Arquitetura Vernacular

Arquitetura Vernacular

(Parte 1 de 3)

Arquitetura VernacularArquitetura Vernacular Antonio CastelnouAntonio Castelnou

IntroduçãoIntrodução

Na História da Arquitetura, a maioria do que se Na História da Arquitetura, a maioria do que se construiu não foi projetada por profissionais, mas construiu não foi projetada por profissionais, mas foi antes uma expressão da foi antes uma expressão da TRADIÇÃO TRADIÇÃO

POPULARPOPULAR, a qual possui o mesmo impulso , a qual possui o mesmo impulso estético que a oficial, porém realizada por pessoas estético que a oficial, porém realizada por pessoas comuns. comuns.

Todos esses ambientes foram projetados no sentido Todos esses ambientes foram projetados no sentido de que englobassem as decisões e escolhas humanas de que englobassem as decisões e escolhas humanas à sua maneira específica de fazer as coisas, à sua maneira específica de fazer as coisas, conforme as circunstâncias e recursos disponíveis conforme as circunstâncias e recursos disponíveis no no tempotempoe no e no espaçoespaço..

Essa arquitetura que é Essa arquitetura que é exercida por pessoas que exercida por pessoas que constroem sem o fardo da constroem sem o fardo da solenidade oficial recebe o solenidade oficial recebe o nome de nome de ARQUITETURA ARQUITETURA

VERNACULARVERNACULAR, uma , uma arquitetura sem arquitetosarquitetura sem arquitetos, , cujo resultado possui valor, cujo resultado possui valor, embora não tenha sido regida embora não tenha sido regida pelos cânones ditos pelos cânones ditos civilizados ou acadêmicos. civilizados ou acadêmicos.

Etimologicamente, o termo Etimologicamente, o termo VERNÁCULOVERNÁCULOvem de vem de vernaevernae, , que, na Roma antiga, correspondia que, na Roma antiga, correspondia a tudo que se relacionava aos a tudo que se relacionava aos servos servos nascidos em casa ou dos escravos nascidos em casa ou dos escravos que se faziam nas guerrasque se faziam nas guerras..

Com o tempo, a palavra foi sendo Com o tempo, a palavra foi sendo empregada para designar tudo empregada para designar tudo aquilo que é próprio de um país ou aquilo que é próprio de um país ou nação, sem estrangeirismos. nação, sem estrangeirismos.

DenominaDenomina--se se VERNÁCULAVERNÁCULAa língua vulgar que se a língua vulgar que se contrapõe à língua culta ou poética. Assim, a contrapõe à língua culta ou poética. Assim, a arquitetura vernacular trataarquitetura vernacular trata--se de uma arquitetura se de uma arquitetura práticapráticae e caseiracaseira, não heróica, facilmente tachada de , não heróica, facilmente tachada de arcaica e excluída do universo de atuação presente.arcaica e excluída do universo de atuação presente.

Entretanto, a arquitetura Entretanto, a arquitetura vernacular seria a vernacular seria a representação factual de representação factual de uma técnica construtiva uma técnica construtiva e uma ideologia global e uma ideologia global de determinada cultura, de determinada cultura, referindoreferindo--se sempre à se sempre à tradição local e à tradição local e à sabedoria popular; e sabedoria popular; e ligandoligando--se, de certo se, de certo modo, ao modo, ao FOLCLOREFOLCLORE. .

O interesse por essa arquitetura O interesse por essa arquitetura ––dita dita produto da produto da arte populararte popular––é relativamente recente, aparecendo é relativamente recente, aparecendo em meados do século XIX, quando gravuras em meados do século XIX, quando gravuras japonesas e esculturas africanas começaram a japonesas e esculturas africanas começaram a despertar a atenção dos críticos europeus. despertar a atenção dos críticos europeus.

