Aula de Demanda

Aula de Demanda

Objetivo 1. : explicar o comportamento da demanda conforme variações nos preços e renda do consumidor.

  • Objetivo 1. : explicar o comportamento da demanda conforme variações nos preços e renda do consumidor.

  • Objetivo 2. : demonstrar a classificação dos bens segundo o comportamento de suas demandas, dada oscilações na renda e no preço com as quais o consumidor se defronta no mercado.

O lado esquerdo da equação representa a quantidade demandada(X1)

  • O lado esquerdo da equação representa a quantidade demandada(X1)

  • O lado direito da função relaciona os preços(P1,P2) e a renda(M) com essa quantidade.

Considerando como constantes a renda e o preço do bem 2, e traçando o nível ótimo de consumo para cada valor do preço do bem 1, temos como resultado a curva de demanda.

  • Considerando como constantes a renda e o preço do bem 2, e traçando o nível ótimo de consumo para cada valor do preço do bem 1, temos como resultado a curva de demanda.

  • A curva de demanda é negativamente inclinada, pois quando o preço de um bem sobe, cai a quantidade que as pessoas desejariam consumir deste bem, ceteris paribus.

Se temos a demanda por um determinado bem dada pela equação, D= 80 – 20p.

  • Se temos a demanda por um determinado bem dada pela equação, D= 80 – 20p.

  • Fica claro, que se D é quantidade demandada, e p o preço, quando P sobe, D tem que diminuir, permanecendo tudo o mais constante.

O modelo de demanda básico, nos mostra que a elevação no preço de um bem, provoca um queda na demanda do consumidor pelo mesmo. Todavia, não nos diz com precisão qual o tamanho do impacto que oscilações no preço de um bem tem sobre sua demanda.

  • O modelo de demanda básico, nos mostra que a elevação no preço de um bem, provoca um queda na demanda do consumidor pelo mesmo. Todavia, não nos diz com precisão qual o tamanho do impacto que oscilações no preço de um bem tem sobre sua demanda.

  • Para tanto, os economistas desenvolveram um medida de sensibilidade da demanda a variações no preço , a qual chamaram de elasticidade – preço da demanda.

  • A elasticidade-preço da demanda é a relação entre a variação percentual na quantidade demandada e a variação no preço. Um ponto relevante de medições em termos percentuais é que se mantém a definição de elasticidade livre de unidades monetárias.

  • Em símbolos a definição de elasticidade é :

Se um bem tiver uma elasticidade da demanda maior do que 1 em valor absoluto, dizemos que ele tem uma demanda elástica.

  • Se um bem tiver uma elasticidade da demanda maior do que 1 em valor absoluto, dizemos que ele tem uma demanda elástica.

  • Se a elasticidade for menor do que 1 em valor absoluto, dizemos que o bem tem uma demanda inelástica.

  • E se a demanda do bem tiver uma elasticidade exatamente igual a 1, dizemos que se trata de uma demanda de elasticidade unitária.

A função de demanda inversa é a função de demanda que toma o preço como uma função da quantidade, isto é, para cada nível de demanda do bem, a função mede qual deveria ser o preço deste, para que os consumidores escolhessem esse nível de consumo.

  • A função de demanda inversa é a função de demanda que toma o preço como uma função da quantidade, isto é, para cada nível de demanda do bem, a função mede qual deveria ser o preço deste, para que os consumidores escolhessem esse nível de consumo.

  • Exemplo : seja a função de demanda direta de um bem, dada pela equação; X1 = 80 – 20p, a função inversa será ; p = 80/20 – x1/20.

Bem normal é aquele cuja demanda cresce quando a renda aumenta.

  • Bem normal é aquele cuja demanda cresce quando a renda aumenta.

  • Bem inferior é aquele cuja demanda diminui quando a renda aumenta.

  • A questão de um bem ser ou não inferior depende do nível de renda que se examina.

  • Quando a demanda de um bem aumenta em proporção maior do que a renda do consumidor, dizemos que esse é um bem de luxo.

  • Quando a proporção de aumento é menor do que a renda, diz-se que é um bem necessário

A curva de renda – consumo, mostra as cesta de bens ótimas demandadas em diferentes níveis de renda.

  • A curva de renda – consumo, mostra as cesta de bens ótimas demandadas em diferentes níveis de renda.

  • Se ambos os bens forem normais, a curva terá inclinação positiva.

  • A curva de Engel é um gráfico da demanda de um dos bens como função da renda, com os preços constantes.

Bem comum : é aquele cuja demanda aumenta quando seu preço cai.

  • Bem comum : é aquele cuja demanda aumenta quando seu preço cai.

  • Bem de Giffen : é aquele cuja demanda diminui quando seu preço cai.

  • Se a demanda do bem 1 subir quando o preço do bem 2 subir, diremos que o bem 1 é um substituto do bem 2.

  • Se a demanda do bem 1 cair quando o preço do bem 2 subir, dizemos que o bem 1 é um complemento do bem 2.

Se tomarmos o comportamento de um consumidor qualquer, e notarmos que quando há elevação no preço da manteiga, a demanda por margarina deste consumidor cresce, diremos então que para este individuo manteiga e margarina são bens substitutos, ceteris paribus.

  • Se tomarmos o comportamento de um consumidor qualquer, e notarmos que quando há elevação no preço da manteiga, a demanda por margarina deste consumidor cresce, diremos então que para este individuo manteiga e margarina são bens substitutos, ceteris paribus.

  • Do mesmo modo, se supormos que arroz e feijão são bens complementares para um dado consumidor, é de se esperar que uma alta no preço do feijão tenha um impacto negativo sobre a demanda de arroz deste consumidor, tudo o mais permacendo constante.

Comentários