Alterações líquido amniótico

Alterações líquido amniótico

ALTERAÇÕES DO LÍQUIDO AMNIÓTICO

  • FACULDADE SANTA MARIA –FSM

  • CAJAZEIRAS –PB

  • SETEMBRO DE 2010

  • ENFERMAGEM – 6° PERÍODO – TURMA19

EQUIPE:

  • ADAIRIS FONTES BALBINO;

  • ANNE LOUYSE ANDRADE LIRA;

  • DENISE BASTOS ALVES;

  • LARISSA GRACIELLE ALVES ESTRELA MACIEL;

  • MARCONNI ALVES FERREIRA;

  • PATRÍCIO JÚNIOR HENRIQUE DA SILVEIRA.

ASPECTOS INTRODUTÓRIOS

  • Processo de gestação;

  • Nidação e formação da cavidade amniótica;

  • Avanços no estudo do LA;

  • Ultrassonografia e ILA.

LÍQUIDO AMNIÓTICO

CAVIDADE AMNIÓTICA

FUNÇÕES DO LA

  • Proteção contra traumatismos;

  • Propriedades antibacterianas;

  • Participação no desenvolvimento fetal;

  • Meio para movimentação do feto;

  • Manutenção da temperatura fetal;

  • Lubrificação fetal;

  • Impedir a aderência de tecidos fetais entre si e com as paredes do saco coriônico.

FISIOLOGIA DO LA

  • Coloração clara ou branco acinzentado;

  • O LA provém do fluido tecidual materno;

  • O feto produz LA através da urina e do fluido pulmonar;

  • Existe um equilíbrio entre a produção e a absorção do LA através da deglutição fetal, via transmembranosa e via intramembranosa.

  • Alterações: Oligoidramnia e Polidrâmnio.

  • Normohidramnia.

MENSURAÇÃO DO LA E TÉCNICAS DIAGNÓSTICAS

  • Medida de um só lago;

  • Técnica dos dois diâmetros de um lago;

  • ILA;

ÍNDICE DE LÍQUIDO AMNIÓTICO (ILA)

VOLUME DO LA

  • Início da gestação

VOLUME DO LA

  • Metade da gestação

VOLUME DO LA

  • Término da gestação

VOLUME DO LA

ILA

POLIDRÂMNIO

  • Volume excessivo de LA;

  • O volume do LA provém do equilíbrio entre produção e reabsorção do líquido;

  • Inicialmente o LA provém do transporte ativo de sódio, cloro e consequentemente água;

  • Posteriormente vem da urina e pulmões fetais.

POLIDRÂMNIO

  • Polidrâmnio é a condição em que temos volume de LA maior que 2 litros (2000 mL);

  • Clinicamente é reconhecido ao exame físico, amniocentese transabdominal ou escoamento excessivo durante o parto;

  • Atualmente é definido pela presença de um bolsão amniótico com diâmetro vertical maior que 8 cm.

POLIDRÂMNIO

POLIDRÂMNIO

  • O polidrâmnio está associado a anomalias congênitas do SNC (anencefalia, defeitos do tubo neural) e atresias do tubo digestivo;

  • As causas são: falta de deglutição fetal; fatores idiopáticos; fatores maternos (como DM); Doença Hemolítica Perinatal (DHPN); gemelidade monocoriônica; defeitos do SNC; defeitos cardíacos; defeitos das vias urinárias; patologia placentária (corioangioma, placenta circunvalada) e infecções fetais.

FORMAS CLÍNICAS DO POLIDRÂMNIO

  • Polidramnia aguda: rara; surge no 2° trimestre e pode atingir acima de 3 litros.

  • Polidramnia crônica: mais frequente; surge no 3° trimestre; o prognóstico fetal é melhor.

POLIDRÂMNIO Compressão Ureteral

Quadro Clínico

  • Edema do MMII;

  • Desconforto;

  • Lombalgia;

  • Dor na região das coxas;

  • Dispneia;

  • Taquicardia;

  • Cianose;

  • Palpitação.

