TIPOS DE ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS - tga (2)

TIPOS DE ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS - tga (2)

(Parte 4 de 4)

Quando o projeto chega ao fim os membros dos projetos voltam para sues quadros de origens para redesignação de tarefas, treinamento, indicação a outros projetos ou dispensa da empresa.

A empresa que adota este tipo de estrutura esta sempre em constante busca de profissionais especializados para compor seu quadro, e também esta em constante busca por novos projetos, uma vez, que as atividades exercidas são totalmente dependentes de projetos.

Pelo motivo dos profissionais estarem constantemente na busca por projetos é que as organizações acabam tendo um quadro de profissionais altamente qualificados, pois para fazer parte de um projeto os interessados tendem a se especializar cada vez mais, trazendo com isso mão-de-obra de alto nível, por outro lado a busca constante do profissional por projetos cada vez mais desafiadores é o que resulta a não lealdade a empresa.

Os participantes destes projetos são geralmente pessoas flexíveis que necessitam de fácil adaptação em qualquer ambiente de trabalho, acomodados ou burocratas não tem vez neste tipo de estrutura.

Na estrutura matricial existe descentralização quando:

  • O gerente do projeto tem plenos poderes pelo projeto e pelas pessoas envolvidas, mas no caso de pessoal técnico, deve ouvir os gerentes dos órgãos permanentes;

  • Os gerentes dos projetos decidem quando e como será realizado os projetos, que podem ser alterados ou decididos também pelos gerentes de órgãos permanentes;

  • Os conflitos podem ser resolvidos pelos gerentes, somente os mais graves deverão ser encaminhados à direção.

...“Embora o gerente do projeto seja autoridade de linha, os gerentes das áreas funcionais têm também autoridade,com vantagens de serem permanentes. Um especialista que trabalha em um projeto sabe que seu chefe de linha é provisório, enquanto o gerente da área funcional da sua especialidade é permanente. Caracterizando, em muitos casos o duplo comando. Isso enfraquece a autoridade linha e obrigam as pessoas a saberem trabalhar de forma eficaz em clima de incerteza e ambigüidade”...

(TIPOS DE ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS, CAP. 20 PAG.410).

Modelo de estrutura matricial é o desenho que agrupa as pessoas e recursos simultaneamente por função e por produto. A matriz é uma grade retangular onde no eixo vertical está a responsabilidade funcional e no horizontal, a responsabilidade de produto. Com essa estrutura, a organização é diferenciada em funções de acordo com seus objetivos, tem poucos níveis hierárquicos em cada função e autoridade descentralizada. Os empregados funcionais se reportam aos gerentes de suas funções, mas trabalham num time de produto sob a supervisão de um gerente de produto. Por isso, são chamados empregados de dois chefes, pois se reportam a dois superiores. A organização é a principal unidade da matriz e o principal mecanismo de coordenação e integração. O controle vertical é mínimo, ao contrário do controle horizontal, que é máximo.

A estrutura matricial tem vantagens significativas: as equipes inter-funções devem reduzir as barreiras funcionais e superar os problemas de orientação a subunidade; facilita a comunicação entre os especialistas dando oportunidade aos membros das equipes de diferentes funções aprenderem uns com os outros podendo produzir inovações; permite a organização maximizar o uso de competências profissionais; o foco duplo para função e produto favorece o cuidado com custo e qualidade.

Na prática, a estrutura matricial tem também alguns problemas: falta de uma estrutura de controle que lidere os empregados diminuindo conflitos e ambigüidades; falta de uma definição clara da hierarquia de autoridade causando conflito entre as equipes funcionais e de produtos. Ela precisa ser bem gerenciada para manter sua flexibilidade.

A Estrutura Matricialé adaptada por norma em grandes empresas que oferecem um vasto conjunto de produtos parecidos em vários mercados simultaneamente. Este tipo de empresas está em melhores condições de captar sinergias estratégicas.

A vantagem deste tipo de estrutura é que facilita a partilha de recursos e de

informação com o objetivo de explorar as sinergias captadas. Também podemos referir que consegue fazer a conciliação entre a flexibilidade organizacional com uma elevada estabilidade operacional. As grandes empresas tendem a adaptar este tipo de estrutura, pois, conseguem garantir a adaptação aos mercados existentes sem perder a eficiência interna da mesma.

