Eletrofisiologia e Bomba cardíaca

Eletrofisiologia e Bomba cardíaca

Eletrofisiologiae Bomba cardíaca

Prof. Osvaldo Sampaio Medicina -UCB

Sistema de condução

•Nósinusal (ou sinoatrial) •Fibras atriais

• Nó átrio-ventricular

•Feixe atrio-ventricularde Hiss

NóSinusal (ou sinoatrial)

•Células musculares especializadas

•suas fibras quase não contém filamentos contráteis •Pequeno diâmetro: 3 a 5 ųm

•Suprimento arterial: 5 –60 % pela artéria coronariana direita 40 -45 % pela circunflexa direita

•Potencial de repouso cerca de -5 a –60 mV

•Despolariza-se espontaneamente: freqüência normal de 50-60 a 100 batimentos por minuto no adulto.

•Possui extensa rede de terminações nervosas colinérgicas e adrenérgicas pós-ganglionares.

Vias Atriais internodais

•O potencial de ação éconduzido do nodo sinusal para a musculatura atrial, preferencialmente pelas vias internodais (anterior, média e posterior)

Nó Atrio-Ventricular •Localizado na parede posterior do Átrio direito

•Velocidade de condução consideravelmente menor do que nos demais tecidos cardíacos.

Feixe Atrio-Ventricularde Hiss

•Atravessa o tecido fibroso que separa os átrios e ventrículos

Ramos direito e esquerdo •Velocidade de condução extremamente veloz (1,5 a 4m/s)

Velocidade de Condução

Potencial de ação do músculo cardíaco

Potencial de ação de resposta rápida

•fase 0: fase de despolarização •fase 1: fase de repolarização rápida inicial

•fase 2: fase de repolarização lenta ou fase de platô

•fase 3: fase de repolarização rápida final

•fase 4: fase de repouso

RESPOSTA RÁPIDA FASE 0 -despolarização

•Abertura de canais rápidos de sódio voltagem dependentes

(INa) →influxo rápido de sódio.

•INa→portão de ativação (portão m) e portão de inativação

(portão h).

•Àmedida que o potencial da membrana se aproxima de 0 mV, os portões h começam a fechar, o que inativa os canais de sódio.

RESPOSTA RÁPIDA FASE 0 -despolarização

•Por volta de –40 mV, ocorre a abertura de canais de cálcio de longa duração (ICa-L), responsáveis pelo início do influxo de cálcio.

RESPOSTA RÁPIDA FASE 1 -repolarização rápida inicial

•Aumento da inativação dos canais (INa) e abertura dos canais de potássio transitórios externos (Ito), o que desencadeia um efluxo rápido de potássio.

Potencial LimiarPotencial Limiar OverShootOverShoot

EstímuloEstímulo

Potencial LimiarPotencial Limiar OverShootOverShoot

EstímuloEstímulo

Potencial LimiarPotencial Limiar OverShootOverShoot

EstímuloEstímulo

Potencial LimiarPotencial Limiar OverShootOverShoot

EstímuloEstímulo

Potencial LimiarPotencial Limiar OverShootOverShoot

Potencial LimiarPotencial Limiar OverShootOverShoot

EstímuloEstímulo

RESPOSTA RÁPIDA FASE 2 -platô

•Baixa permeabilidade da membrana a todos os íons. •Equilíbrio mantido entre o influxo de cálcio, através dos canais de cálcio de longa duração (ICa-L), e o efluxode potássio, em razão do início da abertura dos canais de potássio retificadores tardios (IK).

RESPOSTA RÁPIDA FASE 3 -repolarização rápida final

•Aumento do efluxode potássio pelos canais de potássio retificadores tardios (IK) e abertura dos canais de potássio retificadores internos (IKi).

•Fechamento dos canais de cálcio de longa duração

(ICa-L), que diminui, assim, o influxo de cátions e favorece o retorno do potencial de membrana ao potencial de repouso.

RESPOSTA RÁPIDA FASE 4 -repouso

•Ação do trocador sódio-cálcio .

•Bomba de cálcio.

•Canais de potássio retificadores internos

(IKi) são os responsáveis por manter o potencial de repouso da membrana próximo do potencial de equilíbrio do potássio.

Resposta Rápida Potencial de ação de resposta lenta

Potencial de ação de resposta lenta

•Principal característica →ausência de canais rápidos de sódio.

fase 0: fase de despolarização fase 2: fase de repolarização lenta

fase 3: fase de repolarização rápida final

fase 4: fase de despolarização diastólica

RESPOSTA LENTA FASE 2 -repolarização lenta

FASE 3 -repolarização rápida final

•Ocorre pela abertura e aumento crescente do efluxode potássio através dos canais de potássio retificadores tardios (IK) e pelo fechamento dos canais de cálcio de longa duração (ICa-L).

FASE 4 -despolarização diastólica

•O automatismo dos nodos:

–canais funny(If) –canais de cálcio de abertura transitória (Ica-t).

•A corrente If(influxo de sódio) inicia lentamente com um potencial de membrana abaixo de –40 mV.

