Mini Curso Automação

Mini Curso Automação

(Parte 1 de 3)

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo João Paulo

Técnicoem AutomaçãoIndustrialTécnicoem AutomaçãoIndustrial

Cursando CSTem Petróleoe Gás

InstrutordeFormaçãoProfissional–SE NAI Sócio Gerente daL OGIX Automação.

Mossoró, Novembro de 2010

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

• Auto mação – Conceito • Auto maçãoe Mão de Obra

• Auto maçãoe Controle

•Processo

•Linguagens de Programação •Tipos de CLPs

•Micro CLP –Módulo Lógico

•CLPs Compactos

•Processo • Tipos de Processos

• Variáveis de Processo

• Malha Aberta

• MalhaFechada

•CLP –Definição

•Tipos de Sinais -I/O Discretos e Analógicos

•Princípio de Funcionamento

•CLPs Compactos •CLPs Modulares

•Sistemas Associados

•Sistemas de Supervisório

•Aplicações na Indústria do Petróleo

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

Automação –Conceito

Auto maçã o é a su bstituiçã o do trabalho hu mano ou animalpor máquina.

Auto maçã o é a operaçã o de máquina ou de siste ma auto matica mente ou por co ntrole re moto, co m a mínima interferência do operador hu mano.co m a mínima interferência do operador hu mano.

Auto mático significa ter u m meca nism o de atuaçã o própria, que faça u ma açã o requerida e m te mpo deter minado ou e m resp osta a ce rtas co ndiçõ es.

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

Automação –Conceito

Oco nce ito de auto maçã o va ria co m o a mbiente e exp eriência da pesso a envolvida. São exe mplos de auto maçã o:

Para u ma dona de ca sa , a máquina delava rroupa oulava rlouça.oulava rlouça.

Para u m e mpregado daindústria auto mobilística , pode se r u mrobô.

Para u ma pesso a co mu m, pode se r a ca pacidade detirar dinheiro do caixa eletrônico .

Para u m operador de u ma planta de processo , éo siste ma instru mentado que opera a planta de modo dese jado e se guro.

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

Co m o advento docircuitointegrado(1960)e do micr oprocessa dor(1970), a quantidade deinteligência que pode se r e mbutida e m u ma máquina a u m cu sto razo áve l se tornou enor me. O número de tarefas co mplexas que pode m se r feitas auto matica mente

Automação e Mão de Obra co mplexas que pode m se r feitas auto matica mente cr esce u várias ve ze s.

Atualmente, pode- se dedica r ao co mputador pesso al (CP) para faze r tarefas si mples e co mplica das, de modo eco nômico .

A auto maçã o pode reduzir a mão de obra e mpregada, porém ela ta mbém e ainda requere m operadores.

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

A auto maçã o está intima mente ligada à instru mentaçã o. Os diferentesinstru mentos sã o usa dos pararealiza r a auto maçã o. Historica mente, o primeiroter mo usa dofoi o de

Automação e Controle

Historica mente, o primeiroter mo usa dofoi o de co ntrole auto mático de proce sso . Fora m usa dos instru mentos co m as funçõ es de medir, transm itir, co mparar e atuar no proce sso , para se co nse guir u m produto desejado co m pequena ou nenhu ma ajuda hu mana. Isto éco ntrole auto mático .

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

Co m o au mento da co mplexidade dos proce sso s, ta manho das plantas, exigências de produtividade, se gurança e proteçã o do meio a mbiente, além do controle auto mático do proce sso , aparece u a nece ssi dade de monitorar o co ntrole auto mático .

Automação e Controle nece ssi dade de monitorar o co ntrole auto mático .

A partir deste novo níve l deinstru mentos, co m funçõ es de monitoraçã o, alar me eintertrava mento, é que aparece u o ter mo auto maçã o. As funçõ es predo minantes neste níve l são as de detecçã o, co mparaçã o, alar me e atuaçã ológica .

CLPs Aplicado a Indústria do Petróleo

Te m- se a auto maçã o asso ciada ao controle auto mático , para fazer su a monitoraçã o, incluindo as tarefas de alar me eintertrava mento. A auto maçã o é ta mbém aplica da a proce sso s discr etos e de batelada,

(Parte 1 de 3)

Comentários