DIAGNÓSTICO DO POLIDRÂMNIO

  • O diagnóstico pode ser:

  • Clínico: observação e mensuração da altura uterina que não condiz com a idade gestacional; dificuldade na ausculta dos bcf; desconforto respiratório materno.

  • Ultrassonografia: Mostra malformações e confirma o diagnóstico;

  • Amniografia;

  • Ecografia.

ALTURA UTERINA

TIPOS DE POLIDRÂMNIO

  • Polidrâmnio de baixa contratilidade: a atividade uterina é a esperada para a gestação; pode ocorrer ou não hipertonia;

  • Polidrâmnio de alta contratilidade: a atividade uterina é mais elevada que a correspondente à idade da gravidez; há hipertonia; a contratilidade aumentada pode causar parto prematuro.

PROGNÓSTICO

  • O prognóstico materno é bom. Porém, podem ocorrer complicações na gestação e no parto;

  • No feto são frequentes as malformações, a prematuridade, lesões anóxicas e traumáticas;

  • Complicações incluem: parto prematuro; insuficiência cardíaca e renal da mãe; DM; parto prolongado com hipossistolia; amniorrexe, prolapso do cordão umbilical.

PROLAPSO DE CORDÃO UMBILICAL

TRATAMENTO DO POLIDRÂMNIO

  • O tratamento está baseado na retirada do excesso de LA pela amniocentese que pode ser esvaziadora (quando há dispneia e dor abdominal) e seriada (até a maturidade fetal). Esse procedimento utiliza controle e visualização ultrassonográfica, sendo retirado 1000 a 1500 mL de LA. Os riscos envolvidos são: descolamento prematuro da placenta; choque materno; óbito fetal.

TRATAMENTO DO POLIDRÂMNIO

  • A amniocentese utiliza uma agulha de grosso calibre (18G), que é introduzida na cavidade amniótica.

TRATAMENTO DO POLIDRÂMNIO

  • O tratamento também está baseado no uso da Indometacina, que é uma droga capaz de normalizar de LA. Ela reduz a urina fetal e tem seu emprego limitado até a 34ª semana. A indometacina é de 25 mg, por via oral, de 6/6 h.

POLIDRÂMNIO

OLIGOIDRÂMNIO

  • Trata-se de uma redução acentuada do volume de LA;

  • Situação clínica em que o volume de LA é de 300 a 400 mL. Alguns autores colocam o volume inferior a 250 mL entre a 22ª e 40ª semana de gestação.

  • A ultrassonografia mostra um bolsão de LA menor que 2 cm no diâmetro vertical.

  • Nos casos mais acentuados pode ocorrer anidramnia (ausência de LA).

OLIGOIDRÂMNIO

  • Está associado a doença renal, crescimento intra-uterino restrito (CIR), amniorrexe prematura e pós-maturidade;

  • As causas que podem ser apontadas são: ruptura prematura de membranas; CIR; defeitos das vias urinárias; síndrome transfusional gêmeo-gêmeo e insuficiência placentária (causa hipóxia no feto).

DIAGNÓSTICO DO OLIGOIDRÂMNIO

  • Clínico: útero pequeno para a idade gestacional; as partes fetais são facilmente palpáveis; a ausculta dos bcf é boa; a mãe sente contrações dolorosas.

  • Ultrassonografia;

  • Pequeno escoamento de LA no parto (“parto seco”);

  • ILA menor que 5 cm.

TRATAMENTO DO OLIGOIDRÂMNIO

  • Tratamento ambulatorial: administração de indutores da maturidade pulmonar fetal, proteínas, repouso;

  • Amnioinfusão: Infundir Ringer Lactato ou glicose a 5% na câmara amniótica, monitorando por ultrassonografia

  • A hidratação oral e parenteral também é indicada.

