REDAÇÃO – ENEM

- Dicas iniciais

  • Os tipos de texto

  • Elementos essenciais de um bom texto

  • A redação passo a passo

  • Os 10 erros mais comuns na redação

  • O quer fazer até o dia da prova

  • Ortografia

  • O novo acordo ortográfico

  • Propostas de redação

  • Leitura e interpretação textuais;

  • Bibliografia

DICAS INICIAIS

  • Um bom texto deve ter bom nível de argumentação, e o chamado “estilo” deverá dizer se o autor da redação domina a escrita.

  • Compreensão da proposta, capacidade argumentativa, domínio do padrão culto escrito da língua e clareza na expressão das ideias são alguns dos principais critérios de correção.

  • Na dissertação, a argumentação é mais valorizada que o estilo.

....Dicas

  • Treinar a produção de textos, demonstrar visão crítica da realidade e articular adequadamente as ideias são algumas recomendações para escrever uma boa redação.

  • Fuga ao tema proposto, escolha de outro tipo textual que não o solicitado, frases de protesto, impropérios podem anular a redação.

  • Gírias, chavões e demonstração de desrespeito por valores e/ou pessoas também prejudicam o texto.

  • O candidato PODE e DEVE utilizar argumentos advindos de sua experiência de vida e de leituras.

TIPOS DE TEXTO

  • A DISSERTAÇÃO

- É, de longe, o tipo de texto mais exigido nas provas.

  • Trata-se de um texto em que se expõe uma ideia ou questão ao leitor, para, em seguida, desenvolver um raciocínio sobre o tema e apresentar conclusões.

  • Neste tipo de redação, é importante que o candidato saiba fundamentar suas posições, fazendo a contraposição de argumentos.

........

A DISSERTAÇÃO....

  • O objetivo principal da dissertação é persuadir o leitor acerca da opinião defendida.

  • Exige o emprego da norma padrão da língua escrita e que as ideias sejam desenvolvidas de forma “CLARA, OBJETIVA e IMPESSOAL”.

  • O texto em primeira pessoa não é proibido, mas é menos usual.

TIPOS DE TEXTO

b) A NARRAÇÃO

  • O texto narrativo é aquele em que se apresenta uma história, uma sucessão de fatos envolvendo personagens dentro de um contexto.

  • O autor deve seguir alguns passos: propor uma situação inicial com a apresentação dos personagens, do local e da situação; introduzir uma complicação, que transforma a situação inicial; criar um CLÍMAX, que é o momento crítico da narrativa; por fim, fazer um desfecho com a solução do conflito.

TIPOS DE TEXTO

A NARRAÇÃO...

  • A escolha do posicionamento do narrador – de dentro da narrativa ou onisciente(em primeira ou terceira pessoa ) – é livre.

  • A narração não precisa seguir uma ordem cronológica, mas é importante que apresente coerência entre as partes, verossimilhança e uma linguagem envolvente, que capte a atenção do leitor.

TIPOS DE TEXTO

Exemplo de NARRAÇÃO.

“ Em pé no balcão da agência de empregos, Henrique mordia a tampa da caneta. Tinha preenchido todo formulário para a procura de uma vaga: nome, endereço, escolaridade. Agora era preciso escrever um breve texto sobre sua experiência anterior e expectativa de colocação. Escrever um texto ? Lembrou-se de seu desinteresse pelas aulas de Português na escola. Engoliu seco.”

TIPOS DE TEXTO

c) A CARTA

  • O texto em forma de carta tem características muito específicas e pode ser usado tanto na esfera pessoal(como escrever a um amigo, por exemplo) quanto no campo da relações políticas(para reivindicações, apoios, pedidos, reclamações.

  • Em ambos os casos, a carta tem a mesma estrutura, com indicações de data e local no topo da página, uma saudação – que depende do grau de intimidade com o destinatário - , corpo do texto, despedida e assinatura.

TIPOS DE TEXTO

A CARTA....

  • Em vestibulares, as propostas mais comuns são de cartas argumentativas, em eu se deve persuadir o interlocutor da necessidade do pedido.

  • Esse tipo de texto tem semelhança com o dissertativo, mas uma diferença é fundamental: na dissertação, escreve-se a um leitor genérico, enquanto na carta é preciso adequar a linguagem a quem ela é destinada. (tem-se um destinatário definido).

TIPOS DE TEXTO

Exemplo de uma CARTA.

Santa Rosa, 10 de maio de 2010

Prezado Sr. João Ribeiro.

Gostaria de manifestar a minha indignação ante a sua recusa a abrigar as aulas de alfabetização de adultos na sede da associação. Grande parte dos moradores de nossa região tem escolaridade reduzida e essa limitação traz sérias dificuldades socioeconômicas. Dado que essas aulas são ministradas gratuitamente, a associação teria, a meu ver, a obrigação de receber essas turmas de alunos.

Atenciosamente,

Pero Ruas da Silva.

TIPOS DE TEXTO

d) O TEXTO JORNALISTICO

  • Reportagens, editoriais, artigos. Existem vários tipos de texto jornalístico – cada uma com sua função específica.

  • A reportagem – deve ter um discurso direto neutro(sem posicionamento pessoal) . Apresenta fatos e informações objetivos, fazendo um relato da notícia e suprimindo a opinião de quem escreve.

TIPOS DE TEXTO

O TEXTO JORNALÍSTICO....

