Estatística em servico social- bolsa familia e seguridade alimentar

Estatística em servico social- bolsa familia e seguridade alimentar

Sistema de Ensino Presencial Conectado

SERviço social

michele pauline portes

Bolsa Família e a questão da garantia da seguridade alimentar

Rio de Janeiro

2010

michele pauline portes

Bolsa Família e a questão da garantia da seguridade alimentar

Trabalho apresentado a disciplina de estatística aplicada em serviço social da Universidade Norte do Paraná - UNOPAR

Prof. Helenara Regina Sampaio

Rio de Janeiro

2010

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO 3

2 DESENVOLVIMENTO 5

tabelas com as frequências absolutas e relativas: 8

Cálculo da moda de duas estatísticas: Maiores gastos em relação ao pbf e Aumento de consumo de generos alimentícios após pbf (tabelas 3 e 4 respectivamente) 11

REFERÊNCIAS 13

1INTRODUÇÃO

Este trabalho apresenta uma síntese dos resultados da pesquisa, que tem como principais objetivos conhecer melhor o perfil das famílias beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, as formas pelas quais acessam a alimentação e as repercussões do Programa na segurança alimentar e nutricional. Foram, ainda, abordados aspectos do funcionamento do Programa e das relações sociais de gênero, uma vez que a maioria dos(as) titulares são mulheres. A partir deste trabalho, espero fornecer subsídios importantes para uma reflexão mais aprofundada sobre o Programa Bolsa Família e para a proposição de políticas

públicas voltadas para a garantia dos direitos humanos à alimentação adequada das famílias brasileiras mais vulneráveis à fome.

Foram entrevistados 70 beneficiários do PBF Bolsa Família em questionário de perguntas dicotômicas (sim ou não) e Perguntas de múltipla escolha, Amostragem probabilística sistemática, pois foram escolhidas famílias atendidas pelo benefício social do bolsa família de algumas bairros da cidade do Rio de Janeiro e da Baixada Fluminense, das casas de números pares, dos seguintes bairros: Abolição, Belfo Roxo, Maria da Graça, Méier, Olaria e São João de Meriti.

As coletas das variáves qualitativas e quantitativas deram se por coleta direta; como variáveis qualitativas, foram utilizadas: Estado civil, escolaridade, profissão, sexo, raça. Como variáveis quantitativas foram utilizadas: Idade, número de filhos, quantos cômodos tem a casa.

A Escolha do tema se deu por ser este de grande relevância no âmbito da assistência social e por ser uma das oito metas do milênio:

1 C- Reduzir pela metade, entre 1990 e 2015, a proporção da população que sofre de fome.

1 C Brasileira - Erradicar a fome entre 1990 e 2015.

“A segurança alimentar e nutricional, em sua definição mínima, consiste na realização do direito de todas as pessoas ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente.”

2DESENVOLVIMENTO

Como supra mencionado, foi feito uma pesquisa baseada nas famílias beneficiadas pelo Bolsa Família para sabermos como nada a alimentação dessas famílias e se através deste programa, estamos alcançando de forma efetiva e eficaz, as metas do milênio sobre a fome.

Segue então o questionário desenvolvido:

  • Qual sua idade?

  • Qual idade do(s) filho(s)?

  • Qual sua renda atual?

  • Quantos cômodos sua residência tem?

  • Você se considera de qual cor (raça)?

  • Qual seu Estado civil?

  • Qual a sua Escolaridade?

  • Qual a sua Profissão?

  • Segundo a alimentação semanal, quantas vezes são consumidos:

  • Arroz e feijão (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Carne (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Ovos (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Leite (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Frutas (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Café (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Biscoito (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Verduras

em geral (1 a 2) (3 a 4) (todos os dias)

  • Nas questões relacionadas, qual o gasto principal com o dinheiro do PBF?

A – Alimentação 36

B – Vestuário 19

C – Remédio 30

D – Gás 08

E- Luz/água 07

  • Depois de receberem o benefício do Bolsa Família, em qual gênero alimentício teve maior aumento do consumo?

Carnes 16

Arroz, feijão e cereais 08

Leite 06

Industrializados 03

Óleos 03

Frutas 07

Ovos 04

Vegetais 03

A seguir, tabelas das freqüências absolutas e relativas:

Tabela 1

IDADE

NÚMERO DE ENTREVISTADOS

De 15 a 29 anos

30

De 30 a 39 anos

12

De 40 a 45 anos

8

Dados: entrevista

Tabela 2

SEXO

NÚMERO DOS ENTREVISTADOS

Feminino

38

Masculino

12

Dados: entrevista

Tabela 3

MAIORES GASTOS RELACIONADOS AO PBF

NÚMERO DE PESSOAS QUE DIRECIONAM SEUS GASTOS

Alimentação

28

Vestuário

08

Remédios

07

Gás

04

Luz/Água

03

Dados: entrevista

Tabela 4

GÊNEROS ALIMENTÍCIOS

NÚMERO DE PESSOAS QUE ADMITIRAM O AUMENTO DO CONSUMO APÓS PBF

Carnes

16

Arroz, feijão, cereais

08

Leite

06

Industrializados

03

Óleo

03

Frutas

07

Ovos

Vegetais

04

03

Dados: entrevista

tabelas com as frequências absolutas e relativas:

Tabela 1

IDADE

Freqüência absoluta

Freqüência relativa

De 15 a 29 anos

30

60%

De 30 a 39 anos

12

24%

De 40 a 45 anos

8

16%

Tabela 2

SEXO

Freqüência absoluta

Freqüência relativa

Feminino

38

76%

Masculino

12

24%

Tabela 3

MAIORES GASTOS EM RELAÇÃO AO PBF

Freqüência absoluta

Freqüência relativa

Alimentação

28

56%

Vestuário

08

16%

Remédios

07

14%

Gás

04

0,08%

Luz/Água

03

0,06%

Tabela 4

GÊNEROS ALIMENTÍCIOS

Freqüência absoluta

Freqüência relativa

Carnes

16

32%

Arroz, feijão, cereais

08

16%

Leite

06

12%

Industrializados

03

06%

Óleo

03

06%

Frutas

07

14%

Ovos

04

08%

Vegetais

03

06%

Relação dos gráficos relacionados à pesquisa.

Cálculo da moda de duas estatísticas: Maiores gastos em relação ao pbf e Aumento de consumo de generos alimentícios após pbf (tabelas 3 e 4 respectivamente)

A moda em relação ao gráfico 3, é a alternativa, alimentação, pois é a que mais aparece.

Já na tabela 4, a Moda é o item “Carnes”, por aparecer maior número de vezes.

Conclusões:

No gráfico 1, vemos que a maioria dos beneficiados estão na faixa de 15 a 29 anos.

No gráfico 2, constata-se a maioria de beneficiários sendo do sexo feminino.

No gráfico 3, vemos que a alimentação, é o que mais se destaca, demonstrando que, este é o maior investimento feito através do benefício do bolsa família.

No gráfico 4, percebe-se que o houve um aumento considerável do consumo de carnes, em relação ao consumo de gêneros alimentícios.

Além dessas informações, constata-se que, através do benefício em questão, aumentou a qualidade de vida dos beneficiários, melhorando a qualidade do consumo alimentar.

REFERÊNCIAS

www.unoparvirtual.com.br/bibliotecadigital

www.rio.rj.gov.br

Busanello, Márcia Regina

Estatística e indicadores sociais/ Márcia Regina Busanello, Olavo Soares, Vanessa Olioni Andersson. – São Paulo: Person Prentince Hall, 2010.

Comentários