Esteroides

Esteroides

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ

CAMPUS ABAETETUBA

CURSO SUPERIOR DE LICENCIATURA PLENA EM BIOLOGIA

ESTERÓIDES

ABAETETUBA, PA

SETEMBRO/2010

MAYARA DIAS

MARCOS FORMIGOSA

RENATA SERRA

ESTERÓIDES

Trabalho apresentado à disciplina Bioquímica, Curso de Licenciatura Plena em Biologia, 1º ano/2°semestre, Turma 2010, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - Campus Abaetetuba, como requisito avaliativo.

Professor: Elzeni Oliveira

ABAETETUBA, PA

SETEMBRO/2010

INTRODUÇÃO

Os esteróides compreendem diversas substâncias químicas com importante papel na fisiologia humana. São lipídios de cadeia complexa, onde o colesterol é substância fundamental na sua formação. Os esteróides são conhecidos desde 1935 e são responsáveis pela harmonia das funções no organismo.

Todos os esteróides apresentam em comum a estrutura química denominada Ciclo-pentano-peridro-fenantreno. Os esteróides são amplamente distribuídos nos organismos vivos e incluem os hormônios sexuais, a vitamina D e os esteróis, tais como o colesterol e a digitalina, presentes na dedaleira.

O uso dos esteróides é constante na indústria farmacêutica, onde constituem os ingredientes ativos da maioria das pílulas anticoncepcionais ministradas oralmente. Em várias especialidades, esteróides denominados de anti-inflamatórios hormonais são usados no tratamento de diversas afecções, na forma tópica (pomadas, soluções) ou sistêmicas (oral, inalatório, intramuscular e intravenoso). A partir de uma de suas categorias: a cortisona que é produzida por ambos os sexos e tem efeito analgésico e antiinflamatório. São usados como anabolizantes por muitos atletas que buscam os efeitos anabólicos dos andrógenos buscam desenvolvimento de massa muscular, recuperação de lesões e outros.

Esteróides

São compostos tetracíclicos (quatro anéis) de alta massa molecular. Aqueles contendo um ou mais grupos ─ OH e nenhum grupo C ═ O são chamados esteróis. O esterol mais comum é o colesterol, o qual é encontrado em gorduras animais, mas não em gorduras vegetais. Responsáveis pela harmonia das funções vitais do organismo. São compostos químicos sintéticos que imitam os efeitos anabólicos da testosterona, tendo a propriedade de ativar o metabolismo protéico, retendo o nitrogênio e aumentando a atividade do RNA. Além dos esteróides nosso organismo também possui outros hormônios tais como a insulina, o glucagon, os hormônios da tiróide e outros. Existem três categorias de esteróides:

*Estrógenos *Andrógenos *Cortisona

Estrógenos (Hormônio Feminino):

É produzido no ovário e é o responsável de produzir os caracteres sexuais femininos.

Andrógenos( Hormônio Masculino):

São produzidos no testículos e são responsáveis pela produção de características sexuais masculinas. Esses dois hormônios são produzidos em ambos os sexos havendo apenas uma predominância dos estrógenos nas mulheres e andrógenos nos homens.

Cortisona:É produzida pelos dois sexos, e tem efeito analgésico e antiinflamatório. "Os esteróides anabólicos são um subgrupo de andrógenos"(Guimarães Neto). Podemos entender que existem nessas substâncias propriedades andrógenas e anabólicas em diferentes níveis, dependendo do anabolizante.

Os esteróides anabólicos são um subgrupo de andrógenos, cujo os efeitos desejáveis com a administração dos esteróides são:

  • Aumento da síntese protéica;

  • Diminuição da fadiga;

  • Aumentar a retenção de glicogênio;

  • Favorecer o metabolismo dos aminoácidos

  • Inibir a atuação do cortisol ( hormônio catabólico), liberado pelo stress. Também torna o organismo mais suscetível à gripes e resfriados por suprimir os mecanismos imunológicos.

  • Promover um balanço nitrogenado positivo; Aumento da força de contratilidade muscular.

Os esteróides estão largamente difundidos em seu corpo. Quantidades muito pequenas mostram atividade biológica considerável. Pequenas variações na estrutura molecular de esteróides resultam em grandes diferenças nos seus efeitos. Os esteróides que ocorrem naturalmente incluem o colesterol, os sais biliares, e muitos hormônios, reguladores dos processos químicos.

Os esteróis, esteróides que contêm um grupo hidroxila, são os esteróides mais abundantes. O esterol mais importante é o colesterol.

O colesterol é fabricado pelo nosso corpo assim como obtido da dieta. Ele é usado para a síntese de moléculas tais como os hormônios esteróides. Este lipídio é encontrado no cérebro e no tecido nervoso, onde forma parte da mielina, a membrana estável que reveste as células nervosas.

