(Parte 1 de 3)

1-PRINCÍPIOS GERAIS DA BIOSSEGURANÇA: 1.1-DEFINIÇÕES GERAIS : BIOSSEGURANÇA: é o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviços, visando à saúde do homem, dos animais, a preservação do meio ambiente e a qualidade dos resultados” (Teixeira & Valle, 1996). A biossegurança é uma ciência que surgiu para controlar e diminuir os riscos quando se praticam diferentes tecnologias, tanto aquelas desenvolvidas em laboratórios, ambulatórios como as que envolvem o meio ambiente. Também aparece em: indústrias, hospitais, clínicas, laboratórios de saúde pública, laboratórios de análises clínicas, hemocentros, universidades, etc. A biossegurança é regulada por um conjunto de leis que ditam e orientam como devem ser conduzidas as pesquisas tecnológicas. No Brasil está formatada legalmente para os processos envolvendo: a) organismos geneticamente modificados, de acordo com a Lei de Biossegurança - N. 8974 de 05 de Janeiro de 1995. b) os alimentos transgênicos, produtos da engenharia genética. SAÚDE OCUPACIONAL: é uma área da saúde que cuida especificamente da saúde do trabalhador, especialmente na prevenção e no tratamento de moléstias ocasionadas pelo próprio trabalho, como é o caso, por exemplo, da LER – Lesão do esforço repetitivo tão em voga ultimamente. A prática de Esportes ajuda muito, afinal Esporte É Saúde. A preocupação e o cuidado com a saúde e o bem estar dos trabalhadores é um assunto debatido no mundo inteiro, sendo a Organização Internacional do Trabalho o órgão que agrega as políticas internacionais de saúde ocupacional. No Brasil o Ministério da Saúde e o Ministério do Trabalho e Emprego é o órgão responsável pela segurança do trabalho e a saúde do trabalhador objetos do conceito de saúde ocupacional. O TEM é responsável pela emissão das portarias e normas que regulamentam a legislação federal que trata sobre o assunto.

1.2-EXAMES QUE DEVEM SER SOLICITADOS NA ADMISSÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE: · Eletroencefalograma com laudo

· Eletrocardiograma com laudo

· Hemograma completo com contagem de plaquetas

· Glicemia em jejum

· Lipidograma Total (Colesterol fracionado e Triglicérides)

· Transaminases oxalacética e pirúvica · Sorologia para lues (VDRL)

· Sorologia para Chagas

· Grupo Sangüíneo e fator RH

· Urina rotina (EAS)

· Parasitológico de fezes

· Laudo de sanidade mental emitido por psiquiatra (com carimbo de psiquiatra).

· P.S.A – somente para os homens (idade acima de 45 anos)

· Raio X de tórax em PA – com laudo.

· Questionário para exame pré-admissional – a ser preenchido pelo candidato e apresentado juntamente com os resultados dos exames médicos. OBS:É importante saber que as empresas são obrigadas pelas leis trabalhistas realizar exames com base no programa de controle médico de saúde ocupacional – de acordo com a (Norma regulamentadora – 7), mesmo o trabalhador não sendo obrigado a realizar determinados exames, deve estar ciente de que alguns são necessários para que o médico possa avaliar e decidir sobre a aptidão do profissional, cabendo ao médico preservar o sigilo destas informações, podemos citar alguns exames complementares, eletroencefalograma, eletrocardiograma, audiometria, exame de vista, entre outros, mais específicos de cada atividade exercida dentro da empresa. O exame admissional é realizado antes do empregado ser contratado, o exame periódico é realizado anualmente na empresa, e o demissional é realizado no ato da demissão, além destes, exames devem ser solicitados quando o trabalhador mudar de atividade exercida ou ficar afastado por mais de 30 dias, e os exames periódicos que são realizados Alguns exames são realmente necessários e sem dúvida devem ser realizados, verificar a capacidade do candidato para o trabalho, se ele tem as condições de saúde que o cargo requer, para o bom desenvolvimento da função, fundamental para empregador e empregado, um motorista precisa enxergar bem, caso contrário pode sofrer acidente e causar prejuízo para a própria saúde, são exames que podem impedir o trabalhador de conseguir o cargo. Uma questão sempre polêmica é quando as empresas exigem exame de HIV, sobre isso a Portaria Interministerial Nº 869, de 1 de 08 de 1992, “Proibi, no âmbito do Serviço Público Federal, a exigência de teste para detecção do vírus de imunodeficiência adquirida, tanto nos exames pré-admissionais quanto nos exames periódicos de saúde” A positividade do HIV não pode ser condição prévia, categórica, de recusa do candidato, porém é importante para os profissionais de saúde realizarem este exame.

