Aula 2 - Definicao de Micro e Macrodrenagem Urbana

Aula 2 - Definicao de Micro e Macrodrenagem Urbana

(Parte 1 de 2)

Saneamento Básico: é um serviço Público que compreende os sistemas de abastecimento d'água, de esgotos sanitários, de drenagem de águas pluviais e de coleta de lixo.

São serviços essenciais e, se regularmente bem executados, elevarão o nível de saúde da população beneficiada, gerando maior expectativa de vida e

As água servidas deverão ser tratadas antes de serem conduzidas para um corpo hídrico. O tratamento é efetuado em ETEs. Posteriormente, as águas serão destinadas para corpos hídricos próximos a ETE. Quanto este processo não é cumprido a contento, diversos transtornos poderão ser esperados!! maior expectativa de vida e conseqüentemente, maior produtividade

Assim, como as água servidas, as águas provenientes de escoamento superficial, em geral vazões sazonais de origem Pluvial, também deverão ser drenadas para corpos de água receptores de maiores dimensões tais como córregos, rios,lagos, a fim de evitar transtornos e acidentes.

PROF: ENG.CIVIL E DE SEG. DO TRABALHO HARRY KINSEY MIRANDA 1

Este conjunto de condutos artificiais de esgotamento,denominados de sistemas de drenagem pluvial ou sistema de esgotos pluviais é fundamental para preservação da estrutura física da comunidade, pela redução ou controle dos efeitos adversos provocados pela presença incontrolada

Saneamento Básico: é um serviço público que compreende os sistemas de abastecimento d'água, de esgotos sanitários, de drenagem de águas

PROF: ENG.CIVIL E DE SEG. DO TRABALHO HARRY KINSEY MIRANDA 2 incontrolada dessas vazões sanitários, de drenagem de águas pluviais e de coleta de lixo. São serviços essenciais e, se regularmente bem executados, elevarão o nível de saúde da população beneficiada, gerando maior expectativa de vida e conseqüente mente, maior produtividade

Classificação Os sistemas de drenagem urbana são classificados de acordo com suas dimensões em sistemas de microdrenagem e sistemas de macrodrenagem ou drenagem principal.

Sistemas de Microdrenagem

Os sistemas de microdrenagem incluem a coleta e afastamento das águas superficiais ou subterrâneas através de pequenas e médias galerias, fazendo ainda parte do sistema todos os componentes do projeto para que tal ocorra.

Tradicionalmente são obras em cujo projeto são adotadas vazões produzidas por eventos hidrológicos com 2, 5 e, no máximo, 10 anos de período de retorno. São calculados para que funcionem a partir de pré determinados limites.

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 3

As áreas envolvidas, na sua maioria com menos de um quilômetro quadrado ou cem hectares, são trechos de ruas, quarteirões, etc., e as unidades mais comuns são metro quadrado (m2) e hectares (ha).

Seu traçado é função da arquitetura urbana, ou seja, a malha resultante de seus condutos depende do projetista e da disposição dos arruamentos. Sendo assim, as vazões são conduzidas de acordo com as ruas da área de projeto, obedecendo ao alinhamento arquitetônico das fachadas dos quarteirões, criando-se mini-cursos artificiais.

Sistemas de Macrodrenagem

Destina-se ao escoamento final das águas escoadas superficialmente, inclusive as captadas pelas estruturas de microdrenagem; São compostos dos seguintes itens: sistema de microdrenagem, galerias de grande porte, canais e rios canalizados (Gois, 1998); Sendo assim, a macrodrenagem compreende a rede de drenagem natural, existente antes da ocupação; São obras de retificação ou de embutimento dos corpos aquático, são de grande vulto, dimensionadas para grande vazões e com maiores velocidades de escoamento.

O crescimento da urbanização levou ao crescimento da impermeabilização e, por Conseqüência, um

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 4

O crescimento da urbanização levou ao crescimento da impermeabilização e, por Conseqüência, um aumento no volume escoado e que deverá ser drenado; As obras de macrodrenagem retificam os cursos de água natural e reduzem o percurso a ser vencido pelo escoa mento superficial;

O traçado da macrodrenagem obedece ao caminhamento natural dos corpos aquáticos; As área envolvidas são, na maioria, maiores que 3 km2 (grandes bairros, bacias hidrográficas); As vazões de projeto são oriunda de eventos com 20, 50 ou 100 anos de período de retorno.

Generalidades sobre os sistemas de drenagem urbana DEFINIÇÃO DE MICRO E MACRONAGEM URBANA

Os sistemas de drenagem urbana deverão ser planejados concomitantemente aos planejamento urbano, sob pena de se construir um sistema de alto custo e deficiente, ou seja, os planos de urbanização deverão prever um projeto de drenagem urbana;

Em geral nas área urbanizadas, o mau funcionamento dos sistemas de drenagem urbana é a principal causa de inundações. “as enchentes urbanas são problemas crônicos no Brasil,devido, principalmente, a gerência inadequada do planejamento da drenagem e a filosofia errônea dos projeto de engenharia” a gestão deficiente é resultado da falta de mecanismos,legais e administrativos , de controle da ampliação

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 5 a gestão deficiente é resultado da falta de mecanismos,legais e administrativos , de controle da ampliação das cheias devido a urbanização (tucci et al., 1995).

