ND10 Versão 3 Revisada - Elektro

ND10 Versão 3 Revisada - Elektro

(Parte 1 de 10)

Versão 03 – Maio/2004 NORMA ND.10

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência de Engenharia

Rua Ary Antenor de Souza, 321 – Jd. Nova América Campinas – SP Tel.: (19) 3726.1000 Fax: (19) 3726.1351 E-mail: elektro@elektro.com.br w.elektro.com.br

ND.10 Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais

Campinas – SP, 2004 134 páginas.

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

Esta Norma define os requisitos mínimos para a ligação de unidades consumidoras individuais em tensão secundária de distribuição através da rede aérea da ELEKTRO.

Estabelece, também, as diretrizes necessárias ao bom desempenho e à segurança das instalações visando à integridade dos consumidores e colaboradores da ELEKTRO.

Na sua concepção, foram consideradas as diretrizes de Qualidade, Racionalização de Custos e Otimização na prestação de serviços, visando o melhor atendimento aos consumidores da ELEKTRO.

Foram consideradas, também, as contribuições das Concessionárias de Energia Elétrica do Estado de São Paulo para obtenção da maior homogeinização possível dos materiais a serem utilizados, com o objetivo de simplificar a execução do padrão de entrada e proporcionar vantagens para os consumidores, instaladores, fabricantes e Empresa.

Engo Francisco Alfredo Fernandes Diretor de Operações

Aprovações

Engo Carlos Henrique Camargo Lopes Gerente de Engenharia

Engo Paulo de Tarso Gasparino de Souza Gerente de Projetos e Obras

7Versão 03 – Maio/2004

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

1. OBJETIVO13
2. CAMPO DE APLICAÇÃO13
3. REFERÊNCIAS13
3.1. Normas da ABNT13
3.2. Outras14
4. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES14
4.1. Caixa de Medição14
4.2. Caixa de Medição Indireta14
4.3. Caixa para Dispositivo de Proteção e Seccionamento14
4.4. Carga Instalada15
4.5. Circuito Alimentador15
4.6. Concessionário de Energia Elétrica15
4.7. Consumidor15
4.8. Demanda15
4.9. Entrada de Serviço de Instalação Consumidora15
4.10. Limite de Propriedade15
4.1. Medidor16
4.12. Padrão de Entrada16
4.13. Pontalete16
4.14. Ponto de Entrega16
4.15. Poste Particular16
4.16. Ramal de Ligação16
4.17. Ramal de Entrada17
4.18 Instalação Consumidora17
5. CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO17
5.1. Regulamentação17
5.2. Conservação do Padrão de Entrada19
5.3. Fornecimento de Materiais da Entrada de Serviço19
5.4. Geração Própria19
5.5. Pedido de Ligação20
5.6. Tensões e Sistemas de Fornecimento21
5.7. Limites de Fornecimento21
5.8. Tipos e Limitações de Atendimento21
5.9. Bombas de Incêndio2
5.10. Instalações em Condomínios23
5.1. Ligações de Cargas Especiais23
5.12. Instalações Especiais23

SUMÁRIO 5.13. Padrões de Entrada..................................................................... 24

8Versão 03 – Maio/2004

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

5.14. Suspensão do Fornecimento24
6. RAMAL DE LIGAÇÃO26
6.1. Condições Gerais26
6.2. Execução das Conexões e Ancoragens27
6.3. Ancoragem27
7. RAMAL DE ENTRADA28
7.1. Condutores28
7.2. Eletrodutos29
8. PROTEÇÃO E SECCIONAMENTO30
8.1. Condições Gerais30
8.2. Dispositivos de Proteção e Seccionamento30
9. MEDIÇÃO ................................................................................... 31
9.1. Localização31
9.2. Medição para Dois Consumidores no Mesmo Terreno32
9.3. Medição na Divisa de Duas Propriedades32
9.4. Medição Direta32
9.5. Medição Indireta3
10. ATERRAMENTO3
10.1. Condições Gerais3
10.2. Dimensionamento3
10.3. Montagem3
1. MATERIAIS DO PADRÃO DE ENTRADA34
1.1. Caixas de Medição e Proteção34
1.2. Ferragens35
1.3. Postes e Pontaletes36
1.4. Isolador Roldana38
1.5. Isolador Castanha38
1.6. Haste de Aterramento38
12. CÁLCULO DA CARGA INSTALADA38
12.1. Iluminação e Tomadas38
12.2. Aparelhos Eletrodomésticos39
12.3. Motores Elétricos e Equipamentos Especiais39
13. PARTIDA DE MOTORES40
14. DIMENSIONAMENTO DO PADRÃO DE ENTRADA40
14.1. Cálculo da Demanda40
ENTRADA
9Versão 03 – Maio/2004

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

TABELAS

1 - Dimensionamento do Ramal de Entrada – Tensão de

Fornecimento 220/127 V
Fornecimento 380/220 V
Construída
Residencial
Água de Passagem e Ferros Elétricos
Máquina de Lavar Louça e Forno Microondas

