Anatomia do Sistema Digestorio

Anatomia do Sistema Digestorio

(Parte 1 de 3)

17

ANATOMIA DO SISTEMA DIGESTÓRIO

Organização do Sistema Digestório

O sistema digestório (trato digestório) consiste em um tubo muscular revestido por mucosa que é continua com a pele externa na boca e no ânus.

 Funções primárias:

  • ingestão

  • mastigação

  • digestão e a absorção do alimento

  • eliminação de resíduos sólidos.

 Constituintes;

boca, faringe, esôfago, pré-estômago (ruminante), estômago glandular, intestino delgado, intestino grosso, reto e glândulas acessórias (glândulas salivares, fígado e pâncreas).

O trato digestório dentro da cavidade abdominal e pélvica

envolvidos por epitélio escamoso simples

Peritônio

peritônio visceral peritônio parietal

se aloja diretamente no órgão reveste a parede abdominal

Os peritônios parietal e visceral são contínuos um como outro por meio de reflexões da serosa que fixa os órgãos à parede do corpo.

Estas fixações coletivamente constituem os mesentérios e são denominadas de acordo com o órgão que sustentam.

A parede do trato digestório:

(1) a túnica mucosa,

(2) a túnica submucosa,

(3) a túnica muscular,

(4) a túnica serosa, ou túnica adventícia.

Túnica mucosa é a camada mais próxima ao o lúmen

Túnica submucosa é a camada de tecido conjuntivo frouxo na qual são encontrados vasos sanguíneos e nervos, e em algumas localizações, linfonodos.

Túnica muscular geralmente é bem desenvolvida, importante para a motilidade do sistema digestório.

 no eqüino, os 2/3 craniais da t.m. do esôfago consistem em músculo estriado; depois deste, as células musculares são lisas

 em ruminantes, todo o esôfago possui músculo estriado.

Túnica serosa ou adventícia. É a camada mais externa e consiste no peritônio visceral e em tecido conjuntivo limitado subjacente a ela.

BOCA

Função: segurar, triturar e misturar o alimento com a saliva.

mas tb serve como arma defensiva e ofensiva.

lábios; entrada da boca, aparência e mobilidade variam entre espécies.

vestíbulo da boca; pequeno espaço entre os dentes e os lábios.

cavidade própria da boca; localiza-se profundamente aos dentes e é ocupada sobretudo pela língua. Termina em um estreitamento próximo à base da língua, a faringe.

 A parede dorsal da cavidade bucal compreende o palato duro rostralmente e o palato mole caudalmente.

O palato duro é formado por ossos incisivos, maxilar e palatino, e sua membrana mucosa espessa envolvente é caracterizada por pregas transversais proeminentes denominadas rugas palatinas.

O palato mole é uma lâmina musculomucosa que se estende em direção à base da epiglote.

DENTES

Os dentes são organizados em dois arcos dentais, um associado à mandíbula e outro aos ossos incisivo e maxilar.

diastema; abertura entre os dentes incisivos e os molares.

 Os mamíferos tipicamente exibem heterodontia.

 Todos os animais domésticos também são difiodontes: dentes decíduos são substituídos por dentes permanentes.

Um dente é preso por sua raiz na cavidade do osso denominada alvéolo. Um tecido conjuntivo, o periodonto, fixa firmemente a raiz ao osso circundante na articulação especializada, a gonfose.

A maioria das substâncias dentárias é composta por substância mineralizada denominada dentina, com cavidade dental no centro.

Os tecidos conjuntivos, os nervos e os vasos sanguíneos dos dentes residem nesta cavidade e constituem a polpa do dente.

Superficial à dentina esta a camada de esmalte, uma camada branca que consiste em cristais inorgânicos. O esmalte é a substância mais dura no corpo.

Tipos de dentes

INCISIVOS, designados pela letra I

São numerados começando pela linha mediana.

 o primeiro par é denominado I1 ou centrais;

 o par seguinte I2 ou primeiros intermediários;

 os próximos, I3 ou segundos intermediários;

 o mais lateral par de incisivos é denominado I4 ou cantos.

Os ruminantes não possuem incisivos ou arco dental superior. Em vez disso, a membrana mucosa nesta região é modificada em um coxim (pulvino) dental denso ceratinizado (almofada dentária).

CANINOS (abreviados como C)

Tb são chamados de dentes de freio, colmilhos e presas.

Ruminantes não possuem dentes caninos.

Em garanhões podem ser bem desenvolvidos, contudo são pequenos ou ausentes em éguas e cavalos castrados.

Nos suínos são grandes, especialmente em varrões, e nesta espécie geralmente são chamados presas.

Os PRÉ-MOLARES (P) e os MOLARES (M), que em herbívoros são morfologicamente semelhantes. Apenas os pré-molares são precedidos por dentes decíduos.

LÍNGUA

(Parte 1 de 3)

Comentários