Como fazer referencia bibliografica

Como fazer referencia bibliografica

(Parte 1 de 3)

home98

COMO FAZER REFERÊNCIAS: bibliográficas,eletrônicas e demais formas de documentos bdados@bu.ufsc.br

Copyright©2000 de Maria Bernardete Martins Alves e Susana M. de Arruda Este documento pode ser copiado e disponibilizado eletronicamente, desde que forma e conteúdo sejam mantidos.

Atualizada em fev 2007, conforme NBR-6023/2002

1 ELABORAÇÃO DE REFERÊNCIAS

1.1 Definição:

Referência é conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite a sua identificação individual. (NBR 6023, 2002, p. 2)..

D Nota: "Constitui uma lista ordenada dos documentos efetivamente citados no texto. Não devem ser referenciados documentos que não citados no texto. Caso haja conveniência de referenciar material bibliográfico não citado, deve-se fazer uma lista própria após a lista de referências sob o título: Bibliografia recomendada." (NBR 10719, 1989, p. 13).

Sumário - Início do Documento

1.2 Elementos essenciais & elementos complementares separados por tipo de publicação

1.2.1. Monografia no todo (livros, dissertações, teses etc...) 1.2.1.1 Dados essenciais:

Autor; Título e subtítulo; Edição (número); Imprenta (local: editora e data).

1.2.1.2 Dados complementares:

Descrição física (número de páginas ou volumes), ilustração, dimensão; Série ou coleção;

Página 1 home98

Notas especiais; ISBN.

1.2.2 Partes de monografias (trabalho apresentado em congressos, capítulo de livro, etc...) 1.2.2.1 Dados essenciais:

Autor da parte referenciada; Título e subtítulo da parte referenciada, seguidos da expressão "In:" ; Referência da publicação no todo (com os dados essenciais); Localização da parte referenciada (páginas inicial e final).

1.2.2.2 Dados complementares:

Descrição física; Série; Notas especiais; ISBN.

1.2.3 Publicações Periódicas ( revistas, boletins etc...) coleção. 1.2.3.1 Dados essenciais:

Título do periódico, revista, boletim; Local de publicação, editora, data de inicio da coleção e data de encerramento da publicação, se houver.

1.2.3.2 Dados complementares:

Periodicidade; Notas especiais (mudanças de título ou incorporações de outros títulos, indicação de índices); ISSN.

1.2.4 Fascículos, suplementos, números especiais com título próprio 1.2.4.1 Dados essenciais:

Título da publicação; Título do fascículo, suplemento, número especial; Local de publicação, editora; Indicação do volume, número, mês e ano e total de páginas.

1.2.4.2 Dados complementares:

Nota indicativa do tipo do fascículo, quando houver (p. ex.: ed. especial); Notas especiais.

1.2.5 Partes de publicações periódicas (Artigos) 1.2.5.1 Dados essenciais:

Página 2 home98

Autor do artigo; Título do artigo, subtítulo (se houver); Título do periódico, revista ou boletim; Título do fascículo, suplemento, número especial (quando houver); Local de publicação; Indicação do volume, número, mês e ano e páginas inicial e final; Período e ano de publicação.

1.2.5.2 Dados complementares:

Nota indicativa do tipo de fascículo quando houver (p. ex.: ed. especial); Notas especiais.

1.2.6 Artigos em jornais 1.2.6.1 Dados essenciais:

Autor do artigo; Título do artigo, subtítulo (se houver); Título do jornal; Local de publicação; Data com dia. mês e ano; Nome do caderno ou suplemento, quando houver; Página ou páginas do artigo referenciado.

DNota:Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo precede a data. 1.2.6.2 Dados Complementares

Seção; Caderno ou suplemento

Sumário - Início do Documento

1.3 Ordenação das referências

1.3.1 As referências podem ter uma ordenação alfabética, cronológica e sistemática (por assunto). Entretanto neste manual, sugerimos a adoção da ordenação alfabética ascendente.

1.3.2 Autor repetido: Quando se referencia várias obras do mesmo autor, substitui-se o nome do autor das referências subseqüêntes por um traço equivalente a seis espaços.

