Apostila de enfermagem cirúrgica 2010

Apostila de enfermagem cirúrgica 2010

(Parte 1 de 9)

ENFERMAGEM Profª Glenda Agra

Profª Glenda Agra

1.CLÍNIA CIRÚRGICA: É a unidade hospitalar organizada, segundo um conjunto de requisitos que se torna apta a receber pacientes para tratamento cirúrgico em regime de internamento.

2.OBJETIVOS: Proporcionar ambiente terapêutico adequado aos pacientes com afecções clínicas diversificadas, em regime de internação. Manter elevado padrão da assistência, mediante planejamento, execução e avaliação das atividades de enfermagem.

3.DEPENDÊNCIAS: Enfermarias, expurgos, isolamentos, postos de enfermagem, repousos médicos e de enfermeiros, rouparias, sala de chefia de enfermagem, sala de curativos, sala de prescrição.

4.RELAÇÃO COM OUTROS SERVIÇOS: Almoxarifado, ambulatório, central de hemoterapia, CME, centro cirúrgico, CTI, CCIH, demais unidades de internação, divisão de enfermagem, farmácia, recepção e SAME.

5.POSIÇÃO ADMINISTRATIVA: O serviço de enfermagem da clínica está diretamente subordinado à divisão de enfermagem.

6.PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DA CLÍNICA CIRÚRGICA: Enfermeirogerente no horário da manhã.

Enfermeiros: horários: manhã, tarde, noite. Auxiliares e Técnicos de enfermagem: horários: manhã, tarde, noite. Auxiliares operacionais de serviços: horários: manhã, tarde, noite. Auxiliares administrativos: horário comercial. 7.DIVISÃO DOS TURNOS DE TRABALHO: 1º TURNO: Manhã : 7:0 às 13:0h 2º TURNO: Tarde: 13:0 às 19:0h 3º TURNO: noite: 19:0 às 7:0h

NORMAS E ROTINAS DA CLÍNICA CIRÚRGICA ROTINA DA MANHÃ Enfermeiro Assistencial : Assistir ao paciente. Enfermeiro Coordenador: Elabora as escalas e coordena o setor de enfermagem.

Enfermeiro Responsável-técnico: Responsável por todos os outros profissionais de enfermagem, mediante o COREN.

Profª Glenda Agra

-Apresentar-se para receber o plantão; -Confirmar a presença de funcionários escalados;

-Tomar conhecimento da escala das atribuições de tarefas e avisos;

-Refazer a escala de atribuições, SN

-Informar à Coordenação de enfermagem da unidade, as possíveis ausências e ocorrências;

-Ler relatório geral para se inteirar das ocorrências;

-Verificar exames a serem encaminhados;

-Checar com os funcionários do horário, o encaminhamento de pacientes para o Centro Cirúrgico feito às 6:30h;

-Verificar preparo de pacientes para exames;

-Supervisionar o preparo de pacientes para cirurgias “a seguir” (AS) e encaminhá-los ao bloco cirúrgico, após solicitação.

-Registrar no prontuário do paciente, os exames e cirurgias realizadas, os preparos para exames e cirurgias, exames e cirurgias não realizadas, alegando o motivo;

-Realizar processo de enfermagem;

-Receber paciente pós-cirurgia.

ROTINAS DA TARDE -Todos acima, exceto realização de alguns exames.

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM GERAL AO PACIENTE CIRÚRGICO -Admissão ao paciente na unidade cirúrgica;

-Preparar o leito antecipadamente;

-Receber o paciente;

-Apresentar o paciente à equipe;

-Proceder de acordo com a rotina do serviço;

-Entrevistar o paciente e realizar exame físico;

-Preparar prontuário;

Profª Glenda Agra

-Verificar SV, peso e mensuração; -Observar estado geral do paciente;

-Fazer anotações de enfermagem;

-Arrolar roupas e valores;

-Orientar o paciente;

-Comunicar o médico;

-Providenciar alimentação, medicação, etc.

PREPARO PSICOLÓGICO -Visa reduzir as complicações intra e pós-operatórias;

-Estudo completo das condições fisiológicas e psicológicas;

-Avaliar tensão, ansiedade e nervosismo;

-Buscar meios que minimizem anseios;

-Solicitar o serviço de psicologia;

-Pacientes orientados recuperam-se mais rápido;

PREPARO FÍSICO Inicial -Melhor esclarecimento do diagnóstico;

-Adequar o estado geral do paciente à cirurgia;

-Inicia-se da admissão às 24h que antecede o pré-operatório imediato A enfermagem -Realiza exame físico;

-Investiga determinantes que poderão afetar negativamente a cirurgia. Ex: idade, doenças.

-Providencia e prepara o paciente para exames laboratoriais e outros;

(Parte 1 de 9)

Comentários