Revista Brasileira de Educação Ambietal-n°-1

Revista Brasileira de Educação Ambietal-n°-1

(Parte 1 de 14)

educação ambiental

Um dia a vida surgiu na Terra

A Terra tinha como a vida um cordão umbilical. A vida e a Terra. A Terra era grande e a vida pequena. Inicial. A vida foi crescendo e a Terra ficando menor, não pequena. Cercada, a Terra virou sorte de alguns e a desgraça de tantos. Na história foi tema de revoltas, revoluções, transformações. A Terra e a cerca.

Muitas reformas se fizeram para dividir a Terra, para torná-la de muitos e, quem sabe, até de todas as pessoas. Mas isso não aconteceu em todos os lugares.

A democracia esbarrou na cerca e se feriu nos seus arames farpados.

O mundo está evidentemente atrasado.

Onde se fez a reforma, o progresso chegou. Mas a verdade é que até agora a cerca venceu, o que nasceu para todas as pessoas, em poucas, em poucas mãos ainda está.

No Brasil, a Terra, também cercada, está no centro da história.

Os pedaços que foram democratizados custaram muito sangue, dor e sofrimento. Virou poder de Portugal, dos coronéis, dos grandes grupos, virou privilégio, poder político, base da exclusão, força de Apartheid.

Nas cidades, viraram mansões, favelas. Virou absurdo sem limites, tabu. Mas é tanta, é tão grande, tão produtiva, que a cerca treme, os limites se rompem, a história muda e ao longo do tempo, o momento chega para pensar diferente: a Terra é bem planetário, não pode ser privilégio de ninguém, é bem social e não privado, é patrimônio da humanidade, e não arma de egoísmo particular de ninguém. É para produzir, gerar alimentos, empregos, viver. É bem de todos para todos.

Esse é o único destino possível para a Terra. Hebert de Sousa (Betinho)

educação ambiental

Revista brasileira de educação ambiental / Rede Brasileira de Educação Ambiental. – n. 1 (nov.2004). – Brasília: Rede Brasileira de Educação Ambiental, 2004. 140 p. v.:il. ; 28 cm. (Edição especial - Anais do V Fórum Brasileiro de Educação Ambiental / Encontro da Rede Brasileira de Educação Ambiental)

Trimestral. Coordenação editorial: Heitor Medeiros e Michèle Sato

1. Educação ambiental – Brasil. I. Redes de Educação Ambiental. CDU 37:504

Publicação da Rede Brasileira de Educação Ambiental w.rebea.org .br

Coordenação editorial: Heitor Medeiros (DEA/MMA - REBEA - REMTEA)

Michèle Sato (REMTEA - REBEA - UFMT)

Conselho Editorial: Aloísio Ruscheinsky (FURG-RS) • Áttico Chassot (UNISINOS-RS) • Frederico Loureiro (UFRJ-RJ)

Haydée de Oliveira (UFSCar-SP) • Hedy Vasconcelos (PUC-RJ) • Isabel Carvalho (ULBRA-RS) Laís Mourão (UnB-DF) • Luiz Marcelo de Carvalho (UNESP-SP) • Maria do Carmo Galiazzi (FURG-RS) Maria Inês Iguchi (Inpa-AM) • Maria Inês C. Levy (FURG-RS) • Maria Inêz de Oliveira (UFSE-SE) Martha Tristão (UFES-ES) • Mauro Guimarães (UNIGRANRIO-RJ) • Pedro Jacobi (USP-SP) Philippe Layargues (MMA-DF) • Ramiro Camacho (UERN-RN • Sônia Zakrzevski (URI-RS) Suíse M. Bordest (UFMT-MT) • Valdo Barcelos (UFSM-RS)

Fotos:Mário Friedlander (Parque Nacional da Chapada dos Guimarães - capa, contracapa e páginas 3, 6 e 9) Bené Fonteles (Projeto de arte e educação ambiental “Caminho das Águas” - Rio São Francisco - 1999/2000)

Projeto gráfico: Bené Fonteles/Licurgo S. Botelho Editoração eletrônica: Sapiens Comunicação

Os artigos aqui publicados refletem a posição de seus autores e são de sua inteira responsabilidade.

