Danfoss Instruções de iinstalação

Danfoss Instruções de iinstalação

(Parte 1 de 13)

Instruções de instalação

Capítulo 1Válvulas de expansão termostática ..........................................página 3
Capítulo 2Válvulas solenóides ........................................................................página 13
Capítulo 3Pressostatos .......................................................................................página 19
Capítulo 4Termostatos .......................................................................................página 27
Capítulo 5Reguladores de pressão ...............................................................página 35
Capítulo 6Válvulas para água .........................................................................página 45
Capítulo 7Filtros secadores e visores de liquido ....................................página 51
Capítulo 8Compressores Danfoss ..................................................................página 61
Capítulo 9Dicas práticas ...................................................................................página 125
Capítulo 10Solução de problemas .................................................................página 145

© Danfoss A/S (RA Marketing/MWA), 06 - 2007 DKRCC.PF.0.G1.28 / 520H1980 1

Válvulas de expansão

Válvulas solenóides

P r essosta tos

T ermosta t os Regulador es de pr essão

Válvulas par a água

Filtros seca dores e visores de lí q u i do

C ompr essor es

Danf oss

D ic as pr á tic as olução de pr oblemas

Instruções de instalação Válvula de expansão termostática

© Danfoss A/S (RA Marketing/MWA), 06 - 2007 DKRCC.PF.0.G1.28 / 520H1980 3

Válvulas de expansão

Introdução5
Superaquecimento5
Sub-resfriamento5
Equalização externa de pressão6
Cargas6
Carga universal6
Carga MOP6
Carga de ballast MOP7
Seleção da válvula de expansão termostática7
Identificação7
Instalação8
Ajuste9
Substituição do conjunto do orifício10

Índice Página Catálogo de produtos da Danfoss .................................................................1

4 DKRCC.PF.0.G1.28 / 520H1980 © Danfoss A/S (RA Marketing/MWA), 06 - 2007 Observações

Instruções de instalação Válvula de expansão termostática

© Danfoss A/S (RA Marketing/MWA), 06 - 2007 DKRCC.PF.0.G1.28 / 520H1980 5

Válvulas de expansão

O sub-resfriamento é definido como a diferença entre a pressão/temperatura de condensação e a temperatura do líquido, na passagem de entrada da válvula de expansão.

O sub-resfriamento é medido em graus Kelvin (°K). O sub-resfriamento do refrigerante é necessário para evitar bolhas de vapor no refrigerante adiante da válvula de expansão.

As bolhas de vapor no refrigerante reduzem a capacidade da válvula de expansão e causam a redução do suprimento de líquido para o evaporador.

O sub-resfriamento de 4-5 °K é adequado na maioria dos casos.

Subresfriamento

Superaquecimento

Ad0-0015

Ad0-0012

O superaquecimento é medido no ponto onde o bulbo está localizado na linha de sucção e é a diferença entre a temperatura no bulbo e a pressão/temperatura de evaporação no mesmo ponto.

O superaquecimento é medido em graus Kelvin (°K) e é utilizado como um sinal para regular a injeção de líquido, através da válvula de expansão.

Introdução

Ad0-0001

Uma válvula de expansão termostática é construída ao redor do elemento termostático (1), separada do corpo da válvula por um diafragma.

Um tubo capilar conecta o elemento a um bulbo (2) e um corpo de válvula com base da válvula (3) e uma mola (4).

Uma válvula de expansão termostática funciona da seguinte maneira: A função de uma válvula de expansão termostática é determinada por três pressões fundamentais: P1: Pressão do bulbo que atua na superfície superior do diafragma, no sentido de abertura da válvula.

P2: Pressão de evaporação que atua sobre a parte inferior do diafragma, no sentido de fechamento da válvula.

P3: Pressão da mola que também atua sobre a parte inferior do diafragma, no sentido de fechamento da válvula.

Quando a válvula de expansão regula, cria-se um equilíbrio entre a pressão de bulbo, de um lado do diafragma, e a pressão de evaporação mais a força da mola, do outro lado.

A mola é utilizada para ajustar o superaquecimento.

Instruções de instalação Válvula de expansão termostática

6 DKRCC.PF.0.G1.28 / 520H1980 © Danfoss A/S (RA Marketing/MWA), 06 - 2007

Carga MOP

Carga universal

As válvulas de expansão com carga MOP são utilizadas, tipicamente, em unidades feitas em fábrica, onde se exige a limitação da pressão de sucção na partida, p.ex., no lado de transporte e em sistemas de ar condicionado.

Todas as válvulas de expansão com MOP têm uma carga muito pequena no bulbo.

Isto significa que a válvula ou o elemento deve ser colocado mais quente que o bulbo. Se não for, a carga pode migrar do bulbo para o elemento e evitar que a válvula de expansão funcione.

A carga MOP significa carga limitada do líquido no bulbo.

“MOP” significa Maximum Operating Pressure (Pressão Operacional Máxima) e é a pressão/ pressão de evaporação máxima admissível no evaporador/linha de sucção.

A carga terá evaporado quando a temperatura atingir o ponto MOP. Gradativamente, à medida que a pressão de sucção aumenta, a válvula de expansão começa a fechar, aproximadamente em 0,3/0,4 bar, abaixo do ponto MOP. A válvula fecha por completo quando a pressão de sucção for a mesma que a do ponto MOP.

MOP é freqüentemente denominado de “Motor Overload Protection” (Proteção contra Sobrecarga do Motor).

As válvulas de expansão com carga Universal são utilizadas na maioria dos sistemas de refrigeração, onde não há nenhuma exigência de limitação de pressão e onde o bulbo pode ser colocado mais quente que o elemento ou em temperatura/pressão de evaporação alta.

(Parte 1 de 13)

Comentários