NBR 5060 NB 209 - Guia para instalação e operação de capacitores de potencia

NBR 5060 NB 209 - Guia para instalação e operação de capacitores de potencia

(Parte 1 de 6)

C6pia impressa pelo Sistema CENWIN

SUMARIO 1 Objetivo 2 Documentos COItIplenkVItareS

3 Dafini@es

4 Generalidades 5 Escolha de tens& nominal

6 Temperatura de funcionamsnto

7 Condi@es especlais de funcionamento

8 SobretensBes 9 Sobrecorrentes fll Equipamentos de manobra, controle, prote@%Y e liga@es 1 Escolha do nkel de isolamento 12 Capacitores llgados a sistemas que possuem telecomando par audio-freqtikcia

13 Aequisitos de seguranp 14 Inspa@ s manuten~o

ANEXO A -Tabelas

ANEXO B - Figuras

1 OBJETIVO

Esta Norma fixa as condi@s exigiveis de carater geral para a instala$So e a operaq%o de capacitores de potgncia em sistemas de pot&ncia.

2 DOCUMENTOS COMPLEhlEfiTARES

Na aplica$Bo desta Norma B necess&rio consultar: NBR 5456 - Eletrotbcnica a eletrdnica Eletricidade em geral - Terminologia

NBR 5262 - Capacitores de potgncia - Especificaqfio

3 DEFlNl@IES

3.1 OS termos tecnicos utilizados nesta Norma estao definidos na NBR 5262 e na NBR 5456.

Orlgem: Proieto NB-209i1979 CB-03 - Comite Brasileiro de Eletricidade SC3:2 - Sub-comitC Elstrotknica I CT-3 - ComlssBo T&nica de Capacitores de PotOncia

METROLOGIA, NORMALlZAt$O ABNT - ASSOCIACAO BRASILEIRA DE NORMASThNICAS

E QUALIDADE INDUSTRIAL 0

Palavra-chavs: capacitor NBR 3 NORMA BRASILEIRA REGISTRADA CDU: 621.319.4.004.24 Todos os dlreltos reservados 24 peglnas

Copia impressa pelo Sistema CENWIN 2 NBR-BOBO/1977

4 GENERALIDADES

4.1 Ao contrario da maioria dos equipamentos elitricos, os capacitores ligados i em derivagk, quando postos em servigo, funcionam permanentemente a plena potsn - cia ou a pot&cia que se afastam daquele valor somente devido a variagoes de ten- sao .

4.2 As sobrecargas e os aquecimentos diminuem a vida dos capacitores e, em conse - qu&cia, as condi@es de funcionamento (isto 6, temperatura, tensso e corrente)de - vem ser rigorosamente controladas.

4.3 Deve-se notar que a introdugao de uma capacitsncia concentrada num sistema

pode produzir condigoes insatisfatorias de funcionamento, coma por exemplo, ampli - ficagk dos harknicos, auto-excitaG:o das “squirms, sobretens% de manobra, fun- cionamanto insatisfatorio dos equipamentos de telecomando.

4.4 Devido aos diferentes tipos de capacitores e aos muitos fatores que entram r em jogo, nao i possivel abranger por simples regras todos OS cases de instalasao’ e operagao. As indica$es anteriores referem-se aos pontos mais importantes we

devem ser cons iderados. Por outro lade, devem ser seguidas as instrugk do fabri - cante e das empresas fornecedoras de energia, particularmente aquelas relativas 5 retirada dos capacitores do circui to nos periodos de baixa carga.

5 ESCOLHA DA TENti NOMINAL

5.1 A tens% nominal do capacitor, em principio deve ser igual 5 tens& efetiva de operagao do sistema no qua1 o capacitor deve ser instalado, levando-se em con-

ta a inflGncia do proprio capacitor.

5.1.1 Em certos sistemas pode existir uma consider&e1 diferenga entre a tensso efetiva e a ten&o nominal do sistema devendo o comprador fornecer as informacoes necessirias, de mode que o fabricante as possa levar em consideragao.

5.1.2 Quando OS circuitos de bloqueio sao montados em sirie corn o capacitora fim de reduzir OS efeitos dos hartinicos,etc., o aumento correspondente da tensso nos

terminais do capacitor, corn relagao 5 tensso efetiva de operasso do sistema,exigi - ra urn aumento equivalente da ten&o nominal do capacitor.

5.1.3 Salvo indica& em contrario, a tensso efetiva de operacao set-5 considera- da corn0 a tensao nominal do sistema.

Notas: a) Deve-se evitar, na escolha da tensao nominal Un uma excessiva margem de seguranga, porquanto isto resultaria numa diminuicao da potsncia efeti-

vamente disponivel, quando comparada a potencia nominal.

C6pia impressa pelo Sistema CENWIN NBR-606011977 3 b) A potsncia reativa fornecida pelo capacitor 6 igual a pot&cia efeti- va do capacitor (considerada a tolerancia de fabricaG:o conforme NBR 5282) vezes o quadrado da rela@o entre a ten&o efetiva de ooera

$So e a tenGo nominal do capacitor.

5.2 levar em conta, na determinaG8o da ten&o prevista’ nos terminais ’

do capaci tar, al& do efeito do circuit0 de bloqueio mencionado, as seguintes ’ considera$es:

a) OS capacitores produzem urn aumento de ten&o no ponto onde eles se en-

contram. Este aumento de ten&o pode ser consideravel para certos harti - nicos que possam existir. Em consequencia, OS capaci tore~s podem ser le- vados a funcionar a uma tensso superior aquela medida antes da ligagao’ dos capaci tares;

b) a tensso nos terminais do capacitor pode ser particularmente elevada ’ nos periodos de baixa carga. Neste case, “ma parte ou a totalidade dos capacitores deveri ser colocada fora de funcionam.&to, de mode a evitar

que OS capacitores sejam submetidos a esfor$os excessivos, e o apareci- mento de sobretensoes anormais no sistema.

5.3 $omente em cases excepcionais e durante periodos de curta duraGao, os citores podem funcionar 5 tensso mixima de opera@o e a temperatura ambiente ti - xima, simultaneamente.

5.4 D limite de 135% da pot6ncia nominal do capacitor pode ser excedido se as potsncias reativas,~ conforme a NBR 5282, estiverem presentes simul tane= mente.

5.4.1 Cases de aplicasao de capacitores onde 6 necessario exceder esse limite, deverao ser levados ao conhecimento do fabricante.

5.5 As tensoes medidas corn analisador de harrGnicos entre OS terminais dos ca- paci tares devem atender as seguintes inequa@es:

(Parte 1 de 6)

Comentários