Agradecemos as instituições, empresas e ONGs que contribuíram para a realização do V Fórum Brasileiro de Educação Ambiental

Agência Goiana do Meio Ambiente Banco da Amazônia Caixa Econômica Federal Companhia Siderúrgica de Tubarão Companhia Vale do Rio Doce Conservação Internacional (CI) Ecomarapendi

Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (FINDES)

Grupo de Defesa Ecológica (GRUDE) Instituto do Crisotila Ministério da Educação - COEA/MEC Ministério do Meio ambiente - DEA/MMA Petrobras Prefeitura de Goiânia Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Goiás Secretaria Municipal do Meio Ambiente - Goiânia Serviço Nacional do Comércio (SENAC) e a todas as Redes de Educação Ambiental articuladas no âmbito da REBEA

educação ambiental

Histórico6
Objetivos7
Eixos Temáticos7
Programação do V Fórum1
Minicursos e Oficinas19
Mapa do V Fórum no Centro de Convenções26
Resumos – Minicursos, Oficinas31
List dos P ainéis59
GTs – Grupos de T rabalho93
Michèle Sato & Heitor Medeiros108

O verde e amarelo da educação ambiental

Aline P into de Almeida112

Refletindo sobre metodologias de engajamento comunitário: Teatro do Oprimido como instrumento para Agenda 21

Luiz Antonio Ferraro Júnior116

A universidade e a formação do educador ambiental Uma breve reflexão sobre as experiências da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS

Miriam Duailibi120

O mundo que queremos, é um mundo possível?

Michèle Sato123

Fios po-éticos e malhas surrealistas na tessitura das redes

Patricia Otero130
Comissões de Organização133

Gestão e Conectividade na Rede Paulista de Educação Ambiental

Bené Fonteles140

Pertencimento sumáriosumário

educação ambiental

A história da REBEA – Rede Brasileira de Educação Ambiental - se confunde com a própria história dos fóruns de Educação Ambiental. Nascida da vontade de manter viva a articulação nacional dos educadores ambientais brasileiros, a REBEA teve origem no ambiente dos Fóruns de Educação Ambiental promovidos em São Paulo nos anos 1990.

A idéia de sua criação foi lançada em 1992, durante o I Fórum, na efervescência que antecedia a Rio-92, adotando-se como carta de princípios o “Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global” e como padrão organizacional a estrutura horizontal em rede.

O I Fórum, realizado em 1994, em São Paulo, já deixava perceber claramente que os eventos que aconteciam em São Paulo não eram de caráter regional – a mobilização gerada pelos fóruns de EA havia alcançado abrangência nacional.

Para consolidar e ampliar os

Fóruns optou-se por realizar os encontros seguintes fora do estado de São Paulo e sob a coordenação da Rede Brasileira de Educação Ambiental.

Em 1997 aconteceram, então, na cidade de Guarapari (Espírito Santo) o IV Fórum de Educação histórico

educação ambiental

Ambiental e o I Encontro da Rede Brasileira de Educação Ambiental, marcando um momento importante na consolidação da REBEA.

Desde então, a REBEA vem se expandindo e fortalecendo suas articulações no país inteiro e se transformou numa rede de redes de Educação Ambiental.

Em 27 de outubro de 2003, em reunião da facilitação nacional da REBEA realizada em São Paulo, com a definição do apoio do Órgão Gestor da Política Nacional de Educação Ambiental (DEA/MMA e COEA/MEC) ao evento, decidiu-se que o V Fórum deveria acontecer ainda em 2004.

Na reunião foi criado um Grupo de Trabalho para coordenar a elaboração do projeto do V Fórum.

Os documentos e atividades do processo de organização do evento podem ser acompanhados pela página do V Fórum w.mma.gov.br/port/sdi/ea/vforum/ index.html bem como na página da REBEA w.rebea.org.br.

De modo a permitir a participação do maior número possível de pessoas, oriundas das diferentes regiões do país, sugeriu-se que o encontro acontecesse em cidade de localização central, tendo sido Goiânia escolhida por reunir uma série de condições favoráveis.

Os Fóruns de Educação Ambiental são o mais legítimo espaço presencial de congregação e convivência do coletivo nacional de educadores ambientais que constituem a REBEA.

(Parte 1 de 14)

Comentários