2. O artigo jornalístico ou o editorial apresentam informações introduzidas para embasar um argumento, e, entre elas, se estabelecem as relações necessárias para que a opinião do autor convença o leitor.

TIPOS DE TEXTO

Exemplo de um trecho de REPORTAGEM

“ A ONG Educação para Já lançou uma campanha de erradicação do analfabetismo nos países em desenvolvimento. A iniciativa é um desdobramento de uma série de estudos que a instituição criou nos últimos cinco anos, apontando o analfabetismo como um dos principais agravantes do subdesenvolvimento e de desigualdade social no mundo.”

ELEMENTOS ESSENCIAIS DE UM BOM TEXTO

  • Principais elementos que seu texto precisa ter para você garantir os importantíssimos pontos da redação do ENEM:

  • AUTONOMIA

– O texto precisa ser compreendido por si.

  • O autor deve imaginar que o leitor não tenha lido a proposta da redação.

- A autonomia de um texto é medida pela atualização e pelo repertório do candidato-autor.

ELEMENTOS....

  • Vocabulário adequado é outro ingrediente bastante importante.

EXEMPLO DE TEXTO INADEQUADO

“ A situação mostrada no mapa é uma vergonha. Mas não é fácil de ser enfrentada, pois requer dinheiro e determinação dos governistas.”

EXEMPLO DE TEXTO COM AUTONOMIA

“O grande número de crianças trabalhadoras no Brasil denuncia a baixa renda dos adultos e a falta de políticas públicas atentas ao futuro.”

ELEMENTOS ESSENCIAIS DE UM BOM TEXTO

b) COERÊNCIA E CLAREZA

  • A coerência diz respeito ao ponto de vista e à progressão dos argumentos.

  • O autor deve evitar radicalização e panfletagem.

  • O objetivo deve ser convencer o leitor da lógica do texto.

- A melhor ideia será aquela sustentada por argumentos convincentes, com os quais o autor se faça entender.

ELEMENTOS ESSENCIAIS...

- Em outras palavras, é preciso escrever com clareza para que, após ler a redação, ninguém se pergunte: “Mas, afinal, o que o autor quis dizer com isso ?. E essa é, justamente, a pergunta que o AUTOR deve se fazer antes de passar o texto a limpo. Caso consiga responder, o texto estará pronto.

ELEMENTOS ESSENCIAS.....

EXEMPLO DE TEXTO INADEQUADO (sem coerência e sem clareza)

“Nem sempre as imagens falam tudo que queremos. Às vezes vão além do imaginado por quem as produz.”

EXEMPLO DE TEXTO ADEQUADO(com coerência e clareza)

“Para serem compreendidas, as imagens dependem de quem as produz e de quem as lê.”

ELEMENTOS ESSENCIAIS

c) A SIMPLICIDADE

  • Escrever de forma simples é o caminho certo para quem tem poucas linhas para expressar sua opinião sobre um tema da atualidade.

  • O candidato deve evitar períodos longos ou o uso de vocabulário rebuscado.

  • O vocabulário rebuscado é, geralmente, utilizado para impressionar o avaliador, mas acaba não só desviando a linha de raciocínio como truncando a linguagem.

ELEMENTOS ESSENCIAIS

- É bom evitar inversões ou “rompantes poéticos” e lembrar-se da organização básica da oração: SUJEITO +VERBO+COMPLEMENTOS+ADJUNTOS ADVERBIAIS, o que os usuários falantes da língua já fazem intuitivamente

ELEMENTOS ESSENCIAIS

Exemplo de texto INADEQUADO(Prolixo)

“As relações sociais que são repletas de interligações que variam de modo intrínseco faz da construção de uma imagem, inerente a si mesma, uma busca fundamental.”

Exemplo de texto ADEQUADO ( escrita simples)

“A complexidade da relações sociais torna fundamental a construção da imagem.”

ELEMENTOS ESSENCIAIS...

d) A COESÃO

  • A coesão tem a ver com a organização e a articulação das partes de um todo.

  • É o emprego correto das preposições(conectivos vocabulares) e as conjunções e pronomes relativos ( nexos oracionais).

  • A coesão também tem a ver com a interligação entre os diferentes parágrafos do texto(articulação entre as etapas de um texto).

  • Em um texto coeso não ocorrem palavras , expressões ou frases “soltas”, como se não

estivessem relacionadas uma com a outra.

ELEMENTOS ESSENCIAIS

Exemplo de um texto INADEQUADO(com problemas de coesão)

“Quando pensamos em tempo melhor para a vida de todos, queremos dizer o seguinte: simplesmente as coisas podem ser justas para todas disso.”

Exemplo de texto ADEQUADO(com boa coesão)

“Quando pensamos em um tempo mais justo, imaginamos, simplesmente, que a vida pode ser melhor para todos.”

ELEMENTOS DE COESÃO

COESÃO REFERENCIAL

Alcança-se coesão referencial utilizando expressões que retomam ou antecipam nossas ideias.

  • ONDE – indica noção de lugar e pode substituir outras palavras(sempre com referência a lugar.

  • Ex.: São Paulo é uma cidade ONDE a poluição atinge níveis muito altos.(ONDE retoma a palavra “cidade”).

Coesão referencial

CUJO – sempre estabelece uma relação de posse entre dois substantivos(Forma-se locução adjetiva, indicando a posse)

Ex.: Raul Pompéia é um escritor cujas obras lemos com muito prazer. ( as obras de Raul Pompéia).