I.SAÚDE DO TRABALHO: A saúde do trabalhador e um ambiente de trabalho saudável são valiosos bens individuais e comunitários. A saúde ocupacional é uma importante estratégia não somente para garantir a saúde dos trabalhadores, mas também para contribuir positivamente para a produtividade, qualidade dos produtos, motivação e satisfação do trabalho e, portanto, para a melhoria geral na qualidade de vida dos indivíduos e da sociedade como um todo. I.MEDICINA DO TRABALHO

Especialidade médica que lida com as relações entre a saúde dos homens e mulheres trabalhadores e seu trabalho, visando não somente a prevenção das doenças e dos acidentes do trabalho, mas a promoção da saúde e da qualidade de vida, através de ações articuladas capazes de assegurar a saúde individual, nas dimensões física e mental, e de propiciar uma saudável interrelação das pessoas e destas com seu ambiente social, particularmente, no trabalho. · CIPA: Comissão Interna de Prevenção de Acidente. Tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. É composta de representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o dimensionamento previsto, ressalvadas as alterações disciplinadas em atos normativos para setores econômicos específicos. · A CIPA tem por atribuição identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de risco, com a participação do maior número de trabalhadores, com assessoria do SESMT. · CAT: Comunicação de Acidente de Trabalho. Formulário que tem por objetivo registrar na Previdência Social a ocorrência de Acidentes de Trabalho. A todo e qualquer acidente de trabalho, seja por doença profissional, doença do trabalho ou acidente de trajeto, é dever da empresa informar à Previdência Social sua ocorrência através da CAT, independentemente de o segurado (funcionário) necessitar o recebimento do benefício previdenciário. · O SESMT – Serviço Especializado em Medicina e Segurança do trabalho: tem por objetivo a promoção da saúde e a proteção da integridade física do servidor no seu local de trabalho, e a norma que rege esses serviços é a NR4, aprovada pela Portaria n.º 3.214, de 8 de junho de 1978, do Ministério do Trabalho. · ACIDENTE DE TRABALHO: Tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. É o que ocorre pelo exercício de trabalho a serviço da empresa provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a perda ou redução da capacidade para o trabalho permanente ou temporária, nos termos dos artigos 138 a 177 do Regulamento dos Benefícios da Previdência Social. Equiparam-se também ao acidente de trabalho, para efeitos previdenciários, a doença profissional, a doença do trabalho e o acidente de trajeto: a) A doença profissional é aquela produzida ou desencadeada pelo exercício de trabalho peculiar à determinada atividade. b) Doença do trabalho é aquela adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relaciona diretamente. c) O acidente de trajeto é aquele sofrido no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção.

1.3-RELAÇÃO DE VACINAS DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE · VACINA ANTI-HEP B;

· VACINA CONTRA dT- difteria e tétano;

1.4-RISCOS AMBIENTAIS: CLASSIFICAÇÃO DOD RISCOS AMBIENTAIS A maioria dos processos pelos quais o homem modifica os materiais extraídos da natureza, para transformá-los em produtos segundo as necessidades tecnológicas atuais, capazes de dispensar no ambiente dos locais de trabalho substâncias que, ao entrarem em contato com o organismo dos trabalhadores, podem acarretar moléstias ou danos a sua saúde. Estes processos poderão originar condições físicas de intensidade inadequada para o organismo humano, sendo que ambos os tipos de riscos são geralmente de caráter acumulativo e chegam, às vezes, a produzir graves danos aos trabalhadores. · Riscos Químicos: São as diversas substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvido pelo organismo através da pele ou por ingestão. · Riscos Físicos: representam um intercâmbio brusco de energia entre o organismo e o ambiente, em quantidade superior àquela que o organismo é capaz de suportar, podendo acarretar uma doença profissional. # temperaturas extremas: como frio e calor. # ruído.

