A raça Jersey é originária da Ilha de Jersey na Grã-Bretanha;

  • A raça Jersey é originária da Ilha de Jersey na Grã-Bretanha;

  • (Turra, 2004; Albuquerque et al. 2001)

  • Se desenvolveu a partir do ano de 1100;

    • Em 1734 a raça já era caracterizada como excelente produtora de leite;
  • (Soares, 2004)

  • No Brasil, o gado Jersey foi introduzido no Rio Grande do Sul pelo pecuarista Joaquin Francisco de Assis Brasil;

  • (Soares, 2004; Turra, 2004)

  • O primeiro lote veio em 1896 da granja de Windsor, da rainha Vitória da Inglaterra;

  • (Albuquerque, 2001)

  • Em 1938, foi fundada no Rio de Janeiro a Associação dos Criadores de Gado Jersey do Brasil (ACGJB), a partir daí tem inicio a expansão da raça.

  • Segundo o IBGE, a produção nacional de leite no ano de 2008 foi de 27.579 milhões de litros.

    • Sudeste - 10.132 milhões de litros;

Tem a cabeça limpa, bem proporcional, de comprimento moderado;

  • Tem a cabeça limpa, bem proporcional, de comprimento moderado;

  • Pescoço limpo, moderadamente comprido;

  • Pés curtos, compactos e redondos;

  • Úbere é largo, alto e amplo sendo de boa qualidade, macio, de boa textura;

  • Pelagem de cor castanha amareladas com algumas manchas brancas;

  • Temperamento leiteiro bem evidenciado;

  • Harmonia total entre as partes de seu corpo;

Das raças leiteiras, a vaca Jersey é a mais dócil, a mais rústica, a de menor tamanho, a que melhor se reproduz, a mais longeva e a mais produtiva.

  • Das raças leiteiras, a vaca Jersey é a mais dócil, a mais rústica, a de menor tamanho, a que melhor se reproduz, a mais longeva e a mais produtiva.

  • A mansidão da vaca Jersey permite seu manejo até por crianças.

  • Sua rusticidade viabiliza que sejam criadas em diversos climas e topografias, consumindo alimentos variados e resistindo bravamente a doenças.

  • O peso de uma Jersey adulta varia de 350 a 450 kg.

  • Aparelho reprodutor muito precoce;

  • Com um bom manejo, novilhas pesando em torno de 230 a 250 kg (14 a 16 meses ) podem ser cobertas ou inseminadas artificialmente;

  • Em nossas condições e tipo de manejo, aos 26 meses já dão cria, voltando a emprenhar após 110 dias;

  • Além de sua boa capacidade de reprodução, ela apresenta facilidade de parição, perpetuada geneticamente;

A vaca Jersey produz leite até aos 20 anos, atingindo o máximo de rendimento dos 10 aos 12 anos.

  • A vaca Jersey produz leite até aos 20 anos, atingindo o máximo de rendimento dos 10 aos 12 anos.

  • Possui alta capacidade de adaptar-se a vários tipos de climas, manejo e condições geográficas.

  • É capaz de produzir de 12 a 15 kg de leite por dia;

    • Vacas de linhagens superiores e convenientemente alimentadas podem chegar a produzir mais de 25 kg de leite diariamente.
  • Seu leite apresenta melhor sabor e maiores percentuais de proteína e de sólidos;

    • Propiciar melhores resultados na produção de manteiga, iogurtes, sorvetes etc.

O leite Jersey tem teor de proteína mais elevado que todos os outros leites;

  • O leite Jersey tem teor de proteína mais elevado que todos os outros leites;

    • Contém 20% mais de proteína e 15% mais de cálcio;
    • Contém maior quantidade de sólidos não gordurosos - proteínas, lactose, vitaminas e minerais;
    • Quando consumido na forma fluida, tem mais consistência e um gosto mais forte;
  • Tem facilidade para transmitir suas características à progênie;

Alta eficiência de conversão alimentar nas rações, forragens e na produção de leite.

  • Alta eficiência de conversão alimentar nas rações, forragens e na produção de leite.

  • Transforma, de maneira eficiente, as rações e a forragem em leite, produzindo mais por área, por tonelada de forragem;

  • (Laloni et al. 2004)

  • À medida que se aumenta o índice de pastoreio, também aumenta o lucro por hectare;

  • (Moraes Júnior, 1997 citado por Laloni et al. 2004)

  • A vaca Jersey é uma "máquina" que produz grande quantidade de leite com pouca exigência em sua manutenção.

  •  

Segundo a ACGJB, a Jersey tem sido criado em estado puro há mais tempo que qualquer outra raça leiteira;

  • Segundo a ACGJB, a Jersey tem sido criado em estado puro há mais tempo que qualquer outra raça leiteira;

    • Facilidade para transmitir à progênie as boas qualidades da raça.
  • É uma raça eficiente para cruzamentos com raças zebuínas, quando se pretende aumentar a produção de leite.

  • Na Índia, através de um programa de cruzamentos, visando diminuir a idade de parição e aumentar a produção leiteira das vacas zebuínas, ficou comprovado que touros da raça geraram novilhas Jersey x Zebu que tiveram sua primeira cria aos dois anos de idade, com uma produção média de 12kg de leite por dia.

  • Percebeu-se, então, que a raça Jersey teve um aproveitamento de 70% dos touros utilizados em 20,4 milhões de cruzamentos, resultando em um tipo ideal leiteiro pelas qualidades, simetria e ligamentos do úbere.

Para aqueles que procuram investir na produção de leite, a raça Jersey é uma ótima opção, pois baseado neste trabalho, é uma das raças leiteiras mais lucrativas.

  • Para aqueles que procuram investir na produção de leite, a raça Jersey é uma ótima opção, pois baseado neste trabalho, é uma das raças leiteiras mais lucrativas.

  • São precoces, boas produtoras de leite, além disso, também são rústicas, não exigindo tanto de manejo muito sofisticados e se adaptam bem a variações ambientais.

  • Produzem bem a pasto com ou sem suplementação, além de ter ótima qualidade do leite.

Comentários