Aula 9 (SEM) Exame Físico - Aparelho Cardíaco

Aula 9 (SEM) Exame Físico - Aparelho Cardíaco

Anatomia Cardíaca

  • Anatomia Cardíaca

CO2

  • CO2

  • Artérias

  • arteríolas

  • capilares pulmonares

  • alvéolos CO2 por O2

  • retorno sangue O2

  • vênulas

  • veias pulmonares

  • AE

LEVANTAMENTO DE DADOS

  • LEVANTAMENTO DE DADOS

  • Sinais e Sintomas

  • - Dor torácica: fatores desencadeantes, localização, intensidade, duração e características (constrição, compressão, queimação, pontada, “facada”).

  • - Dispnéia: em repouso, paroxística noturna, aos esforços, ortopnéia (ICC “E”, estenose mitral, DPOC).

  • - Palpitações ou batimentos irregulares.

  • - Cansaço, fraqueza e fadiga: aos esforços, em repouso.

  • - Cianose ou palidez: pele e mucosa, lobo das orelhas, leito ungueal, lábios e língua.

  • - Síncope: início (gradual ou súbito), freqüência, fatores desencadeantes (esforço, posição do corpo, estímulos emocional ou dolorosos).

  • - Tontura ou cefaléia.

  • - Edema MMII (extremidades).

  • - Dor em MMSS ou MMII: localização, início, intensidade, duração e características (formigamento, queimação, cãibras).

  • - Claudicação: intermitente ou contínua.

  • - Tosse.

  • - Alterações de peso se explicação.

  • - Pele (fina e brilhante), diminuição da perfusão capilar periférica.

  • LEVANTAMENTO DE DADOS

  • Antecedentes Pessoais

  • - Hábitos e preferências alimentares: gorduras, sal, ingestão hídrica.

  • - História familiar de doenças cardiovasculares: Miocardiopatia, doença vascular, morte súbita, HAS, IAM, DM, hiperlipidemia.

  • - Fatores de risco: hiperlipidemias, hipertensão arterial, tabagismo, DM, obesidade, sedentarismo, estresse, uso de anticoncepcionais.

  • - História Pregressa: uso de drogas ilícitas, uso de fármacos atualmente.

  • - História Psicossocial

  • Níveis de estresse;

  • Tabagismo, consumo de álcool, cafeína;

  • Considerações ocupacionais;

  • - Tratamentos anteriores

  • Clínicos ou cirúrgicos (revascularização)

  • Procedimentos invasivos (diálise)

  • Implantes de dispositivos (marcapasso)

Exame Físico

  • Exame Físico

  • - Métodos: inspeção, palpação e ausculta.

  • - Paciente: decúbito dorsal elevado a 30º. O examinador fica do lado “D” ou “E” do paciente.

  • Inspeção e Palpação Precordial

  • Objetivos:

  • Visualizar as pulsações cardiovasculares

  • Palpar as bulhas;

  • Pesquisar abaulamentos;

  • Retrações;

  • Circulação colateral;

  • Sinais vitais e antropométricos;

  • Frêmitos.

Inspeção

    • Inspeção
    • * Tórax exposto
    • Estase jugular bilateral (dilatação das veias jugulares no pescoço): ICC
    • ICC: posicionar em decúbito de 45 º
    • Retração processo xifóide – Pericardite
    • Retração 11ª e 12ª Costela – Pericardite
    • Palpação
    • Pulsações normais e anormais.
    • Ictus cordis
    • Palpação de frêmitos.
    • Frêmitos são sensações táteis determinadas por vibrações produzidas no coração e vasos.
    • * Não existe frêmito sem o sopro correspondente.

Ausculta

  • Ausculta

  • Trajetória: ápice borda esternal “E” áreas aórtica e pulmonar.

  • O que avaliar?

      • Bulhas cardíacas
  • Aparelho?

      • Estetoscópio
  • Posição?

  • Focos da ausculta cardíaca

  • 1. Aórtico => 2º EIC “D”, junto ao esterno.

  • 2. Pulmonar => 2º EIC “E”, junto ao esterno.

  • 3. Tricúspide => base do apêndice xifóide.

  • 4. Aórtica acessória= no terceiro espaço intercostal esquerdo,

  • junto ao esterno.