1.3.3 Localização: As referências bibliográficas podem vir:

Em listas após o texto, antecedendo os anexos; No rodapé;

No fim do capítulo; Antecedendo resumos, resenhas e recensões; quando publicadas independentes do texto. (NBR 6028, 2003)

S á i I í id D t Página 3 home98 Sumário - Início do Documento

1.4. Aspectos gráficos

1.4.1 Espaçamento: as referências devem ser digitadas, usando espaço simples entre as linhas e espaço duplo para separá-las.

1.4.2 Margem: As referências são alinhadas somente à margem esquerda.

1.4.3 Pontuação:

Usa-se ponto após o nome do autor/autores, após o título, edição e no final da referência; Os dois pontos são usados antes do subtítulo, antes da editora e depois do termo In:; A virgula é usada após o sobrenome dos autores, após a editora, entre o volume e o número, páginas da revista e após o título da revista;

O Ponto e vírgula seguido de espaço é usado para separar os autores; O hífen é utilizado entre páginas (ex: 10-15) e, entre datas de fascículos seqüenciais (ex: 1998-1999); A barra transversal é usada entre números e datas de fascículos não seqüenciais (ex: 7/9, 1979/1981); O colchetes é usado para indicar os elementos de referência, que não

função e/ou responsabilidade, de forma abreviada. (Coord., Org., Comp.)Ex:

aparecem na obra referenciada, porém são conhecidos (ex: [1991]); O parêntese é usado para indicar série, grau (nas monografias de conclusão de curso e especialização, teses e dissertações) e para o título que caracteriza a

As Reticências são usadas para indicar supressão de títulosEx: Anais...

BOSI, Alfredo (Org.) 1.4.4 Maiúsculas: usa-se maiúsculas ou caixa alta para:

Sobrenome do autor Primeira palavra do título quando esta inicia a referência ( ex.: O MARUJO)

Entidades coletivas (na entrada direta) Nomes geográficos (quando anteceder um órgão governamental da administração: Ex:

BRASIL. Ministério da Educação); Títulos de eventos (congressos, seminários etc.)

1.4.5 Grifo: usa-se grifo, itálico ou negrito para:

Título das obras que não iniciam a referência Título dos periódicos; Nomes científicos, conforme norma própria.

Sumário - Início do Documento

2 AUTORIA 2.1 Autor Pessoal

Página 4 home98

Nota: "Indicar o sobrenome, em caixa alta, seguido do prenome, abreviado ou não desde que haja padronização neste procedimento, separados entre si por ponto e vírgula seguidos de espaço" (NBR 6023)

2.1.1 Um Autor

SCHÜTZ, Edgar. Reengenharia mental: reeducação de hábitos e programação de metas. Florianópolis: Insular, 1997. 104 p.

2.1.2 Dois Autores

SÓDERSTEN, Bo; GEOFREY, Reed. International economics. 3. ed. London: MacMillan, 1994. 714 p.

2.1.3 Três Autores

NORTON, Peter; AITKEN, Peter; WILTON, Richard. Peter Norton: a bíblia do programador. Tradução: Geraldo Costa Filho. Rio de Janeiro: Campos, 1994. 640 p.

2.1.4 Mais de três Autores

BRITO, Edson Vianna, et al. Imposto de renda das pessoas físicas: livro prático de consulta diária. 6. ed. atual. São Paulo: Frase Editora, 1996. 288 p.

D Nota: Quando houver mais de três autores, indicar apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al. Em casos específicos tais como projetos de pesquisa científica nos quais a menção dos nomes for indispensável para certificar autoria, é facultado indicar todos os nomes.

2.1.5 Autor Desconhecido

Nota: Em caso de autoria desconhecida a entrada é feita pelo título. o termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido.

PROCURA-SE um amigo. In: SILVA, Lenilson Naveira e. Gerência da vida: reflexões filosóficas. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 1990. 247. p. 212-213.

2.1.6 Pseudônimo:

DNota: Quando o autor da obra adotar pseudônimo na obra a ser referenciada, este deve ser considerado para entrada. Quando o verdadeiro nome for conhecido, deve-se indicá-lo entre colchetes após o pseudônimo.

ATHAYDE, Tristão de [Alceu Amoroso Lima]. Debates pedagógicos. Rio de Janeiro: Schmidt, 1931.

