Relatorio de estagio corrigiro

Relatorio de estagio corrigiro

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

INSTITUTO FEDERAL GOIANO- CAMPUS CERES

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

SISTEMAS AGROFLORESTAIS

ELIMAR SILVA BARBOSA

2009

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

INSTITUTO FEDERAL GOIANO- CAMPUS CERES

CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE

ELIMAR SILVA BARBOSA

ELISABETH ROSE PERREIRA DA SILVA CANETTIERI

PROFª ORIENTADORA

SISTEMAS AGROFLORESTAIS

Relatório de Estágio Curricular apresentado como requisito parcial ao Instituto Federal Goiano – Campus Ceres, para obtenção do título de Técnico em Meio Ambiente.

CERES-GO

MARÇO DE 2009 II

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGICA

INSTITUTO FEDERAL GOIANO-CAMPUS CERES

ELIMAR SILVA BARBOSA

Relatório de Estágio Curricular Supervisionado submetido como requisito parcial para obtenção do título de Técnico em Meio Ambiente, no Instituto Federal Goiano-Campus ceres.

APROVADO EM: ......../........../2009

______________________________________________________

Elisabeth Rose perreira da Silva Canettieri

Orientador (a)

_______________________________________________

André Luiz de Melo

________________________________________________________

Cleiton Mateus Souza

III

AGRADECIMENTOS

A Deus que me deu a oportunidade de estar aqui,

A minha mãe que me apoiou e não mediu esforços em me ajudar quando precisei,

À empresa que me proporcionou o estágio e me acompanhou em minhas atividades designadas,

Aos colegas de estágio que me ajudaram e compartilharam seus conhecimentos,

Aos professores e servidores da entidade. E aos Amigos que sempre me apoiaram e me deram força.

IV

SUMÁRIO

1-INTRODUÇÃO...................................................................................................................06

2-CARACTERIZAÇÃO E SISTEMA OPERACIONAL DA EMPRESA............................08

3-ATIVIDADES DESENVOLVIDAS...................................................................................09

3.1-Distribuição de Mudas......................................................................................................09

3.2-Manejo nas Agroflorestas.................................................................................................09

3.3-Implantação de uma Agrofloresta.....................................................................................09

3.4-Simulação de marcação de uma curva em Nível..............................................................10

3.5-Manejo racional de pastagens...........................................................................................11

3.6-Recuperação e Conservação de Nascentes.......................................................................11

3.7-Reunião com os assentados..............................................................................................12

4-ANÁLISE DO AMBIENTE DE TRABALHO...................................................................13

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS..............................................................................................14

6-REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS................................................................................15

V

1-INTRODUÇÃO

O projeto “Águas do Cerrado”, patrocinado pela PETROBRAS, através do Programa Petrobras Ambiental e desenvolvido pelas Associações dos Assentados Novo Oriente (município de Nova Glória) e Nova Aurora (município de Santa Isabel), onde meu estágio foi realizado. Este projeto tem como objetivo a preservação das nascentes, córregos e rios nos assentamentos e contribuir com o desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável, através da implantação de agroflorestas. Todo este trabalho vem sendo realizado em parceria com os assentados, onde todos tem um novo conceito sobre a importância de se preservar a natureza.

A agricultura familiar no Brasil exerce um importante papel como principal fonte de abastecimento de alimentos do mercado interno. Apesar de representar uma significativa parcela na produção nacional, os agricultores familiares ainda carecem de sistemas de produção apropriados e sua capacidade de investimentos, ao tamanho de suas propriedades rurais e ao tipo de mão-de-obra empregada (ARMANDO, 2002). E os sistemas agroflorestais estão sendo usados cada vez mais pelas familias para uma maior geração de renda e obtenção de alimentos saudaveis.

Segundo GALVÃO (2004), “o sistema agroflorestal (saf's) é um sistema de manejo sustentado da terra que aumenta o seu rendimento, combinando a produção de plantas florestais com cultivos agrícolas e/ou animais, simultânea ou consecutivamente, deliberada na mesma unidade de terreno, envolvendo práticas de manejo e consonância com a população local”.

Dentro dos SAF's plantam-se leguminosas, cereais, raízes e árvores em sistemas de consórcio, rotação de culturas e adubação verde ( feijão guandu e feijão de porco), o que propícia a recuperação da fertilidade dos solos e o controle de ervas invasoras (LEGAN, 2007). Adubos verdes são plantas utilizadas para a melhoria das condições físicas, químicas e biológicas do solo. Há espécies como leguminosas que se associam a bactérias fixadoras de nitrogênio do ar, transferindo-o para as plantas. Estas espécies, também estimulam a população de fungos micorrízicos, microorganismos que aumentam a absorção de água e nutrientes pelas raízes” (FELDEM e ESPÍNDOLA, 2004).

