Relatório de Estágio Supervisionado I

Relatório de Estágio Supervisionado I

(Parte 1 de 3)

18

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS

CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE TABATINGA

CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM LETRAS

ENELSON RAMOS RAMIRES

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Tabatinga

2010

ENELSON RAMOS RAMIRES

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Relatório apresentado para obtenção de nota parcial na disciplina Prática de Ensino da Língua Portuguesa e Literatura-Estágio Supervisionado I do Curso de Licenciatura em Letras da Universidade do Estado do Amazonas.

Orientadora: Ilma Marques Obando.

Tabatinga

2010

INTRODUÇÃO

Atualmente, considera-se a educação um dos setores mais importantes para o desenvolvimento de um país. É através dela que os cidadãos produzem conhecimentos e ajudam no crescimento pessoal e da nação em que vive aumentando sua renda e qualidade de vida das pessoas inseridas no contexto.

O presente relatório tem por objetivo apresentar informações que foram adquiridos com as observações no decorrer do período de Estagio Supervisionado I, voltado para o ensino da Língua Portuguesa nas séries do sexto ano “D”, sétimo ano “D” e “E”, na Escola Estadual Marechal Rondon.

Desta forma este relatório abordará um pouco da realidade da educação nesta instituição de ensino, observando o rendimento dos alunos durante a execução das aulas e o desempenho do professor em busca dos meios necessários para atingir seus objetivos com relação à aprendizagem.

O estágio possibilita aos futuros professores a compreensão das ações praticadas dentro da instituição, assim dando uma prévia da realidade, como também do que nos queremos realmente para a preparação à inserção profissional. Vale ressaltar, que aprendemos observando o professor, porém, elaboramos nosso próprio modo de ser, um incentivo para a profissão futura.

Portanto, faz-se necessário que a educação seja levada a sério e que a teoria e a prática caminhem juntas em favor de possibilitar a compreensão do aluno e que esta educação tenha efeito significativo em sua vida.

  1. QUESTIONÁRIO DIAGNÓSTICO DA ESCOLA

    1. IDENTIFICAÇÃO DA ESTÁGIÁRIO

OEstagiário Enelson Ramos Ramires, com número de matrícula 0728050016, matriculado no Curso de Licenciatura em Letras, 6º Período Vespertino, mora na Rua Santos Dumont, casa cento e oitenta e oito no Bairro Das Comunicações, município de Tabatinga, telefone (97) 91654218, e-mail: internelson@hotmail.com; Nasceu no dia cinco de Dezembro de mil novecentos e oitenta e quatro na cidade de Tabatinga no Estado do Amazonas, solteiro, de cor morena clara, sua ocupação no momento é de Auxiliar Administrativo no Centro Estudos Tecnológico do Amazonas CETAM, e de Estudante Universitário na Universidade do Estado do Amazonas, UEA.

1.2. DADOS DA ESCOLA

A Escola Estadual Marechal Rondon, é a pioneira do Município de Tabatinga, foi construída em 20 de dezembro de 1947, através de mutirão e inaugurada em 20 de janeiro de 1948. Chamava-se Escola São Sebastião, em homenagem ao santo. Foi dirigida por uma professora chamada Nazaré Franco Loureiro. Possuía apenas uma sala de aula. Dois anos depois, por ser a única fonte cultural, passou a chamar-se Nova Esperança.

A escola era muito pequena e o número de pessoas interessadas no ensino era muito grande, desta forma passaram a ministrar aulas embaixo de uma mangueira existente ao lado da escola. Em quatro de abril do mesmo ano, o Sr. Farias cabo do Exército Brasileiro, juntamente com sua esposa Sr. Oscarina Gomes, irmã do primeiro prefeito do município Sr. Oscar Gomes da Silva, passaram a fazer parte do corpo docente. Nessa mesma época, deu-se início a construção da igreja dos Santos Anjos, padroeiro do município. Em maio de 1952 um forte temporal destruiu as dependências da escola, fazendo com que os alunos passassem a estudar na paróquia.

Anos mais tarde a escola passou a chamar-se Grupo Escolar Sete de Setembro. Em maio com a chegada do Plano Piloto e com a ajuda da professora, Astrogilda e do bispo do Alto Solimões, Dom Alberto Marzi e com o convênio do Comando Militar da Amazônia-(CMA), foram determinados a construção de uma nova escola. Por localizar-se próximo ao Marco Divisório, deu-se o nome de Grupo Escolar Marechal Rondon, em homenagem ao patrono das comunicações do Exército brasileiro, militar sertanista Cândido Mariano da Silva Rondon.

Na década de setenta com um novo endereço sendo este a Avenida da Amizade s/n no centro da cidade, foi ampliada e removida para o nome Marechal Rondon. Em 2001 a escola passou por uma reforma, a qual lhe deixou em condições perfeitas de funcionamento.

É uma instituição mantida pelo governo do Estado do Amazonas através da secretária Estadual de Educação e Cultura. A escola funciona em tempo integral nos Matutino, Vespertino e Noturno

A Escola Estadual Marechal Rondon está localizada na Rua Avenida da Amizade, número setenta, com o telefone (97) 3412- 2123, e está sob o comando da diretora Alcineila Castelo B. Maia há um ano e dez meses no cargo.

