Imunização na Prática

Imunização na Prática

(Parte 1 de 5)

OMS/GPV/98.07 ORIGINAL: INGLÊS

Imunização na prática

Organização Mundial de Saúde Genebra

Traduzido do original Immunization in practice por Edson Alves de Moura Filho, Médico Sanitarista do Serviço de Fomento e Cooperação Técnica em Informática – Datasus/AL, Assessor Supervisor da Coordenação Geral do Programa nal de Imunizações- CGPNI/CENEPI/FUNASA/MS

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Conteúdo

Introdução 1 Módulo 2: Vacinas do Pai3 Módulo 3: A rede de frio7 Módulo 4: Garantindo injeções seguras12 Módulo 5: Organizando sessões de imunização15 Módulo 6: Durante uma sessão: registrando e avaliando clientes18 Módulo 7: Durante uma sessão: preparando vacinas21 Módulo 8: Durante uma sessão: aplicando imunizantes23 Módulo 9: Após uma sessão26 Módulo 10: Comunicando-se com os familiares e envolvendo-se com a comunidade27 Módulo 1: Monitorando a cobertura vacinal31

Módulo 1: Monitorando cobertura vacinal

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Introdução

O Manual de Atividades do Treinando, os módulos Imunização na Prática e o Manual do Instrutor são partes de um pacote de aprendizagem para trabalhadores da saúde que administram vacinas. O Manual do Instrutor descreve as atividades que os trabalhadores da saúde devem garantir a fim de dominar todas as habilidades envolvidas nos serviços de imunização. O Manual de Atividades do Treinando contém exercícios que os trabalhadores da saúde podem fazer individualmente ou em grupos pequenos.

Os treinados devem completar todos os exercícios em cada módulo, ou os instrutores podem selecionar os exercícios que considerarem de maior relevância.

O Manual do Instrutor contém notas sobre cada exercício, às quais os treinandos e os instrutores podem se referir.

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Módulo 2: Vacinas do PAI

Exercício 1 1. Quais as vacinas que são mais danificadas pelo calor? 2. Por que você deve descartar as vacinas reconstituídas após uma sessão?

3. O que é o calendário de imunização para crianças? Cite as vacinas, as doses e as idades recomendadas para a imunização.

4. O que é o calendário de imunização para mulheres em idade fértil? Cite as doses e os intervalos recomendados para cada imunização.

5. O que são os efeitos adversos de cada vacina? O que dirá você aos familiares se eles ocorrerem?

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Exercício 2

Estudo de caso O sagaz Secretário de Saúde de Munga

Na Província de Munga, um sagaz Secretário de Saúde de nome Thomas está administrando um bem sucedido programa de imunização.

Um dia, ele visita um hospital distrital e choca-se ao encontrar 19 crianças com sarampo, algumas delas severamente doentes. Ele solicita da equipe do hospital informações sobre a história de imunização das crianças.

Quatro desses 15 nunca tinham estado em um centro de saúde ou outro serviço de saúde antes de serem hospitalizados. Onze desses 15 tinham ido a um centro de saúde para serem imunizados contra o sarampo, porém não a receberam porque os trabalhadores da saúde não imunizavam crianças com resfriados ou diarréia.

• Quatro crianças tinham recebido a imunização contra o sarampo no mesmo centro de saúde e o tinham feito na idade certa para isto.

2. O que deve o administrador médico fazer para reduzir o número de casos de sarampo na província?

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Exercício 3

Estudo de Caso O parapeito da janela

Uma sexta-feira, Ramesh decide descongelar e limpar seu refrigerador porque apresentava uma espessa camada de gelo ao redor do congelador.

Ele coloca bobinas de gelo reciclável em uma caixa para vacinas e então coloca as vacinas do refrigerador no meio dessas bobinas. Não existe espaço suficiente na caixa para todos os produtos, então ele coloca o diluente no parapeito interno da janela.

“O diluente estará seguro aqui até que eu possa colocá-lo de volta ao refrigerador. O diluente não perderá potência como ocorre com as vacinas.”

Na segunda-feira seguinte, dia de imunização na Clínica, muitas crianças chegam para serem imunizadas contra o sarampo. Ramesh retira do refrigerador a vacina contra o sarampo, porém à primeira vista não pode encontrar o diluente. Eventualmente ele o vê no parapeito da janela.

1. Pode o diluente do parapeito da janela ser usado para reconstituir a vacina contra o sarampo?

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Exercício 4

Estudo de caso Dois meses de gravidez

Sra. Kama, grávida de dois meses de seu primeiro filho, está na clínica e houve um trabalhador da saúde falando para um grupo de mulheres. Ela está falando para elas sobre o tétano neonatal, uma doença que causa morte em recém-nascidos, e sobre a injeção que as mulheres podem tomar para protegê-las e aos seus bebês.

A enfermeira Célia está aplicando as imunizações com toxóide tetânico. Sra. Kama solicita-lhe uma aplicação. “Eu brevemente estarei indo para a cidade de minha mãe e permanecerei lá por vários meses,” diz ela. “Poderá não haver tempo para duas injeções quando eu retornar”.

“Sinto muito,” diz a enfermeira Célia, “Não posso te aplicar o toxóide tetânico agora. Sua gravidez está muito no início e isto poderá prejudicar seu bebê”.

“Minha amiga disse-me que os trabalhadores da saúde em Ibutown dão essas injeções a cada mulher na primeira vez que ela comparece a um clínica de pré-natal – mesmo se ela estiver no primeiro mês de gravidez. Eles dizem que não é perigoso.”

“Sinto muito”, diz a enfermeira Célia. “Meu supervisor tem me dito para não dar o toxóide tetânico antes de uma mulher atingir o quarto mês de gestação.”

1. Quem está seguindo o procedimento correto: a enfermeira Célia ou os trabalhadores da saúde de Ibutown?

Imunização na Prática: Manual de atividades do treinando Traduzido por: Edson Alves de Moura Filho e-mail: edson.moura@saude.gov.br

Módulo 3: A rede de frio

(Parte 1 de 5)

Comentários