(Parte 1 de 8)

Motores à Combustão Interna

CONCEITO FUNDAMENTAL:

Os motores térmicos são maquinas cuja finalidade é transformar a energia calorífica em energia mecânica diretamente utilizável.

A energia calorífica pode ser proveniente de várias fontes, tais como: energia química, elétrica, atômica e etc.

No caso dos motores endotérmicos a energia pode ser proveniente de combustível líquido, solido ou gasoso.

O nosso estudo será restrito aos motores endotérmicos, alimentados por combustível liquido, já que os demais combustíveis são raramente empregados.

CLASSIFICAÇÃO DOS MOTORES QUANTO Á COMBUSTÃO:

a) Motores a combustão interna ou endotérmico.

O motor é considerado a combustão interna, quando esta se processa no próprio fluido operante, na figura 1, pode ser observado um motor de combustão interna em corte.

Figura 1. Motor à Combustão Interna.

b) Motores a combustão externa ou exotérmicos.

O motor é considerado à combustão externa, quando esta se processa fora do fluido operante, um exemplo deste tipo de motor pode ser visto na figura 2.

Figura 2. Motor de Combustão Externa.

Os motores endotérmicos quanto ao movimento, se dividem em:

- Motores alternativos;

- Motores rotativos;

- Motores a jato.

Os motores são dito alternativos quando os pistões executam movimentos alternados de vai-e-vem dentro dos cilindros. Todos os automóveis em circulação no Brasil são equipados com estes tipos de motor, alguns dos órgãos móveis de um motor alternativo são mostrados na figura 3.

Figura 3. Órgãos Móveis do Motor Alternativo.

Os motores do tipo rotativo ainda são pouco utilizados em veículos terrestres devido a problemas como lubrificação, vedação entre rotor e cilindro. Algumas empresas como a MAZDA, vem desenvolvendo protótipos especialmente do motor WENKEL, que já se encontra em estado avançado de estudos podendo lançar um modelo em escala comercial nos próximos anos. Os motores rotativos do tipo WENKEL e QUASITURBINE, são mostrados nas figuras 4 e 5 respectivamente.

Figura 4. Motor WENKEL. Figura 5. Motor Quasiturbine.

O nosso estudo será restrito aos motores alternativos, os quais quanto à forma de combustão podem ser:

- Por ignição a centelha

- Por ignição a compressão

Quanto ao ciclo operativo se divide em:

- Dois tempos

- Quatro tempos

Quanto à posição dos cilindros os motores podem ser classificados como:

- Em linha figura 6;

- Em V figura 7;

- Em W;

- Contraposto ou Boxer figura 8;

- Gêmeo;

- Estrela.

Figura 6. Motor em linha. Figura 7. Motor em V. Figura 8. motor Boxer.

Os motores alternativos com ignição por centelha são comumente chamados de motores do ciclo OTTO e os motores de ignição por compressão são chamados do ciclo DIESEL.

ORGÃOS DOS MOTORES ALTERNATIVOS:

Os órgãos dos motores alternativos, quanto a suas características de funcionamento se dividem em três partes que são:

- Órgãos fixos;

- Órgãos móveis;

- Órgãos auxiliares.

OS PRINCIPAIS ORGÃOS FIXOS SÃO:

- Cilindro;

- Bloco;

- Cárter;

- Cabeçote;

- Câmara de combustão;

- Sede de válvula;

- Guia de válvula;

OS PRINCIPAIS ORGÃOS MOVÉIS SÃO:

- Pistão;

- Pino munhão;

- Anéis de segmento;

- Biela;

- Árvore de manivela;

- Volante;

- Casquilho;

- Válvula;

- Mola de válvula;

- Eixo comando de válvula;

- Tucho.

ORGÃOS AUXILIARES:

Os órgãos auxiliares são órgãos de menor importância que contribuem para o bom funcionamento do motor, os principais são: carburador, velas, coletor de aspiração e descarga, motor de arranque, alternador, filtros de óleo, ar e combustível, bomba de água e de combustível, distribuidor, etc.

DESCRIÇÃO DOS PRINCIPAIS ORGÃOS FIXOS:

Cilindro:

(Parte 1 de 8)

Comentários