QUE – Pode substituir( e evita)r a repetição de palavra ou de uma oração inteira.

EX.: Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil, o que permitiu aos portugueses ampliarem seus domínios marítimos.

Coesão referencial

ESSE(A), ISSO - podem conectar duas frases apontando para uma ideia que já foi mencionada no texto.

Ex,: O presidente de uma ONG tem muitas funções a cumprir. ESSAS responsabilidades, no entanto, podem ser divididas com outros membros da diretoria.

ESTE(A), ISTO – podem conectar duas frases, apontando para uma ideia que será mencionada no texto.

EX.: O que me fascina em Machado de Assis é ISTO: sua ironia.

Coesão lexical...

Permite evitar a repetição de palavras e, também, unir partes de um texto. Pode ser alcançada utilizando-se:

SINÔNIMOS - palavras semelhantes que podem usadas em diferentes contextos, mas sem alterar o que o texto pretende transmitir.

EX.: O Presidente do Palmeiras, Silvano Eustáquio, afirmou que o time tem todas as condições para ganhar o campeonato. Segundo o dirigente, com Mudinho na zaga, o gol palmeirense será impenetrável. Na opinião do cartola, a torcida só terá motivos de alegria.

Coesão lexical...

HIPERÔNIMOS – vocábulo de sentido mais genérico em relação a outro.

EX.: Lucinha estava na poltrona do cinema, esperando o filme começar, quando, de repente, no assento ao lado, uma idosa desmaiou.

PERIFRASES – construção mais complexa para caracterizar uma expressão mais simples.

Ex.: A vigilância policial nos estádios de futebol é sempre necessária, pois as torcidas às vezes agem com violência. Na verdade, não é mais possível a realização de qualquer campeonato sem a presença de elementos treinados para garantir não só a ordem, mas também proteger a segurança dos cidadãos que desejam acompanhar o jogo com tranquilidade.

Coesão sequencial...

Os conectivos (nexos oracionais – conjunções e pronome relativo) são palavras que podem tornar um texto legível – ou totalmente confuso.

A coesão de um texto depende muito da relação entre as orações que formam os períodos e os parágrafos. Os períodos compostos(formados por mais de uma oração)normalmente são relacionados por meio de conectivos(nexos oracionais) adequados.

Coesão sequencial...

Para cada tipo de relação que se pretende estabelecer entre duas orações, existe um nexo oracional ( conjunção ou pronome relativo) que se adapta a ela. Por exemplo, a conjunção “mas” normalmente é usada para estabelecer uma relação de oposição entre dois enunciados. Porém se houver uma relação de adição ou de explicação, a conjunção(nexo oracional) deve ser outra.

“O aumento do dióxido de carbono na atmosfera, resultante do uso de combustíveis fósseis e das queimadas, pode ter consequências calamitosas para o clima mundial, mas pode afetar diretamente o crescimento das plantas.”

Coesão sequencial

Veja que não existe a relação de oposição que justificaria a conjunção “mas”. Como a relação é de explicação, deveria ter sido usada uma conjunção(nexo oracional) para tal fim.

“ O aumento do dióxido de carbono na atmosfera, resultante do uso de combustíveis fósseis e das queimadas, pode ter consequências calamitosas para o clima mundial, pois pode afetar diretamente o crescimento das plantas.”

Coesão sequencial...

Alguma conjunções ( nexos oracionais):

a) EXPRESSAM IDEIA DE ADIÇÃO:

“Quantidades excessivas desse gás prejudicam a saúde das plantas e têm efeitos incalculáveis na agricultura de vários países.”

“Quantidades excessivas desse gás não só prejudicam a saúde das plantas como também têm efeitos incalculáveis na agricultura de vários países.”

“ Quantidades excessivas desse gás não prejudicam a saúde das plantas nem têm efeitos incalculáveis na agricultura de vários países.”

Coesão sequencial...

b) EXPRESSAM IDEIA DE OPOSIÇÃO

“O dióxido de carbono é essencial para o crescimento dos vegetais, mas( todavia, entretanto, porém, no entanto, contudo) quantidades excessivas desse gás prejudicam a saúde das plantas.”

c) EXPRESSAM IDEIA DE CONCLUSÃO

“ Quantidades excessivas de dióxido de carbono prejudicam a saúde das plantas. Causam, portanto, (pois, logo, por isso) prejuízos incalculáveis na agricultura de vários países.”

Coesão sequencial

d) EXPRESSAM IDEIA DE CONCESSÃO

Embora o dióxido de carbono seja essencial para o crescimento dos vegetais, quantidades excessivas desses gás prejudicam a saúde das plantas.”

Apesar de o dióxido de carbono ser essencial para o crescimento dos vegetais, quantidades excessivas desse gás prejudicam a saúde das plantas.”

e) EXPRESSAM IDEIA DE EXPLICAÇÃO

“Quantidades excessivas de dióxido de carbono causam prejuízos incalculáveis na agricultura de vários países, pois ( porque) prejudicam a saúde das plantas.”

OS 10 ERROS MAIS COMUNS EM UMA REDAÇÃO

  • TIPO DE TEXTO

A prova pede uma dissertação e você acaba fazendo uma narração. Ou é pedida uma narração e você redige uma carta. Essa falta de atenção pode custar muito caro, já que escrever um tipo de texto diferente do que foi pedido é ZERO na certa.