Um sistema de drenagem urbana fundamenta-se nos seguintes itens: planos, projetos, obras, legislação e medida. Estas ultimas compreendem (Gois, 1998); As legislações e medidas compreendem: A) Códigos, leis e regulamentos sobre as edificações,zoneamento, parcelamento e loteamento do solo; B) Fiscalização da administração pública nas áreas urbanizadas e edificadas e planos de urbanização; C)Zoneamento com delimitações clara das áreas freqüentemente inundadas; D) Fixação de cotas aquém das quais a ocupação é desaconselhada ou mesmo vedada; E) Restrição de acesso às áreas sujeitas a inundações

F)Impedimentos a expansão nas áreas inundadas de serviços públicos, como água, esgotos, iluminação pública

G)Fixação de incentivos fiscais para que os terrenos inundáveis permaneçam ociosos H)Obras de controle, amortecimento ou retardamento de cheias

I)Planos de emergência contra inundações, compreendendo diques de sacos de areia, esquemas de evacuação da população,entre outros.

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 6

VANTAGENS DO PLANEJAMENTO DA DRENAGEM URBANA: 1.Obtenção simultânea de reduzidos custos e excelentes resultados;

2. Quanto mais cedo as questões da drenagem forem examinas,melhores resultados poderão ser obtidos do plano urbanístico;

3. *Caso o sistema seja estudado a posterior ou se for projetado considerando objetivos de curto prazo, as repercussões para a comunidade serão sempre negativas;

4. Ao se coletar dados e informações para o planejamento de um sistema de drenagem previamente as necessidade emergentes,evita-se a execução de levantamentos desnecessários ou de menor importância

Planejamento de um sistema de drenagem:

Um plano de drenagem urbana é muito importante para a administração pública, para os empresários e para a comunidade em geral. Ele possibilita a todos os conhecimentos das obras que serão executadas, dos respectivos prazos e, portanto, do potencial de uso do solo urbano, em suas várias regiões;

Não se deve basear exclusivamente em projetos hidráulicos,mas também em critérios ambientais, sociais, e econômicos.Outros planos como os relativos ao zoneamento, ao sistema viário, às áreas verdes, etc., deverão ser coerentes com o plano diretor;

Um plano diretor de drenagem urbana que seja homogêneo traz melhores resultados do que projetos de

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 7

Um plano diretor de drenagem urbana que seja homogêneo traz melhores resultados do que projetos de drenagem isolados.

A drenagem urbana moderna deve ter os seguintes princípios (Tucci e Genz,1995) : • Não transferir impactos para jusante ;

• Não ampliar cheias naturais ;

• Propor medidas de controle para o conjunto da bacia ;

• Legislação e Planos de Drenagem para controle e orientação ;

• Constante atualização de planejamento por estudo de horizontes de expansão ;

• Controle permanente do uso do solo e áreas de risco ;

• Competência técnico-admnistrativa dos órgãos públicos gestores;

• Educação ambiental qualificada para o poder público, população e meio técnico.

Planejamento de um sistema de drenagem:

Na verdade há a proposição de mudança de paradigma da gestão da drenagem urbana de um enfoque sanitário-higienista (do livrar-se das águas pluviais o mais rápido possível) para um enfoque ambiental (reequilíbrio do ciclo hidrológico para mais perto do natural) que segue os princípios acima,destacando-se o controle na fonte. Para isso é necessária uma verdadeira integração entre todos os chamados setores da água.

Para Tucci (2002) citado por Silveira (2002) esta integração está vinculada ao reconhecimento de que as seguintes inter-relações devem ser efetivamente consideradas no planejamento urbano : • o abastecimento de água é realizado à partir de mananciais que podem ser contaminados pelo esgoto cloacal, pluvial ou por depósitos de resíduos sólidos;

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 8 cloacal, pluvial ou por depósitos de resíduos sólidos; • a solução do controle da drenagem urbana depende da existência de rede de esgoto cloacal e suas características; • a limpeza das ruas, a coleta e disposição de resíduos sólidos interfere na quantidade e na qualidade das águas dos pluviais.

O enfoque sanitário-higienista que setorizou demasiadamente a drenagem pluvial influenciou até a estrutura institucional municipal. Hoje, os municípios apresentam uma capacidade institucional limitada para enfrentar problemas tão complexos e interdisciplinares.

