagens da via parenteral:

  • A absorção mais rápida do fármaco pode resultar em o aumento dos efeitos adversos.

  • É necessária uma formulação estéril, bem como uma técnica asséptica da administração.

  • Pode ocorrer irritação no local da injeção.

  • A administração parenteral não é apropriada para substâncias insolúveis.

  • Reações alérgicas.

  • Muito dolorosa.

  • Rejeita por muitos pacientes.

  • Pode ocorrer uma injeção intravascular acidental.

  • Os custos desse tipo de intervenção são outra consideração importante.

2.1 Via endovenosa

É a via onde se tem a mais rápida ação do fármaco administrado, em que há a introdução da medicação diretamente na veia. Os medicamentos injetados na veia devem ser soluções solúveis no sangue. Podem ser líquidos hiper, iso ou hipotônicos, sais orgânicos, eletrólitos, medicamentos não oleosos e não deve conter cristais visíveis em suspensão.

Algumas características são essenciais para que uma substância possa ser injetada pela via intravenosa:

- não ser hemolítica;

- não ser cáustica;

- não coagular as albuminas;

- não produzir embolia ou trombose;

- não conter pirogênio;

Em relação às condições do paciente, podemos citar:

- a dificuldade de se encontrar veias adequadas à picada;

- a presença de tecidos com muitos hematomas ou mesmo feridos;

- a intensa dor sentida pelo paciente à aplicação, devida a sua doença ou outro motivo.

FORMAS FARMACEUTICAS

VANTAGENS

DESVANTAGENS

Injeções

Efeito farmacológico imediato

É necessário que se mantenha assepsia

Possibilidade de liberação controlada do medicamento no organismo

É necessário que se mantenha assepsia

Permite a administração de fármacos irritantes

Possui custo elevado

Não existe absorção do medicamento pelo organismo

Pessoal competente

Evita a ação do suco gástrico e o efeito de primeira passagem

Não aceita todos os tipos de medicamentos

Permite administrar grandes volumes e por tempo prolongado

Possibilidade dos fármacos sofrerem efeito de primeira passagem nos pulmões

A administração é possível mesmo sem a cooperação do paciente

Existe a probabilidade de ocorrência de reações desfavoráveis

Propiciam meios para restaurar o equilíbrio ácido-base e o volume sanguíneo do organismo

Infecção, flebite, formação de vesículas ou necrose quando extravasado oantineoplásico.

Permiti a manutenção ou reposição das reservas orgânicas nutricionais e de água em pacientes incapazes de manter uma ingestão adequada

Facilidade de intoxicação

Permite substâncias com pH diferente da neutralidade

Acidente tromboembólico

Não existe recuperação depois que o fármaco é injetado

Reação anafilática

Choque pirogênico

2.2 Via intradérmica

A via intradérmica é muito restrita, usada para pequenos volumes (de 0,1 a 0,5 mililitros). Usada para reações de hipersensibilidade, como provas de ppd (tuberculose), Schick (difteria) e sensibilidade de algumas alergias.

A via intradérmica é utilizada também para fazer dessensibilização e auto vacinas. É utilizada para aplicação de BCG (vacina contra tuberculose), sendo de uso mundial a aplicação ao nível da inserção inferior do músculo deltóide.

(Parte 1 de 2)

Comentários