Segundo VIEIRA, 2006, os sistemas Agroflorestais têm sido preconizados como sustentáveis, ou seja, capazes de produzir para o presente momento, mantendo os fatores ambientais, econômicos e sociais, em condições de serem utilizados pelas gerações futuras. Estes sistemas também têm sido divulgados como uma solução alternativa para a recuperação de áreas degradadas, envolvendo não só a reconstituição das características do solo, como também a recuperação da terra, também denominado sítio, o qual envolve todos os fatores responsáveis pela produção em harmonia com o ecossistema: o solo, a água, o ar, o microclima, a paisagem, a flora e a fauna. E os sistemas agroflorestais são considerados capazes de gerar renda para as famílias, produzirem alimentos a médio e longo prazo e também para uma maior segurança alimentar.

E mesmo assim pouca atenção tem sido dada ao papel e ao grande potencial que os sistemas agroflorestais desempenham na conservação de reservas florestais, do ponto de vista econômico e social, a exploração dos sistemas agroflorestais proporcionam um espaço produtivo e diversificado para as comunidades rurais vizinhas, além de uma provável redução nos conflitos entre a fauna e flora presentes nos fragmentos florestais.

O interesse em realizar estagio no assentamento Nova Aurora foi em decorrência das atividades a serem realizadas na área de recuperação e conservação dos recursos naturais utilizando os métodos de agroflorestas.

O estágio foi realizado de 05 de janeiro de 2009 a 27 de janeiro de 2009 no município de Santa Isabel (Assentamento Nova Aurora) com carga horária total de 168 horas.

2-CARACTERIZAÇÃO E SISTEMA OPERACIONAL DA EMPRESA

Nome da Empresa: Projeto Águas do Cerrado.

Endereço: Praça São Pio X · Nº 76 · Caixa Postal Nº44 · Centro · Ceres · Goiás.

Telefone:(62)-3323-2171.

Ramo da Empresa: Conservação do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Sistemas Agroflorestais, Agricultura Familiar e Agroecologia.

Número de funcionários: 2 funcionários, com vinculo temporário pago pelo Projeto “Águas do Cerrado” da Petrobras Ambiental, o Biólogo Guilherme Greque e Técnico em Agropecuária Marcos Antônio Martins.

Responsável legal: Fernando Corso (Médico).

Supervisor de Estágio: Marcos Antônio Martins. ( Técnico em Agropecuária).

Breve histórico do local de estagio: O estágio foi realizado no Assentamento Nova Aurora, que se localiza às margens da Rodovia Estadual Go-230, a 6 km no núcleo urbano do município de Santa Isabel- Go. O Assentamento é constituído por 47 famílias num total de 164 moradores.

O Assentamento iniciou-se em 1998, quando houve a ocupação da terra, com a formação de um acampamento e permaneceram por 3 anos. As famílias são provenientes de Rialma, Ceres, Santa Isabel, Goianésia, Rubiataba e Nova Glória (cidades do Estado de Goiás). Em 1999 receberam a “emissão de posse”. Foram distribuídos e tomaram posse de lotes de em média 21 hectares. Recebem o apoio dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de: Ceres e Goianésia da FETAEG (Federação dos Trabalhadores Rurais do Estado de Goiás) e da Prefeitura Municipal de Santa Isabel- GO.

As famílias dos assentamentos utilizam-se dos sistemas agroflorestais para uma maior segurança alimentar e geração de renda a médio e longo prazo.

3-ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

As atividades que foram realizadas no decorrer do estagio no assentamento Nova Aurora foram:

3.1.1-Distribuição de mudas

No decorrer do estágio fizemos muitas distribuições de mudas, todas eram produzidas no viveiro de mudas do assentamento Poções e depois levadas ao assentamento Nova Aurora, estas tinham como objetivo principal a recomposição das agroflorestas já que muitas haviam morrido no período das secas.

3.1.2-Manejo nas agroflorestas

Esta foi a atividade mais executada durante todo o período de estágio, o manejo segundo meu supervisor, Marcos Antônio (técnico em Agropecuária) deve ser feito a fim de que se possa ser mantido o equilíbrio entre as árvores e outros tipos de plantas.

