(Parte 1 de 8)

Nº Doc.: 0682-227 Rev.: 01 Data: 01/08/2002

Treinamento iFIX Teoria e Prática

Teoria e Prática

Treinamento iFIX

Nº Doc.: 0682-227 Rev.: 01 Data: 01/08/2002

ATAN Nome Assinatura Data

Aprovado por Luciana C. Fernandes 01/08/2002

Nº Doc.: 0682-227

Rev.: 01 CONTROLE DE REVISÃO DE

DOCUMENTOS Página: 1/1

Nº de págs. ATAN

Rev. Natureza da Revisão Total do doc.CorpoprincipalData Elaborado Verificado Aprovado

Rocha e David Reis

Luciana C.

Fernandes Luciana C. Fernandes

Rocha e David Reis

Luciana C.

Fernandes Luciana C. Fernandes

0682-227 (Rev.: 01) I

1. VISÃO GERAL1
1.1 Características Gerais1
1.2 Perfil do Produto1
1.3 Arquitetura Básica4
2. REQUISITOS DE HARDWARE, SOFTWARE E REDE PARA RODAR O IFIX6
2.1 Requisitos Mínimos de Hardware6
2.2 Requisitos de Software6
2.3 Requisitos de Rede6
3. LICENÇAS DISPONÍVEIS NA CHAVE7
4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA8
4.1 Configuração de Caminhos9
4.2 Configuração de Alarmes e Mensagens10
4.2.1 Considerações Importantes sobre Alarmes12
4.3 Configuração de Rede13
4.4 Configuração de Tarefas14
5. O AMBIENTE WORKSPACE16
5.1 Estruturando o Ambiente Workspace para Trabalhar18
5.1.1 Criando um Diretório Específico para a Aplicação18
5.1.2 Visualizando Barra de Ferramentas no Ambiente Workspace21
6. LABORATÓRIO 125
7. ANIMAÇÃO DE OBJETOS26
7.1 Animação Utilizando Objetos Básicos27
7.1.1 Exemplos de Animação Utilizando Objetos Básicos27
7.1.2 Animações Experts3
8. CONFIGURANDO O AMBIENTE WORKSPACE37
9. LABORATÓRIO 239
10. DRIVERS DE COMUNICAÇÃO43
10.1 Configurando um Driver de Comunicação43
1. BLOCOS DE DADOS48
1.1 Bloco de Entrada Digital – DI48
1.2 Bloco de Saída Digital - DO51
1.3 Bloco de Entrada Analógica – AI53
1.4 Bloco de Saída Analógica – AO57
1.5 Bloco de Cálculo – CA61
1.5.1 Operadores Possíveis para Trabalhar no Bloco de Cálculo62
1.6 Bloco de Evento63
12. LABORATÓRIO 364
13. TENDÊNCIA68
13.1 Tendência Real68
13.2 Tendência Histórica69
13.2.1 Arquitetura Geral70
13.2.2 Passos para Criação de uma Tendência Histórica71
14. SCHEDULER75

Índice 14.1 Inserindo um Scheduler na Aplicação...................................................................................................................7

14.2 Para Rodar um Scheduler79
15. LABORATÓRIO 482
16. TRABALHANDO COM VBA86
16.1 Aplicações do VBA86
16.2 Conceitos Utilizados na Programação86
16.3 Exemplos de Utilização do VBA87
16.3.1 Set de Variável Digital para um Valor87
16.3.2 Abrindo uma Tela ou Janela8
16.3.3 Script para Inicialização de um Objeto89
16.3.4 Escrita em Variáveis da Base de Dados89
17. LABORATÓRIO 590
18. ALARMES E EVENTOS96
19. OBJETOS ACTIVEX9
19.1 Inserindo um Objeto ActiveX na Aplicação9
20. GRUPO DE TAGS100
20.1 Criando um Grupo de Tags para uma Animação100
20.2 Animando Utilizando o Tag Group101

0682-227 (Rev.: 01) I

21.1 Conceitos Básicos sobre Cliente e Servidor103
21.2 iFIX Trabalhando como Servidor OPC de Outras Aplicações103
21.3 iFIX Trabalhando como Cliente OPC de Outras Aplicações105
2. REDUNDÂNCIA109
2.1 Configurações Necessárias nas Estações para Atender à Redundância109

