exercícios de Casos Clínicos

exercícios de Casos Clínicos

(Parte 1 de 24)

EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE

CASO CLÍNICO 01

J.F. 53 anos de idade, ex-trabalhador de usina foi admitido em uma emergência. Ele obteve uma aposentadoria precoce alguns anos antes, em função de problemas respiratórios crescentes, incluindo, tosse com catarro branco e deficiência respiratória. Nos últimos meses a deficiência respiratória se intensificou de forma que o paciente não podia mais sair de casa. Dois dias antes de ser admitido no hospital ele apresentou um agravamento do quadro e começou a produzir copiosas quantidades de catarro amarelo-esverdeado. O clínico geral observou que ele estava semicomatoso. A esposa do paciente relatou uma história pregressa de uso abusivo do cigarro.

Exame do paciente:

paciente apresentou-se “ausente” com depressão e confusão mental. Ele estava suando e mostrou evidência de cianose central.

Sistema cardio-vascular: - pulso 120/min, regular.

pressão sangüínea 190/120 mmHg (deitado)

fígado aumentado

coração: apex impalpável, sons normais

Sistema respiratório:- freqüência respiratória aumentada

amplitude dos movimentos diminuido

auscultação revelou ruídos por todo o peito

com algumas crepitações na base

Sistema nervoso central: sem sinais localizados

Investigação Laboratorial:

Exame

Na admissão

Após 24% O2

Referência

pH arterial

7,22

7,10

7,36-7,44

pO2 arterial (mmHg)

42

49

80-105

pCO2 arterial (mmHg)

67

84

35-47

Base excesso (mmol. l-1)

-4

-10

3

HCO3 (mmol.l-1)

27

25

22-30

Sódio plasmático (mmol. l-1)

141

-

135-145

Potássio plasmático (mmol. l-1)

4,9

3,5-5,5

Cloreto plasmático (mmol. l-1)

102

98-108

Uréia plasmática (mmol. l-1)

5,4

2,5-7,5

Glicose (mmol.l-1)

7,3

3,5-10

Hemoglobina (g%)

18,8

13-17

PCV (1.l-1)

0,59

0,40-0,49

WBC (x109.l-1)

12,5

4-10

Perguntas:

Caracterize e explique qual o distúrbio do equilíbrio ácido-base está ocorrendo?

Quais os mecanismos compensatórios para regulação deste distúrbio?

Qual a causa do agravamento da acidose?

Por que não ocorrem alterações no bicarbonato plasmático a despeito da modificação do pH?

Por que ocorre aumento dos valores hematológicos (hemoglobina, PCV, WBC)?

CASO CLÍNICO 02

Uma jovem foi admitida na emergência hospitalar 8 horas após a ingestão de uma overdose de aspirina.

Dados laboratoriais:

Valores obtidos

Valores de referência

[H+]

30 mmol/L (pH 7,53)

pH 7,35 - 7,45

pCO2

2 Kpa (15 mmHg)

35 - 45 mmHg

Perguntas:

Caracterize e explique o quadro em termos do equilibrio ácido-base.

Quais o mecanismos compensatórios serão utilizados? Explique.

De que forma os salicilatos podem influenciar o equilíbrio ácido-base?

Qual o tratamento preconizado nesta situação?

CASO CLÍNICO 03

I.M.H., 59 anos, portadora de Diabetes Mellitus insulino dependente, foi internada no Hospital Universitário apresentando intensa dispnéia, tonturas e mal estar geral. Referiu estar apresentando anorexia, náuseas, vômitos escuros, poliúria e dor abdominal há 5 dias. A paciente citou não seguir a dieta terapêutica indicada pelo médico.

Exames

Valores obtidos

Valores de referência

Plaquetas

24.100/mm3

200.000 - 400.000/mm3

Leucócitos

27.100/mm3

4.300 - 10.800/mm3

Creatinina

2.02 mg/Dl

0.6 - 1.2 mg/dL

Potássio

3.2 mEq/L

3.5 - 5.0 mEq/L

Glicose

708 mg/dL

60 - 110 mg/dL

Uréia

71 mg/dL

12 - 47 mg/dL

PH

7.08

7.38 - 7.44

pO2

133 mmHg

80 - 100 mmHg

pCO2

7.3 mmHg

35 - 45 mmHg

Bicarbonato

2.1 mEq/L

21 - 30 mEq/L

Perguntas:

Quais as causas de acidose metabólica? Explique porque acontece a acidose.

Qual o mecanismo de produção dos corpos cetônicos?

Como é o tratamento e as possíveis complicações para este caso?

CASO CLÍNICO 04

Um homem de 70 anos foi admitido na emergência de um hospital. Ele relatou uma história de dor epigástrica crônica e dispepsia, que se estendiam há vários anos. Uma semana antes da admissão ele começou a vomitar intensamente, tornando-se desidratado. Não havia sinais de rigidez abdominal. Análises de uma amostra de sangue arterial mostraram os seguintes resultados:

Dados obtidos

Valores de referência

Uréia

17,3 mmol/L

2,5 - 6,6 mmol/L

Sódio

117 mmol/L

132 - 144 mmol/L

Potássio

2,2 mmol/L

3,3 - 4,7 mmol/L

Creatinina

250 mol/L

55 - 120 mol/L

[H+]

26 nmol/L

36 - 44 nmol/L

[HCO3-]

44 mmol/L

21 - 27,5 mmol/L

pO2

9,7 kPa

12 - 15 kPa

pCO2

6,2 kPa

4,4 - 6,1 kPa

Perguntas:

Caracterize o tipo de distúrbio ácido-básico apresentado.