Doença cardíaca e hipertensão arterial podem resultar de depósitos de colesterol no interior das paredes das artérias. Esta condição, aterosclerose, é uma forma de arteriosclerose, ou “endurecimento das artérias”. Evidências mostram que o nível de colesterol no sangue, e, portanto a quantidade depositada, está relacionada com a quantidade de gorduras saturadas que você ingere.

O colesterol está também presente nos cálculos biliares, depósitos anormais oriundos da bile na vesícula.

A bile é um líquido produzido pelo fígado e armazenado na vesícula biliar. Quando a bile é hidrolisada, o esteróide obtido mais abundante é o ácido cólico:

Sob forma de sais biliares, ele ajuda a digestão emulsificando os lipídios. A vitamina D (calciferol) é produzida na pele a partir de um esteróide que é quase idêntico ao colesterol (7-deidrocolesterol) através de reações promovidas pela luz solar. Digitalis, uma droga que fortifica o músculo cardíaco, tem como base outro esteróide, a digitoxigenina.

História dos Esteróides Anabolizantes:

Os esteróides são substâncias que já vem sendo usadas por muitos anos.Quando vencer era importante, atletas só se preocupavam em combater seus rivais, nunca pararam para distinguir o "natural" do "artificial".

Na antiga Grécia, muitos campeões olímpicos devem ter perdido sua glória por ter ingerido testículos de carneiro (principal origem de testosterona). Os africanos usam plantas desde a antigüidade para afastar a fadiga e o cansaço, os noruegueses Vikings comiam fungos para se manterem acordados e descansados para as suas batalhas e conquistas pelo alto mar.

O primeiro caso moderno documentado de doping aconteceu em 1865, com Deutch, que usava estimulantes a fim de melhorar a sua performance na natação. No séc. XIX, de acordo com os jornalistas, os ciclistas europeus estavam se drogando com "produtos milagrosos" originados da cafeína para uma camada de cubos de açúcar, com a finalidade de acabar com a dor e a exaustão dos esportes.

Os esteróides são conhecidos desde 1935, mas menos como substância e mais como um para efeito dos andrógenos. A sua aplicação no esporte teria começado em 1954, com os atletas russos. Seu uso foi vedado pelo COI em 1976, sendo usado com mais freqüência pelos leigos.

Esteróides Anabólicos

Esteróides anabólicos são hormônios que controlam a síntese de moléculas grande a partir de moléculas pequenas. Atletas têm usado essas substâncias (embora sejam ilegais) para aumentar a massa muscular e, portanto, a força corporal. Um exemplo de esteróide anabólico é o hormônio masculino testosterona.

TIPOS DE ESTERÓIDES ANABOLIZANTES:

Foram produzidos vários tipos de esteróides anabólicos pela indústria farmacêutica: supositórios, cremes, selos de fixação na pele e sublingual, porém os mais consumidos são os: orais e os injetáveis.

ORAIS: Via comprimido, na sua ingestão passa pelo estômago, é absorvido pelo intestino, processado pelo fígado, então vai para a corrente sangüínea. Como o fígado é responsável pela destruição de qualquer corpo estranho no organismo, vários esteróides estavam sendo destruídos através de um processo chamado 17 alpha alcalinização. A alcalinização provoca uma sobrecarga no fígado que acaba danificado por um esforço para combater algo que não consegue processar

INJETÁVEIS: Os esteróides injetáveis são menos nocivos do que os orais, por não passar por um processo de alcalinização. Esse tipo de esteróide passa pela corrente sangüínea via muscular, e umas das vantagens é que a base oleosa permanece na corrente sangüínea com uma longa duração, visto que o óleo demora para se dissipar no local da aplicação devido a sua viscosidade. As desvantagens dos anabolizantes injetáveis é que são mais tóxicos para os rins e são desconfortáveis devido a sua forma de aplicação: "injetável".

Efeitos adversos:

Inúmeros efeitos colaterais de longo e curto prazo são relacionados com o uso de esteróides anabólicos. Veja abaixo, alguns já conhecidos:

Calvície, Acne, Agressividade, Hipertensão arterial, Hipertrofia da próstata, Limitação do crescimento, Hepatotoxidade, Impotência sexual, Esterilidade; Insônias, Cefaléias, Aumento do mau colesterol LDL, Diminuição do bom colesterol HDL, Ginecomastia (surgimento de seios, Selamento das epífises ósseas, Coronáriopatias (complicações cardíacas), Enrijecimento das articulações e Atrofia testicular, dentre outros.

