cartilha plantas medicinais e hipertensão

cartilha plantas medicinais e hipertensão

(Parte 1 de 2)

1 Apresentação

Terapêutica com plantas medicinais acontece em todo o mundo e há muito tempo. A hipertensão ou pressão alta é uma doença crônica que atinge ampla faixa etária da população, sem distinção de sexo, raça ou padrão social. As plantas medicinais vêm sendo utilizadas empiricamente no tratamento de diversas doenças, entre elas a hipertensão.

O tema Hipertensão e Plantas Medicinais foi alvo de estudo do Trabalho de Conclusão de Curso da aluna do curso de Ciências Biológicas - Modalidade Licenciatura da UNESP de Botucatu. Este estudo teve por objetivos: Identificar a porcentagem dos pacientes voluntários hipertensos de um Centro de Saúde de Botucatu que utilizam ou utilizaram remédios caseiros no tratamento dessa doença e determinar o nível de conhecimento dos alunos da rede pública de ensino sobre o conceito de pressão alta e plantas medicinais.

Para o desenvolvimento das atividades foram aplicados dois tipos de questionários. Um destinado aos pacientes que freqüentam um Centro de Saúde e outro direcionado aos alunos da rede pública. As plantas citadas pelos entrevistados do Centro de Saúde estão listadas com o nome popular e científico e com os resultados delineamos o conteúdo da cartilha.

Como resultado final, pelo menos um (1) exemplar desta cartilha estará disponível para consulta de toda a comunidade no Centro de Saúde I de Botucatu e nas bibliotecas: Municipal de Botucatu, Centro Cultural de Botucatu, das Escolas Estaduais de Botucatu, do Instituto de Biociências da UNESP de Botucatu e da Faculdade de Ciências Agronômicas da UNESP de Botucatu. A expectativa é que o material produzido facilite aos professores a inclusão do tema “Educação para a saúde” dentro e fora da sala de aula, bem como desperte na comunidade a importância da utilização de plantas medicinais como método alternativo para tratamento de hipertensão, mas sempre com a orientação de um profissional competente.

2 Hipertensão ou pressão alta: um inimigo silencioso

O coração é um órgão que bombeia o sangue para os demais órgãos do corpo por meio de tubos chamados artérias. Quando o sangue é bombeado, ele é "empurrado" contra a parede dos vasos sangüíneos. Esta tensão gerada na parede das artérias é denominada pressão arterial.

A hipertensão ocorre quando essa pressão exercida pelo sangue em movimento na parede das artérias é muito forte, ficando acima dos valores normais. Um indivíduo pode ser considerado hipertenso quando:

• Sua pressão arterial máxima (também chamada pressão sistólica) ficar igual ou maior a 14 (140 mmHg).

• Sua pressão arterial mínima (também chamada pressão diastólica) ficar igual ou maior a 9 (90 mmHg).

Os valores normais para a pressão arterial são: pressão arterial máxima em 12 e a pressão arterial mínima em 8. A partir desses valores a pressão alta começa a causar alterações em órgãos importantes do nosso organismo, como coração, cérebro, artérias, olhos e rins.

De todas as doenças silenciosas que costumam atacar nosso organismo, a hipertensão ou pressão alta é certamente a mais perigosa e estima-se que entre 10 e 20% da população sofra desse mal. É uma doença muito comum e atinge, jovens, adultos e idosos, pessoas de ambos os sexos, de todas as raças e de qualquer padrão social.

A hipertensão é uma doença persistente não transmissível, de poucas manifestações clínicas em suas

Gisele Aparecida Dionísio Lopes – Ciências Biológicas Modalidade Licenciatura

Orientadora: Profª Drª Maria José Queiroz de Freitas Alves Co-orientador: Prof. Dr. Renato Eugênio da Silva Diniz Colaboradora: Luciana Maria Feliciano Apoio Financeiro: PROEX

18 lico_informacoes_cartilhas_index/ Acesso: 07

Bras., São Paulo, v. 47, n. 4, 2001

SBH (Sociedade Brasileira de Hipertensão) http://w w w. sbh. org. br/docu mentos/consenso3_ docu mento.htm/ Acesso: 07 fev. 2007. Setian, N. Hipertensão endócrina. Rev. Assoc. Med. Silva, I. et al. Noções sobre o organismo humano e utilização de plantas medicinais. Cascavel: Assoeste, 1995. Vendramini, P. F. Plantas medicinais: vivendo e aprendendo. Botucatu:[s.n], 2005. I CBHA 1998 (I Consenso Brasileiro de Hipertensão Arterial) http://www. scielo. br/pdf/abe m/v43n4/11750. pdf/ Acesso: 1 nov. 2007.