A escola tem como entidade mantenedora a Secretaria Estadual de Educação- SEDUC, e possui uma área construída de 2.350.41 m², mas o seu terreno tem uma área de 31.750,000 m², e funciona nos turnos Matutino, Vespertino e Noturno.

    1. ASPECTOS FÍSICOS

O tipo de prédio da Escola Estadual Marechal Rondon é de alvenaria e a sua cobertura é de telhas, devido à última reforma que foi feita há três anos e seis meses.

A escola possui em sua estrutura doze salas de aula, uma biblioteca, um laboratório de Informática, uma sala de professores, com banheiros para homens e mulheres, uma secretaria, uma diretoria, uma cantina, uma quadra poliesportiva, um banheiro para os alunos do sexo masculino, feminino, para deficientes e um depósito.

A Escola Estadual Marechal Rondon até o momento está em estado regular de conservação, mesmo com alguns empecilhos em portas e fechaduras, ar condicionado com defeito, as janelas quebradas e rabiscadas, as condições sanitárias são suportáveis apesar do mau cheiro dos banheiros masculino e feminino, ambos estão sem portas, as paredes da maioria das salas de aulas estão riscadas pelos alunos.

As salas de aula são iluminadas por lâmpadas fluorescentes, sendo quatro fluorescentes em cada sala de aula para que os alunos do turno noturno possam ter maior visibilidade, sendo que elas são ligadas também nos turnos matutino e vespertino quando o dia está chuvoso e escuro.

A parte externa também possui quatro fluorescentes, assim como na biblioteca, na secretaria, na sala dos professores e nas outras dependências da escola, para que não só o turno da noite tenha uma boa visibilidade, mas sim todas as pessoas que frequentam a escola.

A escola tem um pequeno jardim no centro da estrutura, existe também uma horta cultivada pela escola.

O abastecimento de água é feito por poço artesiano, a caixa d’água têm capacidade de armazenar cinco mil litros de água, para assim ter uma boa quantidade de água para os seus frequentadores.

As salas de aula possuem capacidade média para quarenta alunos, mas devido ao excesso de alunos que querem estudar, há superlotação nas salas entre quarenta e cinqüenta discentes, em muitos casos até mais, causando assim um emprensamento nas cadeiras e dificultando o trabalho dos educadores em manter o controle na sala de aula.

Os meios de comunicação utilizados pela escola são o telefone e o fax e a Internet. O Laboratório de Informática possui quinze computadores, no momento o Laboratório encontra-se em funcionamento, ele é aberto para os alunos nos turnos matutino e vespertino, mas durante a noite permanece fechado. Geralmente a maioria dos alunos tem acesso a ele, agora os alunos têm plena liberdade, os monitores auxiliam os alunos para que façam suas pesquisas de forma correta e orientam sobre o bom uso dos computadores.

A escola possui recursos multimídia: três televisores, um DVD, um retroprojetor, todos esses equipamentos são usados para facilitarem os trabalhos dos professores.

A escola não dá muitas possibilidades para os portadores de necessidades especiais, existe somente um banheiro minúsculo que é usado como depósito de materiais esportivos.

    1. RECURSOS HUMANOS

A escola possui um grupo com quarenta e cinco educadores, duas pedagogas, uma trabalha nos turnos matutino e noturno, e a outra no turno vespertino, quatro Auxiliares Administrativos, seis auxiliares de Serviços Gerais, quatro vigias, cinco merendeiras.

    1. QUANTO A GESTÃO E CLIMA ORGANIZACIONAL DA ESCOLA

A diretora Alcineila Castelo B. Maia procura desenvolver uma gestão democrática, participativa e dinâmica, com a participação de todos. A direção se define em duas palavras: Democracia e participação, onde todos têm plena liberdade de expressão.

A escola possui a Associação de pais e mestres que representa tanto os educadores, como os alunos e seus pais.

A escola tenta ter o melhor relacionamento possível com a comunidade, em especial com a família de cada educando. Sempre que necessário faz-se uma assembléia geral e juntos discutem os problemas da escola e dos educandos até chegarem a uma solução.

Há uma relação cordial entre direção, pedagoga e educadores, gerando assim o êxito nos trabalhos, mesmo com as dificuldades que ambos passam para atender melhor possível o educando, e assim ouvir todos os seus questionamentos não só deles, mas também da comunidade em geral.

O Grêmio Estudantil não está em funcionamento. Previsão para o funcionamento só para o ano de 2011.

Existe um caixa estudantil, mas está parado devido à dificuldade de arrecadação de verbas, no momento não há indícios de reativação.

A merenda escolar era para ser regionalizada, mas não é, sendo que a verba vem para a prefeitura do município, porém a falta de comprometimento resultou somente em um único mês a chegada de frutas da região. Mensalmente a escola recebe merenda que não é da região como os enlatados.