OS 10 ERROS...

2. FUGA DO TEMA

Escrever uma redação que foge do tema proposto também leva à anulação da sua redação. Por isso, leia com muita atenção a coletânea de textos e o enunciado. Tome muito cuidado para não se perder em divagações que nada têm a ver com o que foi apresentado e solicitado. A MELHOR MANEIRA PARA EVITAR A FUGA DO TEMA É FAZER UM PLANO PARA O TEXTO. Releia o seu texto antes de passá-lo a limpo para ver se escreveu realmente o que se pediu.

OS 10 ERROS...

3. LINGUAGEM ORAL ( falada)

Nem sempre a linguagem que você usa quando está conversando pode ser passado para o texto. Expressões como “né” e “ok” são constantemente faladas no dia a dia, mas não caem bem em uma redação. Gírias com “se liga” e “irado” também não são adequadas a um bom texto.

OS 10 ERROS....

4. LINGUAGEM REBUSCADA

Abusar de palavras rebuscadas também pode prejudicar sua nota. Lembre-se: linguagem formal não é sinônimo de linguagem complicada. Ao abusar de um requinte desnecessário, é grande a chance de o seu texto ficar sem fluência nem clareza.

Os 10 ERROS...

5. ERROS DE PORTUGUÊS

Erros básicos de português não têm perdão. ”Fazem muitos anos”, “há nove anos atrás” e “para mim levar” são deslizes graves numa redação. Na dúvida quanto à grafia correta ou à aplicação de uma regra gramatical, substitua a palavra por outra ou organize novamente a frase.

OS 10 ERROS

6. USO DE CLICHÊS E PROVÉRBIOS

CLICHÊS - aquelas expressões bem conhecidas, como “colocar tudo em pratos limpos” ou “fechar com chave de ouro” – devem ser evitadas na redação. O uso de provérbios e frases feitas, geralmente construídas a partir de ideias estereotipadas, revela falta de originalidade.

OS 10 ERROS....

7.PANFLETAGEM E RADICALIZAÇÃO

Redações que instruem o leitor com frases como “Devemos nos unir !” ou ‘Vamos reciclar o planeta” são frágeis. No lugar do discurso panfletário é melhor organizar argumentos que permitam o leitor chegar às próprias conclusões. Não se deve ofender um discriminar ninguém. Não se deve inserir no texto frases ideológicas ou extremistas.

OS 10 ERROS

8. CITAÇÕES

Citações bem empregadas podem enriquecer o texto, mas devem ser usadas com bastante cuidado. Evite aquelas expressões batidas, como “Só sei que nada sei”, de Sócrates. Outro erro comum é utilizar as citações sem que tenham uma relação efetiva com o texto.

OS 10 ERROS....

9. EXCESSO DE INFORMAÇÕES

Tudo bem que você está por dentro de vários assuntos, mas não precisa despejar tudo o que sabe em uma redação. Uma grande quantidade de informações pode prejudicar a coesão de seu texto, com dados que mais confundem do que explicam. Seja seletivo nos dados e use os argumentos corretos.

OS 10 ERROS...

10. ABUSO DA REDUNDÂNCIA

Aqueles textos enormes, repletos de vocábulos repetidos e ideias que não saem do lugar, costumam levar bomba. A redundância revela falta de repertório do candidato. Numa boa redação, a argumentação avança progressivamente e não fica andando em círculos ( ou “enchendo linguiça”).

REDAÇÃO PASSO A PASSO: NA HORA DA PROVA

  • A PROPOSTA DA REDAÇÃO

- Leia atentamente a proposta da redação. Isso inclui as orientações, as instruções, os textos de apoio, referências bibliográficas, imagens, tudo.. Ela indica o tema, o número mínimo e máximo de linhas e o gênero no qual deve ser redigido o seu texto. LER A PROPOSTA COM MUITA ATENÇÃO É O PRIMEIRO PASSO PARA UMA REDAÇÂO BEM FEITA.

REDAÇÃO PASSO A PASSO...

2. A PREPARAÇÃO DO TEXTO

Lida e compreendida a proposta da redação, passa-se à preparação do texto, que pode ser feita por meio do tradicional rascunho, pela esquematização das ideias, da anotação das palavras-chave ou frases inspiradoras, o que é essencial para que o texto final tenha êxito. Cada candidato tem (ou deve ter) a sua maneira própria de planejar o seu texto. Enfim, cada um deve utilizar aquilo que melhor lhe convém, e apenas a prática poderá orientá-lo.

REDAÇÃO PASSO A PASSO...

  • A TESE

Nas dissertações, a construção da tese é peça-chave para a elaboração do texto – é a partir dela que surgem os argumentos. O tema será o mesmo para todos os candidatos, mas a forma como cada um abordará a proposta, ou seja, o recorte textual, é o que norteará a redação. Toda dissertação terá a defesa de uma tese – os argumentos tentarão prová-la e a conclusão irá reafirmá-la.

REDAÇÃO PASSO A PASSO

4. A ARGUMENTAÇÃO

Com a tese escolhida, deve-se pensar na argumentação. Definir os argumentos é muito importante, pois serão eles os responsáveis por persuadir o leitor. O ideal é selecionar dois ou três argumentos e trabalhar cada um individualmente(um em cada parágrafo). Na escolha dos argumentos, deve-se dar maior força àqueles que melhor se adaptem à tese escolhida, que deve ser defendida por aqueles.

