Adubação - de - Pastagem

Adubação - de - Pastagem

ADUBAÇÃO DE PASTAGEM

  • Luiza Elvira Vieira Oliveira¹

  • ¹Mestranda em Zootecnia - Bolsista CAPES

Produção animal a pasto  baixos índices zootécnicos:

  • Produção animal a pasto  baixos índices zootécnicos:

  • 1) Baixa capacidade de suporte das pastagens;

  • 2) Matéria seca de baixa qualidade – sobras;

  • 3) Mineralização deficiente;

Características dos solos tropicais:

  • Características dos solos tropicais:

  • 1) Elevada acidez (maioria);

  • 2) Reduzidos teores de P e outros minerais;

  • 3) Baixos teores de matéria orgânica.

  • Boas condições edafo-climáticas à produção forrageira:

  • # Variada pluviosidade – 800 a 2000 mm/ano

  • # Elevada luminosidade

  • # Temperaturas médias acima de 24 C

Visão generalizada da adubação de pastagens:

  • Visão generalizada da adubação de pastagens:

  • Anti-econômica

  • As espécies forrageiras não são exigentes em fertilidade e não respondem à calagem

  • Pastagens relegadas às áreas marginais

  • EXTRATIVISMO

Solos com fertilidade natural elevada:

  • Solos com fertilidade natural elevada:

  • Manejados intensivamente sem reposição de nutrientes  4-5 anos – redução na capacidade de suporte da pastagem  início do processo de degradação (manejo, clima, pragas, etc)

  • Redução na capacidade de suporte das pastagens  busca de espécies forrageiras melhoradas

  • FORRAGEIRA MILAGROSA

  • Superficialização das raízes e decréscimo na produtividade, em função da queda da fertilidade do solo

Quantidade de nutrientes exportados através do produto animal

  • Quantidade de nutrientes exportados através do produto animal

  • Nitrogênio: 4 a 10 %

  • Fósforo: 38 %

  • Potássio: 5 %

  • Enxofre: 16 %

ESTABILIDADE DO SISTEMA

  • ESTABILIDADE DO SISTEMA

  • 1) Distribuição irregular dos dejetos

  • 2) Perdas (lixiviação, fixação, volatilização e erosão)

  • ADUBAÇÃO DE REPOSIÇÃO

Matéria orgânica –  CTC do solo

  • Matéria orgânica –  CTC do solo

  • Solos sob pastagem – teores elevados de m.o.  renovação constante do sistema radicular e senescência de folhas

  • Taxa de Mineralização – disponibiliza N, S e B – dependendo de condições favoráveis (T, U, aeração, % N resíduo)

  •  m.o.   fertilidade potencial do solo

  • Manejo do resíduo da pastagem  manutenção da m.o. do solo

  • Fertilidade real  função de todos os fatores que afetam a mineralização

  • Análises químicas periódicas permitem monitorar a evolução da fertilidade  conseqüência de manejo, calagem e adubações  Mapeamento da propriedade

  • Primeira etapa de um bom programa de calagem e adubação de pastagens

  • Divisão em glebas  topografia, tipo de solo, de vegetação, histórico de adubações

  • Equipamentos  trado*, pá reta, enxadão

  • Profundidade de amostragem  0-10 cm, 10-20 cm (sistema radicular superficial)

  • Freqüência de amostragem  1– 4 anos

  • (nível de adubação, CTC)

Objetivos da calagem

  • Objetivos da calagem

  • 1.  solubilidade Al3+, Fe3+, Mn3+   toxidez

  • 2. Fornecer Ca e Mg

  • 3.  disponibilidade dos minerais

  • 4.  atividade microbiana   pH

  • 5.  eficiência das adubações

Resposta das forrageiras à calagem

  • Resposta das forrageiras à calagem

  • # Tolerância diferencial entre espécies forrageiras

  • Brachiaria> Panicum> Pennisetum

  • Gramíneas > leguminosas

  • # Melhoramento genético e níveis de adubação   resposta à calagem

Corretivos de acidez

  • Corretivos de acidez

  • # Calcários: calcítico, magnesiano e dolomítico  f (concentração de Mg)