# vibrações.

# pressões anormais.

# umidade. # radiações ionizantes: são as mais perigosas e de alta frequência: raios X, raios Gama (emitidos por materiais radiativos) e os raios cósmicos. Ionizar significa tornar eletricamente carregado. Quando uma substância ionizável é viva, sua estrutura química pode ser modificada. A exposição à radiação ionizante pode danificar nossas células e afetar o nosso material genético (DNA), causando doenças graves, levando até à morte. O maior risco da radiação ionizante é o câncer! Pode ainda, provocar defeitos genéticos nos filhos de homens ou mulheres expostos. Os danos ao nosso patrimônio genético (DNA) podem passar às futuras gerações. É o que chamamos de mutação. Crianças de mães expostas à radiação durante a gravidez podem apresentar retardamento mental. # radiações não-ionizantes: são radiações de baixa freqüência: luz visível, infravermelho, microondas, frequência de rádio, radar, ondas curtas e ultrafrequências (celular). Embora esses tipos de radiação não alterem os átomos, alguns, como as microondas, podem causar queimaduras e possíveis danos ao sistema reprodutor. Campos eletromagnéticos, como os criados pela corrente elétrica alternada a 60 Hz, também produzem radiações não ionizantes. # iluminação deficiente. # ultra-som.

· Riscos Biológicos: são microrganismos que podem contaminar o trabalhador e são, basicamente: # as bactérias

# os fungos

# os bacilos

# os parasitas

# os protozoários

# os vírus Muitas atividades profissionais favorecem o contato com tais riscos. É o caso das indústrias de alimentação, hospitais, limpeza pública (coleta de lixo), laboratórios, etc. Estes microrganismos podem provocar diversas doenças, entre elas:tuberculose, brucelose, malária, febre amarela.

2-HIGIENE E PROFILAXIA: Toda e qualquer medida que procure impedir que contraia doenças pode ser chamada de medida profilática. E higiene é a maior das medidas profiláticas. Consiste em lavar sempre as mãos, antes das refeições, depois de usar o banheiro, ao chegar em casa, ao manusear dinheiro, quando mexe com o lixo e em mais uma série de ocasiões. Tomar banho, escovar os dentes e outras.

2.2-DOENÇAS VEICULADAS PELA ÁGUA:

Por ingestão de água contaminada: . Cólera . Disenteria amebiana . Disenteria bacilar . Febre tifoide e paratifoide . Gastroenterite . Giardiase . Hepatite infecciosa . Leptospirose . Paralisia infantil . Salmonelose

Por contato com água contaminada: . Escabiose (doença parasitária cutânea conhecida como Sarna) . Tracoma (mais frequente nas zonas rurais) . Verminoses, tendo a água como um estágio do ciclo . Esquistossomose

Por meio de insetos que se desenvolvem na água: . Dengue . Febre Amarela . Filariose . Malária Cólera, febre tifoide e paratifoide são as doenças mais frequentemente ocasionadas por águas contaminadas e penetram no organismo via cutâneo - mucosa como é o caso de via oral.

2.3-NOÇÕES DE HIGIENE DA ALIMENTAÇÃO: 2.31- Higiene dos Alimentos

Em época de festas como a do carnaval, a compra de alimentos e bebidas em barracas de rua ou com vendedores ambulantes, é comum acontecer, pois as pessoas passam a maior parte do tempo nas ruas aproveitando a festa. Assim, torna-se um hábito a preferência por este tipo de comida que por ser rápida e geralmente mais econômica. A higiene é fundamental, para prevenir a grande quantidade de doenças que possam ser transmitidas através dos alimentos e que constitui um dos principais problemas de saúde pública na maioria dos países. Todos, com exceção do sal e da água, os alimentos são perecíveis, ou seja, são suscetíveis a alteração e deterioração com maior ou menor rapidez e o que pode causar alguma doença.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a higiene dos alimentos compreende "todas as medidas necessárias para garantir a inocuidade sanitária dos alimentos, mantendo as qualidades que lhes são próprias e com especial atenção para o conteúdo nutricional.

As infecções alimentares são produzidas por várias classes de microrganismos, onde as mais comuns são as bactérias. Geralmente são chamadas de "infecções tóxicas" já não só as bactérias podem produzi-las, assim com as toxinas que elas liberam ou uma combinação de ambas. Os vários tipos de microrganismos que podem produzir infecções alimentares são: · Fungos: por exemplo, os que aparecem, às vezes, sobre a superfície do pão ou do queijo. Algumas vezes, os fungos são usados de forma voluntária para produzir alguma característica de sabor ou aroma apreciado do ponto de vista gastronômico, como o caso do queijo Camembert. · Vírus: a diferença entre os vírus e as bactérias é que os primeiros não crescem nos alimentos, apenas os usam como transporte. Para crescer e multiplicar, os vírus precisam de uma célula viva. Assim, uma pessoa pode ingerir um alimento que esteja contaminado e, em seguida, o organismo dessa pessoa, será o meio propício para que o vírus se desenvolva.