REDAÇÃO PASSO A PASSO

5. A ESTRUTURAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

Uma dissertação não é só composta de tese, argumentos, exemplos ou conclusões. O texto deve estar organizado de maneira que valorize os argumentos e a assimilação das ideias. A estrutura básica de uma dissertação é composta de:

a) INTRODUÇÃO – É responsável por apresentar o tema e o recorte que dele se fará. É recomendável que exponha a tese do redator, facilitando a compreensão dos argumentos que se seguirão. Ela vai apresentar ( ou deve apresentar) a linha de raciocínio do texto

A estruturação da dissertação

b) O DESENVOLVIMENTO

- É o que de fato sustentará o texto. A tese foi apresentada e nela foram expostas as ideias acerca do tema. Agora é a hora de ratificá-la, defendendo as ideias de forma consistente e, se possível, prová-las. Essa parte do texto deve ser o mais clara possível para que o leitor a compreenda e a aceite facilmente. Uma boa estratégia é reservar um parágrafo para cada argumento, analisando todos os aspectos, mostrando que você sabe debater.

A estruturação da dissertação

c) A CONCLUSÃO – será a conjugação das ideias apresentadas na introdução com os argumentos que as justificam e comprovam – ou seja, servirá para confirmar a tese e encerrar os debates. Por isso, NÃO convém que a conclusão apresente novos argumentos ou deixe a tese em aberto. Jamais deve se usada pergunta na conclusão.

REDAÇÃO PASSO A PASSO

6. A REVISÃO – Após finalizar a redação, reserve um tempo para revisar o texto – além de rever a linguagem, analise os argumentos, veja se há coerência entre as ideias e coesão entre os elementos textuais. Nada deixe passar sem um olhar crítico. Se houver problemas, corrija-os – você trabalhou duro para compor o seu texto e seria injusto perder tudo por falta de uma segunda leitura.

E O QUE FAZER ATÉ O DIA DA PROVA ?

  • Para chegar bem preparado para a redação no dia da prova do ENEM, é importante treinar. Afinal, a teoria de nada serve sem a prática.

- Mantenha-se bem informado. Além de ser uma ótima forma de ampliar a cultura e o vocabulário, com a leitura de jornais e revistas você vai adquirir maior familiaridade com o modo correto de organizar argumentos.

E o que fazer... ?

  • Depois do texto feito, peça a um professor ou a um colega para lê-lo e comentá-lo – as observações de terceiros podem ser bem importantes para aprimorar sua escrita.

- Outra boa dica é participar de simulados fora de seu grupo escolar - muitos colégios e cursinhos oferecem a possibilidade de inscrição de pessoas de fora. Outra possibilidade é acessar o site do Ministério da Educação e resolver questões de provas anteriores do ENEM.

E o que fazer... ?

  • Largue o computador de lado e escreva à mão. Ao treinar as redações, um grande auxílio é fazê-lo usando papel e lápis(ou caneta). Além de não se “viciar” com o corretor ortográfico do computador, sendo capaz de identificar os próprios erros gramaticais, você aprimorará a caligrafia para chegar à prova com uma letra bem legível.(Letra ilegível anula a redação).

- Trabalhe a redação nas demais matérias. Provas discursivas e exercícios de outras matérias podem ser boas oportunidades de treinar a argumentação e a concisão.

ORTOGRAFIA – Algumas considerações

Confira, a seguir, alguns erros gramaticais mais frequentes e confira os cuidados necessários para tratar bem a nossa língua.

  • PLURAL DOS ADJETIVOS COMPOSTOS

Os adjetivos compostos vêm, salvo raras exceções, separados por hífen, e apenas o último elemento sofre modificações para concordar com o substantivo a que se refere.

Ex.: Canções galego-portuguesas.

Olhos verde-claros.

Partido democrata-cristão.

Ortografia...

Já quando um dos elementos que compõem o adjetivo composto for um substantivo, usa-se o hífen, mas nenhum dos elementos se flexiona.

Ex.: Vestiam jaquetas verde-bandeira. (bandeira é substantivo)

As duas usavam biquínis azul-piscina. (piscina é substantivo)

São invariáveis os adjetivos compostos:

Vestiam blusas azul-marinho.

Usavam casacos azul-celeste.

Raios ultravioleta.

MAS: Raios infravermelhos.

Observe: menino surdo-mudo; meninos surdos-mudos; menina surda-muda; meninas surdas-mudas.

Ortografia....

b) Uso de ESTE e ESSE( e suas flexões)

O correto é usar ESTE para demonstrar proximidade com o enunciador. Já ESSE estaria afastado do enunciador e, normalmente, fica mais próximo do receptor. Veja o exemplo:

Este livro é meu, esse aí é seu.

Ortografia

O mesmo ocorre na ideia de proximidade quanto à localização temporal. Usamos ESTE para indicar o tempo em que estamos: este ano, esta semana. Ainda no que ser refere a tempo, utilizamos ESSE para o tempo passado e ESTE para o futuro.

Ex.: Fui ao cinema nesse sábado.

Irei ao cinema neste sábado.

Ortografia...

O mesmo raciocínio serve para a localização dos elementos indicados no texto(no discurso). Para elementos já citados, usamos ESSE; para elementos que serão anunciados, utilizamos ESTE

Ex.: Ela não me ama mais, essa é a verdade.