• toda água circulante deve ir rapidamente para o esgoto,evitando insalubridades e desconfortos, nas casas e nas ruas

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 9

Fatores a serem considerados em um plano diretor de drenagem urbana

Plano diretor de drenagem urbana; Regulamentação de uso das baixadas A ocupação das baixadas, ao longo de cursos de águas naturais pode ser feita de forma a assegurar razoável proteção contra inundações; Se for permitida a ocupação das baixadas, as autoridades colocam em risco o desempenho dos seus deveres – salvaguardar a segurança e a saúde pública; Manutenção de canais que permitam o escoamento livre das cheias;Planejamento de

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 10

Manutenção de canais que permitam o escoamento livre das cheias;Planejamento de macrodrenage m; Escolha dos canais; Planejamento inicial da drenagem; Planejamento de reservatórios; Chuvas de projeto e vazão de dimensionamento

ENG.CIVIL E DE SEG.DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 1

Série 1 Série 2 Série 3

ENG.CIVIL E DE SEG .DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 12

I.1. Introdução

Por definição Saneamento Básico é um serviço público que compreende os sistemas de abastecimento d'água, de esgotos sanitários, de drenagem de águas pluviais e de coleta de lixo. Estes são os serviços essenciais que, se regularmente bem executados, elevarão o nível de saúde da população beneficiada, gerando maior expectativa de vida e conseqüentemente, maior produtividade. Os sistemas de drenagem são classificados de acordo com suas dimensões, em

Guias,Sarjetas ,Sarjetões e os ragos.

AULA -02:Elementos Básicos do Sistema de Microdrenagem

Os sistemas de drenagem são classificados de acordo com suas dimensões, em sistemas de microdrenagem, também denominados de sistemas iniciais de drenagem, e de macrodrenagem . A microdrenagem inclui a coleta e afastamento das águas superficiais ou subterrâneas através de pequenas e médias galerias, fazendo ainda parte do sistema todos os componentes do projeto para que tal ocorra. A macrodrenagem inclui, além da microdrenagem, as galerias de grande porte ( D >

1,5m ) e os corpos receptores tais como canais e rios canalizados.

ENG.CIVIL E DE SEG .DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 13

I.2. Terminologia Básica

Um sistema de drenagem de águas pluviais é composto de uma série de unidades e dispositivos hidráulicos para os quais existe uma terminologia própria e cujos elementos mais freqüentes são conceituados a seguir. Greide-é uma linha do perfil correspondente ao eixo longitudinal da superfície livre da via pública.

Guia-também conhecida como meio-fio, é a faixa longitudinal de separação do passeio com o leito viário, constituindo-se geralmente de peças de granito

AULA -02:Elementos Básicos do Sistema de Microdrenagem do passeio com o leito viário, constituindo-se geralmente de peças de granito argamassadas. Sarjeta-é o canal longitudinal, em geral triangular, situado entre a guia e a pista de rolamento, destinado a coletar e conduzir as águas de escoamento superficial até os pontos de coleta (Figura 1). Sarjetões-canal de seção triangular situado nos pontos baixos ou nos encontros dos leitos viários das vias públicas, destinados a conectar sarjetas ou encaminhar efluentes destas para os pontos de coleta (Figura 2). Bocas coletoras-também denominadas de bocas de lobo, são estruturas hidráulicas para captação das águas superficiais transportadas pelas sarjetas e sarjetões; em geral situam-se sob o passeio ou sob a sarjeta (Figura 3).

AULA -02:Elementos Básicos do Sistema de Microdrenagem

Figura 2 -Sarjetão típico em paralelepípedos

Figura I.2 -Sarjetão típico em paralelepípedos Figura 1 –Modelo de Sarjeta

15 ENG.CIVIL E DE SEG .DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA

AULA -02:Elementos Básicos do Sistema de Microdrenagem

Galerias-são condutos destinados ao transporte das águas captadas nas bocas coletoras até os pontos de lançamento; tecnicamente denominada de galerias tendo em vista serem construídas com diâmetro mínimo de 400mm. Condutos de ligação-também denominados de tubulações de ligação, são destinados ao transporte da água coletada nas bocas coletoras até às galerias pluviais (Figura 3).

Poços de visita-são câmaras visitáveis situadas em pontos previamente determinados, destinadas a permitir a inspeção e limpeza dos condutos subterrâneos (Figura 4).

ENG.CIVIL E DE SEG .DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 16 destinadas a permitir a inspeção e limpeza dos condutos subterrâneos (Figura 4). Trecho de galeria-é a parte da galeria situada entre dois poços de visita consecutivos. Caixas de ligação-também denominadas de caixas mortas, são caixas de alvenaria subterrâneas não visitáveis, com finalidade de reunir condutos de ligação ou estes à galeria (Figura 5).

Bacias de drenagem -é a área contribuinte para a seção em estudo. Tempo de concentração-é o menor tempo necessário para que toda a bacia de drenagem possa contribuir para a secção em estudo, durante uma precipitação torrencial. Tempo de recorrência-intervalo de tempo onde determinada chuva de projeto é igualada ou suplantada estatisticamente; também conhecido como período de recorrência ou de retorno.

AULA -02:Elementos Básicos do Sistema de Microdrenagem

ENG.CIVIL E DE SEG .DO TRABALHO PROF:HARRY KINSEY MIRANDA 17

Figura 3 -Boca coletora sob passeio Figura 4 -Poço de visita típico

Chuva intensa-precipitação com período de retorno de 100 anos. Chuva frequente-precipitação com período de retorno de até 10 anos. Chuva torrencial -precipitação uniforme sobre toda a bacia. Pluviômetro-instrumento que mede

(Parte 1 de 2)

Comentários