6 - Fatores de Demanda de Aquecedor Central ou de Acumulação 59 7 - Fatores de Demanda de Secadora de Roupa, Forno Elétrico, 59

8 - Fatores de Demanda de Fogões Elétricos59
9 - Condicionadores de Ar Tipo Janela60
para Uso Comercial
1 - Fatores de Demanda de Motores61
12 - Fatores de Demanda de Equipamentos Especiais61
13 - Fatores de Demanda de Hidromassagem61
14 - Dispositivo para Redução de Corrente de Motores Trifásicos62
da Rede em kW e kVA, Correntes Nominais e de Partida
Rede em kW e kVA, Correntes Nominais e de Partida
PVC 70 OC, instalados em Eletrodutos
18 - Características dos Eletrodutos de PVC e Aço6
Tomadas de Uso Geral
Atendimento a 2 (dois) Consumidores no Mesmo Terreno
DESENHOS

1 - Componentes da Entrada de Serviço

2 - Alturas Mínimas das Entradas de Serviço – 1/2

Afastamentos Mínimos para Entrada de Serviço – 2/2 3 - Disposições da Entrada de Serviço 4 - Localização Preferencial da Caixa de Medição 5 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo I – Instalação em Muro 6 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo I – Instalação ao Tempo 7 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo I – Instalação com Pontaletes

10Versão 03 – Maio/2004

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

8 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo I – Instalação em Muro 9 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo I – Instalação ao Tempo 10 - Padrão de Entrada com Caixas Tipos I ou II – Instalação em

Parede 1 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo IV – Instalação com Leitura

Voltada para Calçada 12 - Padrão de Entrada com Caixa Tipo V – Instalação com Leitura

Voltada para Calçada 13 - Padrão de Entrada para Ligação de Dois Consumidores com um

Único Poste 14 - Padrão de Entrada para Atendimento a 2 Consumidores no

Mesmo Terreno 15 - Padrão de Entrada para Medição Indireta – Instalação ao Tempo 16 - Padrão de Entrada para Medição Indireta – Instalação Abrigada 17 - Sugestões para Fixação da Caixa de Medição – Instalação ao

Tempo 18 - Esquemas para Ligações de Medidores 19 - Detalhes para Aterramento da Caixa de Medição Metálica e

Postes de Aço 20 - Detalhes de Aterramento 21 - Poste de Concreto Armado para Entrada de Serviço 2 - Poste de Aço para Entrada de Serviço 23 - Haste de Aterramento Cantoneira de Aço Zincado 24 - Haste de Aterramento de Aço Zincado 25 - Haste de Aterramento Aço-Cobre 26 - Fixação do Ramal de Entrada em Edificações com Fachada

Ornamental 27 - Caixa de Medição Tipo I (Monofásica e Bifásica) 28 - Caixa de Medição Tipo I em Fibra de Vidro (Monofásica e Bifásica) 29 - Caixa de Medição Tipo I em Ferro Fundido (Monofásica e Bifásica) 30 - Caixa de Medição Tipo I (Polifásica) 31 - Caixa de Medição Tipo I em Fibra de Vidro (Polifásica) 32 - Caixa de Medição Tipo I em Ferro Fundido (Polifásica) 3 - Caixa de Medição Tipo IV – com Leitura Voltada para Calçada

(Monofásica e Bifásica) 34 - Caixa de Medição Tipo V – com Leitura Voltada para Calçada

(Polifásica) 35 - Caixa de Medição Tipo K 36 - Caixa de Medição Tipo M – Medição Indireta 37 - Caixa de Medição Tipo T – para Proteção Geral 38 - Sistema para Dispositivo para Lacre (Caixas Tipos I, II, IV e V) 39 - Poste de Concreto Armado com Caixa de Medição Incorporada 40 - Poste de Concreto Armado com Caixa de Medição Incorporada

1Versão 03 – Maio/2004

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

41 - Poste de Concreto Armado com Caixa de Medição Incorporada

(Dois Consumidores) 42 - Suporte de Isolador Roldana 43 - Armação Secundária de um Estribo 4 - Armação Secundária de um Estribo em Liga de Alumínio 45 - Suporte para Fixação da Caixa de Medição ao Tempo 46 - Parafuso Cabeça Quadrada para Fixação da Caixa ao Poste 47 - Conjunto para Ancoragem de Ramal de Ligação 48 - Isolador Roldana 49 - Isolador Castanha 50 - Esquema para Ligação de Bomba de Incêndio em Entrada Individual

12Versão 03 – Maio/2004

ND.10

Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Secundária a Edificações Individuais - NORMA

À Elektro é reservado o direito de modificar total ou parcialmente o conteúdo desta norma, a qualquer tempo e sem prévio aviso considerando a constante evolução da técnica e dos materiais e equipamentos bem como os aspectos de segurança dos envolvidos, terceiros e das instalações.

13Versão 03 – Maio/2004

ND.10

(Parte 1 de 10)

Comentários