manejo de plantas invasoras em pastagem

manejo de plantas invasoras em pastagem

MANEJO DE PLANTAS INVASORAS EM PASTAGEM

André Luiz de Souza

Elias Rangel Soares Neto

INTRODUÇÃO

  • Em 2008 o Brasil exportou 2,2 milhões de toneladas de carne bovina, 28% do mercado;

  • No Brasil é a carne mais consumida;

  • Tem potencialidade de crescimento;

  • A Brachiaria brizantha é a forrageira mais cultivada;

  • Sendo que as plantas invasoras de pastagem representa boa parte no custo de produção;

Por que controlar plantas invasoras?

  • Competição com a forrageira;

    • Luminosidade;
    • Nutrientes;
    • Alelopatia;
  • Redução na quantidade e qualidade da forragem;

  • Toxidez para os animais (Ervas);

  • Irritação das mucosas pelas perfurações;

Principais plantas invasoras de pastagem

  • Folha estreita:

    • Capim rabo-de-burro (Andropogon bicornis), Capim pé-de-galinha (Eleusine indica), Tiriricão (Cyperus sp.), Carrapicho (Cenchrus echinatus), Capim gordura (Paspalum conjugatum), Capim colchão (Digitaria horizontalis);
  • Folha larga:

    • Assa peixe (Vernonia sp.), Joá de capote (Solanum sisymbrifolium), Joá bravo (Solanum paniculatum), Fedegoso (Cassia tora), Guanxuma (Sida sp.), Unha de gato (Acacia sp) e (Sharnkya sp), Picão preto (Bidens pilosa), Leiteiro (Euphorbia paniculata), Buva (Erigeron bonariensis), Samambaia (Pteridium aquilinum), Dorme-Dorme (Mimosa pudica), Erva de rato (Palicourea sp.);

Invasoras – Folha estreita

Invasoras – Folha larga

Invasoras – Folha larga

Controle

  • Controle cultural;

  • Controle físico;

  • Controle Mecânico;

    • Manual;
    • Mecanizado;
  • Controle biológico;

  • Controle Químico;

    • Manual:
      • Geralmente dirigido
    • Mecanizado;
      • Area total ou dirigido;

Controle cultural

  • Rotação de pastejo;

  • Introdução de leguminosas;

  • Quarentena de animais;

  • Adubação do solo;

  • Sementes livres de invasoras;

  • Forrageiras adaptadas;

Controle físico

  • Uso de fogo:

    • Vantagens:
      • Rebrote da pastagem;
      • Queima de partes lignificadas;
    • Desvantagens:
      • As invasoras também pode rebrotar;
      • Risco de incêndio generalizado;

Controle mecânico

  • Manual:

    • Enxadão;
    • Foiçe;
  • Mecanizado:

    • Roçadora;
    • Rolo faca;
    • Subsolador;

Controle biológico

  • Espécies forrageiras agressivas;

  • Uso de insetos (cactoblastis cactorium)

  • Consórcio com ovinos e caprinos;

Controle químico

  • Uso de herbicidas registrados para pastagem;

  • Manual ou mecanizado;

      • Bomba costal, burrojet, entre outros.
      • Autopropelido, pulverizador de arrasto, avião e etc.
  • Dirigido ou área total;

    • Menor que 40% de infestação é dirigido;
    • Maior que 40% de infestação é área total;
  • Foliar, no toco, no tronco ou no solo;

Principais produtos usados em pastagem

  • 2,4-D → DMA 806 BR, U-46 , Herbi D480

  • Picloran → Padron, Pique 240 SL, Texas, Runner

  • 2,4-D + Picloran → Tordon, Dontor, Grazon BR, Mannejo, Tractor, Tucson

  • Triclopir → Garlon

  • Fluroxipir → Starane 200

  • Triclopir + Fluroxipir → Truper

  • Fluroxipir + Picloran → Plenum

  • Triclopir + Picloran → Togar TB

Principais produtos usados em pastagem

  • Aminopiralide + Fluroxopir → Dominum

  • Aminopiralide + 2,4-D → Jaguar

  • Éster butílico → Esteron 400 BR

  • Glifosate → Roundup, Gliz, Glifosato

  • Paraquat → Gramoxone 200

  • Tebuthiuron → Graslan 100

  • Dicamba → Banvel 480

Tordon

  • Princípio ativo: 2.4-D + Picloran

  • Grupo Químico: fenoxiacéticos e derivado do ácido picolínico

  • Classe: Herbicida sistêmico de ação seletiva

  • Empresa: Dow agrosciences

  • Indicação: Aplicação em área total ou dirigida

Mannejo

  • Princípio ativo: 2.4-D + Picloran

  • Grupo Químico: fenoxiacéticos e derivado do ácido picolínico

  • Classe: Herbicida sistêmico de ação seletiva

  • Empresa: Dow agrosciences

  • Indicação: Aplicação em área total ou dirigida

Padron

  • Princípio ativo: Picloran

  • Grupo Químico: Derivado do ácido picolínico

  • Modo de ação: Herbicida seletivo de ação sistêmica

  • Empresa: Dow agrosciences

  • Indicação: Produto com corante indicado para aplicação no toco para controle de plantas arbustivas e lenhosas

Dominum

  • Princípio ativo: Aminopiralide e Fluroxipir

  • Grupo Químico: ácido piridiniloxialcanóico

  • Modo de ação: Herbicidasistêmico de ação seletiva e pós emergente

  • Empresa: Dow agrosciences

  • Indicação: Aplicação em área total ou dirigida, no controle de invasoras folha largas

Plenum

  • Princípio ativo: Fluroxipir + Picloran

  • Grupo Químico: Piridinas e ácido picolínico

  • Modo de ação: Herbicida seletivo de ação sistêmica

  • Empresa: Dow agrosciences

  • Indicação: Usado no controle de invasoras de dificil controle, como o assa-peixe.

Integração lavoura pecuária

    • Reforma de pastagens degradadas;
  • Recuperar fertilidade do solo;

  • Amortizar custos da reforma;

  • Produzir alimento para a estação seca (animais);

  • Diversificação da renda;

Roundup

  • Princípio ativo: Glifosate

  • Grupo Químico: Derivados da glicina

  • Modo de ação: Herbicida sistêmico de ação não seletiva

  • Empresa: Monsanto

  • Indicação: Dessecação da forrageira para implantação de outra cultura, ou aplicações dirigidas

Gramoxone

  • Princípio ativo: Paraquat

  • Grupo Químico: bipiridílios

  • Modo de ação: Herbicida de contato de ação não seletiva

  • Empresa: Syngenta

  • Indicação: Dessecação da forrageira para implantação de outra cultura, ou aplicações dirigidas

Truper

  • Princípio ativo: Fluroxipir + Triclopir

  • Grupo Químico: Piridinas e ácido piridiniloxialconóico

  • Modo de ação: Herbicida sistêmico de ação seletiva

  • Empresa: Dow agrosciences

  • Indicação: Indicado para integração lavoura-pecuária, pois permite baixa concentração de resíduos no solo.

Referências bibliográficas

  • Disponível em: < http://www.cnpgc.embrapa.br /publicacoes/doc/doc117/05metodos.html. Acesso em 13 de novembro de 2010.

  • Disponível em: < http://www.agroquima.com.br /produtos.php?idC=291. Acesso em 13 de novembro de 2010.

  • Disponível em: < http://www.dowagro.com /homepage/index.htm. Acesso em 13 de novembro de 2010.

Comentários