0682-227 (Rev.: 01) I

Figura 12
Figura 22
Figura 33
Figura 43
Figura 53
Figura 64
Figura 77
Figura 88
Figura 99
Figura 101
Figura 112
Figura 1213
Figura 1314
Figura 1416
Figura 1519
Figura 1619
Figura 1720
Figura 182
Figura 1924
Figura 2027
Figura 2127
Figura 228
Figura 2329
Figura 2430
Figura 2531
Figura 2631
Figura 2732
Figura 283
Figura 2934
Figura 3035
Figura 3135
Figura 3237
Figura 337
Figura 3438
Figura 3538
Figura 3639
Figura 3740
Figura 3841
Figura 3941
Figura 4042
Figura 4143
Figura 424
Figura 434
Figura 445
Figura 4546
Figura 4748
Figura 4849
Figura 4950
Figura 5051
Figura 5152
Figura 5253
Figura 5354
Figura 545
Figura 55
Figura 5656
Figura 5757
Figura 5858
Figura 5959
Figura 6060
Figura 6161
Figura 6261
Figura 6362
Figura 6463
Figura 6563
Figura 665
Figura 676
Figura 6868
Figura 6968
Figura 7069
Figura 7170
Figura 7271
Figura 7372
Figura 7473
Figura 7573
Figura 7674
Figura 776
Figura 7878
Figura 7979
Figura 8080
Figura 8180
Figura 8281
Figura 8383
Figura 8484
Figura 8585
Figura 8687
Figura 8789
Figura 891
Figura 8993
Figura 9095
Figura 9196
Figura 9297
Figura 9397
Figura 9497
Figura 959
Figura 96100
Figura 97100

0682-227 (Rev.: 01) IV Figura 98 ...................................................................................................................... .........................................101

Figura 9102
Figura 100103
Figura 101104
Figura 102105
Figura 103106
Figura 104107
Figura 105108
Figura 106109
Figura 107110
Figura 108110

0682-227 (Rev.: 01) V Figura 109..................................................................................................................... ........................................1

Tabela 110
Tabela 21
Tabela 315
Tabela 426
Tabela 534
Tabela 654
Tabela 762
Tabela 864

Tabelas 0682-227 (Rev.: 01) VI

1. VISÃO GERAL

1.1 Características Gerais

Software Supervisório destinado à Automação Industrial, permitindo uma interface adequada de operação para o usuário, enfocando duas características básicas:

Aquisição de dados:

Comunicação direta com dispositivos I/O na planta. Interface com dispositivos de hardware via drivers I/O.

Gerenciamento dos dados:

Habilidade de processar e manipular dados adquiridos. O gerenciamento dos dados é composto de vários itens, incluindo:

Monitoramento do processo via tela gráfica Controle supervisório. Alarme. Relatório. Armazenamento de dados.

Neste item abordaremos a filosofia de aquisição e tratamento de dados pelos nós, caracterizando-os segundo o tipo e segundo a configuração:

Tipos de nós:

O nó que adquire dados do hardware do processo é chamado SCADA cujas funcionalidades são encontradas nos pacotes iFIX HMI Pack ou iFIX Scada Server.

Funcionalidades:

SCADA – Supervisory Control And Data Acquisition. Comunica-se com o hardware do processo através do driver de I/O. Carrega e gerencia a base de dados do processo.

0682-227 (Rev.: 01) 1

Arquitetura utilizando funcionalidades SCADA: Figura 1

O nó iClient cujas funcionalidades podem ser encontradas nos pacotes iFIX Client, iFIX Client Read Only, iClient TS.

Funcionalidades:

O iclient recebe dados do servidor SCADA via rede. Um iclient também pode executar outras aplicações. Este nó também é chamado de vista. O iClient é referenciado nas literaturas como HMI (Human Machine Interface).

0682-227 (Rev.: 01) 2

Arquitetura utilizando funcionalidades iClient: iFIX Client

Figura 3 iFIX Client Read Only

Figura 4 iFIX Client TS

Figura 5 0682-227 (Rev.: 01) 3

0682-227-02/0 Figura 6

A – Drivers I/O:

(Parte 1 de 8)

Comentários