O que espero de você é isto: seja um bom pai.

Na contraposição com AQUELE, usamos sempre ESTE para indicar o elemento mais próximo.

EX.: Estou indeciso entre artes cênicas e medicina, esta é mais rentável, mas aquela me daria mais prazer.

No caso acima, ESTE se refere à medicina, mais próxima, e AQUELA a artes cênicas, mais distante.

Ortografia ...

c) Uso do pronome relativo

O pronome relativo é o nexo oracional mais usado e mais complicado da língua portuguesa. Sempre inicia oração subordinada adjetiva e sempre substitui um nome da oração anterior(antecedente). Liga duas orações entre si.

EX.: Sempre respeitamos as leis. As leis regem o país.

Sempre respeitamos as leis que regem o país.

Um dos pronomes relativos usados equivocadamente na construção de textos é o CUJO.

Ortografia

Uso INCORRETO de “CUJO”

Aquele é o homem cujo chamamos de presidente.

O Irã é a nação cujos EUA mais temem.

CORRETO

Aquele é o homem a quem chamamos de presidente.

O Irã é a nação que os EUA mais temem.

NOTE BEM: O pronome relativo CUJO sempre dá ideia de posse, substituindo uma locução adjetiva.

Esperamos um regime cujos propósitos sejam democráticos e republicanos. ( Os propósitos do regime)

Ortografia...

O pronome relativo ONDE: Um erro muito comum em textos diversos, encontrado em redações escolares, textos jornalísticos e até em legendas de filmes é o emprego de ONDE no lugar de qualquer outro pronome relativo, sem que haja indicação de lugar. (ONDE só pode ser usado para substituir antecedente nome de lugar)

Uso INCORRETO de ONDE:

Gosto de jantar com minha avó aos sábados, onde ela sempre faz feijoada.

Participo do campeonato de futebol, onde meu time sempre ganha.

Ortografia...

d) Uso dos PORQUÊS

POR QUE – para fazer perguntas diretas e indiretas.

Por que este carro é mais barato que aquele ?

Quero saber por que o carro não foi entregue no prazo marcado.

  • Quando puder ser substituído por: pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais.

  • Este é tema por que muito me interesso. Neste caso, POR é preposição, e QUE é pronome relativo.

Ortografia

PORQUE - em frases explicativas ou causais(respostas).

O carro não foi entregue porque a importadora tinha falido.

PORQUÊ – quando significar “causa”, “motivo” ou quando der o nome da palavra(veja o título desta seção). Sempre é substantivo, portanto precedido de artigo.

Preciso saber o porquê de tanta desconfiança.

Estou estudando os porquês.

Ortografia...

POR QUÊ – usado no final de frases interrogativas diretas e indiretas.

O carro não foi entregue por quê ?

O carro não foi entregue. Preciso saber por quê.

REDAÇÃO DO ENEM - o que se avalia ?

A matriz do ENEM para a correção das redações contempla 5 competências:

  • O domínio da norma culta da língua escrita;

  • A compreensão da proposta e sua aplicação às áreas do conhecimento, para desenvolver o tema em um texto dissertativo-argumentativo;

  • A capacidade de utilizar argumentos em defesa de um ponto de vista;

  • O domínio dos mecanismos linguísticos de articulação das partes do texto;

  • A elaboração de uma proposta de solução para o problema, respeitando os valores humanos e a diversidade sociocultural.

OBS.: Todas as competências avaliadas têm o mesmo valor, sendo-lhes atribuídos conceitos (insuficiente, regular, bom, excelente) com igual pontuação.

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO

O novo acordo ortográfico já está nos livros, nos jornais e nas revistas, mas ainda não será cobrado no ENEM nem nos vestibulares. Isso porque ainda se está na fase de transição. As novas regras só se tornarão obrigatórias a partir de 2012. Os corretores das redações estão orientados a aceitar as duas versões, desde que não haja interferência no sentido do texto e que o candidato consiga se expressar com clareza. Mesmo assim, não se pode descuidar da gramática, exigindo-se respeito às regras de regência, de concordância e acentuação gráfica, principalmente se o erro atrapalhar a compreensão do texto.

SUGESTÕES DE TEMAS PARA REDAÇÃO

UFRGS

2006 – Talento

2007 – Racionalidade previsível ou surpresas que emocionam

2008 – Personagens representativos na literatura brasileira

2009 – Condições e vida no Rio Grande do Sul

2010 –Incivilidade no cotidiano

Temas para dissertação...

ENEM

2006 – O poder de transformação da leitura

2007 – O desafio de conviver com a diferença

2008 – Preservação da floresta Amazônica

2009 – O indivíduo ante a ética nacional.

UFRJ

2006 – O sentido do tempo para o homem contemporâneo

2007 – Estados de humor e experiências da vida cotidiana

2008 – Cinema como prática social

2009 – Normalidade e anormalidade

2010 – Diferenças entre homens e mulheres.

GÊNEROS TEXTUAIS

Gêneros textuais são textos encontrados no dia a dia e apresentam características sociocomunicativas, definidas por conteúdo, propriedades funcionais, estilo e composição característica. Notícias de jornal, bilhetes, cardápios, receitas de culinária, horóscopos, bulas de medicamentos,. Há inúmeros exemplos de gêneros de texto, e eles variam de acordo com o momento, a situação e a intenção da comunicação.