OLIGOIDRÂMNIO

SAE

  • DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

  • Volume de líquidos excessivo relacionado a alterações nos processos de produção e/ou absorção do líquido amniótico, secundário a polidrâmnio evidenciado por edema dos MMII.

SAE

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante deverá apresentar diminuição do edema dos MMII.

SAE

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Explicar as causas do edema para a gestante;

  • -Monitorar eventuais sinais de lesões da pele;

  • -Manter os MMII elevados para facilitar o retorno venoso;

  • -Proteger a pele de lesões e lava-la adequadamente, massageando-a para facilitar o retorno venoso;

  • -Encaminhar para Ultrassonografia para monitorar a quantidade de LA e necessidade de amniocentese transabdominal.

SAE

  • DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

  • Padrão respiratório ineficaz relacionado à compressão do diafragma pelo útero, secundário à polidrâmnio, evidenciado por dispneia e/ou relato verbal.

SAE

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante deverá apresentar padrão respiratório satisfatório ou normal.

SAE

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Explicar as causas do problema a gestante;

  • -Ensinar a técnica da respiração eficaz (inspirar pelo nariz e expirar pela boca com lábio semi-cerrados);

  • -Observar eventuais sinais de cianose;

  • -Ofertar oxigenoterapia conforme prescrição médica ou em caso de emergência;

  • -Providenciar repouso;

  • -Avaliar quantidade de LA e possível necessidade de amniocentese.

SAE

  • DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

  • Conforto prejudicado relacionado ao crescimento exagerado do útero, secundário ao polidrâmnio, evidenciado por relato verbal.

SAE

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante deverá relatar melhora do conforto.

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Investigar as causas do desconforto e os fatores associados;

  • -Ajudar a gestante a encontrar uma posição adequada e confortável;

  • -Utilizar mecanismos de distração (livros, TV, conversas, etc.);

  • -Investigar a quantidade de LA e possível necessidade de amniocentese.

SAE

  • DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

  • Dor aguda relacionada ao aumento desproporcional do útero, secundário ao polidrâmnio, evidenciado por queixas.

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante deverá relatar alívio da dor.

SAE

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Explicar as causas para a gestante;

  • -Investigar as características da dor (localização, intensidade, fatores associados, etc.);

  • -Promover conforto e uma posição adequada para a gestante;

  • -administrar analgésicos conforme prescrição médica;

  • -Proporcionar mecanismos de distração (livros, TV, etc.);

  • -Investigar níveis de LA e possível necessidade de amniocentese.

SAE

  • DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

  • Padrão de sono prejudicado relacionado ao desconforto abdominal, secundário ao polidrâmnio, evidenciado por relato verbal.

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante deverá apresentar e relatar melhora do padrão de sono.

SAE

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Investigar as causas;

  • -Promover conforto e uma posição adequada;

  • -Investigar níveis de LA e possível necessidade de amniocentese.

SAE

  • DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

  • Risco de infecção relacionado a sucessivas amniocenteses.

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante não deverá apresentar infecção.

SAE

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Assegurar-se da manutenção das condições assépticas durante a realização da amniocentese;

  • -Realizar a antissepsia da gestante;

  • -Somente realizar amniocentese se estritamente necessário, valendo-se para confirmar a decisão de um exame ultrassonográfico.

SAE

  • Volume de líquidos deficiente relacionado a alterações nos processos de produção e/ou absorção do líquido amniótico, secundário à oligoidramnia, evidenciado por útero menor que o normal para a idade gestacional.

  • RESULTADO ESPERADO

  • A gestante deverá apresentar melhora volume hídrico uterino.

SAE

  • INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM

  • -Promover hidratação parenteral com Ringer Lactato EV (1000 ml de 6/6 h);

  • -Induzir o parto, se não houver contra-indicações;

  • -Providenciar repouso;

  • -Providenciar amnioifusão se necessário.

  • “SE ENXERGUEI MAIS LONGE FOI PORQUE ME APOIEI EM OMBROS DE GIGANTES”

  • ISAAC NEWTON

Comentários