Análise granulométrica

Análise granulométrica

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO DE TECNOLOGIA

LABORATÓRIO DE MECÂNICA DOS SOLOS – DEC 2570

ANÁLISE GRANULOMÉTRICA

(SEDIMENTAÇÃO)

Acadêmicos: R.A:

MARINGÁ 2009

Objetivo

O objetivo deste relatório consiste em determinar a curva granulométrica do solos analisado através da combinação de sedimentação e peneiramento.

Fundamentação Teórica

O ensaio de granulometria é o processo utilizado para a determinação da percentagem em peso que cada faixa especificada de tamanho de partículas representa na massa total ensaiada. Através dos resultados obtidos desse ensaio é possível a construção da curva de distribuição granulométrica, tão importante para a classificação dos solos bem como a estimativa de parâmetros para filtros, bases estabilizadas, permeabilidade, capilaridade etc. A determinação da granulometria de um solo pode ser feita apenas por peneiramento ou por peneiramento e sedimentação, se necessário.

Materiais e Métodos

Materiais utilizados:

Solo: amostra seca ao ar e coletada de 6,0 a 7,0 m de profundidade da Fazenda Experimental/UEM - Iguatemi:

Equipamentos:

  • Estufa capaz de manter a temperatura entre 105 e 110 ºC;

  • Aparelho de dispersão, com hélices metálicas substituíveis e copo munido de chicanas metálicas;

  • Balança que permita pesar nominalmente até 1,5 Kg, com resolução de 0,01 g e sensibilidade compatível;

  • Proveta de vidro com traço de referência indicando 1.000 cm³ a 20ºC;

  • Densímetro de bulbo simétrico, calibrado a 20ºC e com resolução de 0,001.

  • Termômetro graduado em 0,1ºC;

  • Relógio com indicação de segundos;

  • Béquer de vidro;

  • Proveta de vidro, com capacidade de 250 cm³ e resolução de 2 cm³;

  • Tanque para banho;

  • Peneiras de acordo com a NBR 5734;

  • Escovas com cerdas metálicas;

  • Baqueta de vidro;

  • Bisnaga.

Métodos de Ensaio

Primeiramente, deve se tomar a quantidade de amostra preparada de acordo com a NBR 6457. Em seguida determina-se a massa da amostra seca ao ar (Mt) e passa-se a amostra na peneira de 2 mm.

Pega-se 120 g (Mh) e mais 100 g para determinar a umidade higroscópica, de acordo com a NBR 6457. Logo após usa-se o defloculante e deixa-se em repouso por 12 horas e depois a amostra é posta no aparelho dispersor por 15 minutos. Ao término desta etapa, a amostra é conduzida à proveta onde permanece por 24 horas. Na proveta são feitas medições com intervalos de tempo onde é analisada a temperatura do processo e a leitura do densímetro.

A lavagem do material é feita na peneira de 0,075 mm, com água corrente até todo material passante tenha evacuado. O material retido é seco na estufa e utilizado no peneiramento fino.

Resultados

Fichas de Ensaio:

SOLO – ANÀLISE GRANULOMÈTRICA

DISCRIMINAÇÃO

SÍMB.

QUANT (g)

MASSA TOTAL DA AMOSTRA SECA AO AR

Mt

1000 g

MASSA DA AMOSTRA RETIDA NA # 2,0 mm

Mg

0

MASSA DA AMOSTRA SECA PASSADA na # 60 mm

Ms

990,78

PORCENTAGEM DA AMOSTRA QUE PASSA NA # 2,0 mm

N

100

MASSA DA AMOSTRA SECA AO AR P/ SEDIMENTAÇÃO

Mh

120

MASSA DA AMOSTRA SECA P/ SEDIMENTAÇÃO

M3

118,9

DETERMINAÇÃO DO TEOR DE UMIDADE

CÁPSULA Nº

01

06

68

AMOSTRA ÚMIDA + CÁPSULA (g)

70,82

70,75

67,87

AMOSTRA SECA + CÁPSULA (g)

70,30

70,23

67,37

MASSA DA CÁPSULA (g)

14,55

14,90

13,69

TEOR DE UMIDADE (%)

0,93

0,94

0,93

TEOR DE UMIDADE MÈDIO (%)

0,93

Fórmulas utilizadas:

Análise e Discussão de Resultados

Analisando os resultados obtidos, foi feita a curva granulométrica completa do solos (anexo ao relatório). Alguns valores de porcentagem de solo em suspensão coincidiram com diferentes diâmetros, mas nada que comprometa a curva ou a análise do solo.

Referências

NBR 7181/1984 – Solo – Análise granulométrica

NBR 6457/1986 – Amostras de solo – Preparação para ensaios de compactação e ensaios de caracterização.

http://www.geotecnia.ufba.br/

Comentários