Gêneros....

TODO TEXTO PODE SER ANALISADO sob três características: o conteúdo (o que pode ser dito por meio daquele gênero), o estilo (as palavras, frases selecionadas e o modo de organizá-las) e a estrutura em que cada agrupamento textual é apresentado.

Gêneros...

O CONCEITO DE TEXTO não se limita à linguagem verbal, ou seja, às palavras. O texto pode ter várias dimensões, como o texto cinematográfico, o teatral, o coreográfico (dança e música)ou o pictórico (pintura)

Gêneros...

OS PRINCIPAIS GÊNEROS jornalísticos são a notícia, a reportagem e o infográfico. A primeira tem a estrutura de “pirâmide invertida”; as principais informações sobre o fato noticiado são sintetizadas logo no início do texto. A reportagem é uma notícia mais aprofundada, em que o autor pode, em muitos casos, expressar sua opinião ao descrever e caracterizar os fatos. E o infográfico mistura texto verbal e não verbal para transmitir uma informação visualmente.

Gêneros...

A INTERTEXTUALIDADE ENTRE gêneros não acontece, necessariamente, apenas entre textos escritos. Pode ocorrer entre linguagens diferentes também. Um bom exemplo são as remissões que os textos publicitários fazem a textos literários conhecidos, músicas consagradas e filmes populares.

Gêneros...

NAS ESCOLHAS DOS GÊNEROS TEXTUAIS, as situações de comunicação, o momento e a intenção comunicativa exercem papel fundamental. Os gêneros estão diretamente ligados às práticas sociais. É a finalidade da comunicação que vai fazer o produtor de texto optar por uma carta, um bilhete, um telefonema etc.

OS GÊNEROS ARGUMENTATIVOS

OS GÊNEROS ARGUMENTATIVOS têm a finalidade de persuadir e convencer o leitor a respeito de determinado assunto.

AS ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS podem ser construídas a partir de exemplos, comparação, citações, menções a dados numéricos, uso de ironia ou, ainda, na apresentação de uma ideia para, em seguida, contradizê-la ou diminuir sua importância.

Os gêneros....

A FALÁCIA é construída quando se dá segmento a um raciocínio, fazendo-o aparentar verdadeiro. Argumentos que destinam à persuasão podem parecer convincentes para grande parte do público apesar de conter falácias, mas não deixam de ser falsos.

A ARTICULAÇÃO DE IDEIAS

A ARTICULAÇÃO DE IDEIAS já foi, em parte, vista anteriormente.

ARTICULAR IDEIAS é estabelecer a relação entre palavras e frases. Devidamente conectadas, elas forma um todo para determinado grupo de pessoas em determinada situação.

Há dois fatores importantes para tornar um texto inteligível: A COESÃO E A COERÊNCIA.

A articulação...

A COESÃO consiste em articulações gramaticais existentes entre as palavras, orações, frases, parágrafos e partes maiores de um texto, que garantem sua conexão textual. Usam-se para isso as preposições, as conjunções, advérbios, locuções adverbiais, palavras denotativas.... ( Os chamados nexos).

A articulação...

COERÊNCIA É O RESULTADO DA ARTICULAÇÃO DAS IDEIAS DO TEXTO. É a estrutura lógico-semântica que faz com que, numa situação discursiva, palavras e frases componham um todo significativo para os interlocutores. Ela está, portanto, ligada à possiblidade de compreensão daquilo que se ouve ou lê.

A articulação....

RECURSOIS EXPRESSIVOS: são as figuras de linguagem ou de estilo empregadas para valorizar o texto, tornando a linguagem mais rica e expressiva. Usam-se, para isso , as palavras em seu sentido conotativo, e não com o seu significado literal. As principais são: Comparação, metáfora, metonímia, ironia, antítese, sinestesia, hipérbole,....

OS ELEMENTOS PERSUASIVOS

PARA SE PREPARAR para a prova do ENEM , é importante desenvolver a capacidade de ler, compreender e interpretar textos de diferentes gêneros e linguagens, como fotos, charges, poesias.

IDENTIFICAR DIFERENTES PONTOS DE VISTA. Não são apenas os artigos opinativos das revistas e dos jornais que apresentam uma postura sobre determinado assunto. Ao analisar questões que apresentam pontos de vista diversos, é importante distinguir frases ou períodos que evidenciem(ou representem argumentos que reforcem) a opinião do autor.

Os elementos...

EM QUESTÕES QUE EXIGEM a análise de textos opinativos, é fundamental responder de acordo com a opinião expressa no texto, e não a partir de sua própria. Não há posicionamento certo ou errado, mas maneiras de expor um ponto de vista.

EXISTEM DUAS ESTRATÉGIAS DE PERSUASÃO. A explícita expõe claramente seu ponto de vista e recorre a argumentos lógicos e racionais. A implícita, mais sutil, apela para o emocional.

OS GÊNEROS NARRATIVOS

OS GÊNEROS NARRATIVOS mais conhecidos são: romance, crônica, conto, novela, fábula, a piada.

OS ELEMENTOS DE UM TEXTO NARRATIVO SÃO:

- FOCO NARRATIVO – Primeira ou terceira pessoa) Presença (narrador-personagem, narrador-observador, narrador onisciente).- QUEM ESCREVE ?

  • PERSONAGENS – protagonista, antagonista, coadjuvante. – QUEM participa ?