2.1.7 Organizadores, compiladores, editores, adaptadores etc.

DNota: Quando a responsabilidade intelectual de uma obra for atribuída a um organizador, editor, coordenador etc., a entrada da obra é feita pelo sobrenome, seguido das abreviaturas correspondentes entre parênteses. Quando houver mais de um organizador ou compilador, deve-se adotar as mesmas regras para autoria (ítens: 2 a 2.1.4)

Página 5 home98

BOSI, Alfredo (Org.). O conto brasileiro contemporâneo. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 1978. 293 p.

2.1.8 Autor Entidade Coletiva (Associações, Empresas, Instituições).

DNota:Obras de cunho administrativo ou legal de entidades independentes, entrar diretamente pelo nome da entidade, em caixa alta, por extenso, considerando a subordinação hierárquica, quando houver

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Instituto Astronômico e Geográfico. Anuário astronômico. São Paulo, 1988. 279 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM. Centro de Estudos em Enfermagem. Informações pesquisas e pesquisadores em Enfernagem. São

Paulo, 1916. 124 p.

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (Brasil). Classificação Nacional e patentes. 3. ed. Rio de Janeiro, 1979. v. 9.

DNota:Quando a entidade, vinculada a um órgão maior, tem uma denominação específica que a identifica, a entrada é feita diretamente pelo seu nome. Nomes homônimos, usar a área geográfica, local.

BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Bibliografia do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Divisão de Publicações, 1971.

BIBLIOTECA NACIONAL (Lisboa). Bibliografia Vicentina. Lisboa: [s.n.], 1942.

2.1.9 Orgãos governamentais

DNota: Quando se tratar de órgãos governamentais da administração (Ministérios, Secretarias e outros) entrar pelo nome geográfico em caixa alta (país, estado ou município), considerando a subordinação hierárquica, quando houver.

BRASIL. Ministério do Trabalho. Secretaria de Formação e Desenvolvimento Profissional. Educação profissional: um projeto para o desenvolvimento sustentado.

Brasília: SEFOR, 1995. 24 p.

2.1.10 Outros tipos de responsabilidade: tradutor, prefaciador, ilustrador, etc.

DNota: Quando necessário, acrescenta-se informações referentes à outros tipos de responsabilidade logo após o título, conforme aparece no documento.

SZPERKOWICZ, Jerzy. Nicolás Copérnico: 1473-1973. Tradução de Victor M. Ferreras Tascón, Carlos H. de León Aragón. Varsóvia: Editorial Científica Polaca, 1972. 82 p.

Sumário - Início do Documento

3 IMPRENTA (Local, Editora e Data) Página 6 home98

3.1 Local

DNota: nome do local (cidade), deve ser indicado tal como aparece na obra referenciada. Quando houver homônimos, acrescenta-se o nome do estado ou país.

Viçosa, MG Viçosa, RN

DNota: Quando o Local e a Editora não aparecem na publicação mas é conhecido, indicar entre colchetes.

[São Paulo: Nobel]

DNota: Quando o Local e a Editora não são conhecidos, indicar entre colchetes.

3.2 Editora

DNota: quando o editor é o mesmo autor, não mencioná-lo como editor. Quando houver mais de uma editora, indica-se a que aparecer com maior destaque na folha de rosto, as demais podem ser também registradas com os respectivos lugares.

Ex: São Paulo: Nobel Rio de Janeiro: Makron; São Paulo: Nobel

3.3 Data

DNota: A data de publicação deve ser indicada em algarismos arábicos. Por se tratar de elemento essencial para a referência, sempre deve ser indicada uma data, seja da publicação, da impressão, do copirraite ou outra. Quando a data não consta na obra, registrar a data aproximada entre colchetes.

[ 1981 ou 1982] um ano ou outro

[1995?] data provável

[1995] data certa não indicada na obra

[ entre 1990 e 1998] use intervalos menores de 20 anos

[ca.1978] data aproximada

[199-] década certa

[199?] década provável

[19--] para século certo

[19--?] para século provável Página 7 home98 Sumário - Início do Documento

4 MODELOS DE REFERÊNCIA

4.1 Monografias consideradas no todo

DNota: Monografia é um estudo minuncioso que se propõe a esgotar determinado tema relativamente restrito. (cf. Novo dicionário da língua portuguesa, 1986)

4.1.1 Livros

DINA, Antonio. A fábrica automática e a organização do trabalho. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1987. 132 p.