O Ginásio Poliesportivo é utilizado por terceiros dependendo de quem for procurar. As instituições públicas com documentos oficiais podem utilizar gratuitamente o Ginásio, mas as equipes de futebol, ou outras pessoas da comunidade devem dar uma contribuição simbólica a fim de fazer a manutenção do lugar.

O esporte ocorre através de campeonatos realizados entre os próprios educandos, ou seja, interclasse, dentro do ginásio, mas devido ao seu longo terreno facilita a realização de outras recreações feitas pelos educadores.

Uma forma de lazer bastante trabalhada é a música e a dança, gerando assim a competição da escola em campeonatos realizados pelo município. A escola também possui atividades culturais, sendo uma delas a arte, como já citada acima à dança e a música, pois as mesmas possibilitam maior disciplina e concentração nos estudos.

As datas comemorativas da escola são várias como: Carnaval, dia Internacional de luta pela eliminação da discriminação Racial, Sexta-feira Santa, O dia das Mães, Tiradentes, dia do Trabalhador, Dia Nacional de luta contra o Racismo, Corpus Christi, Semana Antidrogas, O dia dos Pais, Dia do mestiço, Elevação do Amazonas à categoria de Província, Independência do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, Dia das crianças, Dia do funcionário Público, Dia de Finados, Proclamação da República, Dia Nacional da Consciência Negra, Nossa Senhora da Imaculada Conceição, Padroeira do Amazonas e por último o Natal.

O dia do patrono da escola (cinco de maio), a escola promove um grande evento que mobiliza a todos e conta com a participação das escolas estaduais e municipais do município, assim como escolas da Colômbia e do Peru, também há as horas cívicas que acontecem uma vez no mês.

A escola está trabalhando alguns projetos que são: O da arte de ensinar e aprender, e o projeto meio ambiente, sendo esses com mais de duzentos educandos inscritos, O projeto jovem Cidadão que visa dar alegria, esportes e lazer para as crianças e no final do mês cada criança recebe uma gratificação de trinta reais por participação e o programa Rede cidadã que visa a inclusão digital.

No Sistema de Avaliação Educacional do Brasil – SAEB a escola se destacou conseguindo média quatro no ano de dois mil e cinco sendo a maior nota do município gerando assim uma premiação no dia onze de outubro deste ano com um cheque de trinta mil reais utilizado em prol de melhorias para os trabalhos na escola.

A escola tenta da melhor forma possível conhecer o nível socioeconômico dos seus educandos. As parcerias estão tentando ser feitas com comerciantes a fim de conseguir emprego para quem mais se destaca, tendo êxito em alguns casos, pois muitos educandos conseguiram entrar no mercado de trabalho sem terminar o ensino médio.

O Projeto Político Pedagógico ainda está em andamento, tentando ser concluído no final deste ano, sendo que não totalmente devido a sua flexibilidade. Há reuniões sobre o projeto quinzenalmente com a participação da direção e da equipe pedagógica, o atraso na conclusão ocorre devido à pausa que até o momento tem se estendido.

1.6 SOBRE OS DOCENTES

A Escola Estadual Marechal Rondon possui um quadro docente no total de quarenta e sete (45) professores relacionados abaixo:

O professor Almir Celestino de Brito formado em Licenciatura em Ciências Naturais, atua na disciplina de Química no primeiro ano “A” e “B”, segundo ano “A” e “B”, como também no terceiro ano “A” e “B” do ensino médio. Tem vinte e dois anos de magistério e dezoito horas semanais. Trabalha nos turnos matutino e vespertino.

A professora Ana Rita de Souza dos Santos é formada em Licenciatura em Ciências naturais, atua na disciplina de biologia no primeiro ano “D” , “E” e “F” do ensino médio e na disciplina de matemática no oitavo ano “D” e nono “C” do ensino fundamental. Tem vinte e cinco anos de magistério, possuindo dezoito horas semanais. Trabalha no turno noturno.

A professora Aldese Santos de Azevedo é formada em Licenciatura em Letras, atua na disciplina de português no nono ano “B” do ensino fundamental, no primeiro ano “A” –“B” e “C” do ensino médio. Possui dois anos de magistério com carga horária de dezessete horas semanais. Trabalha no turno matutino.

A professora Andréia da Cruz Batista é formada em Licenciatura em Educação Física. Tem cinco anos de magistério atua na disciplina de educação física no primeiro ano “A”, “B”, no segundo ano “A”, “B” e também no terceiro ano “A” e “B” do ensino médio. Trabalha no turno matutino.

A professora Arly Castimário Lira Tananta é formada em Licenciatura em Letras. Possui um ano de magistério, atua na disciplina de português no sétimo ano “A”, -“B”, e “C”, ensino religioso no sétimo ano “C” e oitavo “B” e artes no sétimo ano “A”, -“B”, -“C” do ensino fundamental com carga horária de vinte horas semanais. Trabalha no turno vespertino.

A professora Beatriz da Silva Dias Silva é formada em Licenciatura em Matemática. Tem sete de magistério, atua na disciplina de matemática no sexto ano “D”, sétimo ano “D”, -“E” e oitavo ano “C” do ensino fundamental com carga horária de vinte horas semanais. Trabalha no turno matutino.

(Parte 1 de 3)

Comentários