  • # PRNT  Poder Relativo de Neutralização Total  f(% CaO e MgO, granulometria)

Cálculo da necessidade de calagem

  • Cálculo da necessidade de calagem

  • NC = CTC (V2 – V1)/ PRNT (t/ha)

  • CTC  Capacidade de Troca Catiônica

  • V2  Saturação em Bases Desejada

  • V1  Saturação em Bases Atual

  • PRNT  Característico de cada calcário

Capacidade de Troca Catiônica

  • Capacidade de Troca Catiônica

  • Refere-se às cargas negativas presentes no solo geradas principalmente pela fração argilosa e pela matéria orgânica  ATRAÇÃO DE CÁTIONS

  • Ca, Mg, K, H e Al

# pH ácido   concentração de Al e H presentes na CTC e na solução do solo 

  • # pH ácido   concentração de Al e H presentes na CTC e na solução do solo 

  • toxidez

  • # Calagem  há formação de Al(OH)3 e Fe(OH)3  indisponíveis   toxidez

  • # “expulsa” H e Al, fornece Ca e Mg  CTC “saturada” por bases

  • Métodos de Aplicação

  • Estabelecimento da pastagem  a lanço, com incorporação (1/2 antes da aração, 1/2 antes da gradagem)  0-40 cm

Freqüência da Calagem

  • Freqüência da Calagem

  • A freqüência das aplicações aumenta com:

  • # Textura do solo

  • # Intensidade adubações

  • # Granulometria do calcário

  • Forrageiras Tropicais

  •  potencial produtivo;

  •  resposta à adubação

  •  produtividade vegetal

  •  carga animal

  •  produtividade de carne e leite

  • Subtropicais

  •  potencial produtivo (> tropicais)

  •  qualidade da matéria seca

  •  exigência nutricional

  •  elevado desempenho animal

Nitrogênio  elemento mineral de maior impacto sobre a produtividade das plantas forrageiras.

  • Nitrogênio  elemento mineral de maior impacto sobre a produtividade das plantas forrageiras.

  • Efeitos principais:

  • longevidade, taxa de aparecimento e tamanho das folhas

  • perfilhamento

  • 3)  teor de proteína bruta (contraditório)

Características do Nitrogênio

  • Características do Nitrogênio

  • Grande mobilidade no solo

  • 2) Inúmeras transformações mediadas por microrganismos

  • Perde-se por volatilização (NH3)

  • Baixo efeito residual

  • 5) Não é fornecido pelas rochas de origem

Principais fontes de Nitrogênio

  • Principais fontes de Nitrogênio

  • Chuvas

  • 2) Fixação biológica (livre ou simbiótica)

  • Fertilizantes nitrogenados

  • Mineralização da matéria orgânica*

  • 5) Nitrogênio mineral do solo

Fertilizantes nitrogenados

  • Fertilizantes nitrogenados

  • # Aplicação  época e doses f(exigências)

  • # Taxa de recuperação variável  perdas

  • # Custo/benefício

Mineralização da matéria orgânica

  • Mineralização da matéria orgânica

  • Dependente de fatores que influenciam a atividade microbiana do solo

  • pH, umidade, temperatura

  • Leguminosas – Rhizobium  associação simbiótica (N e energia)

  • Leguminosas – gramíneas  transferência N  condições para fixação, liberação gradual do N, estabilidade da consorciação, qualidade da dieta

  • Uréia   concentração (45%N), perdas por volatilização (20-25%), não fornece outros minerais,  preço/kg N  aplicação final tarde, chuvas (2-3 dias)

  • Sulfato de Amônio  20 % N, 24 % S, menores perdas, poder acidificante do solo,

Época de aplicação f(sistema de manejo da pastagem)

