Preparo de soluções

Preparo de soluções

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

ESCOLA DE AGRONOMIA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Relatório n° 06

Preparo de soluções

Escleide Gomes Cabral

Gislene Pinheiro da Silva

Isis Maria de Holanda Resende

Rodrigo Marques Vaz

Goiânia

Setembro de 2010

Resumo

O objetivo desse experimento foi desenvolver o conceito de preparação e diluição de solução efetuando os cálculos necessários, usando informações como massa molar, densidade e porcentagem. As etapas foram: diluição de NaOH em água destilada, diluição de HCl em água destilada e desta solução foram retiradas 1ml, 10ml e 25ml para diferentes analises de concentração de soluto. Concluiu-se que a diluição de uma solução resulta na diminuição da concentração de soluto.

Introdução

A maior parte dos processos de análise quantitativa é realizada por via úmida. Então, o primeiro passo da análise consiste em submeter a um tratamento adequado com vistas à preparação da solução para processamento dos passos subseqüentes da análise (OHLWEILER, 1984).

O método escolhido deve assegurar a completa dissolução da amostra. Muitas vezes, o conhecimento da natureza do material é suficiente para indicar o método mais apropriado para preparação da solução para análise. Alguns produtos químicos se dissolvem completamente em água; neste caso, a solução para análise é obtida facilmente e a composição do sistema é, geralmente, muito favorável. Mediante ataque com ácidos, misturas ácidas ou de ácidos e agentes oxidantes ou fusões com reagentes alcalinos, alcalino-oxidantes ou ácidos, são possíveis decompor e dissolver quase todos os tipos de materiais (OHLWEILER, 1984).

Os experimentos realizados no laboratório tiveram por objetivo o preparo de soluções. As soluções são definidas como misturas homogêneas de duas ou mais substâncias, encontradas em qualquer um dos três estados da matéria. Para estudo destas são levados em consideração três aspectos: quantidade (envolvendo medidas em massa e volume), composição (soma de todos os ingredientes) e concentração (quantidade relativa dos componentes) (PUC Minas).

Os solutos utilizados foram NaOH (s) e HCl (l) diluídos em água destilada, para preparo da solução que posteriormente será utilizada em uma análise, com suas respectivas concentrações.

Parte experimental

  • Materiais utilizados:

Água destilada

Funil

Bastão de vidro

Pêra

Pesseta

Béquer de 100ml

Pipeta graduada de 5ml e volumétrica de 10ml e 25ml

Balão volumétrico de 100ml e 250ml

Reagentes:

Hidróxido de sódio (NaOH)

Ácido Clorídrico (HCl)

Experimento

1° Parte:

O béquer foi pesado e em seguida adicionado 1,266g de hidróxido de sódio (NaOH), sendo adicionado 40ml de água e então mexendo a solução com o bastão de vidro até sua diluição, havendo um leve aquecimento no béquer, esperou o resfriamento deste para ser transferido ao balão volumétrico com a ajuda de um funil, completando-o com água destilada até o traço de aferição, por fim é agitado e descartado.

2° Parte:

No béquer é adicionado 20 ml de água destilada, em seguida é levado para a capela onde foi acrescentado 2,1 ml de ácido clorídrico (HCl), transferido para o balão volumétrico com a ajuda de um funil, completando-o com água destilada até o traço de aferição, agitado e reservado.

3° Parte:

Do composto reservado da segunda etapa foi retirado com a pipeta graduada 1ml da solução para o balão volumétrico de 100 ml, completado-o com água destilada até o traço de aferição. Utilizando a pipeta volumétrica de 10 ml foram retirados 10 ml da solução e colocado no balão volumétrico de 100 ml, com a pipeta volumétrica de 25 ml foi realizado o mesmo procedimento.

Resultados e discussões

1ª Parte:

NaOH (s) + H2O (l) Na + + OH -+ H20 + CALOR

Segundo a lei de Hess, a variação de calor associada a uma transformação química é conhecida como entalpia de reação (ΔHR) e que por definição, é dada como a diferença entre a quantidade de calor do sistema após a transformação (ΔHF) e a quantidade de calor inicial (ΔHI).

ΔHR = ΔHI- ΔHF

Quando a transformação absorve energia ela é chamada de transformação endotérmica (ΔHR>0) e quando libera energia é chamada transformação exotérmica (ΔHR<0). Neste caso houve o processo exotérmico demonstrado pela equação acima.

Cálculo da massa de NaOH:

M = m / (MM * V)

0,1 = m / (40*0,25)

Então a massa de NaOH = 1,0 g

M: Massa molar

m: Massa

MM: Massa Molecular

2ª Parte:

Cálculo da massa de HCl, necessário para preparar 250ml de uma solução:

HCl + H2O H3O+ + Cl-

M = m / (MM * V)

0,1 = m / (36,5*0,25)

m = 0, 92 g HCl

37g _____ 100g

0,92g ____ x

x = 2,47g de HCl (massa de HCl)

D = m/V

1,19 = 2,47/ V = 2,08ml de HCl concentrado

3ª Parte

  • 1° Balão com 1 ml de solução:

M1 * V1 = M2 * V2

0,1 * 1= M2 * 100

M2 = 0, 001 mol/ L

  • 2° Balão de 10 ml de solução:

M1 * V1 = M2 * V2

0, 1 * 10 = M2 * 100

M2 = 0, 01 mol/ L

  • 3° Balão de 25 ml de solução:

M1 * V1 = M2 * V2

0,1 * 25 = M2 * 100

M2 = 0, 025 mol/L

Conclusão

Na 1ª parte do experimento houve diluição, acarretando em perda de energia pelo processo exotérmico. Na 2ª parte a diluição foi completa de HCl em água, através desta solução preparou-se a 3ª parte do experimento, concluindo que a diluição de uma solução gera a diminuição da concentração de soluto, o que foi confirmado pelos cálculos.

Bibliografia

Disponível em:

<www.dfq.pucminas.br/apostilas/quinica_fisica/prática%207.doc>. Acesso em: 20/09/2010.

OHLWEILER, O. A., Química Analítica quantitativa. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1984.

Comentários