Família Myrtaceae

Família Myrtaceae

Família Myrtaceae

Classificação Botânica

  • Divisão: Magnoliophyta

  • Classe: Magnoliopsida

  • Subclasse: Rosidae

  • Ordem: Myrtales

  • Família: Myrtaceae

Introdução

  • Myrtaceae (do grego Myrtus = perfume) é uma família botânica com cerca de 130 gêneros e 3.000 espécies de árvores e arbustos que se distribuem por todos os continentes (exceto Antártida).

  • É considerada uma das mais importantes famílias em diversidade de espécies nos neotrópicos, no Brasil principalmente ao longo da Mata Atlântica e do Cerrado representando de 10 a 15% da vegetação desses biomas.

  • Compreende duas subfamílias: Leptospermoideae e Myrtoideae. A primeira possui maior concentração na Austrália; a segunda distribui-se principalmente nas Américas do Sul e Central.

  • No Brasil existem 23 gêneros e cerca de 1.000 espécies de Myrtaceae.

  • Todas as espécies de Myrtaceae das Américas (Central e do Sul) pertencem á subfamília Myrtoideae, exceto Tepualia stipularis.

Características Gerais

  • Segunda maior família da Ordem Myrtales;

  • Plantas lenhosas, de hábito arbustivo ou arbóreo;

  • As mirtáceas brasileiras geralmente não produzem madeiras valiosas, restringindo-se ao fornecimento de lenha;

  • Espécies frutíferas que são exploradas comercialmente (goiaba, jabuticaba, pitanga);

  • É uma família com grande potencial econômico (finalidade ornamental, extração de essências, fornecimento de madeira, propriedades medicinais);

  • Polinização basicamente feita por abelhas.

Características Gerais

  • Ornitofilia comum em espécies australianas.

  • Dispersão basicamente feita por aves e macacos.

  • No Brasil, todas as espécies produzem frutos carnosos.

  • Frutos com grande variedade de características (tamanho, cor, número e tamanho das sementes).

  • Grande número de espécies utilizadas para fins medicinais (71,4%);

Características Morfológicas - Flor

  • Caulifloria freqüente;

  • Andróginas, actinomorfas (simetria radial);

  • Raramente com pétalas de tamanho reduzido ou abortadas;

  • Em geral brancas ou vermelhas;

  • Efêmeras;

  • Em geral pentâmeras, mono ou diclamídeas;

  • Muitas vezes com um receptáculo bem desenvolvido;

Características Morfológicas - Flor

  • Corola dialipétala, cálice gamossépalo;

  • Ovário súpero ou ínfero, pentacarpelar e pentalocular, com muitos óvulos.

  • Estames geralmente muito numerosos (polistêmones);

  • Flores exalam cheiro forte e doce no início da liberação do pólen nas anteras;

  • Pétalas carnosas e doces em algumas espécies.

Flores de Myrtaceae

Características Morfológicas - Fruto

  • Baga, drupa, capsular loculicida ou pixídio

  • Carnosos indeiscentes (Myrtoideae) ou secos deiscentes (Leptospermoideae);

  • De cor e tamanho variáveis;

  • Em Myrtoideae podem ser: globosos (Plinia trunciflora), piriformes (Syzygium malaccense), oblongos (Syzygium jambolanum), elipsóides (Eugenia uniflora).

  • Frutos com numerosas sementes, geralmente arredondadas e achatadas (Psidium L.)

Frutos de Myrtaceae

Características Morfológicas - Folhas

  • Simples, com nervura marginal;

  • Inteiras, de disposição alterna ou oposta;

  • Com estípulas muito pequenas;

  • Presença de glândulas ou canais oleíferos;

  • Raramente verticiladas;

  • Geralmente coriácea ou subcoriácea;

Principais Gêneros

  • Myrcia;

  • Eugenia;

  • Plinia;

  • Psidium;

  • Syzygium;

  • Eucalyptus.

Gênero Myrcia

  • Um dos maiores gêneros americanos de Myrtaceae;

  • Suas 300 espécies são distribuídas do México ao sul do Brasil;

  • Algumas espécies são utilizadas na medicina popular;

  • Espécie importante: M. multiflora.

Gênero Eugenia

  • Bem representado pela abundância de espécies (1/3 das Myrtaceae são deste gênero);

  • Espécies ricas em óleos essenciais e muito utilizadas na medicina popular;

  • Ocorre desde o México até a Argentina;

  • Fornece frutos comestíveis: pitanga, grumixama, araçá, etc.

  • Espécie importante: E. uniflora.

Gênero Plinia

  • Ocorrência no mundo: Américas do Sul e Central;

  • No Brasil: em todo país (mais expressivamente nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste);

  • Espécie importante: P. trunciflora.

Gênero Psidium

  • Inclui cerca de 150 espécies de arbustos ou árvores produtoras de frutos nativas das Américas;

  • Esse gênero tem representantes em todos os biomas brasileiros, e cerca de 43% das espécies são do Brasil;

  • Algumas espécies vêm se destacando na indústria farmacêutica;

  • Espécie mais conhecida: Psidium guajava.

Gênero Syzygium

  • Abrange cerca de 200 espécies, sendo que, algumas delas, se destacam por fornecerem extratos utilizados na medicina tradicional;

  • Ocorre em regiões tropicais e subtropicais (nativo da Ásia);

  • A maioria das espécies são árvores ou arbustos de folhagem perene;

  • Muitas são cultivadas como ornamentais, e algumas produzem frutos comestíveis;

  • Espécies importantes: S. malaccense, S. aromaticum.

Gênero Eucalyptus

  • São em geral árvores (raramente arbustos);

  • Nativo da Oceania, onde se constitui o maior gênero da flora;

  • Inclui cerca de 500 espécies, quase todas originárias da Austrália;

  • No Brasil foi implantado em 1909 e hoje existem extensas áreas plantadas;

  • Espécies usadas na fabricação de papel, carvão vegetal e madeira;

  • Recomendado por muitos especialistas para reflorestamento;

  • Espécie mais importante: E. globulus.

Comentários