Com o Com o PÓSPÓS--MODERNISMOMODERNISMOda segunda metade do da segunda metade do século passadoséculo passadoe, através dele, a busca de identidade e, através dele, a busca de identidade cultural, de contextualização histórica e de economia cultural, de contextualização histórica e de economia energética, a arquitetura vernacular passou a ser energética, a arquitetura vernacular passou a ser melhor estudada e admirada pela academia ou escolas melhor estudada e admirada pela academia ou escolas de nível superior. de nível superior.

Vernáculo Vernáculo versusversus EruditoErudito

O contraposto do vernáculo é O contraposto do vernáculo é a a ARQUITETURA ARQUITETURA

ERUDITAERUDITA, aquela que , aquela que obedece as normas e padrões obedece as normas e padrões estabelecidos nas Escolas de estabelecidos nas Escolas de

BelasBelas--Artes ou de Artes ou de

Arquitetura, onde participa o Arquitetura, onde participa o arquiteto profissional, ou arquiteto profissional, ou ainda, outra pessoa ligada ao ainda, outra pessoa ligada ao sistema oficial de construção. sistema oficial de construção.

A arquitetura dita A arquitetura dita OFICIALOFICIALtratatrata--se de uma prática se de uma prática solene, emanada pelo poder (autoridade legal) e solene, emanada pelo poder (autoridade legal) e realizada por arquitetos e engenheiros diplomados. realizada por arquitetos e engenheiros diplomados.

A história oficial da A história oficial da arquitetura sempre arquitetura sempre privilegiou obras privilegiou obras gigantescas ou singulares, gigantescas ou singulares, considerando boa somente considerando boa somente a arquitetura erudita, a arquitetura erudita, contrapondocontrapondo--a à vernácula, a à vernácula, raramente registrada nas raramente registrada nas enciclopédias, o que enciclopédias, o que tornoutornou--as mutuamente as mutuamente exclusivas. exclusivas.

É importante ressaltar que esses dois modos de É importante ressaltar que esses dois modos de operação para a produção arquitetônica operação para a produção arquitetônica ––o o eruditoeruditoe e o o vernacularvernacular––são antagônicos, mas não são são antagônicos, mas não são excludentes: eles se complementam mutuamente.excludentes: eles se complementam mutuamente.

Na verdade, percebeNa verdade, percebe--se que não há uma arquitetura se que não há uma arquitetura vernacular ou oficial puras, mas sim casos opostos em vernacular ou oficial puras, mas sim casos opostos em que o distanciamento é tal que um modo de produção que o distanciamento é tal que um modo de produção da arquitetura predomina quase totalmente sobre o da arquitetura predomina quase totalmente sobre o outro, mas sem excluíoutro, mas sem excluí--lo por completo.lo por completo.

ClassificaçãoClassificação

VERNACULARVERNACULARnão não consegue abarcar em seu consegue abarcar em seu significado todas as significado todas as proposições que existem proposições que existem referentes a esta produção, referentes a esta produção, dada a grande dada a grande complexidade dos complexidade dos fenômenos por ela fenômenos por ela desencadeados. desencadeados.

Diferentes segmentos sociais Diferentes segmentos sociais ––em diferentes espaços em diferentes espaços bioclimáticos, políticos, econômicos, sociais e bioclimáticos, políticos, econômicos, sociais e históricos históricos ––são classificados de modo a não permitir são classificados de modo a não permitir a definição de algo geral, válido independentemente a definição de algo geral, válido independentemente de local, tempo e sistema construtivo. de local, tempo e sistema construtivo.

Casas emCasas em enxaimelenxaimel

Arquitetura primitivaArquitetura primitiva

É aquela geralmente É aquela geralmente derivada de intelectos derivada de intelectos considerados considerados rudimentaresrudimentares e e simplessimples, como os de , como os de indígenas ou de negros indígenas ou de negros selvagens, em selvagens, em comunidades onde não comunidades onde não existe uma divisão social existe uma divisão social de trabalho: a mesma de trabalho: a mesma pessoa que vai morar é pessoa que vai morar é quem constrói sua casa. quem constrói sua casa. ChoçasChoças

Consiste nos trabalhos Consiste nos trabalhos executados por uma executados por uma comunidade e consumidos por comunidade e consumidos por ela mesma, segundo a ela mesma, segundo a somatória de conhecimentos somatória de conhecimentos disponíveis, transmitidos por disponíveis, transmitidos por gerações; e a partir de recursos gerações; e a partir de recursos que o próprio meio oferece que o próprio meio oferece (gelo, palha, pele animal, ossos (gelo, palha, pele animal, ossos e galhos de árvores). e galhos de árvores).

