Ferimentos Fechados

São os ferimentos onde não existe solução de continuidade da pele, a pele se mantém

íntegra. Podendo ser classificada em:

Contusão: lesão por objeto contundente que danifica o tecido subcutâneo

subjacente, sem romper a pele.

Hematoma: extravasamento de sangue no

subcutâneo com formação de coleção (aumento de

volume), pela ruptura de veias e arteríolas, conseqüência

de uma contusão. Quando localizado no

couro cabeludo, é o hematoma subgaleal.

Ferimentos Abertos São os ferimentos que rompem a integridade da pele,

expondo tecidos internos, geralmente com sangramento.

Também são denominados feridas.

As feridas são traumas de alta ou baixa energia, decorrentes

d a superfície de contato do agente vulnerante.

Segundo este conceito, as feridas podem ser classificadas

Fig 1.2 – Equimose: extravasamento de sangue no

subcutâneo sem formação de coleção, conseqüência

da ruptura de capilares.

Fig 1.7 – Ferida transfixante

Incisivas/cortantes: produzidas por agentes vulnerantes cortantes, afiados, capazes de penetrar a

pele (bisturi, faca, estilete etc), produzindo ferida linear

com bordas regulares e pouco traumatizadas.

œ Contusas: causadas por objetos com superfície

romba (instrumento cortante não muito afiado -

pau, pedra, soco etc.), capazes de romper a integridade

da pele, produzindo feridas com bordas traumatizadas,

além de contusão nos tecidos arredores. São

as feridas cortocontusas.

œ Perfurantes: o objeto que as produz a ferida é

geralmente fino e pontiagudo, capaz de perfurar a

pele e os tecidos subjacentes, resultando em lesão

cutânea puntiforme ou linear, de bordas regulares ou

não. As feridas perfurantes podem ser:

› Perfurocontusas: ocorre quando o objeto causador da ferida é de superfície romba

(ferimento por arma de fogo);

› Perfurocortantes: quando o agente

vulnerante possui superfície de contato laminar

ou pontiagudo (ferimento causado por

arma branca - faca, estilete, adaga).

œ Penetrante: quando o agente vulnerante atinge uma cavidade natural do organismo, geralmente

Transfixante: este tipo de lesão constitui uma variedade de ferida que pode

serperfurante ou penetrante; o objeto vulnerante é capaz de penetrar e atravessar

os tecidos ou determinado órgão em toda a sua espessura saindo na outra superfície.

Pode-se utilizar como exemplo as feridas causadas por projétil de arma de

fogo, que são feridas perfurocontusas, podendo ser penetrantes e/ou transfixantes.

As ferida transfixantes possuem:

› Orifício de Entrada: ferida circular ou oval, geralmente pequena, com

bordas trituradas e com orla de detritos deixada pelo projétil (pólvora, fragmentos

de roupas).

› Orifício de Saída: ferida geralmente maior, com bordas irregulares,

voltadas para fora.

Escoriações ou abrasões: produzidas pelo atrito de uma superfície áspera e dura contra a pele,

sendo que somente esta é atingida. Freqüentemente

contém partículas de corpo estranho (cinza, graxa,

terra).

œ Avulsão ou amputação: ocorre quando uma

parte do corpo é cortada ou arrancada (membros ou

parte de membros, orelhas, nariz etc.).

œ Lacerações: quando o mecanismo de ação é

uma pressão ou tração exercida sobre o tecido, causando

lesões irregulares. Os exemplos são inúmeros.

Fig 1.9 – Escoriação

Cuidados para com as Vítimas de Ferimentos

O atendimento pré-hospitalar dos ferimentos visa a três objetivos principais:

œ Proteger a ferida contra o trauma secundário;

œ Conter sangramentos;

Proteger contra infecção.

Na fase pré-hospitalar deve-se evitar perder tempo em cuidados excessivos com

os ferimentos que não sangram ativamente e não atingem os planos profundos. Estes cuidados

retardam o transporte ao hospital, o que pode agravar o estado geral dos pacientes

com lesões internas associadas.

No atendimento à vítima com ferimentos deve-se seguir os seguintes passos e cuidados:

Controle do ABC é a prioridade como em qualquer outra vítima de trauma.

Ferimentos com sangramento importante exigem controle já no passo C.

2) Avaliação do ferimento, informando-se sobre a natureza e a força do

agente causador, de como ocorreu a lesão e do tempo transcorrido até o atendimento.

3) Inspeção da área lesada, que deve ser cuidadosa. Pode haver contaminação

por presença de corpo estranho e lesões associadas. O ferimento deve

ser exposto e, para isto, pode ser necessário cortar as roupas da vítima; evite

movimentos desnecessários com a mesma.

Comentários