3 fases iniciais (assintomática). É um dos mais importantes fatores de risco para o desenvolvimento de acidente vascular cerebral (o AVC) também conhecido como “derrame cerebral”, doenças do coração como o infarto e a insuficiência cardíaca, insuficiência renal e comprometimento por lesões na retina dos olhos.

Medida de pressão

A Sociedade Brasileira de Hipertensão disponibilizou em seu site os seguintes critérios ideais para medir a pressão arterial: medir periodicamente no Posto de Saúde mais próximo de sua casa através de profissionais da área de saúde, a bexiga deve estar vazia e a pessoa não pode ter fumado, se alimentado ou ingerido café pelo menos 30 minutos antes da medida.

As origens da doença

Embora não se possa determinar nenhuma causa específica para a hipertensão, sabe-se que diversos fatores podem contribuir para o seu aparecimento.

Na maioria das pessoas que tem pressão alta, esta aparece porque é herdada dos pais. Hábitos de vida inadequados também influenciam para que esta doença se desenvolva, como: o excesso de sal, alimentos gordurosos, a falta de exercícios físicos, a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, o cigarro, o aumento de peso e o estresse são fatores que podem contribuir para o aparecimento da pressão alta.

• Quem tem o pai, a mãe ou ambos com pressão alta tem maior chance de adquirir a doença.

• O sal (cloreto de sódio — NaCl) há muito tempo tem sido considerado importante fator no desenvolvimento e na intensidade da hipertensão arterial. Hoje em dia, a literatura mundial é

4 praticamente unânime em considerar a forte correlação entre a ingestão excessiva de sal e a elevação da pressão arterial. No âmbito populacional, a ingestão de sal parece ser um dos fatores envolvidos no aumento progressivo da pressão arterial que também acontece com o envelhecimento. O sal faz o corpo reter mais líquidos, e o aumento do volume de líquido faz a pressão subir. No entanto, não há necessidade de comer sem sal. Deve-se sim, evitar o exagero, como colocar sal na comida pronta ou comer alimentos que contém muito sal. Nunca ultrapasse 6 gramas de sal por dia, ou seja, uma colher de chá para toda alimentação diária. Afaste a tentação do saleiro da mesa e use temperos naturais, como limão, cebola, alho e cheiro verde. Do ponto de vista prático, deve – se evitar a ingestão de alimentos processados industrialmente, tais como enlatados, conservas, embutidos e defumados.

• O colesterol é uma gordura que nosso corpo precisa para funcionar normalmente. Parte do colesterol do sangue é produzida pelo organismo e a outra parte origina-se da nossa alimentação. O excesso de colesterol pode produzir o entupimento das artérias, favorecendo o aparecimento da hipertensão e do infarto do coração. As pessoas que têm colesterol alto não apresentam sintomas, sendo necessário realização de exames para diagnóstico. Uma alimentação balanceada ajuda a manter o nível de colesterol adequado para o organismo.

• Segundo Jocelem Mastrodi Salgado, o sedentarismo é um perigo. O exercício físico adequado ajuda a controlar a pressão arterial. Não

17 Referências Bibliográficas

Endocrinol Metab., São Paulo, v. 46, n. 2, 2002

Barreto, A. C. P. & Santello, J. L. Manual de hipertensão – Entre a evidência e a prática clínica. São Paulo: Lemos Editorial, 2002. Cavallari, F.E.M. et al. Relação entre hipertensão arterial sistêmica e síndrome da apnéia obstrutiva do sono. Rev. Bras. Otorrinolaringol., v. 68, n.5, 2002. Faria, A. N. et al . Treating Diabetes and Hypertension in the Obese Patient. Arq. Bras. Ferro, D. Fitoterapia: conceitos clínicos. São Paulo: Editora Atheneu, 2006. Salgado, J. M. Previna Doenças: faça do alimento o seu medicamento. São Paulo: Madras, 2003. SBH (Sociedade Brasileira de Hipertensão) http://w w w. sbh. org. br/novo/te mplate2. asp?id= pub

ATENÇÃO: NENHUM PRODUTO NATURAL E/OU PLANTA MEDICINAL DEVE SER USAD0 SEM A INDICAÇÃO DE UM PROFISSIONAL COMPETENTE.

