Prova UNIFESP 2006 (sem comentários)

Prova UNIFESP 2006 (sem comentários)

(Parte 6 de 6)

109) Paciente de 80 anos, sexo feminino, com hipertensão arterial e dislipidemia. Avaliada pelo médico clínico detectou sopro cervical e solicitou ultra-sonografia das artérias carótidas. Detectada estenose de 60% da artéria carótida interna esquerda, confirmada por angiografia por tomografia (angiotomografia). Qual a melhor conduta? a) Endarterectomia carotídea. b) Clopidogrel - 75 mg/dia. c) Ácido acetilsalicílico - 100 mg/dia. d) Angioplastia carotídea com stent. e) Pentoxifilina - 400 mg/2x ao dia.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

110) Paciente de 65 anos, pesando 120 Kg, foi avaliado no serviço de emergência por neurologista, 60 minutos após o início de hemiparesia direita, com afasia súbita e fibrilação atrial. Na avaliação tomográfica foram detectados sinais sutis de apagamento dos sulcos corticais em hemisfério esquerdo (< 1/3 do território da ACM). Foi indicada trombólise EV com rtPA com 90 minutos e NIHSS de 15. Quinze minutos após o início da administração do trombolítico foi reavaliado e o NIHSS encontrava-se em 10. A conduta é:

a) suspender e indicar AAS.

b) prosseguir a administração do trombolítico. c) suspender e indicar heparinização. d) suspender e indicar AAS+clopidogrel. e) suspender e indicar clopidogrel.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

1) Paciente de 67 anos apresenta queixa de dificuldade de concentração, queda na produtividade no trabalho, ganho de peso. Dorme a noite inteira, mas acorda cansado e apresenta sonolência diurna, chegando a dormir em reuniões de trabalho. Parou de fazer atividade física. Nega tristeza, desesperança ou perda do prazer.

Qual o diagnóstico? a) Depressão. b) Sedentarismo. c) Apnéia do Sono. d) Doença de Alzheimer em fase inicial. e) Delirium.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

112) Qual o tratamento da ambliopia? a) Óculos e cirurgia eventual. b) Oclusão. c) Colírios que borram a imagem e óculos para leitura de perto. d) Não há tratamento após 3 anos de idade. e) Estimulação visual com flashes de luz alternados.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

113) Paciente do sexo masculino, 74 anos, com antecedente de infarto do miocádio há 4 meses. Foi submetido à cirurgia de revascularização, com sucesso. Após alta hospitalar, há 3 meses, evolui estável, relatando apenas dispnéia para aclives acentuados. Ecocardiograma transtorácico pré-operatório mostra alterações segmentares do VE e fração de ejeção de 39%. Está em uso de enalapril 10 mg 2 x/dia; AAS 100 mg/d; atorvastatina 20 mg/d; hidroclorotiazida 25 mg/d. PA sentado = 128 x 6 mmHg e FC = 76 bpm, regular; ausculta cardiopulmonar normal. Neste momento, a melhor conduta é:

a) introduzir espironolactona. b) introduzir nitrato. c) introduzir furosemida. d) iniciar beta-bloqueador. e) repetir ecocardiograma antes de realizar alterações na terapia farmacológica.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

114) Paciente do sexo masculino, 6 anos, queixando-se, há 6 meses, de queimação precordial aos esforços, de forte intensidade, irradiada para ombro esquerdo, acompanhada de taquicardia e dispnéia. Refere que o pai e um irmão tiveram “infarto do miocárdio”. Ao ECG em repouso, apresenta: ritmo sinusial, freqüência de 86 bpm, eixo QRS = + 30º, ausência de bloqueios, arritmias ou sobrecargas. Os exames necessários para o diagnóstico são:

a) ecocardiograma e teste ergométrico.

b) raio X do tórax, ecocardiograna e cateterismo. c) cateterismo de urgência, cintilografia do miocárdio e dosagem de CK-MB. d) teste ergométrico, dosagem de CK-MB e hemograma. e) raio X de tórax e dosagem de CK-MB.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

115) Uma paciente de 64 anos apresenta-se com queixa de artralgias e fraqueza. Desenvolve, a seguir, hemoptise. A creatinina sérica é de 2,5 mg/dL, a urina tipo I tem proteinúria 4+ e cilindros hemáticos, o raio X de tórax apresenta infiltrado bilateral e o ultrassom mostra rins de tamanhos normais. O procedimento diagnóstico mais útil é:

a) biópsia renal. b) broncoscopia. c) arteriografia renal. d) tomografia renal. e) biópsia pulmonar.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

116) A respeito do tratamento da hipertensão arterial em pacientes que se apresentam nas primeiras horas após o início de um acidente vascular cerebral, assinale a recomendação correta.

a) Deve-se reduzir a pressão arterial para <140/90 nas primeiras 24 horas. b) O tratamento da hipertensão nas primeiras horas só é recomendado se a PA for > 180/110 mmHg. c) Deve-se reduzir a pressão arterial para <140/90 durante as primeiras 48 horas. d) Em pacientes previamente hipertensos, a redução da pressão deve ser mais agressiva na fase aguda. e) Não se deve tratar a hipertensão arterial na fase aguda.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

