NBR 7821 NB 89 - Tanques soldados para armazenamento de petroleo e derivados

NBR 7821 NB 89 - Tanques soldados para armazenamento de petroleo e derivados

(Parte 1 de 11)

Copyright © 1983, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

Palavras-chave: Tanque. Petróleo. Armazenamento118 páginas

Tanques soldados para armazenamento de petróleo e derivados

NBR 7821ABR 1983

SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Referências 3 Terminologia 4 Tipos de tanques 5 Material 6 Projeto 7 Fabricação 8 Fundações 9 Montagem 10Método radiográfico de inspeção das juntas do costado 11Método de seccionamento para inspeção de juntas horizontais do costado 12Qualificação dos procedimentos de soldagem, de soldadores e operadores 13 Marcação 14 Divisão de responsabilidades Anexo A -Normas de referência Anexo B -Dados típicos de projeto Anexo C -Fundações Anexo D -Tetos flutuantes Anexo E -Alternativa de projeto para costados Anexo F -Projeto de tanques para pequenas pressões internas

Anexo G -Projeto de costados de tanques admitindo-se tensões elevadas

Anexo H -Tetos flutuantes cobertos Anexo I -Tanques de armazenamento montados na fábrica

Anexo J -Alternativa para cálculo da espessura do costado Anexo K - Folha de dados

1 Objetivo1)

1.1 Esta Norma tem por objetivo estabelecer as exigências mínimas que devem ser seguidas para materiais, projeto, fabricação, montagem e testes de tanques de aço-carbono, soldados, cilíndricos, verticais, não enterrados, com teto fixo ou flutuante, destinados ao armazenamento de petróleo e seus derivados líquidos.

1.2 Com exceção do que estabelece o Anexo F, esta Norma abrange apenas os tanques sujeitos a uma pressão próxima da atmosférica, permitindo-se que a válvula de respiro do tanque, quando existente, esteja regulada para uma pressão manométrica máxima de 0,0035 kgf/cm2, e para um vácuo máximo de 0,0038 kgf/cm2, ambos os valores medidos no topo do tanque. O Anexo F estabelece os requisitos adicionais a que devem atender os tanques de teto fixo dimensionados para pequenas pressões in-

1.3 Esta Norma inclui também diversas recomendações de boa prática que embora não obrigatórias, podem ser seguidas ou não, a critério do comprador ou do projetista do tanque. Recomenda-se portanto que no documento de compra ou de encomenda do tanque, o compradorEsta Norma foi elaborada pelo Grupo de Trabalho designado pela Portaria n 75/74, de 21/02/74, do Conselho Nacional do Petróleo que coordenou os trabalhos do referido Grupo. É proibida a introdução de qualquer modificação nesta Norma, sem a prévia autorização do Conselho Nacional do Petróleo.

Origem: Projeto NB-89/1978 CB-09 - Comitê Brasileiro de Combustíveis (Exclusive Nucleares) CE-09:403.02 - Comissão de Estudo de Armazenamento de Combustíveis Líquidos Reimpressão da NB-89/1978

Procedimento

2NBR 7821/1983 manifeste explicitamente o seu desejo ou a sua preferência sobre as recomendações não obrigatórias desta Norma, bem como sobre quaisquer outros pontos em que houver possibilidade de opção do fabricante ou do montador do tanque.

1.4 Esta Norma abrange apenas tanques cujos produtos armazenados tenham temperaturas compreendidas entre os seguintes limites:

-Temperatura mínima: -6°C

-Temperatura máxima: + 200°C

1.5 O Anexo B desta Norma fornece, sem que sua utilização seja obrigatória, algumas dimensões típicas, espessuras de chapas do costado e capacidades de tanques construídos de acordo com esta Norma.

1.6 O Anexo E desta Norma apresenta uma alternativa de critério para o projeto de costados de tanques de armazenamento. O Anexo G fornece um critério especial de projeto prevendo a utilização de aços de alta resistência e alta resiliência. O Anexo J contém uma alternativa de procedimento para o cálculo das espessuras dos anéis dos costados de tanques.

1.7 Os Anexos D e H desta Norma apresentam os requisitos a que devem atender tipos especiais de tetos para tanques de armazenamento. O Anexo D fornece os requisitos para os tetos flutuantes do tipo pontão e para os tetos flutuantes duplos. O Anexo H fornece os requisitos para um teto flutuante a ser instalado num tanque que já possua um teto fixo na sua parte superior.

1.8 O Anexo I desta Norma apresenta os requisitos relativos aos tanques totalmente montados na fábrica, cujo diâmetro não exceda 6 metros.

2 Referências

O Anexo A desta Norma relaciona todas as normas técnicas de referência (normas, especificações, terminologias etc.).

3 Terminologia

Para efeito desta Norma fica estabelecida a terminologia constante da Figura 1.

4 Tipos de tanques

Os tanques cobertos por esta Norma classificam-se, de acordo com o tipo de teto, em:

4.1 Tanques sem Teto 4.2 Tanques de Teto Fixo

4.2.1 Tanques de teto suportado - tanques cujos tetos possuem uma estrutura de sustentação, com ou sem colunas:

4.2.1.1 Tanques de teto cônico suportado. 4.2.1.2 Tanques de teto em domo suportado.

4.2.1.3 Tanques de teto em gomos suportado.

4.2.2 Tanques de teto autoportante - tanques cujos tetos não possuem estrutura de sustentação:

4.2.2.1 Tanques de teto cônico autoportante. 4.2.2.2 Tanques de teto em domo autoportante. 4.2.2.3 Tanques de teto em gomos autoportante. 4.3 Tanques de Teto Flutuante 4.3.1 Tanques de teto duplo. 4.3.2 Tanques de teto pontão. 5 Material 5.1 Chapas

As chapas a serem utilizadas devem estar de acordo com a última edição de uma das seguintes especificações, respeitadas as modificações e limites indicados nesta Norma. Outros materiais produzidos de acordo com especificações diferentes das listadas neste capítulo podem ser empregados desde que seja comprovado que tais materiais preenchem todos os requisitos de uma das especificações deste capítulo e seu uso seja aprovado pelo cliente.

5.1.1 Chapas grossas

ASTM A-36:Aço Estrutural2)

Espessura máxima da chapa: 37,5 m

ASTM A-283:Chapas de Aço-carbono de

Qualidade Estrutural com Resistência à Tração Baixa e Intermediária Graus C e D apenas Espessura máxima da chapa: Grau C: 37,5 m Grau D: 19,0 m

ASTM A-285:Chapas de Aço para Vasos de

Pressão com Resistência à Tração Baixa e Intermediária. Somente Grau C Espessura máxima da chapa: 37,5 m.

ASTM A-573Chapas de Aço-carbono Estrutural com Tenacidade Melhorada, Grau 70, Modificado

NBR 5006Chapas Grossas de Aço-carbono de Baixa e Média Resistência para Vasos de Pressão. Somente Grau BM-21

NBR 6648Chapas Grossas de Aço-carbono de Baixa e Média Resistência para Usos Estruturais. Graus

G-24 e G-26Nenhum dos materiais listados na Tabela 1 da norma ASTM A-36 poderá ser usado para a construção de tanques a não ser quando especificadamente permitido por esta Norma.

NBR 7821/19833

Quando o rigor das condições de trabalho exigir o uso de materiais de melhor qualidade, chapas de acordo com as especificações seguintes poderão ser utilizadas, respeitadas as modificações e os limites indicados nesta Norma:

(Parte 1 de 11)

Comentários