•Influxo de cálcio (ICa-t) leva o potencial de membrana ao

limiar do potencial de ação.

•Abertura dos canais de cálcio de longa duração (ICa-L).

Refratariedade

•Como todo tecido excitável o músculo cardíaco érefratário a nova estimulação durante o potencial de ação.

•O período refratário normal do ventrículo éde 0,25 a 0,30 s

•O período refratário do coração émaior que o tempo de contração do mesmo; impossibilitando uma contração iniciar sem ocorrer o relaxamento ventricular

Propriedades dos potenciais

0,3 -0,4200 -300-80 a -90Músculo ventricular

2-30 –500-90 a -95Purkinje 0,10 –300-60 a -70NóAV

0,3 -0,4100 –300-80 a -90Músculo atrial < 0,05100 –300-50 a -60Nósinusal

Velocidade de propagação (m/s)

Duração do potencial de ação

(ms)

Potencial de repouso

(mV)

Velocidade de condução

Ciclo Cardíaco

•Eventos cardíacos que ocorrem desde o início de um batimento cardíaco atéo início do batimento seguinte.

Fases do Ciclo Cardíaco

•Átrio e ventrículo relaxados

•Valvas atrioventriculares fechadas

•Valvas semilunares são fechadas

Fases do Ciclo Cardíaco

–Átrio e ventrículo relaxados –Valvas atrioventriculares abrem

–Valvas semilunares fechadas

A fase de enchimento rápido ocorre imediatamente após a abertura das valvas atrioventriculares

DIÁSTASE:parte final desta fase onde ocorre um pequeno e lento acréscimo do enchimento ventricular

Cerca de 75% do enchimento ventricular

Fases do Ciclo Cardíaco

–Átrio contraindo – Ventrículo relaxado

–Valvas atrioventriculares abertas

–Valvas semilunares fechadas

Em baixas FC o enchimento ventricular estáquase completo após a diástase; em FC elevadas a fase de enchimento rápido encurta e a contração atrial se torna mais importante.

Cerca de 25% do enchimento ventricular

Fases do Ciclo Cardíaco

–Átrio relaxado –Ventrículo inicia contração

–Valvas atrioventriculares são fechadas

Fases do Ciclo Cardíaco

–Átrio relaxado – Ventrículo contraindo

–Valvas semilunares abertas

Ejeção Rápida(cerca de 70% do sangue ejetado)

Ejeção reduzida(cerca de 30% do sangue ejetado)

Fases do Ciclo Cardíaco

Fases do Ciclo Cardíaco

Eventos cardíacos:

Variações de Pressão Atrial

–a: contração atrial –c: abalamento do assoalho dos átrios pelo fechamento das valvas átrio-ventriculares –v: fluxo de sangue das veias para os átrios quando as valvas atrioventriculares estão fechadas

Relação pressão -volume

A = abertura valva mitral

A-B = influxo de sangue dos átrios mas com queda da pressão por relaxamento ventricular

A-C (I)= fases de enchimento rápido e sístole atrial

C= Fechamento da valva mitral

C-D (I)= contração ventricular isovolumétrica

D = abertura da valva aórtica D-E (IIIa)= fase de ejeção rápida E-F (IIIb)= fase de ejeção lenta F= Fechamento da valva aórtica F-A (IV)= Relaxamento isovolumétrico

Relação pressão - volume

Contratilidade (ou inotropismo)

•Capacidade das células cardíacas desenvolverem força em relação ao seu comprimento

Contratilidade (ou Inotropismo)

•Representa o desempenho do coração, para condições determinadas de pré-carga e pós-carga

–Pré-carga:Volume diastólico final

–Efeito inotrópico positivo:aumento na contratilidade por efeito de drogas como norepinefrina e digital

Contratilidade Diretamente relacionada a concentração intracelular de Cálcio

•Sistema Nervoso Simpático

–Ativação de receptores Beta 1, que são acoplados, por proteína

Gs, àadenil ciclase, que ativada aumenta a produção de AMPc –Fosforilaçãode canais de Cálcio, permitindo maior corrente de influxo de cálcio

–Ativação da proteína fosfolambanoque estimula a bomba de cálcio do retículo sarcoplasmático; aumentando os depósitos de cálcio no retículo sarcoplasmático

Contratilidade

–Inibição da Na+-K+ ATPase –Aumento da Concentração intracelular de Sódio

–Aumento da concentração de Ca+2intracelular

Inotropismo

Sistema Nervoso Autonômico

• Simpático

–Aumenta a freqüência cardíaca –Aumento da velocidade de condução

–Aumento da força de contração do músculo cardíaco

–Norepenifreninaaumenta a permeabilidade ao cálcio

• Parassimpático –Reduz a freqüência do nodo sinusal

–Reduz a excitabilidade das fibras atrioventriculares

–Acetilcolinaaumenta permeabilidade ao potássio

(hiperpolarização da célula)

Atuação do SNA na musculatura cardíaca

Atuação do SNA no nó sinusal

25 Impulso elétrico e ECG

Comentários