A ética nos processos de capacitação e seleção de talentos

A ética nos processos de capacitação e seleção de talentos

A ÉTICA NOS PROCESSOS DE CAPACITAÇÃO E SELEÇÃO DE TALENTOS.

Para falar sobre ética no processo seletivo de uma empresa, necessário se torna saber o que é ética. De forma simples podemos dizer que é o modo de ser de uma pessoa, seu caráter que deriva em um conjunto de valores morais, bem como, princípios que fundamentam a boa conduta humana na sociedade. A principal função da ética no processo de capacitação e seleção de talentos e dar um perfeito equilíbrio para que esse funcionamento na administração privada – podendo ser aplicada na pública também – evitando que haja prejuízo para qualquer candidato. E, o bom exemplo na administração pública é a proibição, hoje, do famigerado nepotismo. Devendo ser entendida como um sentimento de justiça social em vez de leis.

Para que uma empresa possa aplicar essa justiça, equilibrada, em suas escolhas é necessário que a mesma esteja construída e constituída em uma sólida base de valores morais condizentes com a realidade sociocultural da nossa sociedade com esteio em nossos valores históricos e culturais.

Uma seleção ou uma busca de talentos que não segue esse caminho da justiça e do equilíbrio foge dos princípios morais básicos, e desde logo, esse comportamento pode ser classificado de antiético.

Através do processo de capacitação e de seleção, é possível identificar e contratar talentos, que buscam empresas com diferencial no mercado ou que ele seja o diferencial. Para que a empresa encontre o profissional desejado, é necessário que o profissional de recursos humanos esteja apto a cumprir essa tarefa. Experiência, competências relacionadas ao comportamento, conhecimento da política da empresa são algumas ferramentas que bem aplicadas poderão evitar futuros problemas para a empresa, além de evitar a contratação de profissionais que, na sua função não tenha o devido valor moral, impedindo-o de se aplicar consistentemente em beneficio da empresa contratante.

A capacidade aliada ao seu bom comportamento com sólidas bases axiológicas faz com que o profissional que seleciona responsável pelo setor de recursos humanos da empresa, eficiente no momento que se propõe a obter resultados positivos para a organização faz do profissional da área a responsabilidade em buscar e reter pessoas de forma justa

A mentalidade das empresas em buscar talentos baseados, única e exclusivamente, nos tópicos da competitividade e produtividade que, na sua maioria tendem a crescer na base do “puxar o tapete” do colega, manipulando pessoas, vivendo em permanente estado de ansiedade e ocupando a mente com valores irrelevantes em detrimento de outros mais éticos, obrigando aos seus talentos a incorporarem a política ultrapassada da empresa começa a mudar, começando a priorizar outros elementos que visam um bom desempenho na sua atividade, tais como: aptidão de trabalhar em equipe, a criatividade.

Um profissional capacitado e de alto nível também avalia, quando o seu processo de seleção, o comportamento da empresa a que ele se candidata e, essa avaliação começa pelo profissional que se apresenta para contratar e reter talentos que, acima de tudo, deve um alto grau de profissionalismo, pois nesse momento ele é a vitrine da empresa. Um recrutador incapaz e despreparado, tende, na maioria das vezes a ser antiético, pois não vai se preocupar com a boa qualidade do entrevistado e passará para o mesmo uma imagem errada da empresa, tornando por consequência uma propaganda negativa da mesma, já que essa atitude demonstra o total descomprometimento e respeito a sua função.

A ética vem conquistando dia a dia espaço cada vez mais necessário e sólido dentro do universo das corporações e, para especialistas, o departamento de Recursos Humanos é o setor que fortalece mais e mais essa tendência, já a partir do processo de recrutamento, seleção e por consequência natural do processo a contratação de talentos

Além disso, por lidar com pessoas - o objetivo central da ética - e por se ser um setor transversal da empresa, pois se relaciona com todas as outras áreas das empresas, a área de recursos humanos desempenha fundamental posição, sendo de uma necessidade imperiosa a elaboração de um bom e completo Código de Ética na empresa.

Assim sendo, posso concluir que em um processo de captação e seleção de talentos é de extrema importância que a condução seja feita por profissionais com notável grau de competência e qualificação, capazes de, com ética e respeito a empresa, tornar esse processo viável para uma boa contratação, como fala a boa doutrina, promovendo um aprendizado rápido do selecionado evitando longos períodos de capacitação e um rápido processo de adaptação, essas vantagens evitam problemas e prejuízos futuros advindos de uma escolha errada.

Integrando rapidamente o contratado a função e cultura da empresa elevando o potencial humano mediante escolha sistemática dos melhores talentos e melhoria do nível das relações humanas pela elevação do alto padrão moral que a empresa se dispõe a ter.

Comentários