  • Tempo – Quando ocorrem os fatos ?

  • ESPAÇO – ONDE ocorrem os fatos ?

  • O ENREDO – O QUE aconteceu ?

  • POR QUÊ? – Os motivos dos fatos.

O gênero narrativo...

DIFERENÇA ENTRE ANTÍTESE E PARADOXO – é que a antítese se baseia na comparação por contraste. Enquanto o paradoxo se reconhece como uma relação interna de contrários. Em outras palavras: ANTÍTESE é oposição de palavras em seu sentido; PARADOXO é oposição de ideias.

ANTÍTESE – Eu sou tímido, você é extrovertido.

PARADOXO – Eu sou um tímido extrovertido.

O TEXTO EXPOSITIVO

OS GÊNEROS EXPOSITIVOS englobam os artigos científicos de todas as áreas de conhecimento, anotações, relatos de experiências científicas, conferências, seminários, textos explicativos dos livros didáticos, verbetes de enciclopédias e entrevistas de especialistas.

ENTREVISTA COM ESPECIALISTA : apesar de não ser um gênero prioritariamente expositivo, a entrevista pode sê-lo em alguns momentos – como quando se explica um fenômeno científico.

O texto expositivo

ARTIGO CIENTÍFICO – a produção desse gênero sempre envolve a necessidade de divulgar um conhecimento resultante de pesquisa científica.

VERBETE – é um gênero de texto de definição e exposição. Traz a definição de um termo considerando seus significados denotativo ( sentido real, literal) e conotativo ( figurado, não literal).

O texto expositivo

AO LER UM TEXTO EXPOSITIVO, não se deve desanimar se encontrar vocábulo específico de alguma área de conhecimento – muitas vezes, pode-se compreender o sentido da palavra pelo contexto.

A DESCONTEXTUALIZAÇÃO de palavras ou frases, em alguns casos, é um recurso para instaurar a dúvida no candidato. Deve-se ler a frase anterior e a posterior para ter ideia do sentido global proposto pelo autor. Dessa maneira, a resposta será mais consciente e segura.

O TEXTO INJUNTIVO

O TEXTO INJUNTIVO apresenta, de forma específica, uma organização de comandos. SUA FINALIDADE É INSTRUIR, ACONSELHAR, PEDIR OU PRESCREVER. Exemplos: Manual de instruções de um aparelho eletrônico, regras de um jogo, receita culinária, texto publicitário, ...

É mesmo que prega a FUNÇÃO APELATIVA DA LINGUAGEM.

As outras funções da linguagem são : a emotiva, a referencial, a poética, a fática e a metalinguística.

O TEXTO DESCRITIVO

O TEXTO DESCRITIVO é estático, sem movimento, geralmente desprovido de ação ( por isso não deve ser confundido com a narração, que envolve uma ação de personagens). Ele tem o objetivo de fazer o leitor “visualizar” personagens, ambientes ou situações. Em suma, é um retrato escrito de um personagem, um ambiente ou uma situação. Nele, predominam os adjetivos.

NORMA PADRÃO DA LÍNGUA

VARIEDADE LINGUÍSTICA – Há variações que não são decorrentes do uso individual da língua, mas de diversos fatores. Conheça os principais:

1 - GEOGRÁFICAS – Variações entre as formas que a língua portuguesa assume nas diferentes regiões em que é falada. Essas variações regionais são reflexos de como a língua se adapta à cultura e às necessidades de comunicação.

Variações...

2 – SOCIAIS – o português empregado pelas pessoas que têm pleno acesso à escola e aos meios de instrução difere do português das pessoas que não frequentaram a escola ou abandonaram os estudo. A língua é, pois, um instrumento de prestígio ou marginalização.

3 – TEMPORAIS – A língua sofre transformações no decorrer do tempo. Antigamente, por exemplo, a palavra “farmácia “ era escrita com “ph” ( pharmácia). Hoje, a linguagem dos internautas, é caracterizada pela supressão de vocábulos: - vc ( você), kd ( cadê), tb (também).

Variações...

4 – OS ESTRANGEIRISMOS – são introduzidos em nossa língua por diversos motivos, como históricos, socioculturais e políticos, por modismos ou avanços tecnológicos. Com o tempo, a palavra estrangeira pode ter sua grafia e a pronúncia adaptadas para o português – exemplo: FUTEBOL ( do inglês football). Em alguns casos, ela é usada em sua forma original, ou seja, a palavra é escrita tal qual em sua língua de origem. Exemplos: mouse, software,...

Variações...

A NORMA CULTA – ou NORMA PADRÃO da língua é a modalidade da língua que goza de prestígio e é ensinada nas escolas. É constituída pelas regras que são estudadas na gramática normativa.

USADA EM SITUAÇÕES INFORMAIS, a linguagem coloquial não exige a observância total da gramática. É a partir dela que surgem as variedades linguísticas, determinadas pelas condições sociais, culturais, regionais e históricas em que a língua é utilizada.

BIBLIOGRAFIA

1. APRENDA A ESCREVER TEXTOS NOTA 10 – Redação Vestibular + ENEM, Guia do Estudante, Editora Abril, 2010.

Sites sugeridos:

www.guiadoestudante.com.br

2. CURSO PREPARATÓRIO ENEM E VESTIBULARES 2010. Editora Abril, 2010.

3.http://enem2010.guiadoestudante.abril.com.br

Comentários