Material de Apoio Bocas Coletoras

Material de Apoio Bocas Coletoras

(Parte 2 de 2)

Espaçamento entre Bocas Coletoras Consecutivas

As bocas coletoras intermediárias são frequentes em quarteirões com fachadas extensas, ou seja, onde os cruzamentos de ruas se bastante afastados um do outro. rificar a capacidade da sarjeta para, analiticamente, determinar-se a necessidade ou não de bocas coletoras intermediárias. Há autores, no entanto, que preferem limitar o espaçamento entre dois pares consecutivos usando como critério a distância entre eles. Recomendam, por exemplo, um par de bocas coletoras a cada 500 m2 de rua e outros a cada 40

De um modo geral a frequência de pares de bocas coletoras ocorre a cada 40 a 60 m de extensão de rua ou a cada 300 a 800 m2 d

Como toda obra de engenharia a boca coletora não deve ser dimensionada para funcionamento com sua capacidade de captação limi igual a vazão de chegada, isto é, a vazão de definição de suas dimensões deve ser um pouco superior a vazão de projeto da sarjeta que a abastecerá. Alguns fatores podem ser citados como arrazoados para este procedimento, tais como: obstruções causadas por detritos carreados pela água; sarjeta e na entrada da própria boca;

A ocorrência de pelo menos uma destas situações certamente provocará prejuízos ao bom funcionamento do projeto quando solicit em suas condições limites. Por força destes argumentos costuma-se utilizar os coeficientes de reforço indicados na Tabela V.1.

folga sobre a capacidade teórica de c)se 12 < y < 42 cm, a situação é dita de transição entre vertedor e orifício ficando o projetista com a opção de escolher e justificar a

Normalmente indicadas para captação de vazões em pontos baixos, as equações seriam as indicadas no V.4.3.2 para as situações

As bocas coletoras intermediárias são frequentes em quarteirões com fachadas extensas, ou seja, onde os cruzamentos de ruas se a necessidade ou não de bocas coletoras intermediárias. Há autores, no entanto, que preferem limitar o espaçamento entre dois pares consecutivos usando como critério a área a distância entre eles. Recomendam, por exemplo, um par de bocas coletoras a cada 500 m2 de rua e outros a cada 40

De um modo geral a frequência de pares de bocas coletoras ocorre a cada 40 a 60 m de extensão de rua ou a cada 300 a 800 m2 de

Como toda obra de engenharia a boca coletora não deve ser dimensionada para funcionamento com sua capacidade de captação limite er um pouco superior a vazão de projeto da sarjeta que

A ocorrência de pelo menos uma destas situações certamente provocará prejuízos ao bom funcionamento do projeto quando solicitado se utilizar os coeficientes de reforço indicados na Tabela V.1.

LocalizaçãoTipo Fator de

Tabela V.I - Coeficientes de Segurança para Sarjetas

grelha longitudinal 1,65

Ponto intermediário grelha transversal 2,0 combinada com longit. 1,50 combinada com transv. 1,80

7. Exemplos de Cálculo

7.1. Boca lateral intermediária Calcular uma boca coletora intermediária com depressão a = 10,5 cm, sob as seguintes condições: w = 8a = 84 cm z = ( tg θ o ) = 12 I = 2,5% n = 0,016 capaz de captar uma vazão teórica de 64 l/s Solução: a) Fator de segurança (Tabela V.1) Lateral intermediária 1,25 b) Vazão de projeto Qp = 64 x 1,25 = 80 l/s c) Valor de K: para a ≠ 0 e z = 12 tem-se K = 0,23 d) vo e yo

Pela Figura V.7, com E = 0,32 e Qp = 80, lê-se y = 13 cm g) F2 e tgθo tgθo = {84 / [(84/12) + 10,5]}= 4,8 h) Parcela "C" A expressão de M exige um valor para "L" e como este ainda não é conhecido admite-se L = 1,0 m (= 100 cm) como valor inicial para posteriormente ser feita uma verificação deste valor. Assim, para L=1 tem-se:

i) Vazão por metro linear que é um resultado insatisfatório porque, como foi admitido L=1m haveria excesso de mais de 10% da vazão de projeto a ultrapassar a boca coletora em dimensionamento, o que implica em L>1,0m. j) Admitindo L = 1,20 m, entãoC = 0,21 e Q/L = 65 l/sm, então a capacidade de captação da BC é Q = 1,20 x 65 = 78 l/s, o que fornece um excesso de apenas 2 l/s (<10%Qp) (aceito!) Observação: se a=0 então C=0 e y=yo e Q/L = 20 l/s, ou seja, L = 4,0m.

V.7.2. Boca com grades Dimensionar uma grade para coletar uma vazão de projeto igual a 80 l/s, tomando-se como largura máxima de gradeamento 0,60 m. São conhecidas ainda I = 0,04 m/m, n = 0,020 e z = 20. Solução:

a) cálculo de L - cálculo de yo

- cálculo de wo

b) escolha da grade - testando para barras longitudinais longitudinais; - testando para barras transversais

Lo' = 2Lo = 0,90 m < 2,00m, também indicando que barras transversais poderão ser utilizadas para a grade da situação.

(Parte 2 de 2)

Comentários