Processo de Soldagem com Eletrodo Revestido

Processo de Soldagem com Eletrodo Revestido

(Parte 2 de 2)

- Eletrodo Revestido;

- Cabos (Elétricos) de Soldagem;

- Chapa de aço

- Equipamentos de Segurança (máscaras, luvas e jaleco de couro).

3.2 Método

O processo de soldagem com eletrodo revestido iniciou-se com uma breve apresentação sobre o equipamento, como a fonte de energia a ser utilizada. Foi verificado que para a formação do arco elétrico, pode-se utilizar tanto corrente alternada quanto corrente contínua. No caso do processo utilizando eletrodo revestido, foi utilizado um transformador de corrente alternada.

Foi explicada a questão de polaridade entre o eletrodo e a peça a ser soldada, onde foi observado que no local em que a polaridade é positiva há um maior aquecimento, melhorando assim a fusão entre o material do eletrodo e peça a ser soldada.

Depois da apresentação das questões de fonte de energia e polaridade, foram explicados os tipos de eletrodo para determinados materiais (aço, aço inox, ferro fundido, alumínio, entre outros) a serem soldados, bem como a nomenclatura (números) que cada tipo recebe. Através da numeração têm-se informações sobre as propriedades mecânicas do eletrodo (tração e compressão) que essa solda pode sofrer; as posições de soldagem (vertical, horizontal, sobre a cabeça, entre outras), bem como a natureza da corrente que deverá ser aplicada ao eletrodo.

Ao escolher a peça a ser soldada e o eletrodo realizamos o procedimento de ponteamento, que nada mais é que a realização de dois pontos de soldas, evitando qualquer tipo de desalinhamento ou empenamento das chapas.

Com as chapas já bem fixadas, foi iniciado o cordão de solda. O espaçamento entre as chapas é diretamente ligado ao diâmetro do eletrodo utilizado. Como todo cordão de solda realizado, há certo movimento a ser feito, com as mãos, durante o processo de soldagem. Geralmente o movimento realizado é um tipo de “ziguezague” ou em forma de escamas de peixe, garantindo a fusão completa da solda. Muitas vezes, após a realização do cordão de raiz, a chapa é virada e é realizado mais um cordão de solda, também para garantir uma boa fusão de solda.

Com o cordão de solda já pronto, foi tirado qualquer tipo de impurezas (escórias), que possam a vir ficam após o termino do processo.

4. Apresentação dos Resultados

Após a realização de todos os procedimentos de soldagem, foi obtida uma junção entre as chapas por um cordão de solda feito através de um eletrodo, eletrodo esse específico para soldas em peças de aço. Além da junção obtida, a cada cordão de solda realizado, após o resfriamento, observou-se a formação de uma “casca”, denominada escória. Essa escória tinha que ser limpa logo após cada cordão feito, evitando assim os defeitos de solda.

5. Análise dos Resultados

Através dos resultados obtidos é possível observar que durante a solda é formado um resíduo, onde é preciso retirar para que no final do trabalho a peça não apresente um defeito futuramente. Após a retirada dos resíduos a peça já está pronta.

6.1. Explique o processo de geração do arco elétrico gerado durante a soldagem

6. Questões

R- A geração do arco elétrico se da quando uma corrente elétrica flui entre dois eletrodos através de uma coluna de gás, chamada de “plasma”. Isso ocorre quando o eletrodo entre em contato com o material a ser soldado. Quando ocorre essa junção, há um curto-circuito, que gera um arco elétrico. Com a formação desse arco, o eletrodo pode ser afastado do metal sem que ele seja extinto.

6.2. Explique o funcionamento do processo de soldagem com eletrodo revestido usando uma fonte de tensão do tipo transformadora.

R- Os transformadores funcionam para converter a elevada tensão e alta corrente em baixa tensão e alta corrente. Do transformador essa tensão e corrente são levadas ao eletrodo em um porta-eletrodo. Quando o eletrodo entra em contato com a peça ocorre um curto-circuito, que gera um arco elétrico que derrete o eletrodo, formando uma poça de soldagem ne peça, que, quando resfriada, unira as peças.

