abuso de substancias psicoativas

abuso de substancias psicoativas

Droga psicoativa ou substância psicotrópica é a substância química que age principalmente no sistema nervoso central, onde altera a função cerebral e temporariamente muda a percepção, o humor, o comportamento e a consciência. Exemplos mais conhecidos são álcool, nicotina, cocaína, anfetaminas

  • Droga psicoativa ou substância psicotrópica é a substância química que age principalmente no sistema nervoso central, onde altera a função cerebral e temporariamente muda a percepção, o humor, o comportamento e a consciência. Exemplos mais conhecidos são álcool, nicotina, cocaína, anfetaminas

  • e êxtase, inalantes, opióides, ansiolíticos benzodiazepínicos e maconha.

O uso de drogas é uma prática desde tempos pré-históricos. Há provas arqueológicas do uso de substâncias psicoativas a 10 mil anos atrás, e evidência histórica de uso cultural desde 5 mil anos.

  • O uso de drogas é uma prática desde tempos pré-históricos. Há provas arqueológicas do uso de substâncias psicoativas a 10 mil anos atrás, e evidência histórica de uso cultural desde 5 mil anos.

Embora o uso pareça ter sido mais freqüentemente medicinal, sugeriu-se que o desejo de alterar a consciência é tão primitivo quando o ímpeto de saciar a sede, a fome ou o desejo sexual.

  • Embora o uso pareça ter sido mais freqüentemente medicinal, sugeriu-se que o desejo de alterar a consciência é tão primitivo quando o ímpeto de saciar a sede, a fome ou o desejo sexual.

  • Por exemplo, no Antigo Egito, eram comuns as representações de deuses segurando plantas alucinógenas.

Tais alterações subjetivas da consciência e do humor podem, contudo, ser interpretadas como fonte de prazer (ex. a euforia) ou vantagem (ex. o aumento da atenção), razão pela qual se observam abusos dessas substâncias.

  • Tais alterações subjetivas da consciência e do humor podem, contudo, ser interpretadas como fonte de prazer (ex. a euforia) ou vantagem (ex. o aumento da atenção), razão pela qual se observam abusos dessas substâncias.

O uso recorrente de alguma delas pode levar à dependência física ou psicológica, promovendo um ciclo progressivamente mais difícil de ser interrompido.

  • O uso recorrente de alguma delas pode levar à dependência física ou psicológica, promovendo um ciclo progressivamente mais difícil de ser interrompido.

  • A impossibilidade física ou psicológica de interrupção desse ciclo caracteriza o vício em drogas, ou drogadição/ toxicodependência.

São usadas para diferentes propósitos. Os usos variam grandemente entre as diferentes culturas. Algumas substâncias são de uso controlado ou ilegal, enquanto algumas podem ser usadas para propósitos xamânicos e religiosos (as do Santo Daime, da União do Vegetal e d'A Barquinha ) e outras são usadas de modo terapêutico.

  • São usadas para diferentes propósitos. Os usos variam grandemente entre as diferentes culturas. Algumas substâncias são de uso controlado ou ilegal, enquanto algumas podem ser usadas para propósitos xamânicos e religiosos (as do Santo Daime, da União do Vegetal e d'A Barquinha ) e outras são usadas de modo terapêutico.

O uso recorrente de alguma delas pode levar à dependência física ou psicológica, promovendo um ciclo progressivamente mais difícil de ser interrompido.

  • O uso recorrente de alguma delas pode levar à dependência física ou psicológica, promovendo um ciclo progressivamente mais difícil de ser interrompido.

Outros exemplos seriam o consumo social de álcool e os soníferos. A cafeína é a substância psicoativa mais consumida no mundo; mas ao contrário de muitas outras, seu uso é legal e irrestrito em praticamente todas as jurisdições.

  • Outros exemplos seriam o consumo social de álcool e os soníferos. A cafeína é a substância psicoativa mais consumida no mundo; mas ao contrário de muitas outras, seu uso é legal e irrestrito em praticamente todas as jurisdições.

Classe de SPA usada em pacientes para bloquear a dor e outras sensações. A maioria induz à inconsciência, o que permite procedimentos médicos sem dor física ou trauma emocional.

  • Classe de SPA usada em pacientes para bloquear a dor e outras sensações. A maioria induz à inconsciência, o que permite procedimentos médicos sem dor física ou trauma emocional.

  • Ex: HALOTANO E CETAMINA

Frequentemente prescritos para a manutenção da dor. Estão incluídos os narcóticos opiáceos.

  • Frequentemente prescritos para a manutenção da dor. Estão incluídos os narcóticos opiáceos.

  • Ex: MORFINA E CODEÍNA

  • AINEs, como a ASPIRINA e o IBUPROFENO, são uma segunda classe de analgésicos.

Prescritos para o tratamento de doenças mentais e emocionais, onde existem 6 classes principais:

  • Prescritos para o tratamento de doenças mentais e emocionais, onde existem 6 classes principais:

  • Antidepressivos

  • Estimulantes

  • Antipsicóticos

  • Ansiolíticos

  • Estabilizadores do Humor

  • Depressores

Antidepressivos, que são usados para tratar diversos males, tais como depressão nervosa, epilepsia, ansiedade, transtornos alimentares e transtorno de personalidade limítrofe.

  • Antidepressivos, que são usados para tratar diversos males, tais como depressão nervosa, epilepsia, ansiedade, transtornos alimentares e transtorno de personalidade limítrofe.

  • Estimulantes, usados para tratar distúrbios como o transtorno do déficit de atenção e como supressores do apetite.

Antipsicóticos, que são usados para tratar psicoses, esquizofrenia e mania.

  • Antipsicóticos, que são usados para tratar psicoses, esquizofrenia e mania.

