Substantivo

Substantivo

Enelson Ramos

  • Enelson Ramos

  • Marilene R. dos Santos

  • Raquel Oliveira

  • Valdilene F. Benítez

  • Cristiele Hilário

Substantivo é a palavra que dá nome aos seres, indicando pessoas, lugares, sentimentos, estados, qualidades, ações.

  • Substantivo é a palavra que dá nome aos seres, indicando pessoas, lugares, sentimentos, estados, qualidades, ações.

  • Ex: homem, Pedro, Brasil, animal, cavalo, etc.

Comum – quando se aplica a todos os seres de uma mesma espécie ou quando designa uma abstração. Ex: homem, mesa, livro, cachorro,etc.

  • Comum – quando se aplica a todos os seres de uma mesma espécie ou quando designa uma abstração. Ex: homem, mesa, livro, cachorro,etc.

  •  

  • » Próprio – é o que se aplica a um objeto ou um a conjunto de objetos mas sempre individualmente. Ex: João, Maria, Brasil, Pedro, etc.

  •  

  • » Simples – formado por uma só palavra: Ex: barriga, couve, pé, roupa.

Composto – formado por duas ou mais palavras: guarda-noturno, guarda-roupa, pé-de-moleque.

  • Composto – formado por duas ou mais palavras: guarda-noturno, guarda-roupa, pé-de-moleque.

  •  

  • » Primitivo – a partir dele se formam outros substantivos: mar, pedra, terra, barba.

  • » Derivado – é aquele que se forma a partir de outro substantivo: maresia, pedreiro, terreiro, barbeiro. 

Concreto – designa-se aos seres propriamente ditos, isto é, os nomes de pessoas, de lugares, de instituições, de um gênero, de uma espécie ou de seus representantes: Ex: homem, Pedro, Brasil, árvore, cedro, animal, cavalo, etc.

  • Concreto – designa-se aos seres propriamente ditos, isto é, os nomes de pessoas, de lugares, de instituições, de um gênero, de uma espécie ou de seus representantes: Ex: homem, Pedro, Brasil, árvore, cedro, animal, cavalo, etc.

  •  

  • Abstrato – dá-se o nome de abstratos aos substantivos de designam noções, ações, estado e qualidades considerados como seres. Ex: verdade, justiça, viagem, velhice, bondade,etc.

Coletivo – são os substantivos comuns que, no singular, designam um conjunto de seres ou coisas da mesma espécie.

  • Coletivo – são os substantivos comuns que, no singular, designam um conjunto de seres ou coisas da mesma espécie.

  • Compare essas duas afirmações:

  • Cento e vinte milhões de brasileiros pensam assim.

  • O povo brasileiro pensam assim.

  • Os substantivos podem variar em:

  • Numero, Gênero e Grau.

NÚMERO- quanto flexão do número, os substantivos podem estar:

  • NÚMERO- quanto flexão do número, os substantivos podem estar:

  • No SINGULAR, quando designam um ser único, ou um conjunto de seres considerados como um todo (substantivo coletivo):

  • Ex: aluno, cão, mesa, povo, manada, tropa, etc.

  • No PLURAL, quando designam mais de um ser, ou mais de um desses conjuntos orgânicos:

  • Ex: alunos, cães, mesas, povos, manadas, tropas, etc.

Há dois gênero em português: o MASCULINO e o FEMININO.

  • Há dois gênero em português: o MASCULINO e o FEMININO.

  • Pertence ao gênero masculino todos os substantivos a que se pode antepor o artigo (o):

  • Ex: o aluno, o pão, o poema, o jabuti

  • Pertence ao gênero feminino todos os substantivos a que se pode antepor o artigo (a):

  • Ex: a casa, a mão, a ema, a juriti

Um substantivo pode apresentar-se:

  • Um substantivo pode apresentar-se:

  • Com uma significação normal: chapéu, boca;

  • Com a sua significação exagerada, ou intensificada disforme ou desprezivelmente (grau aumentativo): chapelão, bocarra, chapéu grande, boca enorme;

  • Com sua significação atenuada, ou valorizada afetivamente (grau diminutivo): chapeuzinho, boquinha, chapéu pequeno, boca minúscula.

Vemos, portanto, que a gradação do significado de um substantivo se faz por dois processos:

  • Vemos, portanto, que a gradação do significado de um substantivo se faz por dois processos:

  • SINTETICAMENTE, mediante o emprego de sufixos especiais, que estudamos. Ex: chape-l-ão, boc-arra, chapeu-zinho, boqu-inha.

  • ANALITICAMENTE, juntando-lhe um adjetivo que indique aumento ou diminuição, ou aspectos relacionados com essas noções. Ex: chapéu grande, boca enorme, chapéu pequeno, boca minúscula.

Substantivos uniformes, são aqueles que possuem uma só palavra para indicar o masculino e o feminino. Classificam-se em:

  • Substantivos uniformes, são aqueles que possuem uma só palavra para indicar o masculino e o feminino. Classificam-se em:

  • Epiceno

  • Comum de dois gêneros

  • Sobre comum

Epicenos, são os nomes de animais e de plantas em que se distingue o gênero mediante o emprego das palavras macho e fêmea.

  • Epicenos, são os nomes de animais e de plantas em que se distingue o gênero mediante o emprego das palavras macho e fêmea.

  • Ex:

  • Cobra macho 

  • Crocodilo fêmea 

  • Mamoeiro macho

Comum de dois gêneros, são substantivos que possuem uma só forma para o masculino e para o feminino diferenciados pelos artigos o (masculino) e a (feminino)

  • Comum de dois gêneros, são substantivos que possuem uma só forma para o masculino e para o feminino diferenciados pelos artigos o (masculino) e a (feminino)

  • Ex:

  • o cliente – a cliente

  • o doente – a doente

  •  

  • o estudante – a estudante

Sobrecomuns, são substantivos de um só gênero, que indicam homem e mulher, identificando apenas pelo contexto.

  • Sobrecomuns, são substantivos de um só gênero, que indicam homem e mulher, identificando apenas pelo contexto.

  • Ex:

  • O cônjuge

  • A criança

  • O cadáver

  • A testemunha

  • Obs: Neste caso, querendo-se discriminar o sexo, diz-se, por exemplo: o cônjuge feminino ou o cônjuge maculino.

Substantivos há em cujo emprego se nota vacilação de gênero. Eis alguns, para os quais se recomenda a seguinte preferência.

  • Substantivos há em cujo emprego se nota vacilação de gênero. Eis alguns, para os quais se recomenda a seguinte preferência.

  • Gênero Masculino:

  • Ágape, antílope, caudal, clã, contralto, diabete(s), gengibre, sanduíche, praça(soldado).

  • Gênero Feminino:

  • Abusão, aluvião, áspide, fácies, juriti, sentinela, sucuri, omoplata

  • CUNHA, Celso, CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 3.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

  • BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37.ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

Comentários