6.3. Explique os processos de transferência metálica da gota fundida que ocorrem do eletrodo para a peça?

R- O arco elétrico estabelecido é envolvido por um campo de gás. Dentro do campo de gás o calor provocado pelo arco elétrico faz com que o eletrodo seja fundido, assim a gota fundida é depositada na peça.

6.4. Cite pelo menos 05 funções do revestimento do eletrodo. Cite ainda exemplos da sua composição.

R- Função Elétrica – o revestimento do eletrodo é um material com pouca conductividade, ou seja, isola o eletrodo de possiveis arcos elétricos indesejaveis.

Proteção do Gasosa – a decomposição do revestimento durante a soldagem libera alguns gases que formam uma proteção sobre a poça de soldagem, impedindo que haja a formação interna de bolhas de gás que provocariam rachaduras com o resfriamento da solda.

Adição de Elementos de Liga – em certas soldas é necessário adicionar certos elementos no revestimento para compensar a perda durante a soldagem.

Função da Escória – a escória funciona como fluxo, dando proteção adicional à poça de soldagem, e diminuindo a velocidade de resfriamento, permitindo o escape de gases.

Função Mecânica – certas propriedades mecânicas como alta ductibilidade e aumento de resistência mecânica podem ser incorporadas com a adição de elementos de liga ao revestimento.

6.5. Comente sobre a soldagem enquanto processo de fabricação voltada a recuperação (manutenção) de peças.

R- A soldagem como recuperação de peças é um processo de baixo custo, podendo ser utilizada para reparação de trincas, união de peças, preenchimentos de cavidades causadas por desgaste fisico ou, no caso da fundição em especifico, preenchimento de vazio ocasionado durante a fabricação.

6.6. Explique o que é tensão em vazio.

R- A tensão em vazio é a tensão necessária para gerar a corrente de curto-circuito para a abertura do arco.

6.7 Explicar como é o processo/seqüência de soldagem das peças do desenho a seguir.

Peça nº 0145°

Desenho das peças da questão 6.7 200

100

R- Primeiramente é preciso os equipamentos de segurança como máscara de solda e uma roupa adequada não inflamável.

O eletrodo deve ser escolhido de acordo com o o tipo de material a ser soldado e a espessura. Prende-se as peças a serem soldadas a mesa de trabalho, conectando o terminal negativo da fonte a mesa.

A solda das peças é iniciada com a soldagem das extremidades, para que durante o processo as peças não se movimentem e estraguem a solda. Com isso, é feita a soldagem completa das peças. O eletrodo precisa ser manipulado linearmente mantendo sempre a mesma distância da peça, para que o arco elétrico ocorra sem falhas. Após a soldagem de um lado, a peça deve ser virada e a solda pode ser feita sem a soldagem das extremidades.

A cada troca de eletrodo ou o términio da soldagem, deve-se escovar a peça com uma escova de aço de modo a remover-se a escória.

7. Conclusão

Durante a prática, foi apresentado o equipamento de soldagem com eletrodo revestido e questões de armazenamento de eletrodo. Quanto ao material a ser soldado, ele já estava pronto para a soldagem, não mostrando questões de preparação como a abertura dos chanfros e a limpeza da peça.

As questões de segurança foram seguidas, com a utilização de mascaras para todos que estavam observando e luvas e avental para quem soldava.

A questão da utilização de lentes de contato deveria ter sido abordada durante a aula teórica na semana anterior da prática, pois um dos elementos do grupo as utiliza e não foi possível a realização do experimento por parte deste.

Referências Bibliográficas

WILCOX, D. V., JACKSON, C. E., REYNOLDS, S. D. JR., et al. Welding Handbook : Welding, Cutting and Related Processes. London : American Welding Society, 1971. 5v.

BONGIO, E. Principles of Industrial Welding. Cleveland : The James F. Lincoln Arc Welding Foundation, 1978. 250p.

(Parte 2 de 2)

Comentários