Mas a estrutura matricial não é de rápida implementação a nível das orientações estratégicas pois podem ocorrer diferentes perspectivas entre os membros dando origem a divergências e conflitos de interesses só sendo posteriormente resolvidas com a intervenção de membros da hierarquia superior da empresa. O controle operacional e o apuramento de responsabilidades nem sempre é feito de maneira rigorosa devido à dualidade de linhas de comando. Por isso esta estrutura funciona melhor quando os

membros da empresa têm um elevado grau de formação e de autonomia para poder executar as suas tarefas.

A estrutura matricial combina as estruturas funcionais e divisionais que se cruzam e se complementam.

4.2 VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ESTRUTURA MATRICIAL

Vantagens como o máximo aproveitamento do pessoal, com redução nos custos,flexibilidade,facilidade de apuração de resultados e de controle de prazos e de custos por projetos e o destaque do pessoal técnico de alto nível, estas são as vantagens em se optar pela estrutura matricial.

Segundo Stephen P. Robbins(Administração Mudanças e Perspectivas,2005),...”A vantagem da matriz reside em sua capacidade de facilitar a coordenação quando a organização possui múltiplas atividades complexas e interdependentes.Quando uma organização se torna maior, sua capacidade de processamento da informação pode ficar sobrecarregada.”

O mesmo autor ainda complementa que a uma das vantagens da estrutura matricial reside em sua capacidade de facilitar a distribuição eficiente dos especialistas. Por que , quando os indivíduos com habilidades altamente especializadas são alocados em um departamento funcional ou grupo de produto, seus talentos são monopolizados e subutilizados e além de ter a vantagem em obter da economia de escala proporcionar à organização os melhores recursos e um modo eficaz de assegurar sua articulação eficiente.

A principal desvantagem deste tipo de estrutura é a pouca lealdade por parte do pessoal de nível técnico, por sempre buscarem projetos que possam realizá-los intelectualmente, também tem a falta de contato de especialistas da mesma área mas de projetos distintos. Outra desvantagens é os conflitos causados por motivo que os resultados são avaliados pelos gerentes do projetos que geralmente não são especialistas em suas áreas, o que ocasionam conflitos entre gerentes dos projetos e gerentes funcionais.

Segundo Stephen P. Robbins(Administração Mudanças e Perspectivas,2005) ...”As principais desvantagens da matriz residem na confusão que ela gera, em sua tendência de fomentar lutas pelo poder e na tensão que estabelece sobre os indivíduos. Quando se abre mão do conceito da unidade de comando, aumenta consideravelmente a ambigüidade geralmente conduz a conflitos”

.....Uma desvantagem é que nem todo mundo se adapta bem a um sistema matricial. Para serem eficazes, os membros da equipe devem ter boa capacidade de relacionamento interpessoal e ser flexíveis e cooperativos...”(Stoner A. F. James e Freeman R. Edward, pag.237,Administração, 5ª Edição)

4.3 QUANDO USAR A ESTRUTURA MATRICIAL

Quando há projetos de magnitudes, neste caso quando a organização se depara com eventualidades, algo fora da rotina.

E também quando há projetos interdisciplinares que são estabelecidos prazos e que tenha grande interdependência entre as atividades.

O projeto existe quando se tem a necessidade de operar como uma entidade que tenha vida própria e objetivos definidos ao invés de operar dividido em partes entre os órgãos.

5. CONCLUSÃO

Os três tipos de estruturas organizacional têm vantagens e desvantagens. Poucas organizações dependem exclusivamente de um tipo, e a maioria adapta e combina esses padrões genéricos para refletir as estratégias e pessoal peculiares à sua organização. A melhor forma de se organizar uma empresa é aquela que lhe proporcione maior performance de preparo e flexibilidade diante das mudanças do mercado, proporcionando-lhe competência na aceitação de desafios e aproveitamento de oportunidades, na garantia da satisfação não só de sua clientela potencial, mas inclusive dos seus empregados, parceiros indispensáveis para uma empreitada bem-sucedida.

REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO

  • Internet;

  • Administração, James A. F. Stoner 5ª edição;

  • Administração MUDANÇAS E PERSPECTIVAS, Stephen P. Robbins, Editora Saraiva,2005.

23

(Parte 4 de 4)

Comentários