  • 5. Mitral => 5º EIC na linha hemiclavicular.

  • 2º bulha

  • Representa o fechamento das valvas semilunares na tentativa de evitar o retorno sanguíneo para o interior dos ventrículos =>“TÁ”.

  • É menos intensa, mais curta e mais aguda que a primeira. Melhor audível nos focos pulmonares e aórtico.

  • Problemas de enfermagem

  • Desdobramento de B2

  • Hiperfonese de B2 => comunicação interatrial.

  • Mascaramento de B2 => Ex: estenose aórtica ou pulmonar, miocardiopatias.

3ª Bulha

  • 3ª Bulha

  • Ocorre na diástole, como um desdobramento longo de B2. Aparece em adulto até os 40 anos e com freqüência em crianças.

  • 3ª Bulha Patológica

  • Ex: Insuficiência mitral, ICC, comunicação interatrial e intervetriculares, miocardiopatias e persistência do canal arterial. Cardiomegalias e sopros.

  • Mais audível na área mitral com paciente em decúbito lateral “E” com a campânula.

  • Som: “TUM – TÁ – TÁ”

    • Atrito: Causado pelo atrito entre as paredes pericárdicas. Auscultar no 3º espaço intercostal com o diafragma do estetoscópio. Auscultado entre a sístole a diástole ou em ambas. Doenças: pericardite.
    • Posição: sentado ou inclinado para frente.
    • Som: áspero ou raspante.

Inspeção

  • Inspeção

  • Posição?

  • Decúbito 30º ou 45º, virado levemente para o lado oposto do profissional.

  • MMSS e MMII são simétricos? Lesões, cicatrizes e edema?

  • Cor da pele? Unhas dos dedos dos pés e das mãos estão normais?

  • Observar pulsação:

  • Artéria carótidas => pulsação forte e localizada.

  • - pulsação (fácil palpar) NÃO muda em relação: posição, inspiração e palpação.

  • Veia jugular interna => pulsação suave e mais ondulante.

  • - pulsação (raro palpação) muda em relação: posição, inspiração e palpação.

Palpação

  • Palpação

  • TCº, textura e turgor (edema) da pele?

  • Tempo de enchimento capilar?

  • - normal: não deve ser superior à 3 segundos

  • Palpar pulsos arteriais da cabeça aos pés em ambos os lados (um lado de cada vez).

  • Como devem ser os pulsos?

  • - ritmos, regulares e mesma intensidade.

  • Pulso fraco => diminuição de débito cardíaco ou aumento da resistência vascular periférica.No idoso pulso fraco pedioso é normal!

  • Pulso forte => aumento de débito cardíaco (exercícios, HAS, ansiedade).

Tipos de pulso

  • Tipos de pulso

  • Fraco => amplitude diminuída. Ex:hipovolemia, estenose aórtica.

  • Amplo => “pico pontiagudo”. Ex: arteriosclerose.

  • Alternante => alterna pulsos fracos e fortes. Ex: ICC “E”

  • Bigeminado => semelhante ao alternante, mas ocorre de forma irregular.

  • Ex: batimentos atriais e ventriculares prematuros.

  • Paradoxal => os aumentos e diminuições estão relacionados aos movimentos respiratórios (inspiração e expiração ). Ex: ICC

  • Bisférico => onda de ascensão inicial, posteriormente outra descendente e outra onda de ascensão durante a sístole. Ex:Insuficiência aórtica

  • Ausculta

  • Usar a campânula do estetoscópio para ausculta de cada artéria.

Grupos Ganglionares

  • Grupos Ganglionares

  • Técnicas: inspeção e palpação.

  • Palpação

  • Axilares

  • Retropeitorais

  • Mentoianas

  • Submandibular

  • Esternocleidomastóideo

  • Occipital

  • Periauriculares

  • Claviculares

  • Cervicais

  • Inguinais.

Avaliar

  • Avaliar

  • Tamanho

  • Simetria

  • Consistência

  • Condições de pele

  • Mobilidade

  • Dor

  • Problemas de enfermagem

  • Gânglios inflamatórios => aumentados, dolorosos e moles.

  • Gânglios malignos => aumentados e fixos.

  • Elefantíase => obstrução dos vasos linfáticos.

  • Adenite

Comentários