Durante o processo de manejo foram feitas as atividade de capina com o intuito de retirar as plantas invasoras (Brachiária) a mais comum entre todas, pois estas estavam atrapalhando o crescimento das demais plantas, foi feito ainda o plantio de mudas nativas tais como Cedro, Baru, Candiuva, Jatobá, Ipê, Frutíferas Café, Cagaita, Abacaxi, Banana, Açaí e também no primeiro ano de implantação são são cultivados milho e inhame. Também fizemos um manejo na agrofloresta modelo do assentamento Nova Aurora, onde foram retirados das plantas somente o excesso dos galhos, para que ali pudesse haver a entrada de luz e também fizemos o plantio de algumas plantas leguminosas, feijão guandu e feijão de porco (adubos verdes) , estas com o intuito de fixar nutrientes no solo e impedir o crescimento de outras plantas invasoras, para o plantio das mesmas foi utilizado uma plantadeira manual. Adubos verdes são plantas utilizadas para a melhoria das condições físicas, químicas e biológicas do solo. Há espécies como leguminosas que se associam a bactérias fixadoras de nitrogênio do ar, transferindo-o para as plantas. Estas espécies, também estimulam a população de fungos micorrízicos, microorganismos que aumentam a absorção de água e nutrientes pelas raízes” (FELDEM e ESPÍNDOLA, 2004).

3.1.3-Implantação de uma agrofloresta

No dia 15 de janeiro do corrente ano, juntos com nosso supervisor e alguns assentados vimos na pratica a implantação de uma agrofloresta. Os passos que foram seguidos foram a aração do terreno, abertura das covas, adubação orgânica e o plantio das mudas. As mudas nativas eram plantadas de 5 em 5 metros, e as demais plantas eram plantadas em consorcio de forma que uma não atrapalhe a outra, todas as mudas utilizadas durante o estagio foram produzidas no viveiro do assentamento Poções, estas agroflorestas tem como objetivo a recuperação da reserva legal do assetamento.

A figura 1, ilustra o modelo de saf' implantado na propriedade.

Frame2

Figura 1-Croqui do SAF implantado na propriedade.

3.2.1-Simulação de marcação de uma curva em nível

No dia 22 de janeiro do decorrente ano fomos convidados pelo senhor Geovane que trabalha na Agência Rural, a fazer uma simulação de marcação de uma curva em nível, onde ele nos passou todas as dicas sobre a marcação de uma curva de nível.

Segundo o senhor Geovane, os terraços são verdadeiros degraus, mais ou menos largos, feitos em terrenos inclinados, para evitar que as águas das chuvas caiam sobre a terra e deslizem para baixo, levando sua camada superficial de nutrientes, deixando-a cada vez mais "fraca" e menos fértil.

Para a conservação do solo no assentamento foi adotado um conjunto de medidas, objetivando a manutenção e recuperação das condições físicas, químicas e biológicas do solo. Estas medidas visam proteger o solo, prevenindo-o dos efeitos danosos da erosão aumentando a disponibilidade de água, e nutrientes e com isso criam-se condições adequadas ao desenvolvimento das plantas.

Dentre os princípios fundamentais do planejamento de uso das terras, destaca-se um maior aproveitamento das águas das chuvas. E com essas medidas evitamos perdas excessivas por escoamento superficial e há uma maior infiltração de água pluvial no solo.

Esta simulação consiste em fazer a coleta dos dados em um ponto “X” e em seguida pegar a mesma medida (altura) seguindo uma linha imaginaria, ate ligar um ponto ao outro, lembrando que os arremates das bordas devem ser feitos para que o acumulo das águas provenientes das chuvas não vaze ou cause o rompimento da barreira.

3.2.2-Manejo racional de pastagens

O manejo racional de pastagens pode representar uma grande proteção contra os efeitos da erosão. O pasto mal conduzido, pelo contrário, torna-se uma das maiores causas de degradação de terras agrícolas e o pasto bem conduzido promove a cobertura do solo e a melhor infiltração das águas das chuvas.

Para que estes problemas não ocorressem foram feitas as seguintes atividades, roçagem de 2 (dois) ha onde só foram retiradas as plantas invasoras (fedegoso, juá e mamona) e construção de três piquetes de em media 3 (três) ha cada, onde o intuito era que os animais não ficassem muito tempo no mesmo local a fim de evitar que o solo ficasse sem cobertura e compactado.

