Norma portuguesa

Norma portuguesa

(Parte 3 de 13)

− como meio de comprovar a conformidade dos edifícios e de outras obras de engenharia civil com as exigências essenciais da Directiva 89/106/CEE do Conselho, particularmente a Exigência Essencial n.º 1 – Resistência mecânica e estabilidade – e a Exigência Essencial n.° 2 – Segurança contra incêndio;

− como base para a especificação de contratos de trabalhos de construção e de serviços de engenharia a eles associados;

− como base para a elaboração de especificações técnicas harmonizadas para os produtos de construção (EN e ETA).

Os Eurocódigos, dado que dizem respeito às obras de construção, têm uma relação directa com os documentos interpretativos2) referidos no artigo 12º da DPC, embora sejam de natureza diferente da das normas harmonizadas relativas aos produtos3). Por conseguinte, os aspectos técnicos decorrentes dos Eurocódigos devem ser considerados de forma adequada pelos Comités Técnicos do CEN e/ou pelos Grupos de Trabalho da EOTA envolvidos na elaboração das normas relativas aos produtos, tendo em vista a obtenção de uma compatibilidade total destas especificações técnicas com os Eurocódigos.

Os Eurocódigos fornecem regras comuns de cálculo estrutural para a aplicação corrente no projecto de estruturas e dos seus componentes, de natureza quer tradicional quer inovadora. Elementos construtivos ou condições de cálculo não usuais não são especificamente incluídos, devendo o projectista, nestes casos, assegurar o apoio especializado necessário.

2) De acordo com o n.º 3 do artigo 3º da DPC, as exigências essenciais (E) traduzir-se-ão em documentos interpretativos que estabelecem as ligações necessárias entre as exigências essenciais e os mandatos para a elaboração de normas europeias (EN) harmonizadas e guias de aprovação técnica europeia (ETAG), e das próprias aprovações técnicas europeias (ETA). 3) De acordo com o artigo 12º da DPC, os documentos interpretativos devem: a) concretizar as exigências essenciais harmonizando a terminologia e as bases técnicas e indicando, sempre que necessário, classes ou níveis para cada exigência; b) indicar métodos de correlação entre essas classes ou níveis de exigências e as especificações técnicas, por exemplo, métodos de cálculo e de ensaio, regras técnicas de concepção de projectos, etc.; c) servir de referência para o estabelecimento de normas europeias harmonizadas e de guias de aprovação técnica europeia. Os Eurocódigos, de facto, desempenham um papel semelhante na área da E 1 e de uma parte da E 2.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida p. 17 de 259

Normas nacionais de implementação dos Eurocódigos

As normas nacionais de implementação dos Eurocódigos incluirão o texto completo do Eurocódigo (incluindo anexos), conforme publicado pelo CEN, o qual poderá ser precedido de uma página de título e de um preâmbulo nacionais, e ser também seguido de um Anexo Nacional.

O Anexo Nacional só poderá conter informações sobre os parâmetros deixados em aberto no Eurocódigo para escolha nacional, designados por Parâmetros Determinados a nível Nacional, a utilizar no projecto de edifícios e de outras obras de engenharia civil no país em questão, nomeadamente:

− valores e/ou classes, nos casos em que são apresentadas alternativas no Eurocódigo;

− valores para serem utilizados nos casos em que apenas um símbolo é apresentado no Eurocódigo;

− dados específicos do país (geográficos, climáticos, etc.), por exemplo, mapa de zonamento da neve;

− o procedimento a utilizar nos casos em que sejam apresentados procedimentos alternativos no Eurocódigo. Poderá ainda conter:

− decisões sobre a aplicação dos anexos informativos;

− informações complementares não contraditórias para auxílio do utilizador na aplicação do Eurocódigo.

Ligações entre os Eurocódigos e as especificações técnicas harmonizadas (EN e ETA) relativas aos produtos

É necessária uma consistência entre as especificações técnicas harmonizadas relativas aos produtos de construção e as regras técnicas relativas às obras4). Além disso, todas as informações que acompanham a marcação CE dos produtos de construção que fazem referência aos Eurocódigos devem indicar, claramente, quais os Parâmetros Determinados a nível Nacional que foram tidos em conta.

Informações adicionais específicas da EN 1992-1-1

A presente Norma descreve os princípios e os requisitos de segurança, de utilização e de durabilidade das estruturas de betão, assim como disposições específicas para edifícios. Baseia-se no conceito de estado limite, utilizado em conjunto com um método dos coeficientes parciais.

A presente Norma destina-se a ser directamente aplicada, em conjunto com outras Partes da EN 1992 e com os Eurocódigos EN 1990, 1991, 1997 e 1998, ao projecto de novas estruturas.

A presente Norma também serve como documento de referência para outros Comités Técnicos do CEN no que respeita a questões estruturais.

A presente Norma destina-se a ser utilizada por:

− comissões de redacção de normas relativas ao cálculo estrutural e de normas sobre produtos, ensaios e execução com elas associados;

− donos de obra (por exemplo, para a formulação dos seus requisitos específicos sobre níveis de fiabilidade e de durabilidade);

− projectistas e construtores;

− autoridades competentes.

4) Ver n.º 3 do artigo 3º e artigo 12º da DPC, e também 4.2, 4.3.1, 4.3.2 e 5.2 do Documento Interpretativo n.º 1.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

EN 1992-1-1

p. 18 de 259

São recomendados valores numéricos para os coeficientes parciais e para outros parâmetros de fiabilidade, de modo a proporcionarem um nível de fiabilidade aceitável, os quais foram seleccionados admitindo a aplicação de um nível adequado de mão-de-obra e de gestão da qualidade. Quando a presente Norma for usada como documento de base por outros Comités Técnicos do CEN, deverão adoptar-se os mesmos valores.

Anexo Nacional da EN 1992-1-1

Esta Norma estabelece procedimentos alternativos e valores, recomenda classes e inclui notas indicando onde poderão ter de ser feitas opções nacionais. Por este motivo, a Norma Nacional de implementação da EN 1992-1-1 deverá ter um Anexo Nacional que contenha todos os Parâmetros Determinados a nível Nacional para o projecto de edifícios e de outras obras de engenharia civil a serem construídos no país a que diz respeito.

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida p. 19 de 259

Impress ão de docu ment o electrónico

©IPQ reprodução proibida

EN 1992-1-1

p. 20 de 259

1 Generalidades

1.1 Objectivo e campo de aplicação

1.1.1 Objectivo e campo de aplicação do Eurocódigo 2

(1)P O Eurocódigo 2 aplica-se ao projecto de edifícios e de outras obras de engenharia civil de betão simples, betão armado e betão pré-esforçado. Obedece aos princípios e requisitos de segurança e de utilização das estruturas e às bases para o seu projecto e verificação indicadas na EN 1990.

(2)P O Eurocódigo 2 trata apenas dos requisitos de resistência, utilização, durabilidade e resistência ao fogo das estruturas de betão. Não são, portanto, considerados outros requisitos tais como, por exemplo, os relativos ao isolamento térmico ou acústico.

(3)P O Eurocódigo 2 destina-se a ser utilizado em conjunto com:

EN 1990∗): Basis of structural design

EN 1991∗): Actions on structures hEN’s relativas aos produtos de construção relevantes para as estruturas de betão ENV 13670**): Execution of concrete structures

EN 1997∗): Geotechnical design

EN 1998∗): Design of structures for earthquake resistance, no caso de estruturas de betão construídas em regiões sísmicas

(Parte 3 de 13)

Comentários