4.1.2 Dicionários

AULETE, Caldas. Dicionário contemporâneo da Língua Portuguesa. 3. ed. Rio de Janeiro: Delta, 1980. 5 v.

4.1.3 Atlas

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Atlas celeste. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1984. 175 p.

4.1.4 Bibliografias

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Bibliografia Brasileira de Ciência da Informação: 1984/1986. Brasília: IBICT, 1987

4.1.5 Biografias

SZPERKOWICZ, Jerzy. Nicolás Copérnico: 1473-1973. Tradução de Victor M.

Ferreras Tascón, Carlos H. de León Aragón. Varsóvia: Editorial Científica Polaca, 1972. 82 p.

4.1.6 Enciclopédias

THE NEW Encyclopaedia Britannica: micropaedia. Chicago: Encyclopaedia Britannica, 1986. 30 v.

4.1.7 Bíblias

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução de Padre Antônio Pereira de Figueredo. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica, 1980. Edição Ecumênica.

AUTOR DA OBRA. Título da obra: subtítulo. Número da edição. Local de Publicação: Editor, ano de publicação. Número de páginas ou volume. (Série). Notas.

BÍBLIA. Língua. Título da obra. Tradução ou versão. Local: Editora, Data de publicação. Total de páginas. Notas (se houver).

Página 8 home98 4.1.8 Normas Técnicas

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028: resumos. Rio de Janeiro, 2003. 3 p.

4.1.9 Patentes

de lingotes para o avanço do lingote fundidoInt CI3B22 D29/0.Den.PI
Janeiro, n527, p.17.

ALFRED WERTLI AG. Bertrand Reymont. Dispositivo numa usina de fundição 8002090. 2 abr. 1980, 25 nov. 1980. Revista da Propriedade Industrial, Rio de 4.1.10 Dissertações e Teses

RODRIGUES, M. V. Qualidade de vida no trabalho. 1989. 180 f.. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1989.

4.1.1 Congressos, Conferências, Simpósios, Workshops, Jornadas e outros Eventos Científicos

DNota:Quando se tratar de mais de um evento, realizados simultaneamente, deve-se seguir as mesmas regras aplicadas a autores pessoais.

JORNADA INTERNA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 18., JORNADA INTERNA DE

INICIAÇÃO ARTÍSTICA E CULTURAL; 8., 1996, Rio de Janeiro. Livro de Resumos do XVIII Jornada de Iniciação Científica e VIII Jornada de Iniciação Artística e Cultural. Rio de Janeiro: UFRJ, 1996. 822 p.

4.1.1.2 Reuniões

ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN SOCIETY OF INTERNATIONAL LAW, 65., 1967, Washington. Proceedings...Washington: ASIL, 1967. 227 p.

4.1.1.3 Conferências CONFERÊNCIA NACIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL 1 1986

ORGÃO NORMALIZADOR. Título: subtítulo, número da Norma. Local, ano. volume ou página (s).

NOME e endereço do depositante, do inventor e do titular. Título da invenção na língua original. Classificação internacional de patentes. Sigla do país e n. do depósito. Data do

depósito, data da publicação do pedido de privilégioIndicação da publicação onde foi

publicada a patente. Notas.

AUTOR. Título: subtítulo. Ano de apresentação. Número de folhas ou volumes. Categoria (Grau e área de concentração) - Instituição, local.

NOME DO CONGRESSO. número, ano, Cidade onde se realizou o Congresso. Título… Local de publicação: Editora, data de publicação. Número de páginas ou volume.

Página 9 home98

CONFERÊNCIA NACIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, 1., 1986, Belém. Anais…[S. l.]: OAB, [1986?]. 924 p.

WORKSHOP DE DISSERTAÇÕES EM ANDAMENTO, 1., 1995, São Paulo. Anais… São Paulo: ICRS, USP, 1995. 39 p.

4.1.12 Relatórios oficiais

COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR. Departamento de Pesquisa Científica e Tecnológica. Relatório. Rio de Janeiro, 1972. Relatório. Mimeografado.

4.1.13 Relatórios técnico-científicos

SOUZA, Ubiraci Espinelli Lemes de; MELHADO, Silvio Burratino. Subsídios para a avaliação do custo de mão-de-obra na construção civil. São Paulo: EPUSP, 1991. 38 p. (Série Texto Técnico, T/PCC/01).

(Parte 1 de 3)

Comentários