IgluIglu

99IGLUIGLU(Do esquimó (Do esquimó idgloidglo,, casa): Habitação polar casa): Habitação polar em forma de cúpula, em forma de cúpula, construída com blocos de construída com blocos de neve compacta, neve compacta, encaixados em espiral, e encaixados em espiral, e vidros de gelo.vidros de gelo.

IglooIgloo

99TUAREGTUAREG: Habitação : Habitação em forma de tenda dos em forma de tenda dos árabes nômades do árabes nômades do deserto (tuaregues), deserto (tuaregues), que vivem no Saara, que vivem no Saara, MaliMaliou ou NígerNíger..

99TEEPEETEEPEE: Tenda : Tenda cônica dos índios cônica dos índios nortenorte--americanos, americanos, feita de galhos feita de galhos cruzados e recoberta cruzados e recoberta com pele de bisão.com pele de bisão.

99YURTESYURTES: Casas cilíndricas da : Casas cilíndricas da

Ásia central, feitas de feltro Ásia central, feitas de feltro (pano que não é fiado, mas (pano que não é fiado, mas fabricado com lã de carneiro e fabricado com lã de carneiro e pêlo de camelo amassado com os pêlo de camelo amassado com os pés), fixado em treliçado de pés), fixado em treliçado de madeira e preso por correias de madeira e preso por correias de couro ou de crina de cavalo.couro ou de crina de cavalo.

99PALAFITASPALAFITAS: :

Habitações préHabitações pré-- históricas, geralmente históricas, geralmente lacustres, sustentadas lacustres, sustentadas por estacas e por estacas e encontradas em regiões encontradas em regiões quentes, como nas ilhas quentes, como nas ilhas da Oceania.da Oceania.

99OCASOCAS(Do Tupi (Do Tupi okaoka): ): Cabana ou Cabana ou choça de índios choça de índios brasileiros, feita brasileiros, feita geralmente de palha geralmente de palha presa em trama ou presa em trama ou de barro.de barro.

Habitações indígenasHabitações indígenas

Arquitetura regionalArquitetura regional

Também denominada de Também denominada de

ILETRADAILETRADA, é aquela , é aquela que tem suas raízes na que tem suas raízes na própria terra, lugar ou própria terra, lugar ou sítiosítio, produto natural , produto natural das necessidades e das necessidades e conveniências do meio conveniências do meio físico e social de uma físico e social de uma determinada região ou determinada região ou comunidade. comunidade.

Habitação árabeHabitação árabe

Geralmente construída pelos seus próprios usuários, Geralmente construída pelos seus próprios usuários, apresenta maior complexidade de agenciamentos que apresenta maior complexidade de agenciamentos que a primitiva, sendo sua transmissão também feita de a primitiva, sendo sua transmissão também feita de maneira informal, de geração para geração. maneira informal, de geração para geração.

Habitação japonesaHabitação japonesa

A prática arquitetônica A prática arquitetônica regional adaptaregional adapta--se às se às constantes físicas do constantes físicas do meio geográfico (relevo meio geográfico (relevo e clima), sendo e clima), sendo expressão cosmoexpressão cosmo-- antropológica e antropológica e desenvolvendodesenvolvendo--se com se com tecnologia a um tempo tecnologia a um tempo incipiente e apurado. incipiente e apurado.

HabitaçãoHabitação egípciaegípcia

Habitação africanaHabitação africana

99CASAS DE ADOBECASAS DE ADOBE: :

(Parte 1 de 3)

Comentários