117) Mulher de 42 anos, com diabete melitus insulino-dependente diagnosticada há 20 anos, apresenta retinopatia diabética, excreção aumentada de microalbuminúria e depuração de creatinina normal. A sua pressão arterial é de 145/95 mmHg e um discreto edema tibial é observado. A maneira mais eficiente de se preservar a função renal dessa paciente é:

a) controle rigoroso da glicemia e diuréticos. b) dieta pobre em proteínas e uso de diurético tiazídico. c) controle da pressão arterial com betabloqueadores e dieta pobre em proteínas. d) administração de inibidores da enzima conversora de angiotensina. e) controle da pressão arterial com bloqueadores de canais de cálcio.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

118) O antidepressivo que pode ser utilizado como primeira escolha no paciente demenciado com depressão é a) a olanzapina. b) a imipramina. c) a amitriptilina. d) o alprazolam. e) o citalopram.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

119) A respeito da prevenção e tratamento da doença cardiovascular em pacientes com insuficiência renal crônica, assinale a alternativa correta.

a) Clearance de creatinina rebaixado não é um fator de risco para doença cardiovascular. b) Hipervolemia, independente da pressão arterial, não é considerada um fator de risco de mortalidade. c) Níveis elevados de homocisteína sérica se correlacionam com mortalidade. d) Marcadores inflamatórios e de desnutrição têm baixa associação com mortalidade. e) Hiperfosfatemia é um fator de risco significante para doença cardiovascular.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

120) Paciente de 35 anos, sexo masculino, branco, procura atendimento médico devido a edema que evolui para anasarca nos últimos 6 meses; no exame físico, destacam-se edema generalizado (++/4), pressão arterial de 145/100 mmHg. Não usa qualquer medicação. Apresenta proteinúria de 3,2 g/24 horas, hematúria (180.0 eritrócitos/mL), albumina sérica 2,0 g/dL, depuração de creatinina corrigida para superfície corpórea de 62 mL/min, consumo de complemento (C4 = 6 mg/dL). Informa transfusão de sangue há 20 anos durante cirurgia. O diagnóstico mais provável é síndrome a) nefrítica aguda por glomerulonefrite pós-estreptocócica. b) nefrótica por doença de lesões mínimas. c) nefrótica por glomerulonefrite membranoproliferativa.

d) nefrítica por nefropatia por IgA. e) nefrótica por proliferação mesangial.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

121) No manuseio de pacientes com litíase renal e com hipercalciúria, recomenda-se a) evitar alimentos ricos em oxalato. b) restrição de cálcio dietético. c) uso de diuréticos de alça para reduzir a excreção de cálcio. d) densitometria óssea, pelo risco de osteopenia induzida por perda crônica de cálcio, mesmo em pacientes do sexo masculino. e) alcalinização da urina.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

122) As questões de números 122 e 123 referem-se ao caso clínico a seguir.

Paciente do sexo masculino, 13 anos, com queixa de 1 ano de duração de edema e dor discreta do joelho direito, que ocorrem após prática esportiva. Não há relato de episódio traumático agudo. O exame físico revela atrofia muscular discreta da coxa e dor ao movimento passivo de rotação interna durante a extensão.

Essa história clínica e esses dados de exame físico são sugestivos de a) ruptura de menisco. b) artrite reumatóide juvenil. c) artrite séptica. d) fratura osteocondral. e) osteocondrite dissecante.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

123) Considerando esse quadro clínico, os exames de imagem mais indicados para a confirmação do diagnóstico são:

a) radiográfico contrastado e ressonância magnética. b) tomografia computadorizada e ressonância magnética. c) radiográfico simples e ressonância magnética. d) radiográfico simples e tomografia computadorizada. e) radiográfico simples e cintilografia óssea.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

124) Um menino de 12 anos de idade é trazido a consulta por causa de fraqueza muscular e quedas freqüentes. Ao exame clínico nota-se: ligeiro eqüinismo bilateral dos pés, discreta hipertrofia das panturrilhas e apoio das mãos nas coxas ao levantar-se. O diagnóstico provável é:

a) distrofia muscular progressiva. b) miodisplasia ossificante progressiva. c) artrogripose. d) forma frustra de paralisia cerebral. e) doença de Charcot-Marie-Tooth.

RESIDÊNCIA MÉDICA (R1) - 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO - UNIFESP

125) Apresentam-se como lesões osteoblásticas ao raio X:

a) osteoma, osteossarcoma, condroblastoma epifisário, metástase de próstata. b) osteoma osteóide, osteossarcoma, metástase de próstata e doença de Paget.

c) osteoma, osteoma osteóide, osteossarcoma, fibroma condro-mixóide e metástase de tireóide. d) osteoma, osteoma osteóide, osteossarcoma, metástase de pulmão, metástase de rim. e) osteossarcoma, doença de Paget, metástase de estômago e tumor de células gigantes.

(Parte 6 de 6)

Comentários