  • Época de aplicação f(sistema de manejo da pastagem)

  • Sistema rotativo  após a saída dos animais do piquete para estimular perfilhamento

  • Sistema contínuo  início da estação de crescimento, parcelando o restante

  • Espécies anuais (aveia, azevém)  plantio, 30-40 dias após emergência (perfilhamento), parcelando o restante

Laboratórios nacionais ainda deficientes em metodologia adequada

  • Laboratórios nacionais ainda deficientes em metodologia adequada

  • Tabelas de Recomendações

  • Baseadas no teor de m.o. do solo  condições adequadas à mineralização

  • 2) Recomendações fixas

Elemento mineral mais limitante nos solos brasileiros

  • Elemento mineral mais limitante nos solos brasileiros

  • 

  • Baixa disponibilidade

  • Fixação  forma compostos de baixa solubilidade com Al3+e Fe3+ em solos ácidos (pH< 5,5) e com Ca2+ em solos alcalinos

Principais fontes de Fósforo

  • Principais fontes de Fósforo

  • Solubilização dos minerais fosfatados

  • 2) Mineralização da m.o.

  • 3) Fertilizantes fosfatados

Funções do Fósforo na planta

  • Funções do Fósforo na planta

  • Crescimento de raízes

  • Transferência de energia

  • 3) Estabelecimento da pastagem  perfilhamento

Época e formas de aplicação

  • Época e formas de aplicação

  • Formação  fundamental ao adequado estabelecimento da pastagem  fontes solúveis, aplicação localizada (menor fixação), após correção do pH

  • Fontes de menor solubilidade  aplicar antes da calagem  maior solubilização em  pH

  • Fontes Solúveis em água

  • superfosfato simples (18% P2O5, 10% S)

  • Superfosfato triplo ( 41% P2O5)

  • MAP (48 % P2O5, 9 %N)

  • DAP (45% P2O5, 16 %N)

  • Fosfatos Insolúveis em Água 

  • Fosfato Natural24% P2O5

  • Hiperfosfato  30 % P2O5

  • Termosfosfato  17 % P2O5, 7 % Mg

Recomendações

  • Recomendações

  • 

  • Tabelas

  • 

  • Nível de exigência da espécie forrageira

  • Teor de P no solo

Características gerais

  • Características gerais

  • Elemento exigido em grandes quantidades, principalmente gramíneas

  • Sofre facilmente lixiviação

  • Importante cofator enzimático, síntese protéica, resistência a acamamento

Elevada lixiviação  parcelamento da aplicação

  • Elevada lixiviação  parcelamento da aplicação

  • Formação a lanço  aplicação com incorporação  reduz perdas

  • Manutenção  parcelar a aplicação junto com o fertilizante nitrogenado (baixa CTC), junto com o fósforo (alta CTC)

  • A principal fonte de potássio é o KCl, que possui 60 % K2O

  • As dosagens a serem aplicadas são fornecidas de forma segura nas tabelas de recomendação

Deficiência surge em sistemas intensivos, muito adubados

  • Deficiência surge em sistemas intensivos, muito adubados

  • Principais deficiências  B e Zn

  • Efeito pronunciado do pH sobre a disponibilidade desses minerais

  • Importância da m.o. como fonte de microminerais

Vantagens

  • Vantagens

  • Aumenta a CTC do solo

  • Fonte de macro e micronutrientes

  • Diminui toxidez Al3+

  • Fonte de Ca e Mg

  • Melhora estrutura do solo

  • Aumente a atividade microbiana

Desvantagens

  • Desvantagens

  • Baixa concentração dos minerais, necessitando complementação e grandes quantidades a serem aplicadas

  • Poluição ambiental – uso restrito

OBRIGADA!

  • Luiza Elvira Vieira Oliveira

  • Cel. (88) 99658660

  • E-mail: luelvira@yahoo.com.br

Comentários