3.2.3-Recuperação e conservação de nascentes ( APP)

O primeiro passo a ser tomado na recuperação das áreas degradadas é o isolamento das fontes degradadas, com o pisoteio de animais. Com estas medidas diminuirá totalmente o pisoteio e conseqüente compactação do solo. Essa atividade também irá favorecer a regeneração natural desses ambientes que, combina com o reflorestamento tradicional e o enriquecimento de especies. E assim proporcionará a recomposição gradativa da vegetação natural e só serão permitido quaisquer atividades dentro deste local com previa autorização do Orgão competente. “Nas considerações preliminares da Resolução nº. 302, de 20 de março de 2002 do Conselho Nacional do Meio Ambiente, o próprio CONAMA assevera que as Áreas de Preservação Permanente, como indica sua denominação, são caracterizadas, com regra geral, pela intocabilidade e vedação de uso econômico direto. Entretanto, em nome do desenvolvimento sustentável, cria inúmeras exceções à regra, prevendo a intervenção ou supressão de vegetação nas Áreas de Preservação Permanente” (COSTA, 2007).

3.2.4-Reunião com os assentados

No dia 20 de janeiro do corrente ano, fomos convidados a participar de uma reunião com todos os assentados que faziam parte do projeto, esta reunião foi marcada para o encerramento do projeto e para apontar os pontos negativos que ocorreram na realização do projetos Águas do Cerrado.

Os assuntos discutidos foram, o que de importância o projeto trouxe de melhoria para cada assentado, venda de materiais doados pelo projeto, e qual a porcentagem de Agroflorestas implantadas e nascentes isolada. Segundo os técnicos do projeto, o assentamento Nova Aurora teve um aproveitamento de cerca de 95%, de todas as Agroflorestas foram implantadas e 11 dos 13 cursos d'água foram isolados.

4-ANÁLISE DO AMBIENTE DE TRABALHO

O relacionamento com os funcionários do projeto “Águas do Cerrado” e integrantes do assentamento, foi bom e não tive nenhum problema. Todos atuam com muita dedicação e profissionalismo.

A empresa me proporcionou toda orientação e segurança para um bom desenvolvimento das atividades realizadas. Todas as atividades foram realizadas com domínio sendo atendidas as expectativas do supervisor e da empresa, o ambiente era confortável e tranqüilo, onde eu estava em contato com a natureza.

5-CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Estágio Curricular Supervisionado, sem dúvida, foi de suma importância para a minha formação como Técnico em Meio Ambiente, uma vez que, através do estágio pude colocar em prática todas as atividades que antes só conhecia pela teoria, e assim, tornar-me conhecedor de como desempenhar o meu papel profissional.

Estou satisfeito por ter estagiado no Projeto Águas do Cerrado, pois, essa experiência me permitiu ter uma noção maior a respeito da reforma agrária no Brasil e das dificuldades e satisfações encontradas por parte de executores de projetos ambientais em nossa região, porem falta um maior acompanhamento dos técnicos do Projeto Águas do Cerrado para com os estagiários.

Com os trabalhos realizados no decorrer das 168 horas de estágio percebi que os conhecimentos adquiridos no Assentamento serão de extrema importância para conseguirmos um mundo cada vez melhor, pois os sistemas agroflorestais vêm de perfeito encontro com gerenciamento adequado dos recursos naturais e os conhecimentos obtidos com certeza podem ser as soluções para que possamos conscientizar as pessoas e lutar por um mundo melhor.

6-REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. ARMANDO, M.S.;BUENO, Y.M.;ALVES, E.R.S.; CAVALCANTE, C.H. Agrofloresta para agricultura familiar. Brasilia: Embrapa Recursos Geneticos e Biotecnologia. Circular Técnica, n.16, 11-25p, 2002.

  2. COSTA, Dahyana Siman Carvalho da. Áreas de preservação permanente ou de conservação permanente?.2007. Boletim Jurídico, Uberaba/MG, a. 5, no 232. Disponível em: http://www.boletimjuridico.com.br/ doutrina/texto.asp?id=1810. Acesso em: 23 abr. 2009.

  3. FELDEN, A e ESPÍNDOLA, J.A.A. Utilização dos adubos verdes. 2004. Disponível em: http://www.cnpab.embrapa.br/pesquisas/folders/folder_adubacao_verde.pdf. Acesso em 12 abr. 2009.

  4. GALVÃO, A.P.M. Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais – um guia para ações municipais e regionais. Brasília: Embrapa Florestas, 2004.

  5. LEGAN, L. Soluções sustentáveis: permacultura na agricultura familiar .1a ed. Mais Calango Editora. Pirenópolis, 2007.

  6. VIEIRA, A.H.; ; Sistemas agroflorestais e a conservação do solo. Agronline.com.br. Disponível em: <http://www.agronline.com.br/artigos/artigo.php?id=322>. Acesso em: 02 de maio de 2009.

Comentários