5 apresenta efeitos colaterais e traz vários benefícios para a saúde, tais como ajudar a controlar o peso, diminuir as taxas de gordura e açúcar no sangue, diminuir a tensão emocional e aumentar a auto-estima. Os melhores exercícios para os indivíduos hipertensos são: caminhar, nadar, correr e andar de bicicleta. Exercícios como halterofilismo e musculação não são recomendados para pessoas hipertensos.

• As bebidas alcoólicas aumentam a pressão arterial. Sabe-se que entre 5 e 10% dos homens com pressão alta, tem como a causa do problema o alto consumo de bebidas alcoólicas. As bebidas alcoólicas possuem etanol, substância tóxica que lesa órgãos como o cérebro, o coração, o fígado e o pâncreas. Além de disso, podem piorar a gastrite, bem como dificultar a perda de peso (pois possuem muitas calorias).

• O cigarro é um importante fator de risco para doença cardiovascular que pode ser prevenido. Estima-se que seja responsável por um em cada seis mortes, pois a nicotina aumenta a pressão arterial e acelera a progressão da aterosclerose (depósito de gorduras nas paredes das artérias).

• Pessoas com excesso de peso têm maior chance de desenvolver a hipertensão.

• O estresse é outro fator importante no aumento da pressão arterial. Mas para cada pessoa as causas do estresse podem ser diferentes. O melhor é identificar o motivo que está gerando essa preocupação e eliminá-lo. Na impossibilidade, deve-se tentar “administrar” esse problema de forma a conviver melhor com ele.

6 Lazer combate o estresse e faz bem. Escolha uma atividade que lhe dê prazer, como ler um livro, pintar um quadro, bordar, participar de atividades sociais ou de grupos de relaxamento.

Outros fatores relacionados à hipertensão

• Diabetes: Os pacientes diabéticos representam considerável parcela da população de hipertensos. A coexistência de hipertensão e diabetes aumenta o risco para complicações vasculares, predispondo os indivíduos à insuficiência cardíaca, doença coronariana e cerebrovascular, insuficiência renal e lesões na retina dos olhos.

• Idade: A hipertensão ocorre na maioria dos casos em pessoas acima de 35 anos e a prevalência aumenta com a idade. Entre os homens acima de 50 anos, a incidência chega a 50%.

• Raça: A prevalência da hipertensão arterial na população negra é mais elevada. Os indivíduos negros são afetados pela hipertensão cerca de duas vezes mais freqüentemente do que os brancos e parecem ser mais vulneráveis às suas complicações.

• Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS):

A SAOS está cada vez mais relacionada à doenças cardiovasculares, principalmente à hipertensão, que é prevalente em pacientes com SAOS. O ronco está presente em 90 a 95% dos casos de SAOS e é por isto que é um sintoma que deve ser investigado. Há estudos que mostram ser muito prevalente a hipertensão em pacientes com síndrome da apnéia obstrutiva do sono, favorecendo a hipótese de ser a condição de

15 vasto conhecimento básico à respeito da medicina tradicional e produzem seus próprios remédios como chás e xarope.

• Chá por infusão: São soluções extrativas obtidas da adição de água previamente aquecida (fervente) sobre a droga vegetal, mantendo em frasco bem fechado por 10 a 15 minutos.

Geralmente empregam-se 5 partes de planta para 95 partes de água. São preparados adicionandose às folhas tenras, secas ou frescas, picadas, a água fervente.

• Chá por decocção: São soluções extrativas obtidas da adição de água com a droga vegetal e levadas à fervura por tempo pré-determinado (5 a 10 minutos). Utilizam-se geralmente 10 partes da droga vegetal para 150 partes de água. Neste caso deve-se cuidar quanto à presença de substâncias que se alteram pelo calor, caso em que seria melhor utilizar o chá por infusão. O chá por decocção é muito utilizado para preparar chá com folhas duras, cascas e raízes.

O chá de muitas espécies e plantas medicinais está consagrado pela população como medicamento seguro e eficaz, em conseqüência de seu uso há muito tempo e da ausência de registros ou relatos sobre sintomas de toxicidade. Ele é uma alternativa viável, de baixo custo, que atende prontamente a necessidade primária de grande parte da população brasileira.

• Xarope: é a forma farmacêutica na qual se emprega 2/3 de seu peso em açúcar. Deve ser preparado com cuidado, não permitindo aumento de temperatura superior a 80º C. Conservar em frasco bem limpo com água fervente e bem fechado. Não utilizar para indivíduos diabéticos.

14 Anexos

(Parte 1 de 2)

Comentários