O que poderia ter causado as alterações nos exames laboratoriais?

O mecanismo de compensação deverá ser via pulmonar ou renal? Justifique.

Cite outras causas que poderiam levar a um distúrbio ácido-básico semelhante ao relatado neste caso clínico.

CASO CLÍNICO 05

L.S., 75 anos, fumante crônico, com histórico de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), foi internado no hospital devido a uma exacerbação do seu quadro clínico. Análise de sangue arterial foi feita na sua admissão (resultado A). Apesar do tratamento médico, sua condição se agravou (resultado B) e foi decidido começar ventilação artificial. A análise foi repetida 6 horas depois (resultado C). Após 12 horas apresentou convulsão generalizada.

Dados clínicos:

A

B

C

D

Referência

pCO2 (mmHg)

71,3

82,5

58,5

42,8

35 - 35 mmHg

pH

7,3

7,24

7,4

7,54

pH 7,35 - 7,45

[HCO3-] (mM)

35

35

34

35

22 - 26Mm

Perguntas:

O paciente está em estado de alcalose ou acidose? Respiratória ou metabólica? Justifique.

O paciente está apresentando um mecanismo compensatório? De que tipo?

Qual a causa do aumento da fração alcalina?

CASO CLÍNICO 06

P.M.P., 75 anos, feminino, há uma semana iniciou com dispnéia aos médios esforços associada à tosse produtiva com expectoraçÃo amarelada. Referiu piora progressiva dos sintomas, com dispnéia aos pequenos esforços. Há quatro dias referiu que procurou a emergência do HU onde foi feito o diagnóstico de DPOC descompensada e “água nos pulmões”; foi tratada com ampicilina, aminofilina e nebulização que lhe trouxeram apenas melhora parcial dos sintomas. Há 1 dia referiu piora do quadro, com ortopnéia e calafrios. Relatou também apresentar anorexia, disfagia e perda de aproximadamente 10 kg em 1 ano. Nega febre e tabagismo. Ao exame físico encontrava-se acianótica, taquidispneica, PA de 110X70 mmHg. Temperatura de 36.6oC, Fc de 100 bpm, Fr de 30 mrpm, pulso paradoxal e bulhas cardíacas hipofonéticas, a ausculta pulmonar revelou redução do murmúrio vesicular, roncos e sibilos difusos. Relata que há 8 anos tem tosse produtiva e dispnéia todas as manhãs.

Valores encontrados

Valores de referência

Hemoglobina

14,5 g/dl

H:14-18g/dl, M:12-16g/dl

Hematócrito

51%

H:40-54%, M:37-47%

Leucócitos

13.600/mm3

3.800-11.000/mm3

Glicemia

404mg/dl

70-100mg/dl

Creatinina

1,0mg/dl

Até 1,2mg/dl

Sódio

136mEq/l

140-148mEq/l

Potássio

5,3mEq/l

3,5-5,0mEq/l

Gasometria:

Ph

7,36

7,38-7,44

pCo2

29,4mmHg

35-45mmHg

PO2

65,5mmHg

75-100mmHg

Sat O2

91,2%

95-99%

HCO3

16,2mEq/l

24-28mEq/l

BE (excesso de base)

-6,2mEq/l

0+/-2mEq/l

Rx de tórax mostrou os ppulmões infiltrados principalmente em bases. Com esse qudro clínico e os resultados laboratoriais chegou-se ao diagnóstico de DPOC descompensada com broncoinfecção.

QUESTÕES

01.Como transformar pCO2 em concentraçÃo de ácido carbônico (H2CO3) na unidade de mmol/l?

02.Baseado na concentração de H2CO3 e na concentração de HCO3- , você julga que essa paciente está compensada em termos de equilíbrio ácido-básico? Explique a relação entre H2CO3 e HCO3- encontrada em indicíduos normais e a encontrada nessa paciente.

03.Como uma DPOC pode interferir no equilíbrio ácido-básico e de que forma isso ocorre?

04.Qual outra patologia importante que você observa nessa paciente, além da DPOC, que pode levar a um desequilíbrio ácido-básico e de que forma isso ocorre?

05.Em sua avaliação qual outro distúrbio primário que conduziu a um desequilíbrio

ácido-básico nessa paciente?

Caso Clínico 07

JNF, 77anos, masculino, fumante há mais de 50 anos, com DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) é internado no HU para tratamento de broncopneumonia. Evoluiu com progressivo sofrimento respiratório sendo encaminhado à UTI para entubação. Ao exame físico apresentava-se com estado geral regular, cianose central, taquidispneico e sinais de sofrimento respiratório. A gasometria mostrou:

Ph

7,205

7,38-7,44

PCo2

131,9mmHg

35-45mmHg

pO2

31,5mmHg

75-100mmHg

Sat O2

49%

95-99%

HCO3

50,6mEq/l

24-28mEq/l

BE (excesso de base)

16,8mEq/l

0+/-2mEq/l

(Parte 1 de 24)

Comentários