Vigilância

Vigilância

O predomínio do enfermeiro na Vigilância Epidemiológica se dá pela necessidade de um profissional com conhecimentos mais especializados, formação mais abrangente, desenvolvimento de habilidades técnicas de enfermagem, maior capacitação, conhecimento de medidas de controle (prevenção) para evitar o aparecimento de doenças, trabalho com campanhas, vacinas e imunização, além de haver um predomínio deste profissional nas equipes de Vigilância Epidemiológico dos distritos de saúde.

  • O predomínio do enfermeiro na Vigilância Epidemiológica se dá pela necessidade de um profissional com conhecimentos mais especializados, formação mais abrangente, desenvolvimento de habilidades técnicas de enfermagem, maior capacitação, conhecimento de medidas de controle (prevenção) para evitar o aparecimento de doenças, trabalho com campanhas, vacinas e imunização, além de haver um predomínio deste profissional nas equipes de Vigilância Epidemiológico dos distritos de saúde.

O profissional que predomina na equipe da Vigilância Epidemiológica é o enfermeiro, fundamentando sua prática na epidemiologia e na gerência, e suas ações se voltam para o controle representado pelas notificações e visitas e para a prevenção, representada pela imunização.

  • O profissional que predomina na equipe da Vigilância Epidemiológica é o enfermeiro, fundamentando sua prática na epidemiologia e na gerência, e suas ações se voltam para o controle representado pelas notificações e visitas e para a prevenção, representada pela imunização.

As informações produzidas pelo sistema de Vigilância epidemiológica funcionam como um mecanismo de alerta, continuado, sobre a incidência de determinados agravos à saúde. O seu objetivo geral é gerar a informação pertinente e promover o seu uso com o propósito de tomar medidas para melhorar a saúde pública.

  • As informações produzidas pelo sistema de Vigilância epidemiológica funcionam como um mecanismo de alerta, continuado, sobre a incidência de determinados agravos à saúde. O seu objetivo geral é gerar a informação pertinente e promover o seu uso com o propósito de tomar medidas para melhorar a saúde pública.

Coleta de dados;

  • Coleta de dados;

  • Processamento de dados coletados;

  • Análise e interpretação dos dados processados;

  • Recomendação das medidas de controle apropriadas;

  • Promoção das ações de controle indicadas;

  • Avaliação da eficácia e efetividade das medidas adotadas;

  • Divulgação de informações pertinentes;

Prestar serviços de saúde para recuperação da saúde individual;

  • Prestar serviços de saúde para recuperação da saúde individual;

  • Organizar medidas de ação coletiva para o controle, prevenção e promoção da saúde da população;

Realizar o treinamento da equipe de saúde;

  • Realizar o treinamento da equipe de saúde;

  • Responsável pela coordenação, organização, agrupamentos de dados, divulgação, fluxo de informações, avaliações e estatísticas;

  • Realizar, com os profissionais da Unidade de Saúde, o diagnóstico e a definição do perfil sócio econômico da comunidade, a descrição do perfil do meio ambiente da área de abrangência, a realização do levantamento das condições de saneamento básico e do mapeamento da área de abrangência dos Agentes Comunitário de Saúde sob sua responsabilidade;

Coordenar, acompanhar, supervisionar e avaliar sistematicamente o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde;

  • Coordenar, acompanhar, supervisionar e avaliar sistematicamente o trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde;

  • Coordenar a programação das visitas domiciliares a serem realizadas pelos Agentes Comunitários de Saúde;

Realizar busca ativa das doenças infecto-contagiosas;

  • Realizar busca ativa das doenças infecto-contagiosas;

  • Realizar ações de controle e notificação de doenças que envolvem bloqueio e orientação de exames laboratoriais específicos da Vigilância Epidemiológica;

Organizar e coordenar a criação de grupos de controle de patologias;

  • Organizar e coordenar a criação de grupos de controle de patologias;

  • Supervisionar todas as salas de vacinação;

  • Supervisionar e realizar a notificação de doenças de notificação compulsória da área de abrangência;

Realizar Bloqueios e investigação das doenças de notificação compulsória;

  • Realizar Bloqueios e investigação das doenças de notificação compulsória;

  • Realizar visitar e acompanhamento de casos de reação vacinal;

O Enfermeiro na Vigilância epidemiologia desenvolve habilidades para estabelecer prioridades dentro dos limites dos recursos existentes, sensibilizar e organizar a participação da comunidade na área da saúde, estabelecer metas, organizar programas, realizar investigações e avaliações. Possibilita identificar, analisar e interpretar tendências, determinantes políticos, sociais e econômicos e operar interferências para a solução de problemas.

  • O Enfermeiro na Vigilância epidemiologia desenvolve habilidades para estabelecer prioridades dentro dos limites dos recursos existentes, sensibilizar e organizar a participação da comunidade na área da saúde, estabelecer metas, organizar programas, realizar investigações e avaliações. Possibilita identificar, analisar e interpretar tendências, determinantes políticos, sociais e econômicos e operar interferências para a solução de problemas.

PEDERSOLI, C.E.; ANTONIALLI, E.; VILA, T.C.S. O enfermeiro na vigilância epidemiológica no município de Ribeirão Preto 1988-1996. Rev. latino-am. enfermagem, Ribeirão Preto, v. 6, n. 5, p. 99-105, dezembro 1998.

  • PEDERSOLI, C.E.; ANTONIALLI, E.; VILA, T.C.S. O enfermeiro na vigilância epidemiológica no município de Ribeirão Preto 1988-1996. Rev. latino-am. enfermagem, Ribeirão Preto, v. 6, n. 5, p. 99-105, dezembro 1998.

  • Pereira, M.G.; Epidemiologia: teoria e prática. 7ª ed.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A.,2003.

Comentários