  • Estabilizador do humor, utilizados para tratar o transtorno bipolar e o transtorno esquizoafetivo.

  • Ansiolíticos, usados para tratar transtornos da ansiedade.

  • Depressores, que são utilizados como hipnóticos, sedativos e anestésicos.

Muitas substâncias psicoativas são usadas pelos efeitos de alteração do humor e da percepção, inclusive aquelas com uso aceito pela medicina e psiquiatria.

  • Muitas substâncias psicoativas são usadas pelos efeitos de alteração do humor e da percepção, inclusive aquelas com uso aceito pela medicina e psiquiatria.

  • Os tipos de drogas usadas freqüentemente para uso recreacional incluem:

Estimulantes, que ativam o sistema nervoso central. São usadas recreacionalmente pelos efeitos eufóricos.

  • Estimulantes, que ativam o sistema nervoso central. São usadas recreacionalmente pelos efeitos eufóricos.

  • Alucinógenos (psicodélicos, dissociativos e delirantes), que induzem a distorções percepcionais e cognitivas.

  • Hipnóticos, que são usados recreacionalmente pela euforia que causam.

Analgésicos, utilizados também pelo efeito eufórico.

  • Analgésicos, utilizados também pelo efeito eufórico.

  • Inalantes, sob a forma de aerossóis ou solventes, que são inalados por causa de seu efeito estupefaciente. Muitos inalantes também se incluem em alguma categoria acima (como o óxido nitroso, que também tem efeito analgésico).

Por causa da controvérsia sobre o regulamento das drogas recreacionais, existe um debate sobre a proibição das drogas. Críticos da proibição acreditam que a regulamentação do uso de drogas recreacionais é uma violação da autonomia pessoal e da liberdade

  • Por causa da controvérsia sobre o regulamento das drogas recreacionais, existe um debate sobre a proibição das drogas. Críticos da proibição acreditam que a regulamentação do uso de drogas recreacionais é uma violação da autonomia pessoal e da liberdade

Para que uma substância seja psicoativa, ele deve atravessar a barreira hematoencefálica de modo a afetar a função neuroquímica. As drogas psicoativas são administradas de diferentes maneiras.

  • Para que uma substância seja psicoativa, ele deve atravessar a barreira hematoencefálica de modo a afetar a função neuroquímica. As drogas psicoativas são administradas de diferentes maneiras.

Na medicina, a maioria das drogas psicoativas, como a fluoxetina, a quetiapina e o lorazepam, são ingeridas sob forma de comprimidos ou cápsulas.

  • Na medicina, a maioria das drogas psicoativas, como a fluoxetina, a quetiapina e o lorazepam, são ingeridas sob forma de comprimidos ou cápsulas.

  • Contudo, alguns psicoativos farmacêuticos são administrados via inalação, injeções intramusculares ou intravenosas, ou ainda via retal em supositórios e enemas.

As drogas usadas recreacionalmente são muitas vezes administradas sob formas incomuns ao uso medicinal. Algumas delas, como o álcool e a cafeína são ingeridas sob a forma de bebida; nicotina e THC são fumados; o peiote e os cogumelos psicodélicos são ingeridos in natura ou desidratados; e algumas drogas cristalinas, como a cocaína e as metanfetaminas são aspiradas.

  • As drogas usadas recreacionalmente são muitas vezes administradas sob formas incomuns ao uso medicinal. Algumas delas, como o álcool e a cafeína são ingeridas sob a forma de bebida; nicotina e THC são fumados; o peiote e os cogumelos psicodélicos são ingeridos in natura ou desidratados; e algumas drogas cristalinas, como a cocaína e as metanfetaminas são aspiradas.

A eficiência de cada método de administração varia de acordo com a droga.

  • A eficiência de cada método de administração varia de acordo com a droga.

As drogas psicoativas são freqüentemente associadas ao vício. A drogadição pode ser dividida em dois tipos:

  • As drogas psicoativas são freqüentemente associadas ao vício. A drogadição pode ser dividida em dois tipos:

  • dependência psicológica, na qual o usuário se sente compelido a usar a droga apesar das conseqüências físicas ou sociais, e dependência física, em que o usuário tem de usar a droga para evitar as conseqüências da síndrome de abstinência.

USO

  • USO

  • ABUSO

  • DEPENDÊNCIA

Uso moderado, recreativo, esporádico, experimental.

  • Uso moderado, recreativo, esporádico, experimental.

  • Padrão de consumo de SPA que não acarreta prejuízos físicos, psicológicos ou sociais.

Uso nocivo.

  • Uso nocivo.

  • Padrão mal adaptativo de uso de SPA, acarretando algum tipo de prejuízo biológico, psicológico ou social.

Saliência ou relevância do consumo

  • Saliência ou relevância do consumo

  • Aumento da tolerância

  • Sintomas de abstinência

  • Alívio ou evitação dos sintomas de abstinência pelo aumento do consumo

  • Percepção subjetiva da compulsão para o uso

  • Estreitamento do repertório

  • Reinstalação após a abstinência

A ética relativa ao uso dessas drogas é assunto de um contínuo debate, em parte por causa desse potencial para abuso e dependência. Muitos governos têm imposto restrições sobre a produção e a venda dessas substâncias na tentativa de diminuir o abuso de drogas.

  • A ética relativa ao uso dessas drogas é assunto de um contínuo debate, em parte por causa desse potencial para abuso e dependência. Muitos governos têm imposto restrições sobre a produção e a venda dessas substâncias na tentativa de diminuir o abuso de drogas.

  • Auxiliar o sujeito a reconhecer seus problemas atuais e potenciais quando há ambivalência quanto à mudança.

  • Estimular o comprometimento para a realização dessa mudança por meio de abordagem psicoterápica.

OBRIGADO

  • OBRIGADO

Comentários