Outros efeitos

Além dos efeitos mencionados, outros também graves podem ocorrer:No homem: os testículos diminuem de tamanho, a contagem de espermatozóides é reduzida, impotência, infertilidade, calvície, desenvolvimento de mamas, dificuldade ou dor para urinar e aumento da próstata.

Na mulher: crescimento de pêlos faciais, alterações ou ausência de ciclo menstrual, aumento do clitóris, voz grossa, diminuição de seios.

No adolescente: maturação esquelética prematura, puberdade acelerada levando a um crescimento raquítico.

O abuso de anabolizantes pode causar ainda uma variação de humor incluindo agressividade e raiva incontroláveis que podem levar a episódios violentos. Esses efeitos são associados ao número de doses semanais utilizadas pelos usuários. Usuários, freqüentemente, tornam-se clinicamente deprimidos quando param de tomar a droga. Um sintoma de síndrome de abstinência que pode contribuir para a dependência.

Ainda podem experimentar um ciúme patológico, extrema irritabilidade, ilusões, podendo ter uma distorção de julgamento em relação a sentimentos de invencibilidade, distração, confusão mental e esquecimentos. Atletas, treinadores físicos e mesmo médicos relatam que os anabolizantes aumentam significantemente a massa muscular, força e resistência. Apesar dessas afirmações, até o momento não existe nenhum estudo científico que comprove que essas drogas melhoram a capacidade cardiovascular, agilidade, destreza ou performance física

Os principais esteróides anabolizantes são: oximetolona, metandriol, donazol, fluoximetil testosterona, mesterolona, metil testosterona, sendo os mais utilizados no Brasil a Testosterona e Nandrolona.

Alguns usuários chegam a utilizar produtos veterinários à base de esteróides, sobre os quais não se tem nenhuma idéia sobre os riscos do uso em humanos.

Reações musculares

As Drogas invadem as células e provocam uma explosão nos músculos.1 - Os anabolizantes podem ser administrados por via oral ou por injeções. Uma vez na corrente sanguínea, as moléculas da droga circulam em todo organismo.Na viagem, penetram nas células que formam os diversos órgãos, como fígado e coração, nos músculos.

2 - Essas moléculas provocam alterações no citoplasma (o interior das células). Por meio da osmose, por exemplo, a água que está ao redor das células penetra em seu interior. Com isso, elas incham.

3 - Devido à dose extra de hormônio, o metabolismo celular aumenta - é como se a célula estivesse com todas as funções aceleradas. A "pilha", o inchaço e os exercícios intensos provocam hipertrofia muscular. Ou seja, os músculos crescem e aparecem.4 - Por ser elástica, a célula aumenta de volume muitas vezes. Durante algum tempo os músculos, que também são elásticos, aceitam essa tensão. Assim, o “bombado” ganha massa rapidamente.

5 - Como os tendões são estruturas fixas e rígidas, não suportam o súbito aumento da massa muscular. Eles podem se romper ou, pior, se desprender dos ossos. O excesso de hormônio impede ainda o organismo de absorver cálcio, fragilizando os ossos.

CONCLUSÃO

Os esteróides formam um grupo bem diferente dos outros lipídios na estrutura química, fato que leva alguns autores a considerá-los um grupo à parte dos lipídios. Têm estrutura química bastante diferente do resto dos lipídios.

Os esteróides são substâncias imprescindíveis para o desenvolvimento humano. Pois, contribuem de maneira significativa para isso. Por conta disso, a indústria farmacêutica desenvolve pesquisa de grande porte para desenvolver produtos químicos que possam melhorar a qualidade de vida das pessoas. Porém, na maioria das vezes, esses produtos químicos são consumidos de maneira errada pelo público em geral, acreditando que os mesmos só trazem benefícios, como o desenvolvimento de massa muscular, a velocidade de recuperação da musculatura e o controle dos níveis de gordura corporal, ao passo que os efeitos androgênicos, tais como a ginecomastia e o acúmulo de gordura pretende-se evitar. Mas, pouco se atentam para os efeitos colaterais como: calvície, acne, hipertrofia prostática, agressividade, hipertensão, limitação do crescimento, aumento do colesterol, virilização em mulheres, ginecomastia, dor de cabeça, impotência e esterilidade, insônia, hepatoxidade, problemas de tendões e ligamentos podem acontecer.

BIBLIOGRAFIA

Esteróides

Disponível em: <http://www.ebah.com.br/esteroides-doc-doc-a6456.html >; Acesso em: 9 de setembro de 2010.

Outros efeitos

Disponível em: <http://www.unifesp.br/dpsicobio/cebrid/folhetos/anabolizantes_.htm#outros >; Acesso em: 12 de setembro de 2010.

História dos anabolizantes

Disponível em: <http://vivendoeaprendendociencias.blogspot.com/

>; Acesso em: 12 de setembro de 2010.

Comentários