A doença mais comum transmitida assim é a Hepatite A e algumas doenças gastrointestinais produzidas por vírus tipo rotavírus. Geralmente, estes vírus estão presentes na matéria fecal das pessoas infectadas e podem contaminar alimentos, que rseja de forma direta através do chamado esquema fecal-oral (por exemplo, quando se vai ao banheiro, não se lava as mãos e, em seguida, manipula-se alimentos) ou de forma indireta através dos esgotos (esgotos que contaminam plantações e peixes). Parasitas: são transmitidos principalmente pela ingestão de animais parasitados. Por exemplo, o tricocéfalo que se desenvolve no tubo digestivo de onívoros como o cervo ou o javali, forma cistos nos músculos, se uma pessoa ingere a carne crua ou mal passada contaminada, este parasita pode se desenvolver no homem. · Bactérias: apesar de algumas bactérias não serem patogênicas, ou sejam, não causarem doenças, e serem usadas na indústria alimentícia na elaboração de certos alimentos, como o iogurte, leite fermentado, etc, a maiorias dos casos de intoxicação alimentares são causados por bactérias ou pelas toxinas que elas liberam. Entre as bactérias patogênicas ou causadoras de doenças mais comuns estão os: estafilococos, clostrídios (Perfringens, Botulinum, etc), Shigella, Escherichia Coli e Bacillus Cereus, dentre outras.

Fatores que Favorecem a Contaminação Cuidados a Serem Observados

Higiene própria - Lavar as mãos antes de pegar em alimentos ou pegue-os com guardanapo, papel ou cubra-os. Higiene do local de venda - Deve-se tomar cuidado para que o alimento não fique exposto a roedores ou insetos como moscas e baratas. Higiene da embalagem - Se comprar alimentos em sacolas de polietileno peça ao vendedor que encha a sacola no mesmo instante porque se for aberta com sopros pode-se contaminá-la com bacilos respiratórios. - Preferir alimentos que venham com embalagens de fábrica ao invés dos servidos a granel. - Se comprar garrafas, ou lavá-las antes de leva-las à boca. Temperatura do alimento

–Prefira alimentos que estejam muito quentes ou muito frios. As temperaturas intermediárias favorecem a proliferação de microorganismos (entre 4ºC e 60 ºC)

– Verificar os alimentos que precisem de resfriamento como frios e iogurtes não abertos.

Conteúdo de água do alimento

- Prefira comprar alimentos secos como pães ou farinhas ao invés de queijos ou cremes que são mais facilmente contaminados.

Tempo de exposição do alimento - Prefira aqueles alimentos frescos ou recém elaborados, que precisem de pouco tempo de exposição àqueles que tenham sido exibidos durante horas, sob condições que favoreçam o desenvolvimento bacteriano como calor, umidade, etc.

Os Cuidados na Manipulação Água corrente ainda é a melhor arma da higienização nos alimentos, lembra a nutricionista. No entanto, se a própria água não tiver condições salubres suficientes, ela deve ser fervida ou tratada. As mãos e braços devem ser limpos e deve-se evitar conversar sobre os alimentos que estão sendo preparados, para que o perdigoto (saliva) não caia sobre eles.

Os Cuidados na Cozinha Alguns alimentos atraem moscas, formigas e outros insetos. Evitar o uso de aerossóis e inseticidas na cozinha, usando, ao invés disto, mata-moscas manuais, cobrindo os alimentos e tampando bem as panelas. Também os animais domésticos, especialmente cães e gatos, devem ser mantidos longe da cozinha, não só pelo contato direto com os alimentos mas também devido ao risco maior de parasitoses. Pessoas que acabaram de cuidar de um animal devem lavar muito bem as mãos, e não tocar em seguida os alimentos.

Prevenindo Doenças As manifestações mais comuns relacionadas com a inadequada manipulação dos alimentos, sem higiene, são vômitos, diarréias, febres, além de infecções. Uma das infecções mais conhecidas é a Salmonelose, que é contraída a partir de ovos crus. Para reduzir o risco de infecção por Salmonela, eis alguns cuidados: - Manter os ovos refrigerados, descartando ovos rachados ou sujos.

- Limpar bem as cascas do ovo, colocando-o em água corrente, antes de usá-los. – Preferencialmente, usar ovos cozidos e servi-los logo após o preparo.

(Parte 1 de 3)

Comentários