Estruturas e funções dos nervos periféricos

Estruturas e funções dos nervos periféricos

(Parte 1 de 4)

Estrutura e Função dos Nervos Periféricos

Prof. Gerardo Cristino

Aula disponível em: w.gerardocristino.com.br

Objetivos de Aprendizagem Nervos Periféricos

Entender a organização estrutural do

Sistema Nervoso Periférico, em especial dos nervos espinhais, seu trajeto e sua conexão com a medula

Identificar os principais dermátomos

Entender a formação dos plexos nervosos

Conhecer a trajeto e a distribuição dos principais nervos periféricos dos membros

Sistema Nervoso Periférico Componentes

SNP Nervos

Gânglios

12 Cranianos 31 Espinhais

Dorsais (espinhais) – sensitivos Viscerais – motores (SNA)

Terminaçõ es Nervosas

Aferentes (sensitivas) = RECEPTORES Eferentes (motoras) = Junções Neuroefetoras

Junções Neuroefetoras: •Somáticas = Placas Motoras (m. esqueléticos)

•Viscerais (SNA) – glândulas, m. liso e m. cardíac

Sistema Nervoso Periférico Componentes

Receptores de sensibilidade

Especiais Visão, Audição, Equilíbrio, Gustação, Olfação

Gerais

Livres de temperatura; de dor; de tato

Encapsulados

Corpúsculos de Meissner (tato e pressão) Corpúsculos de Ruffini (tato e pressão)

Corpúsculos de Vater-Paccini (sens. vibratória)

Fusos Neuromusculares (reflexo miotático - manutenção do tônus muscular)

Órgãos Neurotendinosos (de Golgi)

Sistema Nervoso Periférico Componentes

Receptores de sensibilidade

Classificação fisiológica

quimiorreceptores, osmorreceptores, fotorreceptores, termorreceptores, nociceptores, mecanoceptores

Classificação topográfica

exteroceptores (superfície)

proprioceptores – músculos, tendões, ligamentos, cápsulas articulares

interoceptores (visceroceptores) – vísceras e vasos

Terminações livres na peleTerminações nervosas em torno de um folículo piloso Corpúsculo de Meissner na peleCorpúsculo de Pacini na pele

Fuso neuromuscular Fuso neurotendinoso

Fuso neuromuscular (fotomicrografia)

Arco reflexo simples, consistindo em neurônios aferentes, originados do fuso neuromuscular e do fuso neurotendinoso, e num neurônio motor eferente inferior, cujo corpo celular é uma célula alfa do corno anterior, na medula espinhal. O neurônio eferente termina, nas fibras musculares, em suas placas motoras.

Corte transversal de um nervo periférico misto

Fibra nervosa mielinizada

Fotomicrografia de um corte transverso de nervo periférico Fotomicrografia de um corte transverso de nervo periférico

Nervos Periféricos Componentes Funcionais

Nervos Periféricos Nervos Espinhais

Conexão com a medula espinhal

8 pares cervicais 12 pares torácicos

5 pares lombares

5 pares sacrais

1 par coccígeo

(Parte 1 de 4)

Comentários